sábado, 1 de outubro de 2011

A Viagem e A Mala Que Quase Virou Suco

Lá fui eu e Betita, minha amiga, mais que amiga e fiel escudeira rumo à Sampa. Eu estava mal, bem mal. Pânico, angústia, bolo no peito, agonia que não sabia explicar. Tinha consciência que os sintomas eram de síndrome do pânico, mas estava medicada e com meus florais ao lado e mais o 35 da Almeida Prado que minha sobrinha toma e me recomendou. Enfim, faltava controlar meu inconsciente que teimava em me assombrar sem eu saber porque. Respiração. Inspire pensamentos bons, expire as coisas ruins, me ensinou meu marido antes de eu partir. E lá fui eu fazendo isso a viagem toda, o que me ajudou bastante.
Eu pensava:
- O que estou fazendo aqui, nesse ônibus? Porque não cancelei tudo?
-Porque quis cumprir minha palavra, não podia furar depois do trabalho todo que a Macá tinha tido.
O que eu vou dizer para aquelas mulheres? Que palavras de esperança posso transmitir se estou assim?
Enfim, foram seis horas de pura agonia.
Quando embarcamos no ônibus em Niterói a Beth falou pra mim:
- Glorinha, vamos entrar por último que assim, nossas malas ficam logo na frente e seremos as primeiras a pegá-las lá em SP.
- Ótima ideia!
E assim fizemos.
Ao entregar minha passagem ao motorista ouvi uma senhora pedindo a ele se poderia parar em certa altura da rodovia para que ela saltasse ao que ele respondeu que iria sim, mas que era perigoso.
Entrei e esqueci disso.
Ele parou 3 vezes no decorrer da viagem e como vi algumas pessoas passando por nós, concluí que iriam saltar em alguma cidade ao longo da estrada.
Quando saltamos, saiu a mala da Beth e  do restante das pessoas e, cadê a minha?
Sobrou uma mala preta, bem parecida com a minha, mas que não era a minha.
Vieram os rapazes da 1001 e eu confrontei o motorista:
- O senhor parou na estrada para passageiros descerem. O senhor deu a minha mala pra alguém.
E ele negava, dizia que não, donde concluí na mesma hora que o tal "perigoso" do qual ele falara à tal senhora significava "ilegal". Ele continuou negando, temeroso.
E eu:
- Mas meu senhor, essa mala não é minha e está sobrando, então alguém que saltou na estrada levou a minha.
Ele negava.
Eu bufava, o coração queria saltar pela boca, o estômago revirava...
Fomos ao guichê, onde relatamos tudo. A sorte é que a tal mala que sobrara tinha um número de telefone. Depois de mais de meia hora, vieram nos dar a notícia de que acharam a tal senhora e que realmente ela estava com a minha mala!
Que vontade de trucidar aquele motorista FDP que além de fazer uma coisa ilegal, ainda mentiu e nem conferiu o papelzinho com o número da bagagem.
Resumo da ópera: Minha mala foi parar em Campinas, a moça de lá não queria devolver a minha enquanto a dela não chegasse. A filha da mãe pega a mala dos outros e ainda quer fazê-la de refém!
Ficamos mais de 2 hs na rodoviária, pois fui fazer boletim de ocorrência na ANTT e vi logo que não queriam fazer, imaginem quanto uma empresa poderosíssima como é a 1001 deve ter de "acordos" com Polícia Federal, Polícia Rodoviária, etc, etc...mas mesmo com o policial dizendo para mim que não era preciso, eu o confrontei e disse que era meu direito fazer e ter uma garantia em mãos, caso a mala sumisse ou algo dentro dela fosse roubado.
Eu e Beth, o dia todo, no maior stress, ligando quase de hora em hora para a 1001 e eles sem contarem a verdade nem dizendo onde minha mala estava.
Às 11 horas da noite, minha mala chega ao hotel sã e salva. Intacta, com tudo o que eu havia levado direitinho. Pude tomar, finalmente, meu sonhado banho, botar meu pijama limpo e cheiroso e dormir o sono dos justos.
Agora, a parte boa:
No dia seguinte eu estava bem melhor. Acho que ter desviado o foco para a mala me desanuviou dos meus próprios problemas e angústias.
Chegou a hora de irmos para o café e a Macá, super gentil, foi nos pegar no hotel.
Chegando lá, já havia várias amigas dela nos esperando e mais minha amiga-irmã Érica que mora em SP, a Soninha Borboleta, a Lu Lichia Doce. Logo depois chegou a Rose, pessoa maravilhosa que lê meu blog e me mandou um email se dispondo a me ajudar pois é terapeuta holística e me receitou Florais. Um verdadeiro anjinho japinha que apareceu na minha vida. E, quase no final, apareceu a Gê, uma simpatia, uma doçura, que mesmo cheia de problemas foi lá me dar seu abraço.
Não estava em meus melhores dias, confesso. As pessoas interagiram bastante, e, talvez pelas constantes interrupções não consegui seguir uma linha de pensamento objetiva como da primeira vez, mas ainda assim, todas gostaram ou pelo menos, disseram que sim.
Senti uma vibração muito boa e gostaria de pedir desculpas se não correspondi ao que esperavam. Fiz o melhor que pude, dadas as circunstâncias.
Gostaria de agradecer imensamente à Beth, pela infinita paciência, por ter até se desenergizado ao meu lado. Sei que não é fácil ficar ao lado de um deprimido, pois tenho parentes e tive alunas de pintura com depressão. Nossa energia vai embora mesmo, na ânsia de fazê-los melhorar. Eu mesma, sempre tive o maior jeito para lidar com pessoas deprimidas, mas sei bem o quanto nos fragiliza lidar com pessoas assim. Sinto muito, Betita. Essa, não sou eu. Quero muito melhorar e voltar a ser quem sempre fui.
E também queria agradecer à querida e bela Macá pelo carinho, pelo empenho, por tudo o que fez para que o evento desse certo e pela disponibilidade em nos levar pra lá e prá cá.
Meu grande beijo a todas as pessoas que foram lá me ouvir e interagiram com tanta veemência.
Eu e a mala voltamos para casa. Agora vou tratar de mim e expulsar essa intrusa que anda ocupando minha metade. Quero voltar a ser inteira, a ter o brilho nos olhos e a alegria de viver que sempre tive.
Tomara que, como a estória da mala, meu final, seja feliz.

