quinta-feira, 30 de junho de 2011

Encafifada


Quem me acompanha e não desistiu de mim até hoje (rsrs ), sabe que sou uma pessoa encafifada. Há também os sádicos e os masoquistas, que mesmo não gostando do que escrevo ou penso, ainda assim, vem aqui conferir e me deixar um ou outro, raros, comentários anônimos.
Podem me chamar de louca, de ciclotímica (acho que o nome é esse), de bipolar....eu, sinceramente, não sei o que eu sou. Tenho períodos de intensa alegria, de euforia, de melancolia e todas as " ias " que há nos dicionários...Tenho períodos de tristeza imensa, de me sentir dentro de um buraco sem fundo...Sou questionadora, reflexiva, abusada e às vezes, metida. Sou mesmo desmedida. E sou extremamente sensível, tenho mesmo alma de artista, mas a parte louca e intranquila dos artistas, não a glamourosa e que deveria causar inveja.
Acontece que já me aceito assim. Nasci desse jeito. Muitas vezes, muito chata e outras vezes, muito bacana. Como a maioria das pessoas. Tenho um gênio difícil? Tenho. Sei disso? Sei. Procuro melhorar? Procuro, embora nem sempre consiga...
Mas não é para falar disso que resolvi escrever esse post. É para falar sobre uns pensamentos que têm me acompanhado muito ultimamente:
Vivemos a vida como se pensássemos que a enganamos. Cada dia vivido é como uma rasteira na morte:   -Ainda não foi hoje! Iupi! Só que raramente nos damos conta disto.
Vivemos cada dia sem pensar nela, sem pensar que amanhã poderemos não estar mais aqui...E isso não é morbidez, é reflexão. Às vezes tenho pensado que me desespero por coisas tão banais, problemas que me parecem enormes e que pluft, se eu morrer, eles desaparecerão comigo...E que eu terei gasto tanto tempo inútil com elas...Mas, quando a gente atravessa uma tempestade só quer sair dela, não pensa que pode morrer "dela", pois o instinto de sobrevivência fala sempre mais alto.
Noites insones, discussões inúteis, destemperos, aborrecimentos, orgulho, estupidez. Tudo pra que? Para nada.
Ou melhor, para tudo...porque nós, os seres humanos, damos valor demais à nós mesmos. Nos achamos os reis da cocada preta, os donos da verdade, os decisivos, os mais mais, os escolhidos.
Pensamos sim. E não vá me dizer, você que me lê, que nunca se achou assim. Não seja falso com você mesmo, leitor/a.
Achamos que somos os bons, os tais, que não merecemos o jeito como muitas vezes somos tratados, que somos vítimas, as eternas vítimas dos outros. Ou da vida.
É chato admitir isso, eu sei. Mas hoje, durante o banho, enquanto a água caía quente sobre o meu corpo e a olhei escorrendo pelo ralo, pensei:
Somos isso. A cada dia, um pouco mais se vai pelo ralo e não importa se somos presidentes, papas, mendigos, arrogantes, cidadãos que pagam seus impostos ou ladrõezinhos baratos...um dia, não sobra mais nada da gente...Um dia a morte deixa de fingir que brinca de esconde esconde conosco e nos dá o abraço fatal.
Aí, meus amigos/as, de nada adianta ser milionário ou pobretão...sumimos pelo ralo. Estou falando o óbvio, sim, mas muita gente vai vivendo a vida sem pensar muito nisso.
Eu, encafifada que sou, penso nisso quase todos os dias. Para o bem ou para o mal. E ainda não cheguei à conclusão nenhuma, mas estou perto, bem perto...pelo menos, eu acho...
Enquanto isso, um brinde ao hoje! Um brinde à Vida! Com Café, é claro!
Salut!

44 comentários:

✿ chica disse...

E é essa certeza que deve nos impulsionar a viver(ou tentar) cada dia como se o último fosse e não digo nem que temos que extravasar...Temos que simplesmente VIVER cada DIA e não VEGETAR...

