domingo, 15 de novembro de 2009

Uma Estória de Família


Meu marido com meus filhos.


Hoje foi um dia de alegria aqui em casa, pois minha cunhada-irmã Ana, seu marido e minha sobrinha querida Aninha, passaram o dia conosco.
Ficamos conversando sobre o almoço de Natal que fazemos aqui em casa todo ano, no início de dezembro, pois como a família é grande e cada um tem seus compromissos, a gente nunca se encontra no Natal. Então, fazemos antes uma bagunça gostosa com sobrinhos, sobrinhos-netos, cunhados e cunhadas...E, para meu marido, é um dos dias mais felizes do ano.
Mas hoje, de repente, olhei meu marido e tive um choque ao ver como está envelhecido e cheio de rugas...seu olhar, ao mesmo tempo feliz por estar com a irmã, mostrava o cansaço de quem tem batalhado pela vida incansavelmente, sem nunca reclamar ou se apiedar de si mesmo...
Meu marido é o caçula de 3 irmãos, e era muito apegado à seus avós maternos, com quem chegou a morar por 1 ano. Amava a avó, como a uma segunda mãe...pois bem, aos 17 anos, seus pais foram levar os avós em casa. Quando estavam quase chegando, o pai perdeu o controle do carro, bateu num poste e os 4 morreram.
De uma só vez, ele perdeu, os pais e os avós. Isso, num dia 13 de dezembro, pertinho do Natal.
Meus 2 cunhados já estavam casados e ele ficou morando uma época com a irmã, depois com o irmão, até se casar comigo, eu aos 20 anos, ele, aos 25.
Conheço meu marido há 35 anos, quando o conheci, ele era católico praticante, depois foi se interessando pelo espiritismo, até que se converteu e hoje ele é kardecista e frequenta o Ramatis, um centro, de linha oriental.
Ele respeita meu ateísmo e eu, sua fé incondicional.
Nunca, em nossa vida juntos eu vi meu marido se desesperar ou maldizer a vida, ou até reclamar...ele sempre me diz: cada um tem o que merece. Ou então: nada nessa vida é por acaso.
Seja para os filhos, ou para mim, ele sempre tem uma palavra de consolo, um conselho, uma mensagem de apaziguamento...Está sempre pronto a ajudar quem quer que seja... Enquanto que eu sou a agitada, a impulsiva, a que fala tudo o que pensa, ele é aquele que pensa tudo o que fala...
Não estou dizendo que ele não tem defeitos...ele os tem, como todo mundo...aliás, acho que como todo mundo não, pois ele tem menos defeitos do que a maioria das pessoas.
Mas, ao olhar pra ele hoje, e perceber como envelheceu nesses últimos anos, como tem sofrido pra fazer a família feliz, os filhos se formarem, fiquei pensando em como a vida às vezes é injusta.
Se ele lesse esse texto me diria que não, que temos tudo, que só nos faltam bens materiais para vivermos com tranquilidade, que o resto nós temos sim...
Em parte ele tem razão, mas fico pensando como ele merece mais...agora que já nos encaminhamos pro terço final de nossas vidas, vejo o sacrifício que foi construir o que temos, o pouco que usufruímos e o tanto que ele trabalha.
Ele é o homem que eu amo, é o pai dos meus filhos, mas é também meu herói, meu super homem. O homem com quem divido meus problemas e minhas alegrias desde os meus 17 anos.
Se esse deus que ele crê, existe mesmo, peço que lhe dê a paz e a tranquilidade que ele merece, nesse resto de vida que nos falta....afinal, se há alguém que mereça Paz, esse alguém, é ele.
Como podem ver, todo mundo tem estórias, cada ser humano, carrega um mundo, pra uns, o fardo é mais leve, para outros, mais pesado...
Essa é uma parte da minha estorinha...qualquer dia, conto a outra...

Dedico esse post ao meu marido, com todo o meu amor e minha admiração.


15 comentários:

Fatima disse...

Oi Glorinha!
Seja bem vinda e fique a vontade!
Te convido para conhecer o meu outro blog: vivereafinaroinstrumento e o blog da Cris: Cantodecontarcontos.
Bjs

Ricardo Calmon disse...

