domingo, 16 de maio de 2010

Intolerância...



Recebi esse email ontem de minha amiga Mariana...ela disse que na hora em que o leu, lembrou de mim...Olhem só como as religiões podem embotar as ideias, o discernimento e o livre pensar.
Não sei onde saiu isso, se em algum jornal ou revista. Recebi assim e vou transcrever exatamente como recebi...Meu modo de pensar, todos já conhecem e quem não sabe ainda, digo agora: Sou  ATÉIA...assim mesmo com maiúsculas para ver se quem ainda acha que pode me converter se convence de uma vez que fé é uma questão de isenção de racionalidade e não me encaixo nesse perfil. Espero ser respeitada nesse aspecto, para que eu não seja obrigada a ser ríspida ou grosseira.
Aqui está o texto:



O texto mais lúcido que li sobre o episódio envolvendo os jogadores do Santos numa visita ao Lar Espírita Mensageiros da Luz, que cuida de crianças com deficiência cerebral, para entregar-lhes ovos de Páscoa. Uma parte dos atletas, entre eles, Robinho, Neymar, Ganso e Fabio Costa, se recusou a entrar na entidade e preferiu ficar dentro do ônibus do clube, sob a alegação que são evangélicos.


Reflexão para a paz
Os meninos da Vila pisaram na bola. Mas prefiro sair em sua defesa.
Eles não erraram sozinhos. Fizeram a cabeça deles. O mundo religioso é
mestre em fazer a cabeça dos outros. Por isso cada vez mais me
convenço que o Cristianismo implica a superação da religião, e cada
vez mais me dedico a pensar nas categorias da espiritualidade, em
detrimento das categorias da religião.

A religião está baseada nos ritos, dogmas e credos, tabus e códigos
morais de cada tradição de fé. A espiritualidade está fundamentada nos
conteúdos universais de todas e cada uma das tradições de fé.

Quando você começa a discutir quem vai para céu e quem vai para o
inferno, ou se Deus é a favor ou contra à prática do homossexualismo,
ou mesmo se você tem que subir uma escada de joelhos ou dar o dízimo
na igreja para alcançar o favor de Deus, você está discutindo
religião. Quando você começa a discutir se o correto é a reencarnação
ou a ressurreição, a teoria de Darwin ou a narrativa do Gênesis, e se
o livro certo é a Bíblia ou o Corão, você está discutindo religião.
Quando você fica perguntando se a instituição social é espírita
kardecista, evangélica, ou católica, você está discutindo religião.

O problema é que toda vez que você discute religião você afasta as
pessoas umas das outras, promove o sectarismo e a intolerância. A
religião coloca de um lado os adoradores de Allá, de outro os
adoradores de Yahweh, e de outro os adoradores de Jesus. Isso sem
falar nos adoradores de Shiva, de Krishna e devotos do Buda, e por aí
vai. E cada grupo de adoradores deseja a extinção dos outros, ou pela
conversão à sua religião, o que faz com que os outros deixam de
existir enquanto outros e se tornem iguais a nós, ou pelo extermínio
através do assassinato em nome de Deus, ou melhor, em nome de um deus,
com d minúsculo, isto é, um ídolo que pretende se passar por Deus.

Mas quando você concentra sua atenção e ação, sua práxis, em valores
como reconciliação, perdão, misericórdia, compaixão, solidariedade,
amor e caridade, você está no horizonte da espiritualidade, comum a
todas as tradições religiosas. E quando você está com o coração cheio
de espiritualidade, e não de religião, você promove a justiça e a paz.
Os valores espirituais agregam pessoas, aproxima os diferentes, faz
com que os discordantes no mundo das crenças se dêem as mãos no mundo
da busca de superação do sofrimento humano, que a todos nós humilha e
iguala, independentemente de raça, gênero, e inclusive religião.

Em síntese, quando você vive no mundo da religião, você fica no
ônibus. Quando você vive no mundo da espiritualidade que a sua
religião ensina 
– ou pelo menos deveria ensinar, você desce do ônibus
e dá um ovo de páscoa para uma criança que sofre a tragédia e miséria
de uma paralisia mental.

