segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Brasil, Mostra a Tua Cara!


Já não é de hoje que tenho pensado o Brasil.
Pensado o Brasil como Povo, como Nação, como Pátria. Como um somatório de muitos, de cada um.
Esta pátria, da qual nos orgulhamos, quando a seleção ganha a Copa do Mundo ou o Campeonato Mundial de Vôlei.
Este paísão enorme, quase um continente, que vemos ser vilipendiado por nós mesmos, pelos outros e nos calamos aquiescentes, coniventes.
Porque brasileiro é assim: fala mal do vizinho quando sabe que ele deu propina ao guarda para que não o multasse, mas que faz o mesmo quando o caso é com ele.
Porque brasileiro xinga a mãe de quem para o carro com duas rodas na calçada...mas, quando não acha vaga perto do Maraca em dia de jogo do seu time, joga o carro com as quatro rodas por cima da mesma calçada e pensa: Que se danem os pedestres! Que desviem! Preciso ver o jogo do meu time e estou em cima da hora!
É a tal estória do: "Todo mundo faz...também vou fazer".
Não sei de onde vem isto. Se foi o tipo de colonização a que fomos sujeitos que gerou esse descompromisso, esse pouco caso com o outro, com o bairro, com a cidade, com o estado e, consequentemente, com o país.
Quando leio nos jornais casos, como o de agora, em que o STJ quer porque quer ter seus salários reajustados "porque está na lei" e, de roldão, os juízes também terão os seus reajustes, ou quando vejo os deputados aumentando seus próprios salários, sempre que a lei permite, mesmo sabendo que isto significa um rombo enorme no orçamento e que a educação e a saúde, já péssimas, não terão verba devido aos milhões gastos com estes aumentos, fico pensando: Aonde erramos como Nação? Ao escolher os nossos governantes? Ao sermos corruptos e corruptores também?
Porque não somos como os japoneses que pensam não em cada um, mas no todo.
Cada japonês É o seu país. Cada um se sacrifica em prol de um bem maior. Há bem pouco tempo, alguns japoneses, homens e mulheres, professores, cientistas, pais de família da terceira idade se ofereceram em holocausto para entrarem na Usina de Fukushima e consertarem o reator, mesmo sabendo que poderiam morrer lá dentro.
Isto é pensar num país como Nação. Como SEU. Como de TODOS. O país como um BEM maior.
Corrupção, há em todo lugar, mas nos outros lugares há punição. Aqui não, a certeza da impunidade é que faz a ganância e a criminalidade crescerem a cada dia. E não me venham dizer que é a miséria ou a pobreza a causadora disto tudo. Não, isso é cultural, é ancestral, carregamos em nossos genes o desejo de se locupletar mais, sempre que possível, pouco se importando com o resto do país.
Na nossa cabeça não há um Brasil, mas vários Brasis, um para cada um de nós. Um Brasil moldável, adaptável aos nossos próprios interesses, a cada interesse, em detrimento do TODO. Somos um país de egoístas.
Acho vergonhoso que o judiciário dê esse exemplo de incivilidade, de desamor à Pátria. Seria uma ótima oportunidade de darem o exemplo, de a partir deste episódio, começarmos a construir a ideia de que somos todos nós, juntos, quem formamos a Nação.
Não só quem legisla, não só quem executa as leis, não só quem as faz cumprir. Mas o povo, tendo em quem se espelhar, vendo exemplos de amor à pátria, talvez tendo hospitais melhores, educação de qualidade para seus filhos, começasse a construir, dentro de si a auto estima necessária para que se AME uma Pátria.
Mas creio que, infelizmente, estamos a anos luz de que isso aconteça. O Japão para nós, fica em outro planeta.

38 comentários:

Lúcia Soares disse...

Um daqueles textos que me fazem querer ter sido eu a escrevê-lo!
Beijo!

Nanci disse...

