sábado, 2 de abril de 2011

Meu Livro E O Temporal


Imagem daqui.

No dia em que terminei o meu livro de contos da maturidade: Na Esquina do Tempo Nº 50, caía um temporal como há muito eu não via cair por aqui.
Os temporais aqui em casa costumam ser daqueles de meter medo, pois como moro praticamente dentro da Mata Atlântica, as árvores envergam , galhos voam, vidros estremecem, o vento canta uma ópera lá fora. Eu não tenho medo de tempestades e nem o senti nesse dia. Só tinha receio que acabasse a luz e interrompesse o meu jorrar de ideias e emoções. Aqui onde moro, costuma faltar luz mesmo sem vento ou chuva, que dirá com temporais tenebrosos como aquele... Hoje mesmo, fiquei a manhã inteira sem luz porque um ultraleve caiu na rede elétrica...
Naquele dia, numa noite de julho, parecia que a Natureza fazia um pano de fundo ao que eu sentia por dentro. Parecia que todo o meu sofrimento, a minha dor, haviam vindo à tona em forma de temporal.
O vento rugia tão forte, as portas batiam com tanto barulho, a chuva inundava minha sala...E eu, sozinha, dedilhando o computador, como se estivesse fora de mim. Foi algo inexplicável o que aconteceu naquele dia.
A luz nem piscou, pude terminar o livro, dar um ponto final ao que já vinha escrevendo há meses, mas que já fervilhava dentro de mim há alguns anos, aguardando a época exata para sair em explosão.
Contei aqui como foi esse momento exato.
Algo que não sei explicar aconteceu naquele momento, pois nem sabia que iria terminar o livro naquele dia ou àquela hora.
Simplesmente aconteceu. Veio, baixou, desceu, lavou.
Alguns dirão que foi a mão de deus, obra divina, inspiração dos céus. Outros que psicografei ou "recebi" o capítulo final...Mas algo de especial aconteceu naquela noite. A solidão era necessária, a tempestade também, pois era a tradução exata do que eu sentia por dentro...e o mais impressionante de tudo, para mim, foi o fato de a luz não ter sequer piscado, ou eu perderia meus escritos, por isso ia salvando a todo minuto, a cada parágrafo.
E ao terminar, soube que era o último capítulo. Como eu soube, não sei. Intuí que era. Pressenti que aquele era o capítulo final. Não me sentei ao computador naquele dia pensando: - Vou escrever o ultimo capítulo. Não, não sabia que era o último, só descobri quando terminei de escrevê-lo.
Penso que a chuva lavou tudo o que eu tinha por dentro, minhas dores e questionamentos. Penso que a tempestade lá fora foi como uma metáfora de minha tempestade interior: imensa, sem precedentes, mas com muita luz, com o foco, o facho de luz voltado para os pontos que mais doíam e que precisavam sair.
Hoje percebo que foi uma bela forma de terminar um livro. Com pompa e circunstância. Com o clamor das forças da Natureza. Eu mesma, uma força da Natureza.
Meu livro nasceu assim.
No meio de uma metáfora da Vida.

Na Esquina do Tempo Nº 50 - Lançamento, dia 14 de abril, às 19 hs - Editora Multifoco, Av. Mem de Sá, 126 - Lapa -Rio de Janeiro - Brasil.


40 comentários:

Inaie disse...

Que coisa mais linda, que momento mais catarquico ( ai, ai, nem sei se e assim que se escreve)...

Amiga, seu livro vai ser um grande sucesso. Estou aqui, torcendo e vibrando por voce e com voce!

manuel marques disse...

As coisas chegam e partem com os temporais.O seu texto me fez lembrar um poema de Manuel da Fonseca que aqui deixo transcrito e lhe dedico com muito carinho.


Ansiedade .

Quero compor um poema
onde fremente
cante a vida
das florestas das águas e dos ventos.