Gostei de tuas reflexões.beijos,tudo de bom,chica

Calu disse...

Tim-Tim, Glorinha.
Assim como pensamos na vida, tbém é necessário que pensemos na morte;decorrência do fato de vivermos.
Creio que esses momentos, como o que vc descreve, são altamente proveitosos.São pit-stops necessários para pormos as idéias em ordem, equalizar os fatos e atos ditos e feitos, valorizarmos o que realmente importa,descartarmos o lixo emocional acumulado,repensarmos os projetos e fazermos novos,enfim, sabermo-nos finitos nos dará a consciência precisa do quão valiosa é a vida e do que de melhor podemos realizar por nós próprios e até pelos outros.
Olhar à volta e ver o caminho percorrido e o a percorrer trará empenho, objetividade e impulso para um Hoje imperdível!
Carpe Dien!
Bjos mil, amiga,
Calu

RaSena disse...

ah, Glorinha!
gostaria de viver todos os dias, como se fosse o último,
brindar com "café", vinho, suco, água, a dádiva de viver,
mas, maioria das vezes esquecemos, e vivemos um dia após outro sem agradecer, sem pensar que ao dormir podemos ir.
Fica dom DEUS minha linda!
bjbj

Glorinha L de Lion disse...

Isso mesmo Chica, vegetar é para as plantas, nós temos que viver cada dia como se não houvesse amanhã! beijo grande,

Glorinha L de Lion disse...

Salut Calu! Minha amiga, sabia que me compreenderia, pois sabe bem do que estou falando...perdemos tempo demais com coisas sem valor algum quando a verdadeira jóia da vida é viver, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Olá RaSena! Tb gostaria de brindar contigo. Brindemos então: À Vida e à tudo de bom que há nela! beijos,

pensandoemfamilia disse...

Tim,tim, brindemos o dia de hoje...
e a cada novo dia, pois pode ó último...
bjs

Christian disse...

Quem nunca teve a "síndrome do coitadinho"?
Quem nunca esteve pensando em morrer?
Quem nunca muda de humor constante?
Quem nunca pensa sempre que a verdade absoluta lhe pertence?
Quem nunca, por diversas vezes ao dia, não se aliena em seu próprio mundo?
Penso ser importante este tipo de reflexão, desde que seja para isto, a brindar um novo dia e não pensamentos constantes de morbidez.

Glorinha L de Lion disse...

Tin Tin Norma, Saúde! Viva a Vida! bjs,

Glorinha L de Lion disse...

Muita gente não se vê assim Christian. Muita gente se vê como um semideus, acima do bem e do mal, acredite vc ou não, há gente assim aos montes...pode crer, bjs,

Beth/Lilás disse...

Je vous salue, Glorinha!
E vai ser com vinho mesmo pra gente ficar rindo e vermelhas como ficamos.
Toda razão, cara amiga pensadora, também nas minhas mais íntimas reflexões penso do mesmo jeito, pois que adianta tanto nhe nhé nhé nesta vida se o final é o buraco negro, escuro e frio debaixo da terra.
Sim, é bem óbvia sua reflexão, muitos de nós já refletimos assim também, mas o tempo e os dias vão nos empurrando e esquecemos de repensar este tema.
As coisas importantes da vida são aquelas que são imprescindíveis, que não vivemos sem, que amamos tanto e esquecemos de cuidar dela, ligados que estamos com as mesquinharias.
Je vous salut, Glorinha, por trazer à tona tão boas reflexões. (depois diz que não está com idéias)
beijoquinhas cariocas

Peônia disse...

Que espaço gostoso, bonito e aconchegante!
Adorei!
Beijos!

Glorinha L de Lion disse...

Eita Betita que tá poliglota? Hehehe Salut aussi madame! E vamos brindar com aquele vinho gostoso? Que tal com um fondue ou uma raclete? Já que é pra afrancesar, merci beaucoup ma cherrie! E vamos aproveitar la vie! bisus,

Glorinha L de Lion disse...