62 comentários:

LILIANE disse...

oO Glorinha.
querida, como compreendo você.
imagino que não foi fácil
mas você pode ter certeza, que desta sua força muitas foram beneficiadas.

Eu lembro quando ainda participava do grupo de oração e precisava falar uma mensagem, e eu estava mal.
Incrível, nesses dias parece que o que eu tentava partilhar fazia mais sentido, sabe.

Parabéns Glorinha, mesmo
Você é forte e isso vence tudo, até a depressão e a ansiedade.

Quanto a Beth, não se aflija.
Ela te ama tanto, e com certeza vc não é nenhum fardo pra ela.

Ela se recupera depois, o amor faz isso pela gente.
Beijos
bom dia.

Lúcia Soares disse...

Glorinha, que bom que tudo deu certo.
Adorei ver vocês juntas, uma gente que gosto tanto!
A Luzinha,a Sônia Somnia, a Ângela, a Macá, e vc e Beth, claro. As outras não tenho o prazer de conhecer, mas gostei de todas as carinhas. Que encontro bom deve ter sido! E acho que ninguém queria uma Glorinha profissional, distante, retórica. Queriam a mulher, a pessoa. E mesmo não estando bem, emocionalmente, sei que deu conta de tudo!
Adoraria ter ido e podido abraçar a todas!
Beijo!

