quinta-feira, 18 de agosto de 2011

O Ser & A Criação

Eu poderia escrever semanas inteiras sobre a minha melancolia sem que ninguém entendesse o que, de fato, se passa dentro de mim.
Escrever é catarse, é um modo de entender a mim mesma. Ao mesmo tempo me conheço bem para saber todas as razões da minha tristeza. E são muitas.
Mas de nada adianta nessas horas, me dizerem : Levanta, vai olhar o sol, vai escrever, vai fazer isso ou aquilo... Sei que a intenção é a melhor, mas não resolve.
Preciso, nesses momentos, colocar para fora a minha raiva, a minha decepção, as minhas dores. E ficar encaramujada na minha tristeza, sim. Preciso dela, como preciso da minha alegria.
E não se trata de masoquismo, mas de vivenciar a dor até seu limite, para então, expurgá-la.
Ontem li um texto que falava sobre a melancolia e de que como essa representação remonta à Antiguidade grega.
Para Aristóteles, "o melancólico é associado à excepcionalidade criativa". A melancolia é consequência de "uma conformação biológica que predispõe uma pessoa à instabilidade". Ele a associa, inclusive, "aos efeitos produzidos pelo vinho", ou seja, torna essas pessoas sensíveis a movimentos de êxtase, que acontecem como se a pessoa, embriagada, "saísse de si, tivesse acessos de furor e oscilações de humor".
Por isso, a criação poética pode ser percebida como melancolia. E os escritores, poetas, artistas em geral,  "por seu estado pendular e oscilante". Os seres criativos são aqueles que transitam entre o abatimento e a genialidade, entre a tristeza e a alegria.
Sou assim. Sempre fui assim. Não estou me chamando de gênio, não é isso. Mas me vi nessa descrição. Ela me coube como um vestido feito sob medida.
Alguns poderiam chamar a isto de bipolaridade. Não sei, não entendo de psiquiatria. Pelo que tenho visto e pelas pessoas que conheço, somos todos bipolares, alguns mais, outros menos.
Mas, agora entendo melhor o que sinto. O porque de meus momentos de efusão criativa e de abatimento. De tristeza e alegria.
E não adianta querer explicar isto para quem não tem dentro de si um escritor ou um artista, que não entenderá. Mesmo.
Então, só me resta conviver com meus Dr. Jeckyll & Mr. Hardy...Aliás, não sei quem é mais "hard"...eles ou eu...

* excertos tirados do texto do Globo de 17/08/11 da coluna de Francisco Bosco.

26 comentários:

Cucla disse...

Querida, há momentos que são tão dificeis...
Mas há momentos que são tão bons..
Então, um momento de cada vez...bjo

Bordados e Retalhos disse...

Amiga acho que vc está indo no caminho certo em não fugir da sua dor, da raiva, enfim desses sentimentos que é melhor mesmos se colocados pra fora. Fique bem, Bjs

Graça Pereira disse...

Minha Querida
Desde ontem que estou tentando entrar no teu blog...Quem espera sempre alcança!
Gostei desta tua postagem e eu sou tambem um pouco assim.A melancolia bate-me muitas vezes à porta e é preciso deixá-la entrar. Tem o seu papel na minha vida e o seu lugar.
Necessita de espaço e tempo mas depois, quando se vai, deixa uma vontade louca de sorrir e ser feliz!
Mil beijos
Graça

LILIANE disse...

Oi Glorinha
incrível sua forma de compartilhar o que sabe e o que sente.

Hoje até falei com a Luma.
Sou muito grata pela vida por ter conhecido você e a Luma.
Está fazendo um ano que as conheci.
Foi fantástico, mudou minha vida.

Quem sabe não é isso que me consola: o fato das minhas constantes oscilações no humor me trazerem o benefício da criatividade.

Disso eu gosto.
Normalmente depois de uma crise, vem uma transformação.
Sempre fui assim Glorinha, desde que me reconheço gente.

Se isto é ser bipolar ou não, pra mim, nestas alturas do campeonato não faz diferença.
Estou aprendendo a conviver comigo e isso me basta, viu.

Querida, desculpa o tamanho do comentário, é que me sinto tão a vontade contigo que ....

beijos

Glorinha L de Lion disse...

Sim Cucla, querida, cada coisa a seu tempo, tudo faz parte de nossa humanidade, a dor e a alegria. Vivamos cada uma, esperando que o melhor ainda virá, beijo grande!