Ed René Kivitz, cristão, pastor evangélico, e santista desde pequenininho

Tive uma grata surpresa com a exposição e posição desse pastor René.
Uma luz no meio da ignorância e da falta de ideias próprias, de pensamentos livres de amarras que permeiam o meio religioso, seja ele católico ou evangélico...
São esses jogadores, esses mesmos, que usam camisas onde se lê: Atletas de Cristo e apontam o dedo para o céu, a cada gol que fazem, como se o deus deles torcesse para o time de futebol onde eles jogam....Caridade? Amor ao Próximo? Isso esqueceram de lhes ensinar.
Depois dessa, um bom domingo, se for possível!



30 comentários:

Mila Viegas disse...

O pastor René soube se colocar perfeitamente em relação a este assunto e eu concordo em gênero, número e grau!

beijocas

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Acho isso tão chato... religião, cada um tem a sua. Cada um que acredite no que acha que deve acreditar. E se acha que não deve acreditar em nada, quem tem o direito de dizer alguma coisa? Cada um que sabe o que é melhor para sua vida.

Esse episódio foi medonho. Crianças deixadas de lado por razões filosóficas. A ignorância me amedronta, fico eu pensando em que mundo vivemos.

Não sou ateu, mas já tive problemas com parentes evangélicos que não vem a minha casa, pq aqui seria um "lar impuro", pq não tem Jesus, etc.

Uma das vantagens de morar no Japão é que o estado é verdadeiramente laico. é PROIBIDO programa religioso via tv ou rádio e panfletagem religiosa. Muitos brasileiros já tiveram q conversar na delegacia por estarem pregando em local público por aqui.

As coisas evoluem tanto. Mas o ser humano ainda não consegue nem respeitar a liberdade do outro...fazer o que...

Lamentável

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Ah, eu de novo nesse post.
Tenho uma coluna no jornal impresso em português aqui no Japão.
O tema era sobre uma boneca, que na verdade é um espantalho... e acabou fazendo mal a uma criança brasileira.
Pronto, recebi um monte de mensagens dizendo que a boneca era enfeitiçada, que a mãe não aceitou Jesus, etc. Complicado... complicado...

boa semana

Tati Pastorello disse...

Aplausos, Glorinha! Muitos aplausos!! Eu não me sinto atéia. Na verdade sou uma mulher de muita fé, mas minha fé não está voltada para uma religião, pelo menos tento fugir disso. Gosto do trabalho, das oportunidades, mas não me encaixo em rótulos. Questiono demais para isso... Quero te pedir permissão para copiar o texto, quero enviar por e-mail! Nota 10!
Beijos e até amanhã.

Manuela Freitas disse...

Querida Glorinha,
Óptimo, eu penso exactamente isso e está tudo dito.
O fanatismo tira a capacidade de pensar e afasta as pessoas e, mais não digo, porque efectivamente o cerne da questão está muito bem esplanado.
Beijinhos «pimentinha», já está mais calma?
Manú
No meu post está mesmo a minha irmã.

Eliane disse...

Oi bom domingo li seu texto e fiquei a pensar: quem somos nos pra julgar a religião dos outros . Se os jogadores agiram dessa forma, mandaram por agua a baixo os ideais de solidariedade que todas as religiões pregam. Nessa hora mais vale ser ateu então.
Quanto a vc seja atéia e continue a escrever esses textos lindos.(Sorrindo) Eu jurava que vc tinha religião, mas se não tem talves seja melhor assim. Gosto mais de vc agora. Um beijo e boa semana.

manuel marques disse...

A intolerância irracional de muitos escusa, ou justifica a hipocrisia ...

Beijo

Blog do Beagle disse...

Adorei esse post. Elucidativo e profundo. Bj. Elza

Graça Pereira disse...

