sexta-feira, 8 de abril de 2011

A Vida E Suas Possibilidades

Esta semana terminei o livro O Mundo Pós Aniversário de Lionel Shriver e me deparei com a pergunta que permeia silenciosamente as mais de 500 páginas do livro: Eu teria sido mais feliz se tivesse seguido o outro atalho?
O livro trata, de maneira genial, desse tema: Qual dos caminhos que tomamos nos faria mais feliz, esse ou aquele outro?
Fiquei pensando nas possibilidades que a vida nos oferece e na maneira que escolhemos nosso destino.
Temos a tendência de sempre achar que seríamos mais felizes se tivéssemos feito isso e não aquilo.
Que poderíamos ter sido mais plenos se não tivéssemos aberto mão daquilo e não disso.
O ser humano nunca será plenamente feliz com o que tem. Sempre vai desejar o que não teve ou o que o outro possui.
Será que teria sido mais amada se tivesse ficado com aquele homem? Ele teria me feito feliz?
E se ele não fosse como eu imaginava?
E se a vida tivesse tomado outro rumo? E se eu não tivesse aberto mão da minha profissão para ser mãe?
E se? E se? E se?
Nunca saberemos. Nunca teremos tudo. As possibilidades estão aí para serem colhidas, como se colhe uma flor linda e perfumada, inofensiva ou uma espécie extremamente bela, mas venenosa...
A vida nos abre um leque de promessas, de possíveis caminhos...mas no final, só poderemos escolher um deles...Não há jeito de nos dividirmos em dois e seguirmos pelas duas opções.
Se o escolhido será o melhor, o mais aprazível, o que nos trará menos armadilhas e dor?
Isso, só o tempo dirá...Resta a nós, marionetes do destino, seguir nossa intuição, falha e questionável, assim como nós...

45 comentários:

Malu Machado disse...

Glorinha,

Quem de nós não se fez ainda esta pergunta? Eu afaço todos os dias, principalmetne ao passar dos anos, quando tendemos, embora a força para a luta diária, mais dissabores e aborrecimentos do que alegrias.

Por isso ando tendo a certeza de que preciso reler krishinamurti.

Um beijo grande,

Rô... disse...

bom dia Glorinha...

mesmo para refletir...
a vida sempre nos coloca numa situação de escolhas...

acho que nem sempre fazemos a mais certa...
mas é errando que se aprende a acertar...
vamos aprendendo


linda sexta
beijinhos

IdoMind disse...

Olá,

É verdade que essas perguntas nos assaltam num momento ou noutro.Verdade maior é que não há nada a fazer quanto ao que está feito.
E por isso, para mim, importante importante é escolher AGORA a melhor forma de ser feliz. E se mais lá frente constatar que afinal não era por ali MUDAR e fazer uma escolha diferente.

Acho que este é o segredo de toda a vida: viver vivendo...
beijinhos

Glorinha L de Lion disse...

Cada vez mais me pego pensando assim tb Malu. E tb, cada vez mais vejo que fiz as escolhas que pude e quis. Ninguém deve ser responsabilizado pelos erros que cometemos ou pelas escolhas erradas que fizemos. A vida nos cobrará mais adiante, que arquemos com as consequências de nossos atos, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Acho Rô, que sempre vamos achar que seríamos mais felizes com o que deixamos pra trás e não com o que temos...beijos,

»¤Þ䵣䤫 disse...

Vivo fazendo essa pergunta para mim! Fiquei curiosa sobre o livro! Beijos e um ótimo final de semana!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

no fundo, a gente só faz o que considera melhor. mesmo qdo erra, pensamos que fazemos o melhor, que é o "caminho".
por isso prefiro, em vez de pensar no caminho a escolher, pensar em como caminhar melhor. a vida que me indique rumos e eu me encarrego de andar.

adorei o post
bom dia

Macá disse...

Glorinha
Sabe que eu já não me faço mais essa pergunta. Nunca saberemos o que uma nossa escolha, diferente da que fizemos, poderia nos proporcionar.
Então sigo no: Deixa a vida me levar.........
beijos

Glorinha L de Lion disse...

Oi Ido Mind muito prazer, pois é, mas quando se chega a uma certa idade a gente sente isso mais forte do que ao longo da vida, mas não adianta se torturar, valeu a vida que se viveu....beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Paula, o livro parte de uma ideia genial, ela alterna os capítulos. Cada capítulo é sobre uma das escolhas que a protagonista fez...muito interessante mesmo, beijos,

Calu disse...

