quinta-feira, 13 de maio de 2010

A Escravidão e As Cotas


Hoje, na data em que se comemora a Abolição da Escravatura no Brasil, vi no blog da minha amiga Beth/Lilás a tela da qual ela fala no post de hoje, e quero aproveitar para falar justamente sobre esse assunto...Por coincidência, reli, anteontem, o conto Negrinha, de Monteiro Lobato, pois estou lendo e relendo o livro Os Cem Melhores Contos Brasileiros Do Século, selecionados por Ítalo Moriconi...O conto trata a forma cruel, sádica e extremamente realista como uma criança negra é tratada pela " misericordiosa" senhora, muito católica e fervorosa...É repulsiva a maneira como essa dita "senhora" trata a pobre órfã....e, infelizmente, extremamente atual ao me fazer lembrar o caso dessa monstra, promotora foragida da justiça que maltratava, espancava e quase matou uma criança de 2 anos, que pretendia adotar...

Não quero polemizar nem criar discórdias....isso que vou escrever aqui é somente minha opinião sobre o assunto. Não sou a dona da verdade, sou apenas dona da minha opinião...opinião essa que tem bases científicas...não inventei uma teoria louca e passei a acreditar nela...leio, me informo e aí sim, digo o que penso.

A escravidão no Brasil é motivo de vergonha, pelo fato execrável em si e também, por nosso país ter sido o último a libertar seus escravos...Isso é inegável. A escravidão, aliás. é uma vergonha, como o holocausto, uma vergonha que não deve ser esquecida jamais.
Mas, gostaria de falar sobre a questão das cotas raciais  que vem sendo tão discutidas, polemizadas e questionadas...Agora, a Universidade Federal do Rio de Janeiro está discutindo se implementa ou não a política de cotas para se ingressar na universidade.
Eu não concordo com o sistema de cotas e vou dizer porque:
* Primeiro, o ensino de base é que tem que ser melhorado, dando professores capacitados e escolas públicas de qualidade para todos.
* Segundo, a questão racial para mim, é um assunto extremamente questionável tendo em vista que não existe raça...a ciência já demonstrou através de inúmeros estudos que todos os seres da espécie humana tem, no seu dna, sangue negro, índio e judeu...alguns com uma percentagem maior de um ou de outro...Raça pura não existe..isso é coisa para neonazistas...Querer levantar a bandeira da questão racial, imitando o que os EUA por exemplo, fazem, é querer que o racismo exista e se firme...Não nego que haja racismo no Brasil, mas há por completa ignorância de quem o tem...Há algum tempo atrás fizeram uma pesquisa com várias personalidades famosas que tiveram seu sangue coletado e analisado...Um exemplo foi a atriz Taís Araújo, uma linda e aparentemente negra e jovem mulher que tem em seu dna uma percentagem maior de sangue europeu do que africano...e uma outra pessoa, de quem não me lembro agora, loura, tinha sangue africano em maior proporção do que europeu....E é aí que quero chegar....todos temos a mistura de raças que formaram a humanidade de hoje. No Brasil então nem se fala...fulano se diz "moreninho" mas é negro, na cor da pele, sicrana se diz parda, mas é filha ou neta de negros, outra fulana se acha branca, mas é neta de negros, filha de mulata...lembram-se do Ronaldo Fenômeno? Quando perguntado, respondeu: sou branco. O brasileiro não se reconhece na sua cor ou origem familiar...justamente por essa mistura enorme que se deu entre portugueses, muitos deles judeus de origem, negros, índios...
Acho que dizer que fulano é afro descendente porque isso é politicamente correto, pra mim soa justamente ao contrário do que querem que pareça...estão discriminando a cor de sua pele...um branco cor de leite pode ser afro descendente sem o saber e provavelmente, também o é...
Os americanos tem essa cultura de separar as pessoas pela cor da pele e/ou origem...hispânicos, afro etc...E agora por aqui, acharam de querer fazer isso também...
Eu não concordo com isso de jeito nenhum...isso só separa ainda mais as pessoas, como se elas tivessem que ter etiquetas de acordo com sua origem ou cor...isso sim é discriminação para mim...só se resolverá os problemas de ensino ou diferenças sócio culturais no dia em que, como na Coréia, se der um ensino público de qualidade, onde a criança com menor poder aquisitivo, independente da cor que conste em sua certidão de nascimento, tiver a mesma chance de entrar numa universidade do que a criança abastada...
No dia em que compreenderem que oportunidades iguais começam no jardim de infância, onde todas as classes sociais terão acesso idêntico à elas, todas essas discussões inúteis e até nocivas cairão por terra....O mérito de uma pessoa sairá vencendo e não a sua aparência física, sua classe social ou sua cor...
Porque no final, somos todos uma só raça: a raça humana!