Mas que belo e incandescente post,minha amada amiga,quase irmã,em tributo ao companheiro teu,especial pessoa!Como comentastes que amado seu cultua Ramathis (na José Higino Tijuca?)ofereço a ele ,depoimento esse,de um ateu chiita quasemGraças a Deus!rsrsrs!

Meu pai,medico de renome,além de pessoa pública política,internado estava,pela última vez,durante quinze dias,monitorado totalmente,por aparelhos,pois não mais viver queria snif,em claro,madrugadas todas ficava,de pé,mãos dadas com ele:nessa penúltima noite de vida dele,abordadop fui,por uma senhora quie adentrou o quarto,cerca de um metro e sessenta,claros e azulados olhos,cabelos curtos e brancos,simplemente vestida,licença pediu,as mãos de pai meu olhou, e disse,estão rosadas ainda,a cianose ainda não chegou,mas,,,não tarda:venha comigo,em n ome de Deus,e me ajude por favor,célere,de dadas mãos fomos ao quarto que ela entrou,um senhor,com pancreatite aguda,ooperado tinha sido,mas os drenos cirurugiocos,vazios estavam,ela explkicando,me deu um livreto de Ramathis orações,pediu para amão direita pousar,e após ,no curativo cirurugico,as enfermeiras tres,em volta nossa,só olhavam incrédulas,após o toque em abdomen seu,e a oração terminada,ela pousou as mãos nas minhas ,agradeceu abriu a porta e disse,vá de seu pai cuidar,amanhã ele partirá,com Deus no coração,Ramathis o acompanhará!Dito e feito,sete da manhã,pai meu olhou para po respiradormde verde intensa corm e simplesmente,aquela parafernalia,desmontou,ele,azul cianótico morreu,sorrindo,com a mão direita para o alto!Snif,aocom corpo de pai meu descer,abordado fui por enfermeiras da noite anterior,que me levaram ao quarto do paciente,o chão estva com poçã de pus ,transbordando dos vasilhames de expurgo,o paciente sorrindo,e aos prantos me agradecia,imediatamente tentei explicar que não fora eu,mas sim a acompanhante dele,elas nada falaram,desvencilhar consegui delas,e providenciar o enterro de pai meu fui!uma senmana após,para o Templo Ramathis liguei,diosse o nome da senhora, e o tituklar de templo esse,que programa de rádio tem disse,realmente ela´foi neófita e após mestra aqui,mas....faleceu há tres anos!........,,,,

em nome de meus filhos e o amopr que tenho a minha esposa,que verdade toda acabei de te narrar!
Para Esposo teu ofereço!

VIVA VIDA!

Lourdes Fiedler disse...

Glorinha, de tudo que eu li, só posso dizer que é lindo o respeito e admiração que um tem pelo outro.
Um abraço.

Gina disse...

Glorinha, já passei dos cinquenta. Volta e meia também fico reparando no meu marido e na minha própria aparência. Às vezes nos acho jovens, outras, envelhecidos e bate uma sensação estranha pelo tempo ter passado tão depressa.
Cada um tem seus dramas e alegrias, mas, ao fazer um balanço, se o saldo é positivo, dá tranquilidade e um prazer de viver e crescer espiritualmente.
Achei muito linda sua homenagem ao marido.
Bjs.

Vicentina disse...

Glorinha que linda família, e que belas palavras dedicadas ao seu marido, é muito bom saber as historias dos outros, assim vemos que na vida todos tem suas dificuldades, seus problemas, suas partes boas e as ruins.
Pode ter certesa seu marido é muito feliz só de ter esta família maravilhosa, filhos lindos esposa dedicada que mais alguém pode querer na vida? O resto é como ele diz "cada um tem aquilo que tem que ter", eu tbm penso como ele, e isto ajuda muito a gente.
Bjs e boa semana

Misturação - Ana Karla Tenório disse...

