terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Um Lindo Email de Uma Amiga Especial

Recebi este email de uma amiga psicóloga muito querida. Chorei, me comovi e achei seu depoimento um dos mais lindos cartões de Natal que já recebi.Para quem viveu uma infância boa e com família estruturada como eu e tantos outros, muitas vezes não nos recordamos do quanto essas lembranças e a felicidade que vivemos nessas datas foram importantes e formadoras de quem somos hoje. Muitas vezes são esquecidas ao longo da vida. Ela nos mostra como é importante recordar.Deleitem-se com essa lindeza:


"Minha avó materna teve 10 filhos. Dos filhos de minha avó só uma teve um só filho, o mais exagerado teve 7 filhos.
Ou seja, família grannnnde! Minha avó tinha uma mesa mágica, em dias normais ela tinha tamanho normal.
Mas, no Natal ela crescia junto com a quantidade de gente que tinha naquela casa. Um puxava de um lado, outro do outro, rsrss
e uma tábua fazia a mesa se agigantar. Não devia contar isso...é como contar como o mágico advinha qual é a carta.
Bem, não é como a mesa crescia que interessa! Ela crescia....em tudo. Era uma profusão de cores e sabores, cada um que chegava trazia sua especialidade e iam colocando ali. Mas, com todos odores e sabores não era ali o lugar mais atraente.
Ali era o lugar dos adultos, eles ficavam comendo, bebendo, conversando.
Enquanto nós crianças contávamos um para os outros o que tínhamos pedido em nossas cartinhas. E dividíamos as expectativas se seríamos atendidos ou não. Nos intervalos brincávamos de pique, roda, mas sempre de olho no céu para ver se o trenó estava vindo, os se ouviríamos o barulho dos sinos das renas. Volta e meia perguntávamos para algum adulto se Papai Noel viria mesmo, se não estava na hora. Eles diziam: " calma, ele virá. Mas, só chega a meia-noite." E voltávamos para as brincadeiras.
Até que de repente alguém dizia: "ele está chegando", ouvíamos um sininho e de repente lá estava ele: Papai Noel na sala de minha avó, com aquele jeito de velhinho, curvado, mas com seu saco com todos os nossos sonhos! A minha boneca! Exatamente como eu pedi! E naquele saco saia presente para todas aquelas crianças. Que velhinho mais danado! Vem, traz o que pedimos, nunca se esquece de nada, nem ninguém! Uma vez perguntei a minha mãe: como ele consegue estar a meia noite na casa de todas as crianças do mundo? Ela respondeu:" ora, é porque ele é Papai Noel e as renas ajudam." Papai Noel era justo, eu tinha sido uma boa menina e ele reconhecia isso, nunca falhava.
Obrigada minha avó, meus pais, meus tios e tias, primos e primas. Vocês me fizeram ter a ilusão da infância, que assegurava que a vida é justa, que se pode ter esperança. Vez por outra, a dureza da vida de adulta me faz duvidar disso, mas a lembrança daquela casa cheia de pessoas e afeto são um grande antídoto contra a falta de fé e esperança.

Resolvi partilhar essas reminicências porque cada carinho e gentileza que recebo de um amigo, me remetem a esse sentimento de certeza e confiança que esse natais me alimentavam.

Aos meus amigos e familiares meu agradecimento pelo sentimento de pertencimento, de não estar só.
E meu desejo que o Natal esteja presente na vida de vocês, principalmente nos momentos difíceis.

Feliz Natal e um 2011 de paz e esperança

Isis Figueiredo"



Obrigada Ísis, você hoje me fez mais feliz.
Beijos,




25 comentários:

Carla Farinazzi disse...

Glorinha,

Faço questão de agradecer a você e à Isis pelo texto! Você por me fazer conhecê-lo e ela por tê-lo escrito. Simplesmente é o que povoou a minha infância, e o que sinto hoje: agradeço a todos eles, meus pais, meus avós, meus tios, primos e irmãos por terem feito dos meus Natais, coisas mágicas, coisas divinas. Não apenas pelos presentes, com certeza. Mas pela união, carinho, companhia, amor e lindeza que havia em cada noite do dia 24 para o dia 25.
Sempre lembrando daquele nosso menininho...

Beijos, agradeço-te de coração

Carla

Meru Sâmi disse...

Olá, amiga!

