quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Leques, Menopausa e Modismos

Estava em Roma, há pouco mais de dois anos atrás, em setembro, com um calor de matar, andávamos pela cidade, eu e meu marido, mortinhos de calor, suando em bicas...
Fomos numa feira no Campo Dei Fiori e havia um indiano vendendo uns leques iguaizinhos aos que minha mãe tinha e usava muito quando estava viva...Leque, no meu tempo de garota, era coisa de senhorinhas...Jamais havia pensado em usar um até que... entrei na menopausa!
Tudo começou num dia em que fui à casa de minha mãe, hoje de minha irmã, e, dei de cara com um leque, de madeira de sândalo, todo furadinho, lindo, que eu gostava desde criança...Avisei à minha irmã que iria pegar para mim...minha mãe tinha deixado outros: de renda e tecido, mais bonitos e trabalhados até, mas eu preferia aquele, por causa do cheirinho que me lembrava minha mãe...Além do que, gosto de coisas mais simples e, hoje em dia, acho que "menos é mais".
Quando vi a tal barraca do indiano, em Roma, cheia de leques, parecidos com o meu, e eu, mortinha de calor, falei na hora pro meu marido: Quero um! Preciso de um, já! Eu não havia levado o meu, claro: medo de perder...Compramos, nem me lembro mais quanto custou, mas saí eu de lá me abanando feito louca e feliz da vida, com um ventinho no rosto...O leque do indiano não aguentou muito tempo, se arrebentando todo...o fio de nylon que usam, para unir as varetas, deve ser feito também lá, e a qualidade é péssima...
Pois bem, desde que achei o tal leque de sândalo de minha mãe, nunca mais me separei dele... Aonde vou o carrego na minha bolsa e vivo a me abanar com ele, aonde quer que esteja...Fico até preocupada...tenho um compartimento só para ele, para que não arrebente...mas, como toda coisa antiga, ele é bem feito e de boa qualidade, então, esse vai durar...E nem sei quantos anos tem, mas deve ter muitos...

Comecei a usar e aí notei que minhas amigas, todas na mesma faixa etária, diziam pra mim: Nossa, que boa ideia, vou comprar um também...Acho que nunca passou pela cabeça delas de usar um leque...a gente fica pensando que leque é coisa de senhorinhas, sem nos lembrar que JÁ somos senhorinhas!
Outro dia li que está na moda dar leque em casamentos, e que moças e jovens da Zona Sul do Rio, como Ipanema e Leblon, "lançaram" a moda de usar leques, pois são fashion, etc e tal...
Peralá, fiquei pensando:
Será que é assim que uma moda começa? Será que fui eu quem começou? Sinceramente, não me lembro de ter visto ninguém antes de mim, nos últimos tempos, fosse de que faixa etária fosse, usando leques para espantar o calor...quando muito, no carnaval, dão de brinde aquelas ventarolas de papelão, de propaganda de cerveja para as pessoas...mas leques?
Assim foi também com a palavra "escrevinhadora"...Meu pai usava muito essa palavra há 50 anos atrás...
Aí passei a usá-la aqui no blog, e inclusive a uso como pseudônimo quando participo de seletivas literárias...Não é que outro dia li numa revista umas jornalistas dizendo que foram elas que inventaram a palavra "escrevinhadora"?
Ah não, isso não, pensei eu!
Claro que a palavra já existia e não fui que a inventei, mas que antes de mim, não tinha visto quase ninguém usar a não ser meu pai e uns poucos...Fui pensando como uma moda começa...como um termo "pega", como o ser humano vai captando uma coisa daqui, outra dali e vai incorporando como hábito seu...E, muitas vezes, imitando sim, descaradamente...No mundo real e virtual vemos disso aos montes!
Bem, isso é discussão para vários posts...quem veio primeiro, o ovo ou a galinha?
Como leio muito e de tudo, às vezes fico até sem saber onde li tal coisa, mas é fato que em algum lugar ou através de alguém, uma moda ou modismo começou...
Essa estória do leque, sei não...acho que, pelo menos aqui no Rio, fui eu...
Esse é parecido com o leque de sândalo de minha mãe...