Glorinha L de Lion disse...

OI Liliane, pois é, não foi fácil e sem a Beth ao meu lado, me dando força e ânimo, talvez não tivesse conseguido. Entendo perfeitamente que a gente fique mesmo sem energia ao lado de pessoas com depressão. É normal e justo que ela vá se reestruturar lá nas montanhas, lugar que ela tanto ama. Tenho certeza tb do amor e da amizade dela por mim. Vou me tratar e ficarei bem. Acho que por ter sido tão forte a vida toda, agora minha fortaleza está cheia de rachaduras que necessitam de reparos.Obrigada pelo carinho, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Pois foi Lúcia querida! Faltou vc! quem sabe da próxima vez? Obrigada pelo apoio e carinho, grande beijo,

ManDrag disse...

"... quanto uma empresa poderosíssima como é a 1001 deve ter de "acordos" com a Polícia Federal..." Minha querida, é exactamente por causa da supremacia e domínio, dessas poderosíssimas empresas rodoviárias e demais do ramo, que neste país o maravilhoso recurso de transportes públicos que são os sistemas ferroviários foi sufocado e não avança. Elas não só têm "acordos" com órgãos públicos, mas tal como o ramo de construção civil, dominam e controlam os governos e políticas de desenvolvimento deste país. Por isso o Brasil é um país que cresce em alcatrão e betão. Lamentável!

Tua descrição dos sintomas de pânico é perfeita e está sempre presente nos estados de depressão. Qualquer um que sofra de depressão se reconhece dramaticamente nesses sintomas. Sair do nosso canto sombrio e amesquinhado é o terror! O simples pensamento de que temos de sair à rua causa um sofrimento imenso. E ninguém entende isso!!!

Coragem amiga! É duro e penoso, o caminho, mas a cura é possível! Não fraquejes! Continua investindo no tratamento!

Abraço solidário

Glorinha L de Lion disse...

Obrigada, meu amigo querido Man, comentário perfeito. Espero sim, sair disso o mais rápido possível. Grande beijo e obrigada pela força,

✿ chica disse...

Puxam que sufoco,Glorinha! E ficar sem mala no início da viagem é o Ó do borogodó!
Credo e esse pânico!

Coisa chata mesmo.

Ainda bem que o encontro foi legal, vocês se divertiram e tudo deu certo...
Te cuida agora e vamos que vamos! beijos,chica

Cucchiaio pieno disse...

Minha querida
Então a confusão da mala, no final das contas, foi positivo e terapêutico!!!
Realmente agora é o momento de pensar somente em você, na tua saúde e bem estar!
Tenho certeza que a tua recuperação será rápida!
Conte sempre com a minha amizade e carinho.
Um abraço apertado, cheio de boas energias.
Léia

Misturação - Ana Karla disse...

Ô Glorinha, que situação chata dessa mala.
Mas o mais importante é que entendi que deu tudo certo.
Não conheço todas, mas Beth e Macá me são bem familiares. kkkkk
Um xero grande e bom final de semana.

angela disse...

minha tão querida writer, conforme havia anunciado não pude mesmo ir. lamento tantos atrapalhos durante a viagem, mas passou, no final deu certo.
assim tambem será com suas angustias, incertezas, etc...logo,vc estará com outra energia e verá a vida com outros olhos. torço muito por voce, te quero ver inteira. bjs

Kelly Kobor Dias disse...

Glorinha já vivi essa situação da mala, foi horrível, e no meu caso levou 2 dias para devolverem e ninguém havia pego, apenas ficou dentro do ônibus!!!
Agora desestresse e relaxa, beijos

pensandoemfamilia disse...

Oi Glorinha

Como nada é por acaso, a mala trocada pode bem ser algum sinal de partida para tempos melhores.
Não é f´=acil nos darmos conta que nossa bagagem se foi...Mas às vezes ap nos livrarmos dela, podemos renovar.
Fico feliz por ver a amizade sólida entre você e a Beth e pelos bons resultados.
Bom final de semana.
bjs

Calu disse...