Creio eu, Glorinha, ser este dilema uma espécie de estigma da raça humana.Todos, sem exceção, já se fizeram tal pergunta e já ficaram em dúvida quanto à resposta e já colecionaram arrependimentos nas escolhas. Chamem de que nome quiserem, mas a tal sina que nos assoma é inerente à vida e dela nos faz marionetes, como vc disse.
Tenha um lindo fim de semana. Sonhe com flores e páginas escritas!!
Bjinhos,
Calu

Nane Cabral disse...

Muitas vezes me faço essa pergunta, mas na verdade acho que devemos pensar que fizemos o melhor que conseguíamos naquele momento, caso contrário, podemos nos arrepender ou ficar desolados com o que poderia acontecer. E bola pra frente... Beijinhos, Nane www.vovoqueensinou.blogspot.com

Glorinha L de Lion disse...

Oi Alê pois é, sempre escolhemos o que nos parece melhor, né? E temos que arcar com as consequências das escolhas que fazemos ao longo da vida, e sempre é tempo de mudar de rota, né?
Beijos querido,

Glorinha L de Lion disse...

Ai Macá, eu queria ser assim, mas não consigo...fico sempre me tortuando: pq não fiz assim ou assado? Não leva à nada, bem sei, mas sou assim, fazer o que? beijos querida,

manuel marques disse...

Nunca se é tão feliz nem tão infeliz como se imagina.

Beijo e bom fim de semana.

Lu Souza Brito disse...

Ah Glorinha,

As nossas escolhas são sempre fundamentadas naquilo que no momento achamos que seria o melhor - ou o mais comodo. Verdade é que muitas vezes fazemos escolhas baseados no conforto ou não que aquela decisão nos trará. E quando digo conforto, nao é conforto material nao, é da zona de conforto, do que é seguro, do que é conhecido, do que oferece menos riscos.
Também já me perguntei isso. E sabe, qualquer escolha terá seu instante para lamentação por ter feito isto e nao aquilo, então. Nunca estamos satisfeitos e na hora que a insatisfação nos incomoda, lembramos daquela outra situação e ai começa os questionamentos... Se, Se, Se....se eu fosse rica, se eu fosse mais inteligente, se eu fosse mais segura. Bobagem, o SE nao existe.
O que existe é o fruto das nossas escolhas e como caminharemos adiante com as mesmas.

Vixe, desculpe o comentário -post. Rsrsrs.
beijoooooooos

Glorinha L de Lion disse...

Concordo com tudo isso o que diz Calu, penso exatamente assim, beijos querida,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Nane, não adianta mesmo a gente se torturar pensando: SE? Mas às vezes, até hj me pego pensando E SE? Faz parte da natureza humana esses questionamentos...beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Sábias palavras, amigo Manuel. Com certeza é assim, basta olhar pros lados que veremos isso...beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Uau Luzita! Isso mesmo, concordo com vc...é inevitável em alguns momentos ter essas dúvidas, como disse, faz parte da nossa humanidade ser assim, eternos insatisfeitos...legal seu comentário, adorei! beijos,

URBAN.GO disse...

Será que?
Este pensamento é a sombra de todos nós.
Certo, certo nesta vida, só duas coisas, nascemos e morreremos, o resto são incógnitas e reflexos das nossas decisões, das nossas opções.
Bjs, fica bem.

obs: o meu livro continua ao dispor.

Bombom disse...

Quem não se interrogou se esta ou aquela escolha foi a melhor?...A idade também me ensinou que nem sempre as escolhas que fazemos são as melhores. No extremo, há que reformular os objectivos e, se necessário encontrar outros novos. Mas em geral, é possível com alguma coragem e determinação, reformular atitudes e continuar dentro das mesmas escolhas. Muito sucesso para os novos Livros que estarão no prelo muito em breve! Aguardo ansiosa! Bjs. Bombom

Glorinha L de Lion disse...

Está certíssimo Urbano. De certo mesmo só Vida e Morte...o resto é o intermezzo entre os dois extremos...vivamos da melhor forma, pois, beijos, obrigada,

Glorinha L de Lion disse...