Que o meu canto seja
no meio do temporal
uma chicotada de vento
que estremeça as estrelas
desfaça mitos
e rasgue nevoeiros — escancarando sóis!


Beijinhos meus.

Majju disse...

Olá Glorinha!!!
Muito...muito sucesso com o lançamento do seu livro.
Tenha um ótimo final de semana.
Beijos doces e perfumados!!!

Drika disse...

Boa tarde, Glorinha!
Nossa, que surpresa boa! Eu imagino sua alegria pois tbm já passei por isso, este 'parto' de vida =) Parabéns!
E com certeza a circunstância que você descreveu aí é sinal de que é um livro forte, que vai ajudar muita gente e que representa sua pessoa também. Uno-me com você neste momento =)
Um grande abraço, desejando que ventos bons te ajudem sempre =)

Bjo no coração, com bênção de Deus!

xunandinha disse...

Olá glorinha, hoje vim ao seu café com bolo e fiquei super satisfeita por saber que vai lançar um livro e por pouco era no dia do meu aniversário espero que corra bem o lançamento muita sorte um grande abraço e mil beijos meus e da minha filhota

Cantinho She disse...

Glorinha, nunca esqueci esse seu post, sabia? Onde vc conta tudo como foi, pois fiquei fascinada com a oportunidade providencial que vc teve... Mas esse comentário é de teor totalmente pessoal de acordo com as minhas crenças, trocando em miúdos o que quero te dizer é que tinha que ser daquele jeito, independente de fé, tudo acontece do jeito que tem que acontecer e a nós cabe vivermos essas experiências fascinantes... ;)
Beijo, beijo!
She

Lúcia Soares disse...

Glorinha, simplesmente o Universo conspirou a seu favor.
Ah, como eu queria estar nessa noite de lançamento!
Mas vá preparndo os envios, muita gente vai querer receber seu livro pelos correios.
Já pedi: manda o meu autografado, lógico! rsrs
Beijos!

Terê. disse...

amiga ! parabens por esta conquista,sucesso. bejos terê.

Glorinha L de Lion disse...

Obigada Inaie, de coração, obrigada mesmo! Beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Que lindo Manuel, meu querido amigo! Realmente às vezes precisamos rasgar os nevoeiros para que o sol volte a brilhar. Obrigada por tua delicadeza, beijos, muitos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Majju, querida, obrigada. Não tenho visitado muito os amigos, eu sei, mas vcs me entendem não é? Obrigada, de coração querida, beijo grande,

Glorinha L de Lion disse...

Obrigada Drika, sei que tb passou por algo parecido ao escrever o seu, embora cada livro e cada autor sintam de forma única e intransferível, né? Obrigada pela torcida,
Beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Xunandinha, muito grata à ti e à tua filhota! Estou muito feliz, vai ser o primeiro de muitos, com certeza! beijos pras duas,

Glorinha L de Lion disse...

Pois é She, foi forte, né? Eu tb nunca mais vou me esquecer daquele dia...obrigada querida, estaremos juntas lá, no dia 14. Beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Lúcia, é sim, já estou com uma listinha aqui...estou cheia de encomendas...e todo mundo quer autografado....vamos ver se sobra os do dia do lançamento...obrigada amiga por seu carinho. Sei que em pensamento estará lá, sei que sim, beijos, obrigada,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Terê, obrigada, beijos,

Bombom disse...

"Depois da Tempestade, vem a Bonança". É velhinho este ditado, mas está comprovado que é verdadeiro!
Esse livro tinha que ser gerado em grande turbilhão, tal como eu atravessei essa fase da vida e acho que o mesmo se passa com todas nós, Mulheres. E agora vamos celebrar! Parabéns! Felicidades! Bjs. Bombom

URBAN.GO disse...

Vamos agora deixar esse "menino" crescer sózinho e fazer história.
Beijinho.

Glorinha L de Lion disse...