20 comentários:

manuel marques disse...

É no problema da educação que assenta o grande segredo do aperfeiçoamento da humanidade .Excelente o seu texto.

Beijo.

Glorinha L de Lion disse...

É verdade amigo Manuel o problema e sua solução estão na educação. Obrigada pelo elogio! bj.

Beth/Lilás disse...

Eu já ia me embora pra serra, mas me detive um pouco só para deixar meu comentário sobre o asunto que, aliás, está muito bem escrito e lúcido.
Concordo contigo com relação às cotas, não acho coerência em dar de graça e sim, como na fábula; dar o anzol para se pescar. No caso, o anzol seria a educação de base, ensino para todos e de alta qualidade, assim não precisaríamos chegar às portas da Universidade 'ganhando' benesses de governo que tenta dar uma de socialista, mas que no fundo quer só arrebanhar votos dos mais necessitados.
Excelente texto web-mana, você manda bem pra caramba!
beijinhos cariocas

welze disse...

hablar nom hablo, mas entiendo que é uma maravilha. Não morreria de fome ou ficaria perdida em terra espanholas. Beijos.

Lu Souza Brito disse...

O que falta é educação de qualidade Glorinha. Aí está a base de tudo. Também não acho certo as cotas e nem do termo afro descendente, mesmo sendo filha de um negão azulado, uma branca cor de leite, neta de uma portuguesa com um índio.
Polemico o tema mais "muito bem explicadinho" aqui por você. Concordo integralmente com você.

Suzanna disse...

Olá Glorinha, vim tomar um café,e comentar...você me parece tambem mora no "paraiso" ou muito perto dele não é?Caras douradas por perto que luxo!!!Para pouco,muito poucos.
Pois é querida, enquanto não entenderem que as diferenças existem só aparentemente, e que é muito mais fácil educar do que reeducar, estaremos a mercê de todo tipo de loucura, desmandos e sei lá mais oq.
Amo este país, mas as vezes tenho vontade de viver em outro lugar, onde a educçaõ seja realmente colocada em primeiro lugar, a base de tudo.
Mas um povo bem educado, também VOTA BEM , NÃO É? SERÁ QUE EXISTE ALGUMA RELAÇÃO( &###%%) nisso? BRRRrrrrRRRRRrRRRR ...
Quanto a Hera você sabia que é simbolo da Fidelidade ?
Bjokas Glorinha e até
Su

cantinho she disse...

Glorinhaaaaaaaaaaaaa eu simplesmente amei! Tem que mudar a base, td começa na base sempre! Bjo, bjo!

Em busca de mim disse...

Glorinha, sou negra e lutei muito para chegar onde cheguei, concordo com muita coisa do que você disse, de fato sempre me incomodou que os censos, formulários etc... queiram classificar a cor da pele de uma pessoa, sinalizando as diferenças...Só quem tem a pele negra azul sabe, sabe não, sente que esse país tem um débito histórico com os negros, mas as cotas não diminuiria esse débito.
Acho que as cotas deve ser para quem tem menos poder aquisitivo, independente da cor da pele,para que se comece uma distribuição de renda mais justa, onde todos tenham acesso a educação.

Tais Luso disse...