49 comentários:

Manuela Freitas disse...

Olá querida Glorinha,

Já (quase) tudo foi inventado, mas nós próprias inventamos e nos inventamos ao ir buscar coisas esquecidas e coisas menos usuais.
Eu não uso leques, mas gosto de leques, tenho aí uns quantos, réplicas de leques famosos!
Considero que o leque é fascinante, além de sacudir o calor, também está ligado a um mimetismo muito sensual! Os livros, os filmes...mostram isso! Viste o filme «Ligações Perigosas»? O que nos leques não dizem!?...
Ando um bocado cansada minha amiga, todos os dias com dores de cabeça, deve ser de muito aquecedor em cima de mim, mas eu não gosto de frio! Isto para te dizer que também ando com alguma preguiça relativamente ao blogue!!
Beijinhos minha amada,
Manú

Tati Pastorello disse...

Oi amiga Glorinha, pode ser que você tenha inventado (ou reinventado, não é?) a moda do leque, mas de uns tempos para cá, e o blog reforça isso em mim, tenho me dado conta que o tal do inconsciente coletivo é fato! Já até escorreguei nestas questões, e cai feio! A ideia que canta aqui também canta lá. Nem tudo é imitado. E se for, melhor a difusão de uma ideia do que o crédito por ela, não é? Ainda mais quando não vai render qualquer vintém!
Eu ainda não tenho leque, mas uma amiga dos meus pais usa, e o Bê ama! Morro de medo que ele estrague, por que adora fazer passos de luta, estilo kung Fu, com o tal do leque... Ai, Jisuis... rsrs
Beijos.

Glorinha L de Lion disse...

Ai Manu, aqui só com muitos leques e ventarolas enquanto tu aí, estás encolhida de frio...realmente reinventamos coisas há muito esquecidas...Pra te dizer a verdade tb ando um pouco cansada de blogar...acho que é o calor que me tira do sério...beijinhos, melhoras das dores (pode ser sinusite...)

Glorinha L de Lion disse...

Tem toda razão Tati, o tal do inconsciente coletivo...já até escrevi sobre isso aqui no blog...Mas onde começa a invenção ou reinvenção e onde começa a imitação? Não que se chegue a uma conclusão qq que seja ela, mas é para se pensar não é?
Como começa um modismo? Em que somos formadores de opinião ou, alguns, por srem pessoas com luz própria tem os sanguessugas a lhes sugar as ideias? Isso é pra se refletir somente...só levantei a questão..E o Bê ein, ele deve ser mesmo muito danadinho...hehe Morri de rir com a estória dele com o leque ninja! beijos

Isa disse...

Glorinha, aqui no sul eles nunca deixaram de ser usados, mas agora atpe empresas estão presenteando leques e bem bonitos. Estou com o de minha mãe (também antigo) e mais 3 novos. Na Feira do Livro deste ano em uma sessão de autógrafo, um calor infernal e eu não tinha nenhum leque. Comecei a me abanar com um papel. Logo aproximou-se de mim a netinha do escritor, abriu a bolsinha e tirou um leque para mim e outro para ela.
Jamais esquecerei a gentileza daquela pequena grande dama!

Beatriz - Jubiart disse...

Glorinha, tenho alguns, e sempre estou dando leque de presente, agora fim de ano para minhas clientes por exemplo. Aqui na nossa terrinha faz um calor "arretado" de bom! o ventinho de um leque charmoso sempre é bem vindo.
Eu e maridão temos sempre boas discussões sobre origem de palavra, a última foi PIAÇAVA E PIAÇABA, a terminamos no "Aurélio" para nossa surpresa as duas estavam corretas.

Gostamos muito também de ler.

Bjs e bons ventos p/ você.

Lu Souza Brito disse...

Olá Glorinha,

Então, na minha casa sempre teve leques, presentes de amigas e patroas da minha mãe que traziam "da Europa". Mas dificilmente ela usava. Era colocado naquela haste propria (nao sei o nome) como enfeite na sala, hehehehe.
Com este calor que está (imagino que por ai muito pior) é uma otima solucão.