Claro querida Bombom, é sempre tempo de mudarmos o percurso, o que tb não nos garante que não sonharemos com o outro caminho do qual abrimos mão....beijos minha querida, já já estará disponível no site, beijos,

Irene Moreira disse...

Glorinha

A vida é cheia de armadilhas e nada é em vão, pois amadurecemos e aprendemos a crescer como seres humanos.

Amiga não sei se sabes que abrir um espaço da mamyrene no wordpress e lá recebo meus amigos também. É mais uma salinha para poder postar e falar da vida, do amor, relembrar os momentos de criança,enfim é um cantinho simples, mas é um complemento da mamyrene no blogspot.

Estou divulgando o seu livro lá e também na Vitrine de Sonhos.

Beijos no seu coração.

lolipop disse...

É minha querida, faz parte da nossa condição querer sempre mais. Algo de essencial, algo que nos preencha. Não necessariamente bens materiais...
E as nossas escolhas determinam muitas vezes uma parte importante da nossa vida...onde não podemos usar borracha para apagar, ou voltar atrás.

Não conheço esse livro...


MIL TERNURASSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS
Desta criatura sempre confusa e inquieta que te tem muita amizade deste lado do mar...

Loli

* Maria Edméia * disse...

*Glorinha, bom dia !!!

*Menina, esse livro parece ser

muito interessante ! Verei se eu

o encontro aqui na livraria da

minha cidade !!! *Você acredita

que aqui na Terra das Garças

Brancas - Guaratinguetá / SP -

tem apenas UMA livraria ?! ?! ?!

(kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

Prefiro RIR do que chorar !!!).

*Glória, como já estou com 50

anos de idade e tenho a CERTEZA

de que "chorar o leite derramado"

NÃO VALE A PENA, prefiro convencer-

me que fiz ESCOLHAS ASSERTIVAS para

a minha vida e ... ponto final.

Todavia, não nego que já me deparei

com esta indagação para mim mesma

várias vezes : quando fui

maltratada por alguns alunos na

sala-de-aula (sou professora de

"Língua Portuguesa" numa escola

do Estado de SP); quando separei-

me do meu ex- marido; quando um

filho disse-me algo que me MAGOOU;

quando não fui REconhecida nas

minhas demonstrações de carinho

para com algumas pessoas da minha

família; quando deixei passar

determinados momentos na minha

vida e por aí vai !!! Mas, como já

mencionei aqui, tenho CER-TE-ZA

que é "SOFRER EM VÃO" achar que

uma OUTRA ESCOLHA iria nos fazer

MAIS FELIZES ou ... menos INfelizes

!!!

*Glória, quero te agradecer

pelo comentário que você deixou

lá no meu *Caderninho há semanas

atrás e te desejar um abençoado

final de semana ao lado dos teus

e uma semana bem produtiva de

trabalho !!!

*Fiques com Deus !!!

*Gosto de Você !!!

*Um abraço.

Glorinha L de Lion disse...

Oi Irene, não sabia de seu novo blog...vou lá agora...Obrigada pela generosidade em divulgar meu livro.
Quanto ao post tem razão. Tudo o que nos acontece de bom ou ruim nos ajuda a crescer e nos tornar melhores, embora para alguns isso nada signifique....beijos querida, obrigada,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Loli minha amiga querida. Eu tb sou assim, como vc, esse ser inquieto que vai sempre desejar ou se questionar por que é assim e não assado...Não podemos apagar, mas podemos mudar a rota, o rumo e fazer diferente...é sempre tempo.
Beijos minha flor, espero que estejas bem,

Malu Machado disse...

Oi Glorinha,

queria te fazer um convite, me escreve um e-mail, não consegui localizar o seu endereço no seu blog.

Bjs,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Edméia, pois é, esse livro é beem grosso...tem horas em que não engrena, mas a estória, a ideia em si é genial...Nem tem que agradecer. Eu é que sou grata a todos vcs pela força que tem me dado, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Ok Malu, é pra já, beijos,

AC disse...

Glorinha,
Muito bem colocada a questão do caminho trilhado, as dúvidas que vão surgindo.
Não direi que seja generalizado, porque não é, mas muitas pessoas interrogam-se porque acham que mereciam mais. Esquecem-se que, em vez de ficarem na expectativa, devem ser mais interventivas e lutarem por aquilo em que acreditam.
De qualquer forma, a qualidade do seu texto é inequívoca!