Glorinha
Eu acho tão curioso...costumo dizer que nada acontece por acaso...Imagina que decidi passar por aqui para tomar um café e comer uma fatia de bolo (desse gostoso que tu fazes...) e o que eu encontro: assunto sobre religião ou pseudo religião...não me encaixo também aqui. A minha religião (gosto mais de dizer, a minha fé ) é de outro quadrante, por isso não vou falar em nada porque te respeito quero antes saber como tens passado e quando é que acaba o "arco-íris"... Vais-te rir...tenho uma proposta para o mês de Junho que aqui em Portugal, é o mês das festas e claro que vou contar com a tua adesão...Não, não vou leventar ainda o véu...
Bebemos o café, senão fica frio e sem gosto...
Beijocas
Graça

Teresinha Ferreira disse...

Oi Glorinha,
Obrigada pelo comentário da blogagem coletiva. Até queria me explicar, pois sempre coloco o post aos domingos. É que na segunda é sempre uma correria...
Você sempre com temas interessantes no seu blog. Valeu...Ah!! Aqueles anjossss. Ai ai ai.rs...
Boa semana,
Bjs mil

Macá disse...

Glorinha
Quando lí essa notícia no jornal, pensei comigo: o que essas crianças têm a ver com o fato deles serem evangélicos, e o que tem demais em mostrar um pouco de solidariedade com essas crianças que estavam esperando por eles e tiveram tamanha decepção?
Bem, mas hoje estou aqui para tratar de outro assunto. Você pode entrar em contato comigo? Me envie um e-mail, e assim eu respondo com alguns tópicos sobre edição de livro que quero passar pra você.
abs

Eduardo disse...

Glorinha, voce eh o maximo. Pelo que vejo pensamos igual.Voce vai “adorar” (desculpe a palavra) o livro do cientista Richard Dawkings: The God Delusion (publicado em portugues como “Deus um delirio”). Recomendo tambem a todos os religiosos que nao sejam fanaticos e que desejam avaliar as razoes e questionamentos feitos sem emocao ou tendencias e com base em argumentos solidos a respeito da nao existencia de um Deus. Nao um Deus masculino e humano preocupado com este planeta, mas algo que se possa chamar de Deus completamente fora de nossa compreensao. Nada impede uma pessoa religiosa aberta a informacao de “ouvir” outras ideias; isso aumenta a bagagem de conhecimento que permite tirar conclusoes sobre temas importantes. A religiao tem seus meritos porem o grande problema eh a intolerancia em relacao a todos os demais e insistencia em crencas ultrapassadas que acabam prejudicando os fieis e criando sentimentos de culpa absurdos. Tenho amigos de varias crencas: candonble, espiritismo, testemunhas de Jeova, batistas, catolicos, vitimas do Macedo, episcopais, anglicanos, muculmanos, indus e judeus, entre outros e naturalmente livre pensadores (melhor designacao para ateus, cujo significado nao eh compreendido por religiosos). Tambem fui a varios cultos dessas religioes para poder falar com conhecimento de causa. Minha conclusao eh que a religiao eh importante para os que precisam de uma crenca para lidar com a morte, porem pagam um alto preco se se deixam influenciar e ficam proibidos de exercer a razao, fazer questionamentos e de se informar em assuntos “fora da religiao”. Penso em fazer um post sobre esse assunto.
Um abraco
Shrek

Lili disse...

Glorinha, tem presente pra vc no meu blog.
Beijos querida.
Lili

Beth/Lilás disse...

Web-mana,
Quando eu li sobre este triste episódio dos 3 jogadores achei cabível,pois dentro da cabeça desses pobres coitados espirituais só poderia ter este tipo de pensamento.
Nada me espanta mais hoje em dia, principalmente vindo da ignorância religiosa que se alastrou por nosso país.
Como disse o Alexandre aí em cima, se nosso estado fosse laico, não tivesse tantas manifestações religiosas como vemos ou escutamos hoje em dia na mídia que acabam embaralhando as cabeças desse povo pouco informado e bitolado, manejado como manadas, talvez tivéssemos menos corrupção e mais generosidade em nossos corações.
Acabei de ver no cinema o filme sobre Chico Xavier e, mesmo não tendo religião nenhuma, fiquei encantada com tal figura, pois o que mais passa credibilidade em sua vida e atuação é que justamente nunca se envolveu financeiramente com sua crença, fazia o bem, atendia as pessoas sem nunca ter recebido um tostão. Isso sim é caridade e ser cristão!
beijinhos cariocas gelados da serra.