Glorinha L de Lion disse...

Preciso disso, Gi e sei que me entende, beijos amiga,

Glorinha L de Lion disse...

Graça, minha amiga! Sincronicidade pura! acabei de vir do teu blog e vejo teu comentário! Que coisa linda isso! Estamos em sintonia! Claro que me entenderias, sei bem disso, pois somos feitas da mesma massa e sentimentos. Belo depoimento, obrigada, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Que bom Liliane que sente assim! Fico feliz por estar finalmente se conhecendo e se entendendo e, por conseguinte, se aceitando. Se tive alguma parcela nisso, não sei, mas fico feliz que pense assim...Beijo grande,

Ler e Amar disse...

Oiiii Glorinha!!!! Encontrei seu blog através do "quero morar em uma livraria"... Adorei esse texto!!! Adorei também o que você falou sobre escrever: a alma vai para a ponta dos dedos mesmo ( e dá para sentir isso nas suas palavras)... Uma amiga minha costuma dizer também que escrevendo a gente acaba se conhecendo melhor...
Quanto a esse texto: Sou Psicóloga e posso dizer que nossos momentos de melancolia não se tratam necessariamente de bipolaridade não... Antes, eles podem corresponder a tristezas passageiras... Coisa de gente de verdade, de carne e osso, de coração... Coisa de quem tem sensibilidade para se perceber, se entender e depois seguir em frente... Acho que as coisas são muitas vezes mais simples do que parecem e precisamos aprender a aceitar os momentos pelos quais passamos de forma mais leve...
Vou vim te visitar mais vezes, hehe... Também tenho um blog, de livros... O próprio nome do blog já fala um pouquinho de mim... Vai lá conhecer... www.lereamar.blogspot.com
Abração
Aliny

Misturação - Ana Karla disse...

Glorinha, estou vendo que estamos em sintonia, pois estou reescrevendo esse comentário, porque ao começar escrever o primeiro, fui atender uma ligação e ao voltar tinha o seu comentário lá no blog.
Adoro isso!
Após ler os seus sentimentos me pergunto se quem me cria não sou eu?
Meio louca, né?(risos).

Obrigada pelo o elogio lá, viu?
Aquela foto, foi uma das muitas que já tirei daquele local, no Alto da Sé. Gosto muito.

Xerossss

Glorinha L de Lion disse...

Oi Aliny! Salve simpatia! Seja bem vinda ao meu Café! que bom que gostou daqui e da minha escrita, pois é, minha alma vive na ponta de meus dedos...rsrs Obrigada por seu comentário tão relevante, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Xerosa linda! Menina, hj aconteceu isso por duas vezes com duas pessoas diferentes! Coisas inexplicáveis, sintonia de almas e pensamentos...beijos querida, obrigada por vir aqui,

Regina Rozenbaum disse...

Glorinha amada!
Ao ler seu des_abafo foi inevitável a lembrança de um escrito meu:Tô em crise: Angústia ou Melancolia?(16/04/10)Não consegui colocar o link aqui, mas pela data cê chega lá. Acho, inclusive, que vc vai gostar dos comentários (tem até da Renatinha,e qdo reli agora...afff que saudades!)
Não sei se esse estado "pertence" somente aos artistas, poetas, escritores...Para mim, é inerente a qq SER em ebulição. Então moça, permita-se...pq quando sair desse estado encaramujado de SER, nós por aqui agradecemos a cria.
Beijuuss n.a.

Beth/Lilás disse...

Gloriosa amiga!
O autor dessas palavras tem mesmo razão, concordo com ele que os escritores,músicos, pintores, artistas em geral têm estes acessos de furor e oscilações de humor.
Você sabe né, tem um aqui perto de mim e tem dias que fica numa euforia total, noutros, desanima e fica chato que nem tu. hehehe
Eu só sei que depois de dias assim, costumam aparecer com alguma coisa linda, sei lá, parece que brota do interior mais profundo dessas pessoas, da alma, talvez.
Vai lá, curta seu momento em paz!
beijinhos cariocas

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

melancolia é coisa de artista, sempre foi.
no Brasil o pensamento é diferente, tudo é sempre mais pro alegre, carnaval, a diversão. a tristeza é algo meio abominado, abominável e negado (apesar de se viver tantas mazelas e tristezas né)