Glorinha,
considere esta uma das tuas Odisséias e que apesar dos mares encrespados, teve e terá muitos finais felizes.
È enorme a alegria num encontro como esse.A energia feminina é sempre benéfica e acolhedora,por isso, vcs todas reverberaram em vibrações positivas e altaneiras expurgando qualquer negatividade.Vc está de volta, mais otimista e ciente de que retomará sua integral vitalidade e assim será,logo.
Tenho certeza de que esse gostoso 2ºencontro se multiplicará em vários e subsequentes com o mesmo calor humano.O céu é o limite!
Bjos,amiga,
Calu

Deia disse...

Oi Glorinha! Que bom que no fim tudo se acertou. Avisei à Macá que não poderia participar do encontro porque estava vindo de urgência para o Rio... Fica para uma próxima vez, com certeza! Beijos, Deia.

R. R. Barcellos disse...

Sem ser doutor, acho que você, verbalizando (ou textualizando) seus receios está exorcizando seus capetinhas. E, se um pouco de água benta ajuda...
"Há MALAS que vêm para bem!"

Abraços. E parabéns pelo sucesso.

Mônica - Sacerdotisa da Deusa disse...

Glorinha querida que bom que veio e deu tudo certo! Contratempos todos nós temos uma hora ou outra, mas fico feliz que no final fechou com chave de ouro.
Eu queria muito ter te visto, te dado um abraço bem apertado, mas estou sem carro e, apesar de morar em SP, não moro na capital e sim no ABC Paulista, daí complica um pouco qdo temos que nos deslocar de transporte público em dias de trabalho. Mas deixo aqui o meu carinho e sinta-se super abraçada querida.
Qto a depressão flor, fique confiante, faça o que precisa para se sentir melhor. Conheço casos e casos de melhora no quadro...tenho alunas que melhoraram equilibrando os hormônios, conheço uma outra que melhorou através da fé, hj ela é evangélica e se sente feliz assim; e tem tbm uma aluna muito especial que trocou as consultas com a psicóloga, pelas minhas aulas de dança do ventre, pois foi o que a tirou da depressão! Qdo o coração se anima com alguma coisa que faz sentido pra ele, é um grande XÔ na depressão rsrsrs. Escreva, pinte, use muito a sua criatividade, tenho certeza que vai melhorar loguinho. Precisando estou aqui hein? rs :)
Beijinhos flor.

Flores e Luz.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

nem vou falar do qto revolta esse tipo de bagunça que fazem com tudo pq isso é até reviver o episódio.é revoltante.

os japas falam (não precisa acreditar rs) que certas coisas acontecem na vida como representação de nossos próprios momentos. meio que arquétipos de nossa realidade, como se nossa mente materializasse o nosso mundo interior para transformá-lo.

vc foi lá, brigou para ter sua mala de volta, que alguém levou embora.
então é o seu processo interior,
vc tá buscando a sua mala, aquela que está cheia de ânimo, coragem, garra e força. da mesma maneira q vc berrou, gritou, estressou ao telefone mas teve sua mala intacta de volta é o que vc vai fazer, brigar, xingar, sacudir tudo mas vai ter sua mala de força interior e ânimo de volta.

força Glorinha, esse céu escuro vai dizer adeus, ele já te atrapalhou demais a vida e agora é hora do seu sol, hora de vc brilhar.

e vamos que vamos, vc vai dar um olé em tudo isso!
bjs e bom domingo

Beatriz disse...

Ei Glorinha!!!!
Faça como eu, encare isso tudo como uma grande aventura! E como toda aventura, tem lá seus imprevistos! Mas no final ficam os sorrisos e a saudade de ter convivido com pessoas tão legais por um dia!
E aí, quando vai ser a próxima?
Beijos mil e uma linda PRIMAVERA!!!
Bia

www.biaviagemambiental.blogspot.com

Glorinha L de Lion disse...