Quanto as expressões, eu aprendi quando criança com uma senhorinha a falar "transmimento de pensação" em vez de transmissão de pensamento - era uma maneira dela brincar comigo. Não é que outro dia ouvi alguém falar assim???

Um beijo

Suziley disse...

Hehehe...eu gosto da maneira como escreve, Glorinha. Texto com vida e naturalidade. O leque parecido com o de sua mãe é lindo mesmo!! Um grande beijo, boa tarde :)

Sulamita disse...

Olá Glorinha, no universo na criação podemos recriar, recomeçar, refazer e porque não reviver, e assim podemos fazer parte desse universo de ideias que vão e voltam. Enfim, somos criativos e podemos aproveitar a oportunidade dessa forma aproveito uma vez que criei um post-cartão para os amigos do blog passa lá vou ficar feliz com sua visita. bjos.


http://sulamacedo.blogspot.com/2010/12/boas-festas.html

Inaie disse...

querida reinventadora de moda, acho que as menininhas estao mesmo te copiando!!!!

E esse termo 'escrivinhadora" eu ouvia bastante la no interior, quando nos queriamos tirar sarro dos "caipiras".

Beijos

PS Sera que eu tb vou aderir ao leque? Aqui no deserto ele viria bem a calhar!

lolipop disse...

Oi Glorinha!
Ora aí está uma coisa bem Japonesa: o leque. O Verão lá é tão quente que é um acessório usado por gente de todas as idades e...sexos. Uma amiga Japonesa, ofereceu-me dois, ambos lindos, além de que é um acessório super charmoso e coquete.
Da próxima vez que for vou lembrar-me de vc...
TERNURASSSSSSSSSSSS

Bombom disse...

Ao ler a tua aventura em Roma com tanto calor, lembrei-me da minha na Grécia, no mesmo ano mas em Junho. Um calor infernal quase insuportável! Nestas alturas, dá mesmo jeito um leque, mas nós nunca nos lembramos dele para o metermos na mala...Bendito do indiano, Glorinha porque na Grécia, não vi nem chinês!
Eu tenho uns quantos com que uma irmã me presenteou quando esteve em Macau. Há alguns bem lindos, sobretudo espanhóis. O da tua Mãe é muito bonito. Bjs. Bombom

Kelly disse...

Quando eu era criança e ia a igreja no domingo a noite com meus pais, a igreja estava lotada de senhoras com seus chiquérrimos leques, e eu ficava doida pra crescer logo e ter um....cresci e nem me lembrava mais, agora que você falou que me lembrei desse episódio...rsrs Moda mesmo!
beijos

Santa Gastronomia disse...

Glorinha: sempre achei os leques lindos, mas nunca comprei... até outro dia atrás! Comprei desses baratinhos, vendidos em lojinhas com bugigangas chinesas com cara de japonesas, vendidas por coreanas... ah, nem sabia que tava na moda, mas adorei tê-lo comprado, pois suaviza este calor infernal que já estamos enfrentando cá no Rio!
Um bju!

pensandoemfamilia disse...

Oi Glorinha

Penso que as muitas coisas que já tinha visto em outras épocas estão de volta. É um vai e vem. Tratando-se de leques, minha mãe e avós usavam muito e tenho, realmente, já observado que estão em toda parte.
Lembra da frase "nada se cria, tudo se transforma".

Carla Farinazzi disse...

Oi Glorinha!!

Sabe, quanto mais te conheço, mais gosto de você! Pelas linhas e entrelinhas que você vai traçando, pelo seu jeito e por umas e outras pinçadas em posts lindos. Cheios de você mesma, que é o que mais me encanta!

"Além do que, gosto de coisas mais simples e, hoje em dia, acho que menos é mais". Eu também!

Lindo post, Glorinha!

Um beijo

Carla

Macá disse...

Glorinha
Não sabia dessa onda de presentearem com leques em festas. Nunca vi mas acho a idéia ótima. Não sei se acharia em outros tempos.
Mas que leque é bom; ....ah, isso é!
beijos

Beth/Lilás disse...