Ah, Glorinha que beleza de amorrr.
Vou no meu 11º ano de casamento e amo muito meu marido e quero por resto da vida declarar esse amor prá ele, assim como você.
Me identifiquei um pouco aqui, pois meu marido nunca reclama de nada. Absolutamente nada e trabalha muito prá nos fazer feliz. Poxa, as vezes eu sou um pouco egoísta e nem reparo como ele realmente está.

Xerosss

welze disse...

você é amada por mim, e é muito fácil amar você. Cada dia sei mais porque. Deus, o meu Deus, e aquilo que você tem no coração de sentimento parecido com minha religião, o seu afeto, seu amor, sua batalha, seu trabalho, tudo enfim, que também possa chamar de religião, pois religião, é uma religação, e a gente tem ligações, então peço ao meu Deus, e a sua religação que te abençoem, a você, seus filhos lindos e a seu bonitão, que como o meu, é o nosso porto seguro. Fiquem em paz

Reino da Fantasia disse...

Garota,seu texto me fez refletir e chorar.Às vezes me entristeço porque perdi meu marido aos 32 anos,depois meus pais,avós,irmãos e uma filha com 29 anos.Mas Deus me permitiu respirar entre uma e outra perda.Mas seu marido hein?!Deus abençoe vocês;e te digo: se ele se diz feliz é porque é mesmo!Você não se casou com um homem mas com um santo! bjs.

Bordados e Retalhos disse...

Glorinha, linda a sua família. Que história !Depois entrarei em contasto com vc via e-mail. Bjs

manuel marques disse...

A verdadeira felicidade está na própria casa, entre as alegrias da família ..,


Abraço para si e para os seus.

Cris França disse...

Ai chorei....rs
sou uma chorona mesmo Glorinha, chorei porque mais do palavras a gente é feito de sentimos,
choreio porque não te leio com os olhos, leio com o coração, chorei pela perda, chorei de alegria pelo amor que reencontra, quiça, todas as pessoas do mundo possam ter alguém que as ame assim, de forma tão simples e tão bonita.
Parabéns! beijos

Silvana disse...

Oi querida!

Que bela homenagem! A vida lhe deu muitas desventuras, mas a presenteou com um homem maravilhoso e companheiro, com filhos lindos e saudáveis.

Mas eu sei que se sua vida é boa ao lado dele, parte desse mérito é seu. Vc deve ser uma companheira fantástica, aquela com quem ele sempre poderá contar. Isso a faz tb uma mulher especial que só poderia mesmo estar ao lado desse homem incrível.

Não sei se acredito em Deus ou não, tenho muitas d[uvidas. Muotas vezes acho que não, que não pode haver um deus num mundo de tantas injustiças.

Nouitras vezes, em casos como seu, me pego a crer que somente deus uniria duas pessoas tão especiais e com tantos problemas como vcs. Que mesmo tendo tantas perdas como voces tiveram, souberam reconstruir uma vida. Mesmo só tendo aprendido subtrações com golpes que levaram, souberam aprender a somar...

Desejo-lhes toda a felicidade do mundo, muita saúde e muit sorte!

Um abraço apertado ao maridão!

E pra vc aquele

Beijoooo

Cucchiaio pieno disse...

Querida Glorinha, chorei ao ler teu post! Teu marido realmente é de ouro, depois de tantas perdas ele continuo a vida com dignidade e alegria. O kardecismo é relmente uma religiao maravilhosa e com certeza o ajudou muito a compreender a perda dos pais e avos. De^ o meu abraço e admiraçao a ele.
Abraços fraternais
Léia

Rosa Araújo disse...

Glorinha,
Linda a sua homenagem ao seu marido!
Identifiquei-me imenso com o que escreveu...
O meu companheiro de jornada tb é assim, passou por muito em criança e adolescente,mas nunca lhe falta a boa disposiçao.Faz tudo para que não nos falte nada,nunca reclama de nada e ainda me trata como a uma princesa...
Do que é que podemos reclamar, não é?!
Eu tb penso como o seu marido "nada nesta vida é por acaso" ;)
1 grande beijinho e continuem assim...amando e vivendo cada momento intensamente. É isso a felicidade!

gabrielleao disse...

po, mãe ta virando rotina ler os posts da nossa família e chorar!
te amo!