Mas em muitos outros países o destaque é até para algo com um olhar mais triste, negativo... ou de desabafo mesmo. a arte expressa nesses dois estados, o alegre e triste.

uma música q faz mto sucesso até hj (e tem mtas nesse estilo)
http://youtu.be/tWBFRp3zreo?t=1m17s é bem o tipo de arte criada neste momento pra baixo.

a gente é que precisa aprender a reconhecer o down como um estado de alma, sem qualificar com mais ou menos.

ser melancólica não é problema nenhum, vc tem que ser é esperta e botar a melancolia para trabalhar ao seu favor. é escrevendo o livro, é criando, é desabafando. pq a gente sempre acha que apenas a felicidade, o bom, o momento alegre é criativo. mas na tristeza muita coisa é puxada tb, mto sentimento, muita percepção, introspecção.

só não trave na inércia e na falta de ação. põe pra fora suas alegrias e tristezas...
bjs e boas escritas

Glorinha L de Lion disse...

Sabe Rê, ontem vi o Contardo Caligari, psiquiatra e o Pondé, filósofo, falando sobre os dois filmes do momento A Árvore da Vida e Melancolia e sobre o tal estado melancólico. Eles concordam comigo: o ser criativo, tanto pode ser um filósofo, quanto um artista ou um pensador é melancólico sim. Vc, amada, é uma pensadora, uma filósofa da vida, por isso, essa ebulição interna, esse olhar pra dentro. Tá explicado! Vou lá procurar esse teu post. beijão,

Glorinha L de Lion disse...

Pois é Betita, sou um pêndulo oscilante em constante mudança interna, pensendo ora pra tristeza, ora pra alegria...alguém AGUENTA GENTE ASSIM COMO EU? DEVO SER INSUPORTÁVEL! rsrs beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Olha Alê, vou te contar: escrevo muito melhor quando estou pra baixo...esse estado de alma permite que se vá tão fundo que tiramos de nós o nosso melhor, o que está lá, escondido, debaixo de camadas de sorrisos, alegrias e cores. Tanto isso é verdade que os poetas antigos adoeciam e morriam de tristeza, de melancolia. Eu acho que a tristeza é muito mais criativa do que a exuberância e a alegria. Mas, às vezes ficamos num estado tal, que não sai uma linha sequer...é preciso subir aos poucos desse mergulho profundo e retomar o ar. Estou assim nesse momento, precisando de fôlego...beijos amigo querido,

Mila Viegas disse...

Guxa,
Estou com saudades de você, dos nossos papos e tudo o mais. Em relação à tristeza, eu penso que é preciso sim vivenciá-la, é preciso passar por isso, é essencial. Não existe gente 100% feliz o tempo todo... Isso é que não é natural. É uma fase, como tantas, que precisa ser superada. Não acho que seja bipolaridade... são momentos. E é fato que a melancolia é uma fonte de inspiração para quem sabe usá-la.

Beijocas

William Garibaldi disse...

Você é muito mais Hard! Hard Loved!
Pelo jeito o Amor está no ar.. a melancolia é a energia desta sexta... to assim tbm...
acabo de vir do Post da Beth... ai... que saudade de amar daquele jeito...
não sabia desta definição de melancolia, associada ao vinho.
Bjus de Bom Final de Semana!

Vou ra sampa cantgar mantra o dia inteiro no Yoga pela Paz.. e ver se meu coração de poeta sara...!
Meu coração de não existe amor compatível há mil vidas! :)

Ihhh to um chato!

Bjus Tudaaaaaa!

Glorinha L de Lion disse...

Eu tb Guxa...imensas saudades dos nossos loooongos bate papos cheios de som e fúria! rsrs beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Bil, então volta energizado, enamorado, plasmando coisas boas pra todos nós! Viva a Vida, o Amor e a Paz! Vai com TUDO! beijão,

Maricleide disse...

Amiga, passando para te desejar um ótimo final de semana com muita luz divina.
Apareça lá.

Bom final de semana

Bjs cristalinos

Glorinha L de Lion disse...

Obrigada Maricleide, o mesmo pra vc! bjs,

LILIANE disse...

Oi Glorinha...
passei pra saber se estava bem e para deixar um abraço tambem
bom fim de semana.

Glorinha L de Lion disse...

Tá tudo bem sim, Liliane, obrigada, beijos, bom fim de semana,