Realmente, Glorinha, os leques são coisas antigas, esquecidos em gavetas ou cristaleiras antigas como uma minha. Eu mesma, achei tua idéia genial e fui buscar um que já tinha guardado há tempos, só que agora, de tanto usá-lo, já ficou cambeta. Mas já estou com um japonês bonitinho aqui do lado, preparado para o nosso próximo encontro.
Ô escrevinhadora, você deveria processar estas duas meninas fashion! haha
bjs cariocas

Leila Brasil disse...

Leque me lembra a Beth Martins, filha de Roberto Martins e agora me lembra a Glória que me lembra uma pessoa Chic que me lembra elegância que me lembra beleza que me deixa feliz.
Tomara que a pouca vontade de blogar esteja na contramão fazendo uma bandalhazinha inofensiva por exceção .
Beijos

Cucchiaio pieno disse...

Hehehe, minha sogra tem leque pra todo o lado, até dentro dos carros dos filhos, no caso de se esquecer - hehehe!
Querida senhorinha e escrevinhadora, voce esta' ditando moda, agora sei quem a Thais puxou!
Um grande abraço
Léia

Bordados e Retalhos disse...

Minha escrevinhadora preferida!!!Deve ser lindo esse leque de sua mãe. Eu também adoro leques, acho chic e também estou na menopausa. Vc vai querer que eu leve a tintura de amora pra você? Viajo dia 05 de janeiro.Depois me manda um e-mail com seus telefones, assim que chegar na casa da tia Alice eu te ligo. Bjs

so sad disse...

é mais ou menos assim que tudo começa mesmo, rs.
os leques estão na moda sim, são fashion e o seu que é vintage então!!!

beijo!

Glorinha L de Lion disse...

Isa, que gracinha! Adorei a estória da mini dama! Que graça, que classe! hehe Lindo gesto, mostra a grandeza das crianças, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Beatriz, mas aqui no Rio não se usa leque há muuuuito tempo...eu pelo menos não via ninguém usando a não ser eu mesma...pode ser que essa moda tenha voltado por causa de outro estado do Brasil, pode ser sim, afinal o país é enorme, né?
bjs,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Lu, "transmimento de pensação" é muito usado por aqui, numa forma de se brincar com as palavras...desde pequena ouço e falo isso...quanto aos leques para enfeite tb já vi muito por aí, mas para usar mesmo, nunca mais tinha visto...beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Susiley, obrigada, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Sulamita, tudo se copia e nada se cria? Não sei, tenho minhas dúvidas...acredito que muito se cria sim, muita coisa se reinventa, outras são modificadas...esse é o grande barato da vida, né? beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Inaie, todas as minhas amigas agora usam leques...aqui, pelo menos, em Niterói e entre as balzacas lancei moda! hehehe...Se eu fosse vc, lançava a moda aí...beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Loli, no Japão é bem comum mesmo, não é? Eu vi em fotos, até os homens usam tb... Nada melhor pra espantar o calor...Parece que por aqui, meu blog e eu andamos reinventando a moda...agora os leques vão voltar com força total! beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Ai Bombom querida, ri muito contigo! Nem um chinês pra te vender um leque? hehehe E acho que a cada ano, tanto o frio quanto o calor na Europa estão mais intensos não é? O planeta anda meio louco mesmo...por aqui, só andando com leques mesmo...beijinhos,

Glorinha L de Lion disse...

