quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Eu Quero Uma Casa no Campo...


Serra da Mantiqueira - Vista de Penedo
Foto Eduardo Andreazza
Morei em Penedo, pequena cidade da Serra da Mantiqueira, também conhecida como Pequena Finlândia, por 2 anos, no ínicio dos anos 80.
Era casada há pouco mais de um ano e meu marido foi trabalhar como engenheiro na construção da Ferrovia do Aço. Me apaixonei pela linda colônia finlandesa, assim que a vi pela primeira vez, pois, coincidentemente, uma parte de minha lua de mel, foi passada lá.
Nunca poderia ter imaginado, na época, que um dia iria morar lá...mas assim foi.
Nossa primeira casa era bem pequenininha, um chalé. Um riacho passava nos fundos, onde tomávamos banho nas águas geladas e nos divertíamos nos finais de semana, com muitos amigos e parentes, indo e vindo, eu inclusive, pois ainda fazia faculdade no Rio, e só via meu marido nos finais de semana.
Depois nos mudamos para o pé da serra, láaaaaaa no alto. Nossa casa era bem grande, com lareira, piscina de água corrente e uma cachoeira deliciosa . Lá, descobri que estava grávida de minha filha, Thaís.
Vocês não podem imaginar como era a casa! Não que fosse luxuosa, era rústica, mas muito confortável e espaçosa...foi uma das épocas mais felizes da minha vida.
Eu, que sempre tinha sonhado com "uma casa no campo", tinha a minha, onde pude usufruir de todas as coisas maravilhosas que a vida no campo pode oferecer: fruta no pé, tatus, cachoeiras, muito frio (6 graus no inverno), lagartos, cobras, cheiro de verde, de lareira acesa, de pinheiro...
Todo mundo conhece aquela música do Zé Rodrix, imortalizada pela Elis:

"Eu quero uma casa no campo,
Do tamanho ideal,
Pau a pique, sapê...
Onde eu possa plantar meus amigos,
meus discos,
meus livros,
e nada mais..."
Pois é...era isso...lá eu tinha tudo isso, e hoje reli um pequeno poema que escrevi lá, eis aqui, um trecho dele:

Quero encher meus ouvidos de silencio
E tapar meus olhos com verde
Quero deixar correr em minhas veias
A água limpa dos rios

Quero fazer transfusões de cor,
De música,
De calma.
Encharcar meus cabelos de vento,
Reconstruir meu eu,
Renascer de mim mesma,
Até que o perfume da grama se espalhe,
Cada vez que eu cantar.

Lá, criei minha filha por 2 anos, linda, corada, no meio do verde...
Em Penedo, percebi, como é vital pra mim, viver em contato com a natureza em estado bruto.
Hoje, Penedo não é mais a mesma do que há 26 anos atrás...suas ruas agora, estão asfaltadas, tem até shopping! Do Papai Noel, mas shopping.
Seus rios e cachoeiras, em sua maioria estão sujos...
O lugar onde morei está repleto de pousadas...
É o preço do progresso, eu sei, mas um preço um pouco caro demais...
Pra quem imaginou que seria pra sempre, como na música:

"Eu quero carneiros e cabras
pastando solenes
no meu jardim
Eu quero o silencio
das línguas cansadas
Eu quero a esperança de óculos
E um filho de cuca legal
Eu quero plantar e colher
Com a mão, a pimenta e o sal..."
Restam as lembranças...E essas ah! essas, ninguém e nada, tira de nós....

14 comentários:

manuel marques disse...

"O tempo nada mais é do que a distância entre as nossas lembranças "

Beijo.

Claudia Bins (Cacau) disse...

Glorinha querida, que delícia poder lembrar dessa época e desse lugar! As lembranças de infância mais caras que eu tenho são justamente àquelas junto à natureza...

Olha só, tenho um post sobre Penedo tbm, olha aí... http://mosaicosdosul.blogspot.com/2009/09/penedo-rj.html

Beijo enorme,

Cacau

Edna Fadinha disse...

Adoro lugares assim.E essa música da Elis é uma delícia.Já fiz um post com esse trecho da letra.
Bjs

Vagamundos disse...

Uma vista lindissima! E as recordações que ficaram estão guardadas no bau das pedras preciosas.
beijinhos

Gina disse...

Ah, e a filha de cuca legal também não...rsrs!
Morei em Resende, pertinho de Penedo e fui lá conhecer a colônia finlandesa, os riachos gelados, ui! Não sou de frio e acabei vindo parar aqui, onde a temperatura chega a ficar abaixo de zero...
Também realizamos esse desejo de ter uma casa no campo, curtindo tudo que a terra podia nos oferecer. Que coisa maravilhosa, né?
Bjs.

Larissa disse...

Ái que lindo... E que romântico!!! Eu nunca imaginei que Penedo fosse tão bonito!!!
Ái seu blog é tão gostoso!!!
=)

saudade

Beijinhos

Luci Cardinelli disse...

Nossa, só de ler o título do post eu viajei... Vc viu meu post sobre Penedo? Amo aquele lugar viu? que bom tudo isso que vc viveu!

beijo grande!

Cris França disse...

Como eu gosto de te ler Glorinha! tens toda razão as coisas que vivemos, nossas lembranças, são nossos maiores tesouros, ninguém nos tira...Hoje é teu dia no meu canto, vejo que arrumour a casa para as visitas! que ficou linda! um beijo

Cucchiaio pieno disse...

Eu e Michele também sonhamos em um dia morar no campo e criar nossos futuros filhos - depois de ler teu relato a vontade aumentou - que delicia!
Bjos
Léia

Vicentina disse...

Glorinha menina, vc escreve muito bem, adoro te ler.
Belas recordações.
Bjs

Daniele Larri disse...

Que legal, vc conhece Penedo!!! Eu sou de Resende, e volto para lá no ano que vem (e no natal na casa da mamae...rsrsr)
Tmb passei a minha lua de mel em Penedo, lugar encantador...
bjs
Dani

G I L B E R T O disse...

Glorinha

que reminiscência adorável!

Ao mesmo tempo em que te lia, parecia que sentia nas narinas o gostoso cheiro de bolo quente saindo de forno e o forte gosto de café sendo coado no velho bule...

Voei contigo e teu texto para este lindo fragmento do passado!

Abraços, encantei-me!

Silvana disse...

Oi Glorinha!

Que testo maravilhoso menina!

Eu adorei Penmedo, onde estive há 4 anos com meu ex. Foi uma viagem linda que fizemos pelo interior do RJ: Teresópolis, Petrópolis, Nova Friburgo, Viconde de Mauá, muitas cidades do ciclo do café como Rio das Flores. E passamos por Penedo tb. Mas achei uma gracinha, não tinha essa sua visão anterior...

Mas se vc for a Campos do Jordão ficará cansada: na alta temporada tem um clima delicioso mas só tem gente esnobe desfilando moda... Um tédio menina!

Estava com saudades daqui, ler suas palavras me acalmam demais!

Beijooo

Amara e Rozani Pereira disse...

Oi Glorinha!
Eu ñ conheço Penedo mas sempre tive vontade de conhecer.Que lugar lindo, hein!Deve ter sido muito bom morar lá.Que linda a poesia.
Bjs, Rozani