ZOCA disse...

É uma pena q existam atitudes como essas e ainda usarem o nome de Deus ....E pelo que Eu saiba Deus pregou o amor incondicional e o amor ao proximo como a si mesmo.
um abraço e parabens pela postagem

welze disse...

não falo, discuto ou comento sobre religião. Respeito quem tem e muito também, quem não tem. Espero que com meus abraços cheios de bênçãos, nunca tenha lhe deixado triste. Não quero coverter ninguém, muito menos quem tem uma opinião tão formada e firme como vc. Espero que não me inclua entre as pessoas que lhe deixam chateadas com a religião. Prefiro comentar sobre a Glorinha porção mulhersinha, como vc mesma colocou num dia que fez um bolo lindo. Realmente sempre fiz todos os trabalhos de casa. Gosto de fazê-los. Fui criada fazendo uma parte das tarefas de casa, pois mamãe dividia todos os serviços entre nós e continuei assim, mesmo trabalhando fora de casa e estudando à noite. Realmente, quando se está acostumada, nem se sente cansada ou injuriada. Mas sei que está se afogando, coberta de razão. Gosto de fazer, pricipalmente porque sempre tive nas crianças e marido, maravilhosos colaboradores. Sei que assim é bem mais fácil. Se vc está encarando uma fase assim, eles também tem que rebolar. Tomara que a cabecinha deles entre nessa e de alguma forma, possam, por enquanto, pelo menos dividir tarefas. beijos.

Lidia Ferreira disse...

The Best
Faltando 7 dias para o encerramento da enquete, venho lhe informar que esta pegando fogo a enquete, quero novamente agradecer pela sua participação, e pedir que quando puder de uma olhadinha na sua postagem, pois pode haver comentários para você
A finalidade e a fraternização, e homenagem, divulgação entre os blogs
Um grande beijo e boa sorte
http://simplythebest01.blogspot.com

Glorinha L de Lion disse...

Mila, tb gostei desse pastor, pelo menos pensa com a cabeça dele...bjs.

Alexandre, vc tem toda a razão, bem que eu gostaria de não ter que falar a toda hora nisso, mas as pessoas insistem em tentar me "cooptar"...ou me fazer de simpatizante...e eu realmente não tenho simpatia por nenhuma religião...pelas fanáticas então, tenho horror! Respeito todos, mas tb quero respeito nas minhas convicções. Gostei demais de seu depoimento. Obrigada, beijão.

Glorinha L de Lion disse...

Oi Tati, obrigada e pode copiar sim, rica à vontade. bjs.

Oi Manu, estou mais ou menos calma....mas esse assunto sobre religião me tira do sério sabia? Acho incrível como as pessoas são hipócritas na vida real...bjs.

Eliane, Elza, Manuel...não é fácil se assumir atéia...ainda há muito preconceito e isso inspira verdadeiro terror nas pessoas...choca mesmo...mas como não sou mentirosa muito menos hipócrita, prefiro abrir o jogo e deixar tudo bem claro...bjs.

Graça, querida, é sempre um prazer enorme ter-te aqui, tomando um café com bolo comigo...e é claro que participo de tua blogagem...isso me dará uma felicidade sem fim...aguardo notícias...e passo lá no teu espaço para saber os detalhes...a minha Colorindo a Vida, termina, infelizmente amanhã com a cor branca...mas já tenho outras ideias a caraminholar nos miolos...hehe...bjs.

Glorinha L de Lion disse...