Que delícia ler histórias de natais. Eu fico toda encantada, e de certa forma, alimento minha criança que não cresceu. Porque apesar de eu ter tido ( e tenho) uma família "certinha", nunca tivemos uma festa de natal. Você sabe, judeu não comemora o natal. Eu via de longe as comemorações, porque quando criança, também não convivíamos com crianças de outras religiões.
Talvez seja por isso que para mim essa época traz um encanto todo especial. Hoje não privo minha criança interior, deixo-a curtir até não mais aguentar, hehehe...Hummmm, panetone!!!
Se você contar as Suas Histórias venho ler!

Beijos.

Chica disse...

Meus natais foram assim e a infância bem alimentada com a magia dele...

Lindo,lindo e é tão bom ler.Pena que sabemos hoje que nem é tão mágico assim...Nem todas crianças ganham...


um beijo,tudo de bom, chica

Cucchiaio pieno disse...

Oi querida
Que lindo! Senti uma certa melancolia ao ler, pois nao tive essas ilusões infantis! Vejo que meus sobrinhos também nao, por isso fiquei um pouco triste, pois tudo que a Isis contou é muito lindo e mágico!
Quanto a tua pergunta, penso que é muuuuuuuuuuuuito melhor se alegre e bolota - hehehe!
Bjo grande
Léia

Isadora disse...

Glorinha é para emocionar mesmo. Esse sentido de família, de pertencimento e de carinho, faz com que adultos, ao nos depararmos com os desafios e tropeços nos sintamos mais amparados.
Um beijinho

William Garibaldi disse...

Glorinha, eu achei que vc não tivesse recebido meu pedido de perdão! Poiis comentários grandes o Bloguer esclui sem dar chance pra gente salvar!...
Sabe, eu ainda não sei me comportar em área nenhuma da vida... estou aprendendo... achei também muito digno e maravilhoso o teu gesto de aceitar meu pedido, e de sempre reconhecer seus erros, acho belo quem sabe se exaltar e se abrandar... todos os elogios que te fiz aqui estão de pé pra mim e sempre estiveram, especialmente o genial!

William Garibaldi disse...

Quero dizer que vou me esforçar muito para não errar de novo com você e com quem quer que seja... mas não sei se vou conseguir.. pois acho que ainda sou muito dual como todos deste planeta. Quando falei da projeção foi eu quem projetou em vc... pois eu sempre tive que defender com espadadas as coisas que eu acreditava belas e puras entende... eu estava já julgando mal vc por estar brava... já que eu não sabia das fofocas nos Blogs... por isto eu prefiro ser impulsivo, é melhor que ser falso... mas também não é uma qualidade a impulsividade... se eu errar de novo com vc, me fala?... me puxa orelha?... dá uma arranhada... mas não bate muito ok?... risos
Mas uma coisa te posso garantir jamais vou excluir comentários de novo... eu que sou a favor da liberdade de expressão errei feio por estar projetando e julgando, fui infantil por me sentir atacado e querer só flores no natal! olha que feio!...
Gratidão!
E foi um elogio... o... (vc sabe), porque vc é A Beleza!

Yasmine Lemos disse...

Bom dia Glorinha,
lindo email e hoje por acaso escrevi sobre isso ,mas bem diferente, não me cultivaram este sonho de papai noel...
um grande beijo

Nilce disse...

Como eram lindos nossos tempos de ilusão.
A delícia de ser criança, da espera dos desejos realizados, sem precisar pensar nos proventos do futuro, na certeza de que tudo sempre daria certo.
Linda a carta de sua amiga, Glorinha.
Devemos voltar a ter um pouco mais dessa fé que tínhamos na infância, de que tudo se realizará.

Bjs no coração!

Nilce

Glorinha L de Lion disse...

Carla, lindo e emocionante não é?
Pois é, lembrar de coisas boas que vivemos, do quanto fomos amados e felizes pode nos ajudar a seguir em frente nessa luta diária que é a Vida. beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Ai tadinha de vc Meru...imagino que frustração, ver os amiguinhos recebendo presentes, enfeitando a casa e vc, só de longe, com o olho comprido, querendo participar tb! isso deve ser duro pra uma criança...acho que hj mesmo famílias de outras religiões comemoram o Natal, né? QQ dia vou contar as minhas...beijos querida,

Glorinha L de Lion disse...