Oi, Glorinha, também sempre pensei que estas cotas servem para diferençar mais a condição sócio-econômica e a cor da pele. Que comecem na base, que dêem oportunidade e educação.
Mas o que dizer mais aqui, se seu texto está tão bem escrito? Você já disse tudo, só tenho de assinar embaixo.

Eta país...
Um grande beijo
Tais Luso

Glorinha L de Lion disse...

Beth, obrigada, vc é minha web mana mesmo! sempre me dando força! bjs

Welze, queridona, vc é uma figuraça! hehe gostei! beijos.

Lu, como é bom ter amigas inteligentes e que compreendem o que eu digo...isso é bom demais...e te admiro por ser orgulhosa de quem é...como aliás, todos deveríamos ser...grande beijo

Nossa Suzanna, quantas coisas num só comentário...é, moro num paraíso...por enquanto...quanto à educação de base, é isso mesmo, tem que ter qualidade desde o ensino básico...e tb concordo, tem que saber votar e nós. ainda não sabemos nem votar, nem exigir honestidade e cobrar o que prometem em campanha...e só a educação do povo vai nos salvar de tanta coisa errada. beijos.

She, obrigada linda! Beijo


Em busca de mim, imagino quanto deve sofrer quem é discriminado pela cor de sua pele! e isso acontece mesmo, sei disso. Mas por ignorância pura, pois preconceito, qq um que seja, é ignorância, no meu entender...somos todos, como disse, irmãos em humanidade...nossas origens são as mesmas, e por mais que digam que no Brasil não existe preconceito de cor, existe sim...Mas só educação de qualidade e sem preconceitos poderá mudar essa visão de muitos e o futuro do pais como nação de iguais. Grande beijo!

Tais, obrigada por seu comentário, beijinho.

Nilce disse...

Amei, Glorinha.

Sempre fui contra essa coisa de cotas para diferenciar raças. Faça-me o favor! E o conhecimento onde fica? A discriminação é isso, é diferenciar as pessoas pela cor, pela classe social. E o nosso querido presidente então, agora que vai se aposentar com "aquele" salário gordo, pobre nunca mais, porque metalúrgico nunca foi.
Não às cotas! Sim, ao conhecimento e ao reconhecimento!

Bjs no coração!

Nilce

Lidia Ferreira disse...

You're simply the Best
Começou a brincadeira
Começou a enquete, avise seus amigos (as), faça uma postagem direcionada para o Blog http://simplythebest01.blogspot.com ,e peça seu voto , não deixe de participar , pois os outros concorrentes farão a mesma coisa e assim alem de divulgar seu Blog você terá oportunidade de conhecer outros ,
O Blog The Best fez um selo especial para ajuda-lo , va pegar o seu
Boa sorte !

Taia Assunção disse...

Puxa Glorinha, esse é um tema delicado. Concordo que fortalecer a base é o caminho, mas esse é longo e talvez demore demais a chegar para aqueles que tem urgência. Não podemos negar o fato de termos uma dívida com os índios e com os negros. E infelizmente são eles em sua grande maioria que pertencem às classes menos favorecidas no Brasil. Sendo assim, acredito que as cotas sejam um paliativo válido para o momento. É uma forma de inserir no contexto do ensino superior pessoas que talvez não tivessem outro modo de chegar até os bancos da faculdade. Quando finalmente tivermos uma base sólida e comprometida com todos os brasileirinhos aí sim poderemos abrir mão desse recurso de inserção nas universidades brasileiras. Beijocas e bom final de semana!

Fatima disse...