Pois é kelly, minha mãe e minha avó sempre foram adeptas dos leques...antigamente era muito comum, depois virou coisa de velha...agora, parece que houve um retorno...será que aqui, fui eu a fashionista? hehehe beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Sandra, pois é, acho que é o tal do inconsciente coletivo, ou um vai vendo, outro compra, outro vê e assim vai...assim começa uma moda...beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Pois é Norma, só que eu já uso há três anos...agora todo mundo está usando...tudo se reinventa mesmo...beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Carla, isso se chama "autenticidade" e é o que vc tb tem...por isso estamos nessa sintonia tão grande! Obrigada pelo carinho, bjs,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Macá querida, Essa ideia é mesmo ótima, pois ninguém aguenta de calor nas festas né? Eu, como já tenho o meu, nem preciso...hehe beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Pois é, vc foi uma das que logo que me viu tb achou uma ótima ideia, né Betita, talvez agora as pessoas olhem o leque com outros olhos: não só vovozinhas usam, mas tb mulheres charmosas como nós! heheheh!beijinhos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Leila, pois é, sou assim mesmo: como o presidente e o Raul Seixas: uma metamorfose ambulante...agora quem são as pessoas que vc citou? Não conheço...beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Leinha, sou uma senhorinha charmosa e fashion não é? Eu uso flor, minhas amigas tiram as flores do armário (não é capivaroska???)e passam a usar, eu uso lenço no pescoço, minhas amigas passam a usar tb...uso leque, dou ideia...acho que vou lançar uma grife...Glorinha de Lion Fashion, o que vc acha? hehehe Tô me divertindo com essa estória de leques e de ser fashion...Pois é Thaís teve a quem puxar...beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Gi meu amoreco! Não ´recisa já encontrei por aqui e já estou tomando...vou te mandar um email sim! E arruma um leque pra vc! beijão!

Glorinha L de Lion disse...

Oi So sad...fica triste não, se abana e se joga! hehe beijos,

Crica Viegas disse...

Glorinhaaaaaaaaaaaaa
que saudade
meu computador simplesmente não abre mais seu blog...pra vc ter uma idéia, tô num note no centro da cidade
Adoro leques, sempre amei
Tem proposta de blogagem coletiva num dos soluços que munha internet deu lá em casa...vai lá no blog
bjbbjbjbjbjbjbj

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

leque é bonito, eu gosto! vc tem muitas recordações com o leque...eu tb...
minha avó usava muito, um espanhol, tão bonito. um dia empurraram ela na rua, pra roubar ..o leque! eh mole?

mas era muito bonito mesmo.

aqui no Japão leque usa tanto homem quanto mulher, é acessório indispensável no verão.
o verão aqui é mto abafado, úmido, ajuda um ventinho na cara hehehe
bjs e bom dia

Isadora disse...

Oi Glorinha, me lembro de no último encontro você ter falado e mostrado o seu leque. Eu com seu post me lembrei de avó paterna que muito o usava.
Acho bem bonito!
Aproveito a passagem para deixar-lhe um beijo e desejar um bom Natal.

Glorinha L de Lion disse...

CRica, saudades tuas tb! Tem dias que o meu só funciona, como hj se eu tirar o fone do gancho! net da idade da pedra lascada! hehehe beijokas, já fui lá ...

Glorinha L de Lion disse...

Oi Alê, eu vi várias fotos de homens se abanando no Japão. Legal né? Cada cultura tem seu jeito né? Acho que é mais confortável e chic se abanar em vez de ficar pingando, né? bjs,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Isa, Não só no último, no penúltimo encontro de blogueiras tb me abanei deveras! hehehe Tô falando igual senhorinha mesmo! Eu já me abano com leque há mais de três nos, no mínimo! Obrigada Isa, pra vc tb um lindo Natal e 2011 feliz! beijos,

LILIANE disse...

Leques
muito raramente vejo alguém usar.
onde moro é muito calor,
sabe que vou procurar um lequinho pra me abanar, tambem?
hehehe
boa ideia
abraço

Maria de Fátima disse...

Olá querida Glorinha, eu gosto muito de leques e uso-os para me abanar no Verão.Quando vou de férias para Espanha só vejo leques por todo o lado, nas senhoras, nas lojas, e todos muito lindos.Beijocas grandes.

ManDrag disse...

Eu tinha um desses leques de sândalo e adorava o aroma que dele exalava ao abanar-me. Acabei por oferecê-lo à minha irmã. Pensei que encontraria outro igual, mas não tornei a encontrar nenhum outro de verdadeira madeira de sândalo; apenas essas imitações rascas que se desmantelavam em menos de nada. rsrs
Leque é coisa que à muito tempo trago sempre comigo, na mochila, bolsa ou pasta, sempre que saio. Uma senhora amiga, que viajou recentemente a Espanha, trouxe-me um de lá pintado à mão.
Sim, os homens também usam leque. E os que não usam por preconceito machista são idiotas. rsrsrs

Abraço