Querida Bombom, por isso acho que todas as mulheres irão se identificar com meu livro, mesmo as que ainda não passaram pelo turbilhão, mas passarão, certamente. Obrigada querida, beijo enorme!

Glorinha L de Lion disse...

Ah sim, Urbano, meu amigo, ele agora vai ter que caminhar com suas próprias pernas e já não é sem tempo! Obrigada, beijos,

Lívia Azzi disse...

Eu visualizei todas as cenas e senti na pele o que você narrava, arrepiei do início ao fim. Uma sinergia da natureza em sincronismo com sua produção literária. São momentos assim, de rara beleza (mesmo que embalada com tristeza) que justificam uma vida inteira... Isso me lembra Rubem Alves em “Ostra feliz não faz pérola”.

Beijos e carinhos, querida Glorinha!

✿ chica disse...

Momentos bem marcantes pra encerrar o teu livro. Há coisas que não entendemos, mas devem ter razão de ser... Um beijo e tudo de bom!chica

isa disse...

Glorinha,
quanta energia, vibração, dentro e fora! Uma bela recordação de desfecho da obra.
Parabéns. Sucesso. Estou curiosa pela capa!
Agora é só relaxar e colher os louros.

Beatriz disse...

Olá Glorinha

Ah, essas tempestades que gosto tanto...
O barulho da chuva cortando o ar...
Realmente uma boa maeira de terminar um livro...ou começar!

Beijinhos,

Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Alexandre Mauj Imamura (lostinjapan.tk) disse...

Agora eu entendi pq vc tá de oculos na foto! é por causa da psicografia, Glorinha Cândido Xavier rs.

recado: fala pro filhão instalar um no-break no pc. se acabar a luz, o pc funciona durante uma meia hora, se não me engano. vai q um dia vc tá escrevendo e a luz acaba, nossa!

esse livro, não vejo a hora de ler!
e vc tava é comungada com a natureza, sintonia com mãe Gaia.

eu adoro chuvão. aqui dá dessas chuvas qdo vem tufão (uma ou duas vezes ao ano). chove fortíssimo um ou dois dias, vento, aquele "fuuuuuuuu" na janela. Eu sinto que limpa tudo, limpa até o rego do povo.

e que pena q não posso ir no dia 14. mas em sentimento estarei lá tb com vcs! mtas fotos, por favor?
bjs e bom dia

nadiru-san disse...

Uau! que intenso!!!
pude até imaginar isso!
impressionante!!
Sucesso no dia 14!!!!
beijos

Ana Balbinot disse...

Glorinha, desejo muito sucesso à você no lançamento do seu livro!
Quanto à enquete do meu blog, voce não conseguiu responder as 2 primeiras perguntas porque já estavam fechadas, mas ao final da 4 pergunta eu vou abrir novamente todas elas para o sorteio do presente.
Beijos e um ótimo domingo!

Glorinha L de Lion disse...

Foi mesmo uma coisa meio operística Livinha, de uma intensidade como poucas vezes vivi....foi bonito sentir e ver tudo isso. A vida se justifica por fatos como esse, por si só já se bastam...Beijos lindeza,

Glorinha L de Lion disse...

É Chica, e o fato de não terem explicação é que os faz mais mágicos ainda, não acha? Beijos, amiga, bom domingo!

Glorinha L de Lion disse...

Oi Bia, é mesmo...adoro chuva e temporais, lavam tudo...beijos,

Glorinha L de Lion disse...