Oi Glorinha,
existe preconceito racial no Brasil sim e como em qualquer lugar do mundo não esta ligado simplesmente a ignorância( falta de conhecimento) e sim a superioridade que um homem julga ter sobre outro. O passado de escravidão aniquila muito a autoestima dos negros que todos os dias ao sairem de casa tem que se lembrar que são negros e que podem ser parados por qualquer motivo na rua e serem julgados como ladrões ou suspeitos. Toda criança negra sabe que é diferente das outras. Quando ela chega na escola ou na rua para brincar sabe que quando sair alguma briguinha a primeira coisa que vão lhe jogar na cara como sendo marca da sua inferioridade é a cor da sua pele ou a diferença de seu cabelo.
Estudo ha muito tempo a questão do racismo na nossa sociedade e já vi coisas que estão longe de serem aceiras por seres que se julgam humanos. Trabalho a questão da negritude em escolas da educação infantil até o ensino médio e o superior e o suspirar profundamente de um meninino de seis anos quando começamos a falar do assunto é o mesmo de um estudante de direito na aula sobre etica e direitos humanos.
Concordo sobre a educação, base de tudo, por isso ainda trabalho nesta área, porém ser negro no Brasil ou em qualquer parte do mundo (pq não existe preconceito melhor ou pior)é uma luta constante.
Experimete sair de carro com um amigo negro(a) no volante de um carro considerado de luxo. Vc vai ver que somos parados em todas as blitz e olhados com desconfiança.
Mesmo assim as coisas tem mudado e por mérito de muito luta minha amiga, nada vem de graça. Tenho muita alegria de ver que hoje meus alunos negros e não-negros, amigos e parte da sociedade estão muito mais participativos na questão da quebra de preconceitos que impeçam qualquer pessoa de ir e vir.
Pq não falei do treze de maio no meu blog:
Sempre faço post sobre o 20 de novembro, na minha opinião é uma data mais representativa para o povo negro.
Vários históriados se impenham em reescrever o treze de maio abordando temas que ficaram fora da história oficial pq como eu já falei nada foi de graça para nós.
Para finalizar, como sei que vc gosta de uma boa leitura como eu, te indico o texto do professor Milton Santos "Ser negro no Brasil hoje" que pode ser encontrado nesse endereço: www.antroposmoderno.com/antro-articulo.php?
Desculpe o comentário tão logo mais como vc gosto de deixar bem claro minha opinião.
Bjs querida.

Fátima disse...

Olá amiga,
pertinente seu texto, rico em verdades o que é lamentável.
Nosso país coleciona vergonhas com fatos que gostaríamos de poder apagar, não é!
Sou contra o "pré conceito" em qualquer situação, não só referente à cor da pele ou origem.

Quanto aos novos habitantes do seu quintal, que delícia receber esses bichinhos, é um privilégio nesse mundo de concreto em que vivemos.

Espero com fervor poder participar da blogagem "branca" com o coração aliviado e totalmente em paz, coisa que não estou tendo ultimamente.

Agradeço seu carinho, confesso que estou mesmo precisando de afagos.

Beijo carinhoso.

Glorinha L de Lion disse...

Nilce, obrigada por dar sua opinião, te agradeço o carinho. bjs

Taia, realmente é uma questão delicada, é sempre bom ouvir outras opiniões, obrigada por contribuir. Beijos.

Fatima querida amiga, sei de sua luta e concordo em parte com vc...não deve ser fácil ter a pele negra aqui ou em qq outro país onde exista preconceito, mas sei tb de sua contribuição para mudar isso, conscientizando e dando auto estima a quem precisa dela, mas ainda acho que qq preconceito é fruto da ignorância, até quando alguém se acha superior a outro pela cor de sua pele, assim como tb o é quem tem preconceito quanto aos gays ou ao que é diferente. Te respeito demais e aos valores que vc transmite. Grande beijo.

Fatima querida, sinta-se afagada então...estou daqui torcendo pra tudo dar certo, tá? Tomara que possa estar conosco segunda feira, no dia branco. Saúde e Paz! Beijos.

Eduardo disse...