OI Chica, no final deu tudo certo! isso é que conta, né? beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Sim, Leinha, foi mesmo! Desviei meu foco e no final deu tudo certo. Vou procurar ajuda e vou sair dessa logo, logo. Obrigada querida, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Foi Xerosa! Deu tudo certo, não posso reclamar, podia ter sido pior. Beijo grande,

Glorinha L de Lion disse...

Minha querida amiga Angela, eu tb queria muito ter te encontrado, mas não pode ser dessa vez, será numa outra....Obrigada por seu carinho e torcida! Beijo enorme,

Glorinha L de Lion disse...

Aff Kelly, 2 dias sem mala? Acho que eu pirava de vez...rsrs Mas no fim tudo se resolveu, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Engraçado Norma, meus 3 amigos psicólogos enxergaram o episódio da mala da mesma maneira. Interessante esse ponto de vista. Acredito que foi isso mesmo e assim, desviou meu foco. Obrigada pela análise tão acurada, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Calu querida, sim, fui um Ulisses, talvez um pouco acovardado, mas que acabei enfrentando meus medos com a ajuda da Beth. Espero voltar logo para "casa" onde possa ser inteira novamente, beijos, obrigada pelo carinho,

Glorinha L de Lion disse...

Que pena, né Deia? Queria muito te conhecer tb. Fica pra uma próxima, certamente, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

KKKKKKKKKKKKKK Oi Rodolfo, meu amigo, vc é simplesmente fantástico. Adorei o "dito". Tem tantos capetinhas acho que vou precisar de um padre, um pastor , um rabino e um mulá. Talvez um xamã também para exorcizá-los como merecem. Será que um psiquiatra reunirá todos eles? Beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Moniquinha, tb queria ter te encontrado minha fada linda! Pode deixar, vou tratar de mim, quem sabe faço aulas de dança? Taí uma boa ideia.....beijos, obrigada pelo carinho,

Glorinha L de Lion disse...

Alê, vc foi incrivelmente perfeito em sua análise. Acredito nisso sim. E engraçado é que vc, a Norma e a Léia que têm formação em psicologia leram da mesma maneira o episódio. Com certeza eu quis que isso acontecesse, pois vc não vai acreditar, mas quando ouvi durante uma das paradas do ônibus a porta do bagageiro batendo, pensei na mesma hora: E se a minha mala caiu na estrada? Meu marido diz que " vibrei " negativo, pois, como bom kardecista que é, a explicação dele foi essa. Mas foi o que vc disse: materializei o sumiço da mala para que fosse atrás de "mim mesma", lutar pra que eu retornasse...Incrível essa explicação, tem tudo a ver. Obrigada amigo, mais uma vez pela sua lucidez e sabedoria. Te adoro!
Beijos,

URBAN.GO disse...

Que aventura mais delirante minha amiga, rsrsrrss
Adorei , estava aqui a rir tentando imaginar. Desculpa, sei que foi um sufuco daqueles que ninguém quer, mas visto por fora é muito engraçado.
Como sempre deste a volta por cima não foi?
É assim mesmo, muitos parabéns, aí tens uma história para recordar sempre (rindo desta feita!)
Fica bem.

Mais Equilibrio disse...

Olá Glorinha,
Não se preocupe, mesmo estando neste momento deprimida, aposto que você foi brilhante!!!!
Sucesso e melhoras!
Bjs

Toninhobira disse...

Que viagem minha amiga, mas que tem amigos por perto fica mais facil superar.Legal a Beth com voce nesta troca de energia.Mas no fim tudo fica bem.Parabens.Belas fotos.
Meu abraço de paz e uma semana mais leve e alegre.
Bju.

Lu Souza Brito disse...

