quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Hold On



Desviando o olhar do meu próprio umbigo, eis aqui um dos mais belos trabalhos humanitários do mundo.
Um dos vídeos mais emocionantes e tocantes que já vi sobre Os Médicos Sem Fronteiras, mostrando que se ajudarmos, haverá esperança para estas milhares de crianças e seres humanos. Não deixe de ver. Eles aguentam firme.
Ajude! Seja doador!

16 comentários:

manuel marques disse...

"Hoje, setenta por cento da humanidade ainda morre de fome... e trinta por cento faz dieta."

Beijo.

Mafia Sonora disse...

Um dos meus médicos que consultei esse ano fez inscrição para os médicos sem fronteiras, lindo texto e lindo vídeo também, beijão Glorinha :-)

Kelly Kobor Dias disse...

Oi Glorinha,eu fico muito a pensar e olhar meu próprio umbigo, esse vídeo mexeu comigo e muito! Obrigada por compartilhar, beijos

Calu disse...

Que lição monumental!A resignação no olhar das crianças esvazia nosso peito e nos faz pequenos ante a força que demonstram.
Uma pausa necessária, Glorinha. Obrigada.
Bjos,
Calu

R. R. Barcellos disse...

Prefiro dar minha contribuição a projetos que eu possa acompanhar pessoalmente, e há alguns aqui nas redondezas. ISTO NÃO É UM HANG-UP! Para quem não pode acompanhar in loco o resultado de sua contribuição, o "Médicos sem Fronteiras" parece-me uma das melhores opções. HOLD-ON!
Abraços, Glorinha.

Glorinha L de Lion disse...

Isso é cruel demais, não é meu amigo? Em vez de estarem discutindo e fazendo guerras, o dinheiro gasto em armas salvaria milhares de vidas. beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Máfia, admiro demais essas pessoas. Só mesmo gente muito altruísta e com um sentido de humanidade acima de qq sentimento seria capaz de um gesto de desprendimento como esse. Sempre que posso, eu ajudo. Basta muito pouco para salvar algumas vidas, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Pois é Kelly, às vezes é bom ver essas coisas para que redimensionemos nossos problemas. Beijos,

Glorinha L de Lion disse...

O que mais me impressionou, além do sofrimento e resignação das crianças foi a dor no olhar dos médicos, afinal, são humanos e mesmo estando ali tentando minimizar o sofrimento, deve haver horas em que nem eles mesmos aguentam tanta dor....beijos querida Calu,

Glorinha L de Lion disse...

Eu sempre fui doadora do MSF, para mim, um dos organismos mais sérios e competentes na tentativa de salvar vidas a nível mundial. Para mim, isso que vemos no vídeo, sim, é a verdadeira miséria, a verdadeira fome. Não acredito em miséria nas grandes cidades pq há oportunidades, é só querer arranjar um serviço, um bico que seja. Mas lá, onde o MSF atua, inclusive aqui, no Norte do país, a miséria é total, a fome é descabida pq não há vontade política, não há governos sérios, só ganância em detrimento do povo. Eu admiro demais o trabalho que fazem, ocupando o que, por dever, seria o governo quem deveria suprir e fazer, Beijos, Rodolfo,

Beth/Lilás disse...

Que trabalho maravilhoso este dos MSF!
Esse tipo de sensibilidade não se encontra no normal das pessoas, pois o médico que que envolve nestes trabalhos também sofre junto, chora como está médica branca diante da dor
do menininho. Eu acho que a medicina nasceu mesmo da grande compaixão que um dia o ser humano sentiu pelo outro.
É o que podemos chamar de reverência pela vida porque toda ela é sagrada, seja aqui ou nos confins da África.
E esta música, hein ... bárbara!
beijos muitos, cariocas

Glorinha L de Lion disse...

Lindo, né Betita? Emocionante e de arrepiar de tão lindo...o sorriso do bebê, no final é algo que enche nossa alma de luz. Ainda resta humanidade nos seres humanos. Ao vermos esse tipo de medicina, cheia de amor pelo próximo, sem interesses ou politicagem por trás, nos faz acreditar que sim, é possível e a humanidade tem jeito, ainda que vendo tanta dor e sofrimento, basta querer mudar. Grande beijo,

Palavras Vagabundas disse...

Sempre faço doação ao MSF, entre todas as razões conhecidas, pelo meu respeito aos profissionais que doam um ano de sua vida profissional ao próximo esteja onde estiver. Já conheci dois que foram, voltaram agora esperam uma nova oportunidade.
bjs
Jussara

Cucchiaio pieno disse...

Fiquei emocionada com esse vídeo!
Realmente não dá para olhar para o próprio umbigo, como você escreveu, após vermos o quanto nossa vida é boa e que ajudando aos outros fazemos uma grande terapia em nosso espirito!
Bjos querida
Léia

Glorinha L de Lion disse...

Eu tb sempre fui doadora Ju. Ultimamente é que não tem dado, mas sinto um pesar enorme por não ajudar como gostaria. O trabalho desses seres humanos em prol de seus irmãos é fantástico, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Da primeira vez que vi, chorei convulsivamente, Leinha. É de uma sensibilidade enorme esse vídeo...quanta dor há por aí e que bastaria vontade política, união dos países para ajudar a minimizar tanto sofrimento. O MSF é digno de Nobel. Beijos, querida,