Obrigada Peônia, seja bem vinda ao meu café, beijos,

Mafia Sonora disse...

Mas em termos de internet ha que se confiar desconfiando sempre, nunca se sabe o que vamos encontrar por aqui, beijão Glorinha :-)

Hugo de Oliveira disse...

É por tudo isso que gosto sempre de passar por aqui: aprendo muito com suas reflexões.

abraços
de luz e paz

Mônica - Sacerdotisa da Deusa disse...

Querida flor encafifada!!!!Salut!!! rs
Estou de volta, agora pra ficar hahaha, e quero deixar aqui o meu abraço carinhoso, e um beijinho.
Vou te mandar um e-mail.
Estou com saudades.

Beijos querida flor.

Flores e Luz.

Alexandre Mauj Imamura (lostinjapan.tk) disse...

sabe qual é o problema? é que nem todo mundo olha o ralo como "ralo". olham o ralo e pensam que lá tem caixa d'água, cano que leva de volta pro chuveiro, que a água evapora para as nuvens ou vira fogo no inverno, que a água vai rebrotar da terra quando Cristo voltar. E pronto, a responsabilidade DESTA vivência, joga-se para outra.

que haja a continuação da vida, não importa, mas a importância tem que ser dada ao que temos que fazer/viver AGORA. e não na vida futura, do céu, do anjo, do Silvio Santos, sei lá o que esse povo crê.

Nunca vai dar tempo para fazermos tudo que queremos. Nem do jeito que queremos. Mas há sim uma certa necessidade de urgência, senão a vida passa em branco, totalmente desnecessária.

Mil vezes escorrer a vida como milionário que pobretão. Pelo menos, creio eu, que emprego foi gerado, viajou, comeu bem, leu, se divertiu... do que a água escorrer suja, fedida e irreciclável!

bjs e bom dia

Celina Dutra disse...

Brindemos, Glorinha, de preferência com um bom vinho tinto cabernet sauvignon, ao hoje, ao agora!

Só tenho medo de morrer antes de quitar um empréstimo que tenho na CEF! Não fiz seguro porque era muito caro, e nao gostaria que meus filhos tivessem que utilizar o seguro deles pra isso! rsrs. Senão... já estou preparada! Por isso, vivo e vivo bem cada dia.

Beijos!

Zélia Guardiano disse...

Texto muito interessante, minha querida Glorinha!
Tema para profunda reflexão!
Sabemos que a dita cuja está sempre à nossa espreita, mas gostamos de desviar , sempre, desse pensamento...
Adorei a postagem! como sempre, aliás...
Beijos

R. R. Barcellos disse...

Não concordo com menos de metade do que você diz, mas em assuntos existenciais qualquer argumentação tem ranço de proselitismo (coisa detestável). Limito-me, portanto, a
transcrever um comentário à postagem de um amigo, que resume minha visão do assunto:
"Não ficarei parado, definhando à beira da estrada. Sei que jamais alcançarei o horizonte; mas sei também que nessa quixotesca tentativa de alcançá-lo encontrarei tesouros insuspeitados em meu caminho" (comentário a El Puente - El Horizonte em 22/02/2011).
- Beijos pensativos, pensadora!

Tati disse...

Oi amiga Glorinha, passei aqui para matar saudade e adorei o texto! Um brinde ao hoje, ao que somos (seja lá o que isso for...) e um brinde por mais um drible na morte! Só por hoje!!!
Vamos aproveitar o dia liiindo!!!
Beijos.

Maria Izabel Viégas disse...

Glorinha Sannnnnn!

Estás quase, quase mesmo... de descobrir que teu coração já andou conversando com tua alma e "sabe" que existe Algo Além desta vidinha aí, dos sins e dos nãos, da trsiteza e da Alegria!
Que existe uma Gloringha Alma que já é Caminhante há milênios neste planetinha.
Vamos fazer regressão um dia , amore!
;))))
TIM TIM, amiga!
A tua, a minha, a nossas preciosas vidas!
BEIJOOOOOS, "sua enacafifada"!
Caramba , onde foi arranjar este encafifada, hein? kkkkkk
Eu sou encafifada, bipolar, yin e yang, má e boazinha, chata e marvilhosa. Sou normal.
Anormal "é quem o dia: não é feliz, não é feliz...eu sou feliz!