Legal a sua reflexao. Eu também fico observando tudo isso e quero me excluir da cultura de 'dar um jeitinho', 'fazer o que todo mundo faz de errado' e por ai vai, sei que nao é a melhor soluçao, mas nao consigo viver em um país que nao pensa no próximo e quando a gente faz todo mundo acha que a gente é tolo ou que ficou muito tempo fora e nao sabe 'como as coisas sao no Brasil', acho triste e fico só pensando no futuro do país onde cada um é por si mesmo. Abraços

Beth/Lilás disse...

Assino embaixo, cara amiga!
Que país é esse que não muda nunca?!
O que eu digo são estas três coisas para quem ainda acha que o país está ótimo: ou carece de referências, ou não é minimamente exigente ou se beneficia de algum esquema no governo.

E olha, falemos o que está em nossa garganta preso, pois daqui a pouco, teremos até nossos pensamentos silenciados com esta nova lei para censurar o que a mídia e imprensa fala. humpf!
bjs cariocas

Misturação - Ana Karla disse...

Esse é o Brasil, brasileiro.
Temos muito orgulho, mas é um País de decepções pelas próprias pessoas que fazem esse pedaço do mundo.

Glorinha passando para deixar um abraço aqui e parabenizá-la pelo seu sucesso.

Boa semana

Xeros

Mafia Sonora disse...

Realmente faça o que eu digo não faça o que eu faço, infelizmente a maioria da população brasileira pensa dessa maneira, muito triste realmente, beijão Glorinha :-)

Beth/Lilás disse...

Glorinha!
Voltei!
Hoje o Jabor na CBN falando sobre esta mordaça que o PT quer colocar na imprensa que eles chamam de 'marrom', simplesmente fará com que o que ocorreu antes, como o mensalão e tantas barbaridades, serão esquecidos, não existirão com o tempo.
Disse ele que nestes últimos 10 anos, foram roubados mais de 45 BILHÕES DE REAIS.
E como ele terminou 'não temos nada a perder a não ser os nossos bilhões'.
Muito triste tudo isso e se ainda podemos reclamar, soltar nossa indignação por aqui, façamos, pelo menos alivia nossas almas por alguns momentos.
bjs cariocas
]

Glorinha L de Lion disse...

Obrigada Lúcia! Beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Nanci, nem sei se haverá futuro pra um país como o nosso...outro dia ouvi um brasilianista dizendo que em 2022 o Brasil será igual à Portugal. E ainda dizem que somos o país do futuro! E que o futuro é já. Nada contra Portugal, muito pelo contrário, mas que vem atravessando um período conturbado isso vem...e nós seremos iguais em 2022? Isso é pra desistir e ir embora daqui de vez...quem puder! beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Pois é Betita. Daqui a pouco nem isso vamos poder mais fazer! Falar e escrever sobre o que vemos de errado...humpf, mil vezes humpf!

Glorinha L de Lion disse...

Obrigada xerosa, mas não acha que é hora de todo mundo colocar a boca no trombone? Antes que nos calem de vez? Beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Máfia, o pior é que é isso mesmo, meu amigo. As pessoas só pensam em si...é hora de começar a mudar isso...aliás, já passou há muito da hora, né? beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Isso é o que se sabe, né Betita?
E o que aconteceu debaixo dos panos que ninguém sabe ainda? E ninguém foi preso, não aconteceu nada com nenhum deles...e ainda tá o Zé Dirceu com aquela cara de arrogante, bandido e arrogante, rindo da cara da gente, pois sabe que nada vai acontecer...é mais fácil eu ser processada por falar aqui do que ele ir pra prisão. Esse é o nosso país! beijos,

Luma Rosa disse...

Não é culpa da colonização não!! Mas da falta de exemplos e educação. Caráter se aprende em casa e por isso xingamos a mãe do outro - Mãe virou palavrão! Somos um país filho da mãe!! Boa semana! Beijus,

Celina Dutra disse...