Pois é Chica, o que me incomoda bastante nos Natais de hj em dia, é que a magia sumiu e deu lugar a um consumismo exacerbado...e ainda tem a miséria que nos circunda...Saber que uns tem tanto e outros nada, é duro mesmo...beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Leinha, minha família não era grande. Foi muito grande antes de eu nascer, mas depois, tios foram morrendo, família se desagregando, mas mesmo assim, entre nós 6, até minha avó morrer e depois, nós 5 era alegre e amoroso...tenho boas lembranças...imagino que para quem não teve isso deva ser triste mesmo ler isso...Ah vc me prefere alegre e bolota é? hehehe beijos,

Glorinha L de Lion disse...

William, acho que o primeiro passo foi dado. Você teve a grandeza de pedir perdão e reconhecer seu erro e eu de te perdoar. Vamos nós dois nos esforçar pra melhorar?
Também não sou perfeita e nem estou perto de sê-lo. Mas a gente vai vivendo e aprendendo. Estamos aqui pra isso, né? Aprender uns com os outros, pedir desculpas, perdoar, afinal, na nossa humanidade somos todos seres imperfeitos em busca da felicidade. Que este triste episódio tenha sido uma bela lição pra nós dois. E que não volte a se repetir.
Bjs,

Glorinha L de Lion disse...

Isa, lindo não é? Seria bom se pudéssemos nos lembrar desses momentos sempre que a tristeza chegasse ou que a vida nos desse um tranco. Seria bem mais fácil prosseguir, beijos querida,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Yasmine, lindo mesmo, depois vou lá te ler, bjs,

Glorinha L de Lion disse...

Nilce é isso mesmo que nos falta, né amiga? A pureza e a esperança da criança que um dia fomos...grande beijo,

Bombom disse...

Uma bela história de vida! Fez-me lembrar os Natais cá de casa, durante muitos anos. Com os 9 irmãos, e respectivos cônjuges, os meus filhos e sobrinhos (uns 18) e a minha Mãe! Depois os filhos e sobrinhos casaram e hoje já reunimos com sobrinhos netos. Mas o ambiente e a festa ainda hoje perduram, enquanto a minha Mãe de 94 anos viver. Que Deus abençoe todas as Famílias e ponha no coração dos Homens pensamentos de Amor e de Paz.Bjs. Bombom

Mylla Galvão disse...

Oi GLORINHA,

ESSE TEXTO TB ME EMOCIONOU MTO...
ME LEMBROU DA MINHA AVÓ NO NATAL...
eU FIZ ESSA HOMENAGEM PARA A MINHA MÃE:
http://vidaslinha.blogspot.com/2010/12/uma-pessoa-muito-especial.html

SE PUDER PASSA LÁ PARA DAR A SUA OPINIÃO, ACHO QUE VC VAI GOSTAR...

BJO

Beth/Lilás disse...

Maninha,
Esse mail da tua amiga Ísis veio nos lembrar o quanto fomos felizes, tivemos o afeto de nossos pais, a união de nossa família. Quantos natais bonitos tivemos e por isso, sempre fiz natais em minha casa, talvez para retribuir todo este carinho que meus pais tiveram em minha infância.
Adorei!
Tua amiga é uma ótima escritora, escreve com sentimento. Parabéns a ela!
bjs cariocas

Isis disse...

Glorinha nada! Glorona!
me arrepiei com o que voce escreveu até o couro cabeludo! E depois ainda teve mais...suas amigas.
Obrigada com arrepio e lágrimas
mil beijos

Que a realidade existe é fora de questão. Mas se não acreditarmos na magia do amor estamos Fu... rsrsss
bjks

Glorinha L de Lion disse...

Bombom querida, que gracinha sua mãe com esta idade! Bem Hajam! Ela e tua família! Sejam muito felizes e vivam mais este Natal em clima de Amor e Paz! Saúde pra tua mãezinha! beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Mylla, vou lá ver...beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Pois é Betita, a Ísis é sim uma pessoa especial...já passou cada perrengue na vida e nunca perdeu o bom humor e a alegria de viver. E não é primeira vez que me manda um email lindo como esse...ela escreve muito bem mesmo! beijinhos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Ísis!!!! Que bom que veio ler o que escreveram sobre seu texto/cartão de Natal pra lá de lindo, emocionante! Eu me sinto privilegiada de ter uma amiga desse quilate! Beijos, que bom que te fiz feliz!