Ola Glorinha, estou visitando por conta de nossa amiga comum Beth. Gostei muito dos temas e da exposicao deles. Concordo com tudo o que voce escreveu. Meus comentarios as vezes podem ser polemicos porem fica a seu criterio publica-los, nao eh? de qualquer forma agradeco a atencao.
Aqui vai, acrescentando ao que voce ja escreveu:

A questao da escravidao dos negros continua surpreendendo devido a quantidade de deisnformacao, e decisoes completamente erradas como consequencia. Vou mencionar algumas muito por alto:
1) todos os escravos, proprietarios e traficantes ja estao mortos ha muito tempo. Nao existe nenhum responsavel vivo a quem as pessoas possam canalizar sua raiva ou exigir punicoes. Hoje todos sao iguais e tem os mesmos direitos.
2) A humanidade tem uma historia de escravidao de mais de mil anos, sendo que quase a totalidade constituida de escravos brancos. A escravidao de negros teve sua origem pelos negros que guerreavam entre si e vendiam os prisioneiros para os brancos. Alem disso durou muito pouco.
3) analisando nao com a mentalidade de hoje, mas com a da epoca, um escravo era uma propriedade que custava caro, portanto tratar mal significava risco de perder a mercadoria e ter prejuizo. Existe muito folclore em relacao a crueldades praticadas; de qualquer maneira no Brasil foi muito mais amena que em outras partes da America
4) Discriminacao sempre tem alguma razao por detras, sendo a mais forte e razoavel o desnivel social e de comportamento, e a mais ridicula aquela transmitida por tradicao sem uma razao plausivel. Hoje nao tem sentido discriminar pela cor, mas quanto ao social isso sempre existira. Esta solidamente comprovado que a raca humana descende de ancestrais que tiveram sua origem na Africa e eram ou de cor preta ou no maximo marrom escuro. Todos tem exatamente o mesmo DNA. As diferencas nos genes vieram depois por mutacoes.
5) a ideia de quotas surgiu nos USA porque naquela epoca os negros nao podiam frequentar a maioria das escolas por causa da cor independente de seus meritos. Hoje nao tem mais sentido. Criar essa ideia no Brasil onde qualquer um pode frequentar qualquer escola, dependendo apenas de seu preparo, eh no minimo uma grande estupidez, falta de visao e total ignorancia, exceto o nojento interesse eleitoreiro; sem falar que vai criar discriminacao racial:
5a) Se o meu filho cor de abobora com listas pretas, todo preparado, vai perder uma vaga para um verde que nao tem qualquer preparo, alem de ser verde, eu, meu filho e meus amigos cor de abobora vamos passar a discriminar todos os verdes.
5b) Um jovem verde que entra numa escola por ser verde mesmo nao tendo preparo minimo par cursa-la, ou nao consegue se formar ou sai um profissional mediocre que precisa ser evitado. Vamos passar a discriminar todos os profissionais verdes, azuis e roxos que estejam incluidos no sistema de quotas.
6) A solucao eh mais escolas pagas pelo governo que possam acomodar as necessidades de todos os brasileiros, porem com qualidade que precisa vir desde o primario. Para isso o governo precisa deixar de roubar apenas um pouquinho; nao eh pedir muito.

Um abraco
Eduardo (Shrek)

Glorinha L de Lion disse...

Oi Eduardo, seja benvindo ao meu blog...contar com gente inteligente e articulada é um prazer pra mim...nem imagina quanto! Concordo em parte com vc mas em outras coisas, não tenho conhecimento histórico suficiente para responder, mas agradeço sua contribuição e visão dessa questão tão polêmica. Grande abraço.

orvalho do ceu disse...

Olá, minha querida
Esse Tema por si só já é polêmico...
Vc aborda algumas questões importantes e temos outras tantas... que nem caberiam num post,né?
A ESCRAVIDÃO pior,no meu modo de sentir, é não ser dono de nós mesmos...
Sem liberdade interior, por exemplo, a gente roda no próprio umbigo...
Que tenhamos força de reagir às injustiças pessoais e sociais... bem como outras... que nos rodeiam...
Fique na mais perfeita harmonia, querida!
Bjs

Glorinha L de Lion disse...

OI Rosélia, realmente, vc tem razão, quem não é dono de suas ideias, seus pensamentos é escravo de si mesmo...mas esse é outro tipo de escravidão...obrigada por contribuir com o tema, beijos querida!