Glorinha,

Perfeito seu texto. Não temos vergonha de roubar o País, não temos nenhum valor ético, há 500 anos! Não temos amor à Pátria, porque isso aqui não é Pátria, isto é um amontoado de gente cada um dando um jeitinho pra se dar bem. Elegemos (?) legisladores para descobrirem formas de roubar o País. Isso eles sabem fazer bem. O judiciário sabe fazer cumprir bem e com agilidade as leis que lhes são favoráveis, mas quando um pobre infeliz questiona judicialmente um direito legal, o processo fica lá 10, 20, 30 anos. Depois de conhecer outros povos, depois de tomar conhecimento da educaçao e respeito no Japão, só posso dizer o Brasil está mais para o Burundi, Congo, Rwanda, do que até para Portugal. Há necessidade de no mínimo 3 geraçoes com educaçao em valores éticos para consertar isto aqui.

Parabéns pelo sucesso!

Girassóis nos seus dias.
Beijos

Celina Dutra disse...

Glorinha, voltei só para complementar. O Executivo para se manter não pensa em planejar um País, pensa em como comprará parceiros para se manter no poder nas proximas eleiçoes.

E tenho convicçao de que são raríssimos os brasileiros que se tivessem a oportunidade de ocupar postos no executivo, judiciário e legislativo nào agiriam unica e exclusivamente em 'benefício próprio, pouco se importando com o País.

Mais Girassóis pra você
Beijos

Glorinha L de Lion disse...

E bota filho da mãe nisso Lumita! Somos um país repleto de filhos da mãe que elegem outros filhos da mãe! Que seja a hora então, dessas mães de hoje mudarem o rumo desse país, ensinando a seus filhos valores e amor à Pátria como Nação de TODOS! Beijão, amei!

Glorinha L de Lion disse...

Celina! Assino embaixo tudo o que escreveu! Tem absoluta razão! Estamos mais para Burundi e para os políticos os que regem os destinos do nosso país, o povo que se exploda, como diria aquele personagem do Chico Anísio. E o povo explode mesmo, morre à mingua, vê seus filhos morrendo nos hospitais públicos sem atendimento. Mulheres grávidas perdem seus bebês pq não há leitos e nenhum médico se atreve a atender pq não aprenderam humanidade nas universidades...queria ter nascido em Marte quando vejo essas coisas...fora o que não se sabe! Isso aqui é uma desgraça! beijos, adorei seu comentário!

Glorinha L de Lion disse...

Certíssima de novo, Celina! Quando os gatos saem, os ratos fazem a festa, já dizia a minha mãe! E, infelizmente esse é um país de ratazanas gordas, feias e pançudas! beijos,

pensandoemfamilia disse...

Aplauso: "a nossa cabeça não há um Brasil, mas vários Brasis, um para cada um de nós. "
E assim vamos fazendo movimentos isolados, de acordo com o interesses de cada grupo, e as desigualdades e violências aumentam.
Será que não somos um porque surgimos da união de tantas raças????
Onde fica o patriotismo? Porque nossos representantes continuam a querer fazer para si e não para o Brasil?? Onde erramos??? Em que e como mantemos esta situação de corrupção tão vergonhosa. Penso muito sobre tudo isto.
Seu texto está ótimo.
bjs

Palavras Vagabundas disse...

Glorinha, juro que volto mais tarde para ler sua reflexão, por agora é só para avisar que postei seu texto.
bjs
Jussara

Milena F. disse...

Muito interessante a sua reflexão!
O Brasil nos suscita um universo de reflexões...Vivo com ele uma eterna relação de amor, mas quantas mágoas!
Grande abraço!
Milena
http://viverplenamenteparis.blogspot.com/

claudete disse...

Parabéns Glorinha! excelente texto , perfeito, coerente e verdadeiro porque embasado no que vemos desfilar no nosso cotidiano. Onde erramos como Nação? Na minha visão...onde erramos como seres humanos irmanados e coesos professando uma Esperança , uma Fé , uma Crença, porquanto cremos em quem pode nos impor pelo Amor o que temer , quando conscientes de nossa evolução espiritual...Não se respeita quem não possue valores morais e no dia que esta gente tomar ciência de que não é apenas pó e sim um amálgama de corpo e alma talvez se "humanize" e passe a enxergar o outro e o coletivo. O povo japonês sabe disto e exerce o que sabe.Mais uma vez ,obrigada pelo brilhante texto.Abraços.