Beijo :)

Glorinha L de Lion disse...

Olá AC, acho que todos nós, em algum momento da vida nos deparamos com essas questões. E não só pq achamos que não merecemos isso ou aquilo, mas porque ficamos sonhando com as outras possibilidades e que talvez nossa vida tivesse sido diferente, mais aventuresca ou mais romântica se tivéssemos trilhado aquele outro atalho...Com a chegada da maturidade, creio que essas perguntas nos chegam de forma mais forte. Pelo menos comigo foi assim. Obrigada por teu comentário, beijos,

Kelly disse...

Oi Glorinha, já me deixou com água na boca para ler esse livro. Já me deparei muito nessa encruzilhada, mas hoje, talvez por ser mais madura que antes, não penso tanto sobre isso, vivo feliz com o caminho que escolhi. beijos

Suzanna disse...

ahhh GLORINHA
ESTOU MUI FELIZ POR VOCÊ E POR MIM LÓGICO PORQUE TER UMA AMIGA ESCRITORA, É MUITO BOM.
BEM EU NÃO PODEREI ESTAR AI NO DIA DO LANÇAMENTO MAS SINTA UM FORTE ABRAÇO E O MEU DESEJO DE UM FUTURO LINDO.
E JA VOU FALANDO... QUERO UM EXEMPLAR AUTOGRAFADO. MANDE PARA MEU EMAIL O PREÇO DO LIVRO E DESPESA DE ENVIO OK?
suzanna.wilches@hotmail.com
UM BEIJO
e TCHIN TCHIN SAÚDE
SU

Meri Pellens disse...

A vida é feita de escolhas. Uma religiosa disse-me certa vez que Deus é tão bom, que se escolhermos errado, tentando acertar, claro, Ele dará um jeitinho para cumprirmos nossa missão, se de fato assim o quisermos.
Beijo na alma, querida amiga escritora!

Glorinha L de Lion disse...

Oi Kelly, pois eu, apesar de tão madura que já estou quase caindo da árvore estou cada vez mais questionadora...será que estou involuindo ao invés de evoluir? rsrs
Não há idade madura que me amadureça por dentro....beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Suzanna, vou guardar seu email. Assim que estiver disponível te aviso. Vou ver se consigo autografar alguns e deixar pros amigos que não puderam vir....beijos, obrigada,

Glorinha L de Lion disse...

Já eu penso diferente, vc sabe, né Meri? Mas acho que quanto mais o tempo passa, mais sentimos pena do que não fizemos, por mais que se racionalize isso, faz parte do humano sonhar com o impossível, beijos,

Lívia Azzi disse...

A plenitude não está no SE, e sim no AQUI. A diferença não está na escolha que iremos seguir, mas em como seguiremos o caminho que escolhermos.

Carinhos, querida Glorinha!

Beth/Lilás disse...

Então conseguistes acabar com o livro!
Pessoal, quem o deu pra ela fui eu, pelo aniversário, e ela enrolou um pouco para o ler todinho, mas depois engrenou e agora vejo que valeu a pena, pois além de terminar algo começado, ainda pode trazer para dividir com tantos amigos o cerne da questão que, pelo jeito, rendeu um bocado de comentários interessantes.
E eu digo que sou como todos vocês, humana e sujeita aos mesmos questionamentos diante da vida, pois só não seria assim se tivesse uma cabeça de alfinete que nada pensa nem questiona.
um beijinho carioca aqui das montanhas.

Glorinha L de Lion disse...

E será que se consegue ser plena Livinha quando sonhamos com o que deixamos pra trás? Este livro é um belo exemplo de que nunca teremos tudo, mas que poderíamos ter sido felizes com outras escolhas. Acho que vc tem razão quando fala no AQUI, mas é humano sonhar com o SE. beijos querida,

Glorinha L de Lion disse...

Terminei sim Betita, e já tem uns três dias! E depois desse já terminei Mayada tb! Sou uma máquina leitora, viu só? É só ler um bocado todo dia antes de dormir....adorei o livro, apesar de ser meio maçante às vezes a estória é genial e o desfecho, esplêndido...beijos,

Cucchiaio pieno disse...

Uai amiga, quando terminar meus estudo quero ler o livro!
Bjos
Léia