KKKKKKKKKKKKK Ai Alê, se os espíritas lêem isso, vão dizer que é sacrilégio com o pobre do Chico...
Mas que parecia psicografia, isso parecia, rsrs
Acho que comunhão com a Natureza é mesmo assim, como vc diz: não é preciso ser crente em nada, basta ter bons sentimentos e crer no amor e na vida, que dias melhores hão de chegar, acreditar nos sonhos e em nós mesmos...essa comunhão foi total naquele dia: de mim, comigo mesma, tendo a Mãe Natureza como responsável pelo conjunto da obra, co-autora da ópera que a vida escreveu através de minhas mãos...
Sinto um prazer enorme em ter tido o privilégio de ter podido passar minhas experiências de vida e de visão do mundo para quem ler meu livro. Claro que não é perfeito, deve ter muitas falhas, como eu, afinal, ele sou eu e eu sou ele. Beijos meu querido, seus comentários sempre tão pertinentes e bom astral me enchem de alegria. Bem Hajas meu amigo, como dizem nossos amigos portugueses. Te adoro, pena vc não estar aqui, mas estará no meu coração,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Nadiru, obrigada querida, beijo grande,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Ana, ah, então foi isso....tá certo. Obrigada pelos bons fluidos...beijos,

lolipop disse...

Amiga querida,
Nietzsche chamaria esse momento de Dionisiaco...e a grande arte tem a ver com momentos assim, em que a criação se identifica com as forças telúricas.
Isso só pode ser um bom augúrio para esse livro que está prestes a ver a luz do dia.
Tenho a certeza de que será o inicio de muitos outros sucessos.
Tal como o Alé, a minha maior pena é não te poder abraçar nesse dia, mas, como dizemos aqui, há mais marés que marinheiros...e o meu coração estará nesse dia do outro lado do mar...

PARABÉNS GLORINHA!!!!!!!!!!!
MILLLL TERNURASSSSSSSSSSSSSSSSS

Leila Brasil disse...

Fiquei imaginando a cena bem descrita por você . Como num filme.
Fiquei impressionada com o calor da cena que imaginei, pois a escrita vinha como se precisasse ser salva e de tão precisa bem acabou o livro costurando com firmeza o final para que não soltasse nenhuma linhazinha que fosse.
Tão forte isso!
Emocionante, amore! o "bebê" tem uma personalidade forte hein"

beijos

Glorinha L de Lion disse...

Loli, minha querida, sei bem que estarás aqui ao meu lado nesse dia tão importante. O oceano que nos separa, trará junto com as marés, teus pensamentos envoltos em espuma, a me beijar os pés...A maneira como meu livro foi terminado, a conjunção de fatores, todos eles, eu, a natureza urrando lá fora, eu, gritando por dentro, cascatas de lágrimas brotando dos meus olhos enquanto ia escrevendo, sofregamente, sem conseguir parar, tudo isso foi de tal modo catártico e excepcional que só posso dizer que de alma lavada, esse livro nasceu num dia abençoado pela Natureza em seu estado mais puro e selvagem. Acho que bons ventos o aguardam, a este filho que nasceu num dia assim, tão especial...Tenhas a certeza que estarás comigo. Depois de tanta dor e sonhos sonhados, sabê-los ao meu lado, mesmo que em pensamentos é meu melhor presente. Beijos amiga amada,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Leila, acho que sim, forte como a da mãe! hehehe Foi mesmo uma coisa muito especial e única o que aconteceu naquela noite, beijos querida,

Élys disse...

Não sei o que aconteceu , mas havia feito um comentário, anteriormente e talvez por um erro meu ele não apareceu. Posso ter esquecido de clicar em publicar.

Fico muito feliz por ver você realizar o seu sonho, você merece pela perseverança, por sempre acreditar.
Veja que até a natureza se fez presente. aplaudindo a sua realização.
Sempre nos grandes momentos assim acontece.
Parabéns, que o sucesso seja de agora em diante, permanente em sua vida, como um todo.
Beijos.

Glorinha L de Lion disse...

Obrigada amigo Élys, vc é muito gentil. Acho que seu comentário está no post de baixo, é esse? Obrigada de qq forma, beijo grande,

Socorro Melo disse...

Glorinha,

Quanta emoção! Fico muito feliz por você. Não tenho dúvidas de que o livro será um sucesso, pois, você escreve muito bem, de forma inteligente e poética. Desejo muito conhecer esse trabalho.

Beijos
Socorro Melo