R. R. Barcellos disse...

E assim caminha a humanidade... alguns puxando fila e nós na rabeira.
Vamos trombonar!
Abraços.

Toninhobira disse...

Quando li Inacio Loyola Brandão em "Não verás país nenhum" a muitos anos atrás, não sabia que estava tão proximo. A gente luta, vai às ruas, vota, briga e sonha e nada muda, porque o povo não pode processar mudanças, porque o povo ainda está longe de compreender as maracutaias do poder. Não mudamos porque no poder as pessoas perdem a memoria. Não mudamos porque as pessoas vivem da Lei de Gerson, quando não se sentem vigiadas. Não mudamos porque primeiro temos de educar as pessoas para pensar sem paixão, mas como neste imenso país de multiplas facetas. Eu queria crer Glorinha, e bem que partcipei ativamente de varios processos desde os anos 70.
Então quando mostrar a cara, eu estarei com estas caras para fazer a mudança.
Belo grito de cidadania.
Um abraço de toda paz na bela semana que lhe desejo.
Bju de luz nos seus dias.

Glorinha L de Lion disse...

Eu acho que só há uma resposta para tudo isso Norma: Educação. Um povo educado sabe em quem votar e em quem não votar, sabe reclamar seus direitos, sabe ser politizado, sabe reclamar e fazer valer as leis a seu favor. Educação é o que nos falta! E é por isso que interessa a tantos manter nosso povo na ignorância! beijos, obrigada,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Ju, OK. Já fui lá, obrigada pela oportunidade, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Milena,O Brasil continuará deitado em berço esplêndido enquanto o povo continuar sem saber o quanto é forte se houver união e educação. beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Claudete, obrigada por seu depoimento, apesar de respeitá-lo não posso concordar com vc. Eu não tenho fé. Não professo nenhuma religião pq não creio em nenhum deus, santo, anjo ou demônio, não sou espiritualista, nem budista ou xintoísta. Muito menos católica ou protestante. Mas tenho ética. Tenho valores, sei respeitar o próximo, tenho compaixão por meu semelhante, quando ele é digno disso e não da boca pra fora. E conheço tantos como eu, ateus que têm mais ética e valores do que muitos que vejo batendo no peito e dizendo que "jesus isso, jesus aquilo". Mataram, esgoelaram, estupraram, roubaram, mas viraram crentes, então estão salvos, basta colocar seu dinheirinho na conta do pastor ou da igreja no final do mês que jesus os salvou. Já vi calhordas de bíblia debaixo do braço e isso vemos a toda hora nessas bancadas evangélicas, gente mamando nas tetas do governo, recebendo propinas e malas de dinheiro e se dizendo homens de fé. Sinceramente, não vejo onde a fé entra na honestidade ou na retidão. Muito pelo contrário. Sei que há gente séria em qq religião, tb não vou generalizar que não sou boçal, mas falta de fé não é sinônimo de canalhice. Beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Vamos sim amigo Rodolfo! O jeito é trombonar! beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Pois é Toninho, quem não gostaria de ter esperança e fé nese país? Afinal essa é pátria onde nascemos, é nosso lugar, é nosso chão. Mas, infelizmente não vejo a curto ou médio prazo que as coisas melhorem...agora lá vem a Lei da Mordaça novamente sendo levantada pelo PT esse partido de canalhas. Durma-se com um barulho desses! o jeito é trombonar, como bem disse o amigo Rodolfo! Beijos, belo depoimento!

Suziley disse...

Belíssimo texto, Glorinha, parabéns!! Uma ótima semana, beijos :)

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Vc viu que Fukushima DEVOLVEU cem milhões de dólares para a Cruz Vermelha? é que como o dinheiro não ia ser usado (por ver que os danos foram menores do que se previa) devolveram a grana. Nem saiu na imprensa daqui, pq é visto como algo tão normal (devolver o que não é seu e não se vai usar) que nem ganha destaque.