Vicentina disse...

Querida Glorinha, adorei suas reflexões, sabe que tem dias que tbm fico pensando assim? Aí falo com meus botões, será que não to louca?
Mas estamos de passagem aqui e temos o direito de questionar mesmo.
O mais importante, é viver o mais intensamente possível cada dia, sem perder um minuto, pra fazer o possível pra sermos felizes.
Bjs querida e tenha um Bom Dia

Eduardo disse...

Glorinha, minha filosofia de vida eh: recordar as boas coisas do passado, planejar para o futuro e curtir intensamente o presente. As incertezas deixo para o lado, prefiro lidar com o que se sabe e pensar no que pode ser o que ainda nao se sabe. Procuro atenuar os meus defeitos que nao podem ser modificados e investir no que pode ser melhorado. Minha sugestao eh nao deixar que a vida e suas dificuldades domine a gente, melhor eh ficar de bem com ela e ir sempre melhorando. Quanto aos que incomodam por sua falta de modos, penso no ditado: os caes ladram e a caravana passa...
Quando a vida faz voce se sentir mal, pense no que ela tem de bom e deixe o resto de lado.
Um abraco e sinta-se bem, olhe que dia bonito que esta fazendo: com sol, chuva, quente, frio, etc; sempre sera um dia bom.
Eduardo

Glorinha L de Lion disse...

Pois é Máfia, pois é....rsrs bjs,

Eduardo disse...

Glorinha, caso tenha curiosidade de saber o que eu penso sobre a vida e a morte eu fiz alguns comentarios no meu blog.
Como voce escreveu: um brinde a vida - sem cafe para mim; prefiro suco de laranja.
Um grande abraco
Shrek

Glorinha L de Lion disse...

Obrigada Hugo, grande beijo!

Glorinha L de Lion disse...

Oi Moniquinha linda! Saudades de vc menina! Que bom que está de volta! bjs,

Glorinha L de Lion disse...

KKKKKK Eu tb Alê, queria escorrer pelo ralo miliardária, pelo menos ia ser com sabonete da LUSH ou da L"OCCITANNE, ia escorrendo perfumadamente pelo ralo...com dinheiro tudo fica mais fácil meu amigo, até poder trabalhar, com dinheiro, como diz meu marido, fica mais fácil...Acho engraçado pessoas que vem dar lição de moral na gente sem nenhuma preocupação na vida além de respirar...queria ver sobreviverem e ainda rirem com os problemas que eu tenho....Uma vez veio uma alienadazinha me mandar sorrir mais e parar de reclamar que a vida era linda, bela e aquelas baboseiras que só quem não tem nenhum problema e vive noutro planeta pode aconselhar a quem não conhece e não sabe o que passa...me deu vontade de mandar ela se F@¨%$R! Às vezes bem que dá não dá?beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Celina, ando pensando até nisso...quando a gente morre, as dívidas vão junto, minha filha.rsrs Deixa a CEF pra lá...Relaxe e curta teu CABERNET...a vida é curta demais! Salut! beijão

Glorinha L de Lion disse...

É sim Zélia, a gente pensa que só pq não se pensa nela ela não existe...somos todos como as crianças perante a vida e a morte...beijos, obrigada,

Glorinha L de Lion disse...