Querida Glorinha,

Você é uma flor, tem um sorriso lindo e ainda que não esteja no melhor momento como você mesma afirma, nossa conversa no Nice Cup foi uma delicia. Se não conseguiu seguir uma linha pre definida, nao ficou visível. Eu achei como um descontraído bate papo e as interrupções, ao meu ver, é que as pessoas de modo geral querem muito compartilhar e quanto o assunto tocam seus proprios problemas, é a oportunidade de falar!
Eu adorei viu! Mesmo!!!!
Prazer conhecê-la. Espero vê-la mais vezes.

Beijoooooooooos

Jô Bibas disse...

Aventura escrita de maneira primorosa. Malas perdidas são histórias pra gente contar sempre e a cada dia que passa, mais se tornam divertidas.
Gosto do teu blog!

www.arteamiga.wordpress.com

Graça Pereira disse...

Querida Glorinha
Tudo tem um final feliz quando acaba bem! A ópera da mala como tu dizes com muita graça, pode até ter desviado as tuas atenções para a sua perda e assim, ficares com o espírito mais livre para o encontro do dia seguinte.
Sinto que correu tudo bem e que foi um sucesso e acredito que mais eventos destes hão-de surgir e...sem enredos com bagagem.
Parabens, querida amiga.
Bjs
Graça

Maria Izabel Viégas disse...

Amiga amada,

eu aqui torcendo para que tudo desse certo prá vc....

E NÃO É QUE DEU!!!!????

Glorinha, concordo plenamente com o que o Alê falou.
E quanto ao que seu maridon lhe disse é mais que conceitos kardecistas, na verdade nós plasmamaos o que porerá nos acontecer com nossos medos. Até prece pode "mandar muito" mal. Tipo: Oh senhor não deixes que a Glorinha fique estressada.
* Já estou formando a imagem tua estressada.
Melhor seria: Que tudo dê certo!

E na verdade, noves fora oito e meio rsrssrs deu tudo certo.
Pois a guerreira estava lá... o fato foi outro: a mala(mulher sem bolsa e sem mal está nua!)
Mas, safados e picaretas encontra-se todos os santos dias.
E, o que eu vi, foi a Glorinha que não se deixa abater, pode arrancar uns fios de cabelo, mas que vai botar prá quebrar e não deixar que haja injustiça, nem atos desonestos, irresponsáveis com e perto de vc!

Até dentro de casa, amiga, quando decidimos por este ou aquele produto, esta ou aquela opção d serviço, todas nossas escolhas não vem assim.
cada um tem seu jeito de ser.

pior e riste para mim seria ver vc chorando e estas "bestas" sumindo com sua mala.
VC VENCEU os dragões
e também teve a felicidade de ir com a Betinha! Ora... que dádiva!
E fez sua palestra, com certeza, cheia de charme.
Há, amiga querida, pelo que me relatam, uma atmosfera generalizada de " quase agressão psíquica em volta daqueles que querem fazer o bem , dar o melhor de si.
E.... sempre foi assim, desde o início dos tempos.
Hoje podemos brigar e dizer um sonoro Não! e nenhum senhor feudal vem nos tomar a vida.
Querida, fotso lindas, vc , maca , Bete e as outras meninas.

Parabéns por ser " uma mulher que caminha com os lobos" !
Poderooooooosa!
É por isto que te admiro, mulher!
Beijos , muitos no seu coração!

Glorinha L de Lion disse...

Oi Urbano, realmente foi um drama, uma comédia dramática digamos assim...mas no final acabou dando tudo certo e provei a mim mesma que mesmo quando acho que não posso, eu posso sim!
Beijão, amigo,

Glorinha L de Lion disse...