Se fosse na mão de um Sarney, iam pedir mais cem milhões hahaha.

isso que vc falou é algo muito interessante, Glorinha. Sabe, amigos estrangeiros me falam que não entendem o nosso jeito de pensar: as casas são tão limpinhas e arrumadas, lindinhas até as mais simples. mas bastou por o pé na rua é sujeira, é lixo no chão, porquice. como se a rua tb não fosse parte de sua "casa".

O Lula foi mto esperto. Pegou essa manha do povo mediano, encostou todo mundo em bolsa miséria (mta gente parou de trabalhar por causa disso) e pronto, tá eleito para milênios.

e o povo se faz conivente com a corrupção quando tem favores. ou seja, por menor que seja o "poder", deixa-se corromper, é uma pena isso.

se não fosse essa mentalidade, o Brasil estava lá na batalha com a China pela vice liderança mundial. Um país que tem tudo de sobra, não falta nada... é mto triste.


nota um milhão pra vc, essa reflexão.
bjs e bom dia

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

ah, o povo não aceitou a ajuda dos velhinhos rs. fizeram milhares de abaixo assinados, mails, mensagens no twitter mandando o PRESIDENTE DA TEPCO ir lá se enfiar no reator rs. a pressão foi tão forte que o homem renunciou o cargo rs. idem o primeiro ministro.

bjs Glorinha.

Lorena Viana, disse...

Que texto genial... perfeito para a situação que nos encontramos!
Aqui no meu "Ceará" encontramos em calamidade. Violência, corrupção, falta de respeito, bom senso... e a educação atualmente encontra-se diante de cenário de "guerra", na qual os políticos afirmam isso, diante de uma greve de professores:
‎''Quem quer dar aula faz isso por gosto, e não pelo salário. Se quer ganhar melhor, pede demissão e vai para o ensino privado" - Cid Gomes

Acho QUE NOSSO GOVERNADOR DEVE DOAR SEU SALÁRIO E GOVERNAR POR AMOR!

A ESCOLA DEFINITIVAMENTE ASSIMILOU FUNÇÕES QUE OUTRORA COMPETIAM A OUTRAS INSTITUIÇÕES E DEIXOU DE CUMPRIR A SUA: NUTRIR O POVO DE EDUCAÇÃO, CONHECIMENTO, CIDADANIA.

E diante de tudo, de tanta "falta" ainda temos alunos em casa, por falta de : professores e políticos!


Beijos,
Lorena Viana.
(Adoro seu blog)

Glorinha L de Lion disse...

Alê, o povo do Japão se entende como Nação...essa é enorme diferença entre nós e eles... Muito bom seu comentário, não sabia que os velhinhos foram poupados pela população, que espetáculo isso! que lição de cidadania...quanto à devolução do dinheiro eu sabia, mas isso é hors concurs...acho que nem os americanos, com sua cultura protestante que prega a honestidade e a lisura agiriam assim...aplaudo de pé! beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Lorena, esse Cid é outro calhorda! Aliás estamos mal de governantes...hj tá o Cabral, daqui do Rio, pregando a volta da CPMF pra ter "dinheiro pra saúde",....dá vontade de rir...Beijos,

claudete disse...

oi Glorinha te respeito muito também e longe de mim achar que quem é Ateu é canalha sei perfeitamente que você não generalizou o que postei e se o fiz é porque tenho consciência do que você representa como pessoa, ética, comprometida com o Bem e com o Amor é isto que chamo de FÉ,mesmo porque tudo que você colocou está correto quando se vê a FÉ daquela forma. Talvez eu não tenha me feito compreender , ser Ateu , repito, não significa não ter Amor nem ser do Bem e isto você é por suas atitudes e pelo que distribue culturalmente. Obrigada pela possibilidade de visitar o seu espaço e esclarecer o equívoco.

Glorinha L de Lion disse...

Uff Claudete! Ainda bem que vc não quis dizer o que disse. Fico aliviada que vc não seja mais um dos que acham que basta ser religioso pra ser bom, quando todos sabemos que não é bem assim, né? Obrigada por me entender. Ficamos entendidas então. Tb te respeito muito e fiquei surpresa com o que escreveu. Que bom que esteja tudo esclarecido! Beijos,