OI Rodolfo, é mesmo. Tem coisa mais chata que proselitismo? Eu posso ser no meu blog, mas no blog dos outros é chato pra dedéu...(ô termo antigo...tô ficando véia, amigo, rsrs) mas acho que teu amigo é um sábio e, por conseguinte, vc tb! Beijão,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Tati querida, só por hoje, já tá de bom tamanho....hehehe brindemos à VIDA! Saudades de vc, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

KKKKKKKKKKKK Acho que esse dia não vai chegar não, Isabel Querida San! Demorei quase 50 anos pra ver que não existe nada e agora vc diz que estou quase vendo de novo? Vou não, minha flor, isso é caso encerrado na minha vida....pois é encafifada é um termo antigão né? mas ando tão mergulhada em passados...(sem ser regressão, viu?) que me veio esse termo ontem....e ele define bem o que é pensar pra dentro, ficar matutando....adoro! beijos querida....tin tin!

Glorinha L de Lion disse...

Pois não é, Vice querida? tem dias que a gente fica tão encafifada que pensa que tá endoidecendo...coisa de quem pensa muito....rsrs beijos, meu docinho de leite!

Glorinha L de Lion disse...

Tá certíssimo Eduardo, mas atualmente não posso me dar a essas divagações de que o sol, o céu e a lua me bastam...Quem dera!...luxo pra mim é deitar a cabeça no travesseiro e saber que não há problemas, inúmeros nos esperando no dia seguinte...é essa a paz que eu almejo! beijos,

Lu Souza Brito disse...

Ahh Glorinha, que você é encafifada todos nós sabemso, mas ao menos eu nao vejo nada de eraado nisso. As vezes estranho algumas coisas que escreve, concordo, discordo, nao tenho opiniao a respeito. Mas cada um é de um jeito né?

Eu também penso na morte, tipo, e aí? E a hora que ela vier, adiantará este monte de bobagens e rusgas que a gente vive hoje? Esta doença que tenho já me ensinou muito, no sentido de me fazer refletir sobre o que eu quero ou nao pra minha vida. Em que momento acontece a minha vida? E se eu morrer semana que vem?
Não é conversinha, mas mesmo tendo meus planejamentos futuros, tento, de alguma maneira, aproveitar bem o dia de Hoje, por que amanhã pode nao existir.

Um super beijo

Manuela Freitas disse...

Gosto de te ler, tu agitas...e eu estou numa tarde quente, assim com alguma sorna! rsssssssss
Evidentemente que se pensa nessas coisas todas...que a vida passa rápido...que gastamos uma parte dela com parvoíces e que a dama da foice, está sempre à esquina...e nunca sabemos quando ela chama o Caronte!...
Enfim dizemos à este dia vai ser porreiro...mas de repente um pequeno alfinete toca a nossa sensibilidade e vai tudo para o caraças!rssssss
Nós somos assim...
Beijinhos,
Manú

Glorinha L de Lion disse...

Saúde Eduardo! um brinde à vida, seja lá com que bebida for! bjs,

Glorinha L de Lion disse...

KKKKKKKKK Quem me conhece há tempos bem sabe o quanto sou encafifada! Vivo encafifada com ideias, ideais, vida, morte, dor, prazer...enfim, me encafifo com a vida! Com o viver...imagino Luzinha, que vc saiba bem do que falo...só quem sofre ou sofreu sabe do que falo...quem veio à vida à passeio não pode nem imaginar o que é esse encafifamento...rsrs beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Ai Manu, morro de rir contigo! Vc fala as coisas de um jeito muito engraçado, de um jeito único!...e está certíssima. Às vezes acordamos achando que aquele vai ser um dia estupendo e um simples alfinete fica nos doendo o dia inteiro...é isso aí Manu, compreendeu bem o que eu quis dizer, como sempre aliás, beijão amiga querida,

ManDrag disse...

Amiga, quando morremos tudo desaparece connosco; as alegrias, tristezas, problemas, enfim o próprio mundo desaparece connosco.
E quem não se sente senhor de si e do mundo não terá muito para fazer por aqui, depressa embarcará no esquife apertado, com as botas ao lado.
Todos os dias são dignos de brindar, para aqueles que vivem olhando a vida olhos nos olhos.

Salut!

Glorinha L de Lion disse...

Disse tudo o que penso de maneira poética, meu amigo Man Drag. é preciso domar a vida e olha´-la nos olhos como numa tourada....beijos,