OI Eliane, brilhante acho que dessa vez não fui não, mas fiz o que pude, dei o meu melhor. Acho que ter vencido a mim mesma, com a ajuda da minha amiga Beth, já foi uma grande vitória, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Toninho...ah, se não fossem os amigos, o que seria de nós, não é mesmo? Agora já está tudo caminhando, obrigada pelo carinho, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Luzinha e eu adorei te conhecer! Vc é linda, parece uma bonequinha. Que bom que gostou. Sou mesmo muito exigente comigo mesma, talvez tenha sido razoável e eu é que não achei que estava bom, devido ao meu emocional. Obrigada por ter ido até lá. Espero que nos vejamos muito mais vezes, Grande beijo,

Glorinha L de Lion disse...

IH Bia, te pulei! Quando a gente está com o emocional abalado, como eu estou, não se consegue encarar como uma grande aventura. Quisera eu ter visto com esses olhos. Foi sofrido, foi uma batalha comigo mesma, mas no fim deu tudo certo! Obrigada pela força, querida, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Jô, obrigada! Malas perdidas se tornam verdadeiras "malas sem alça", mas serviu pra alguma coisa e o simbolismo dessa perda pode ser encarado como uma tentativa de me encontrar, segundo meus amigos terapeutas, né? Beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Que assim seja, amiga Graça! Que surjam outras oportunidades, sem confusões e malas perdidas e que eu esteja inteira nos próximos encontros!
Grande beijo,

Glorinha L de Lion disse...

Amada Izabel San, sou uma mulher que corre com as lobas! Em nenhum momento derramei uma lágrima, estava pensando nisso agora, logo eu que ando uma manteiga derretida e só de me abraçarem já estou chorando. Viro leoa quando vejo um mal feito. Meu senso de justiça fala mais alto do que qq coisa. Tenho zilhões de defeitos, mas tenho duas qualidades das quais possa falar sem pejo: gratidão e senso de justiça. Vou superar essa fase difícil e vcs, meus amigos /as têm me ajudado e muito! Obrigada pela sua análise sensível e acurada dos fatos, minha amiga. Enorme beijo,

Denise disse...

Glorinha, você é uma guerreira, em especial por não se entregar. Continue buscando a paz e aproveite a energia boa de quem está perto e te ama. beijão

Glorinha L de Lion disse...

Oi Denise, grata pelo carinho,não me entreguei realmente. Ponto pra mim, beijos,

Silenciosamente ouvindo... disse...

Obrigada por compartilhar a aventura
na sua viagem, que teve um final
feliz.Ainda bem que depois tudo
correu bem e teve amizade e simpatia
a cercá-la.
Tudo vai mudar para mais POSITIVO.
Um braço

Glorinha L de Lion disse...

Obrigada Irene, um abraço,

Somnia Carvalho disse...

Oi pequenininha! Pequenininha e tão bonitinha voce! rs Glorinha!

eu gostei muito de ter ido! muito mesmo! meu problema sempre e ficar meio animada demais e levo a serio como se fosse palestra da facul! rs...

so nao consegui mesmo escrever um post legal sobre o evento! talvez a falta de fotos me fez desanimar mesmo porque eu tambem ando nos meus momentos e inquietacoes!

gostei de papear, gostei de ver voce pessoalmente, mesmo que nao se sentindo tao bem!

so nao gostei naaada da minha foto barriguda! rs... vivemos nos todos com nossas questoes, nossos probleminhas diarios e acho que o mais importante de tudo isso e que continuamos a lida, mas nao sozinhas! o encontro serviu para nos unir, para mostrar que todas nos sofremos de coisas mil! bloqueios mil! etc!

e escrever... e dividir... e falar... e abraçar e parte do processo de cura!

obrigada por ter vindo! agradeci muito a lilasona tambem que sempre, como voce disse, e demais!

adorei ter conhecido a lu tambem! e as outras quem eu nao conhecia!

beijocas!

Luma Rosa disse...

Hahahahaha Mesmo dizendo que não estava bem, não pude deixar de rir da "mala refém" - No momento em que as contrariedades acontecem, ficamos chateados, mas depois viram motivo de prosa!
Gostei de ver a carinha das blogueiras queridas que só conheço pelo blogue e aparentemente você estava super bem!!
Viu? Valeu o risco! Beijus,

Taia Assunção disse...

Ei menina, é ruim sentí-la assim...como tu escreveu para a Beth, essa não é você. Faço votos que fique bem logo. Mudando de saco para mala, a minha caçula teve a mala extraviada na primeira vez que fomos a Roma...ela quase teve um troço. Só chegou no dia seguinte, ainda bem que ela tinha a mana para emprestar algo para o primeiro dia. Embarcamos na sexta para lá, quatro dias em Roma, quatro em Paris e dois em Johannesburg, estamos também querendo dar um fugidinha até Luxemburgo...veremos. Beijocas, beijocas, beijocas...fique bem.

Glorinha L de Lion disse...

Oi Soníssima, atualmente, como diz meu marido: Como pode caber tanta chatice num pedacinho de gente tão pequeno? hahahaha...ele ainda leva na esportiva a minha chatura...Valeu mesmo esse nosso encontro! Tb amei te conhecer, à Lu, à Gê e às outras amigas da Macá. Dividir é somar! É o que sempre digo. Ao dividir com outras mulheres nossas dores e angústias somamos sentimentos e nos damos um abraço, daqueles que cura tudo, até dor na alma! Obrigada por ter ido! Grande beijo,

Glorinha L de Lion disse...

Valeu sim, Luma, mesmo com tantos percalços, sempre vale à pena quando sabemos que unindo forças, o fardo fica mais leve, beijão querida,

Glorinha L de Lion disse...

Uiiii ter a mala extraviada em viagem internacional não deve ser mole não...ainda bem que são duas, aí uma socorre a outra, né? Que delícia de viagem. Aproveita tudo, amiga Taia! Grande beijo,

manuela baptista disse...

ufff...

sejam bem vindas, mala preta e Glorinha! :))

beijinhos

manuela

Glorinha L de Lion disse...

Oi Manuela, como sabes que a mala era preta? rsrs Obrigada pelas boas vindas! beijos,

Ângela disse...

Glorinha, o tempo foi pouco, mas valeu muito a pena ter estado com você mesmo que por alguns minutos.
Sinto por você estar passando por esse período de depressão, (conversamos um pouco sobre isso)mas seja forte e não deixe ser dominada, lute, batalhe e tenha certeza de vencer mais essa,
pense sempre: É só um período conturbado,logo passará. Foi muito bom poder abraça-la, espero em breve podermos estar novamente juntas.
Desejo de coração muita paz, muita luz, e sempre muitas vitórias.
beijos e carinhos.

Ge.

Vicentina disse...

Amiga, que horror esta história da mala, engraçado e triste, isto não poderia acontecer né, mas e a falta de atenção das pessoas responsáveis?
Ainda bem que quem ficou com a sua mala teve consciência de devolver.
Que bom que tudo acabou bem.
Bjs

Glorinha L de Lion disse...

Oi Gê querida, nem tenho como te agradecer, vc é um doce de pessoa. Amei te conhecer e sei bem o sacrifício que fez indo lá me ver com tantos problemas. Espero que possamos nos ver outras vezes, grande beijo,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Vice, meu doce de leite! Foi uma dor de cabeça, mas no fim tudo deu certo. Foi uma grande lição que tirei de tudo isso: eu posso, mesmo quando acho que não vou conseguir, beijos, querida,

Orvalho do Céu disse...

Querida
Só a agora pude passar por aqui...
Que bom deu tudo certo!!!
Quanto ao brilho nos olhos se deve ao amor no coração... que extasia... e isso vc tem...
Então vamos brilhar!!!
Bjm de paz e ótimo fim de semana

She disse...

Obaaaaaa! Que delícia! Adorei as fotos!
Beijo, beijoooo!
She