Oi Macá. tb me assustei com tamanho horror.. amanhã te mando um email, tá? bjs

Oi Eduardo...é, pensamos parecido...eu já li o Dawkins e ele é o máximo...sua teoria é tão bem explicada que todos deveriam lê-lo, como vc mesmo disse, até os crentes ou religiosos...eu fui católica, mas sempre tive muitas dúvidas e questionamentos...nada daquilo me convencia...fui lendo, pesquisando e um belo dia vi que não acreditava em deus e em nada...religião é muleta, é um amparo que o ser humano precisa para poder sentir que tudo não acaba simplesmente...e que ele não é uma mera formiga no meio de um formigueiro...eu perdi o medo da morte quando virei atéia...mas, claro que não quero morrer! Adoro a vida...mas saber que não há nada além daqui, de certa forma me deu mais paz pra viver, se é que me entende...isso é assunto que dá muito pano pra manga...agradeço seu comentário. Um abraço.

Yoyo Pizy disse...

Fiquei sabendo desse episódio na época que aconteceu e fiquei perplexa com isso, também.

Beijão e uma smana bem branquinha pra você.Eu já entrei no clima do nosso dia branco,rs

Glorinha L de Lion disse...

Teresinha, gostei mesmo do seu post sobre lingerie...e não tem problema postar hoje...aqui, tudo pode...beijos.

Oi Lili, obrigada, vou lá ver. bjs

Beth querida, triste e revelador esse episódio...Quanto ao filme, dei logo que saiu esse livro pro meu marido que, como sabe, é espírita, mas ainda não vi o filme....pra dizer a verdade, não tenho a menor vontade de ver...apesar de achar que ele foi uma pessoa que viveu o que pregou até as últimas cosequências. beijos.

Zoca, tb acho, amoe ao próximo e solidariedade independem de religião ou credo...não é isso o que torna as pessoas melhores ou piores...ajuda por guiar quem não teve educação ou parâmetros para seguir, mas nesse caso...é triste o que se viu...bjs.

Welze, amigona do meu coração...não fico triste nem chateada quando as pessoas me abençoam, me dizem pra ficar com deus, ou qq outro tipo de desejo carinhoso, de vibração boa...não é isso que me chateia de jeito nenhum...e vc nunca vai me chatear com nada amiga...pq vc é um coração nobre...sei tb que gosta de cuidar da casa, faz com carinho e além disso é muitíssimo inteligente...mas vc sabe o quanto eu não gosto...detesto mesmo...e esse fim de semana o povo aqui de casa abusou de mim, juntou com um mau humor que não é habitual em mim...mas sou humana né amiga? De vez em quando a gente dá uns piripaques...até pra darem mais valor à gente...hehe...beijos queridona...vc sabe que te adoro!

Glorinha L de Lion disse...

Yoyo, não sei como não soube disso...só fui saber agora...e bota perplexidade nisso...já tá branquinha amiga? Vou lá ver...bjs.

Oi Lidia, já botei até um link pro povo votar em mim...hehe...vou lá sim...vou ver se tem coments pra mim...adoro! Beijão.

Maricota by Marianne disse...

Glorinha, será que eles realmente são evangélicos? "Evangélico é todo aquele que lê o evangelho", não gosto dessa "denominação" duvido até que algum dia, qualquer um deles tenha lido e estudado a palavra de DEUS, se realmente eles o tivessem feito saberiam: "Ama teu próximo como a ti mesmo" não importa quem seja ele...!E com certeza seriam os primeiros a descer do ônibus... E se o mundo que bate no peito e diz: Em nome de DEUS...fizesse realmente "as coisas" de DEUS , o AMOR seria absoluto, o RESPEITO idem e todas as coisas que nos cercam seriam da PAZ! E os "olhos" dessas pessoas veriam tudo ao redor diferente, mas isso não se conquista do dia para noite, um passo de cada vez, mas sempre com a máxima: "Eu não vou fazer para o outro, o que eu não gostaria que fizessem comigo"
A vontade de DEUS é BOA, AGRADÁVEL E PERFEITA...O SER HUMANO é que não acredita nisso, infelizmente!
Bjks.

Glorinha L de Lion disse...

Ai Marianne, aí já não sei...e acho que a solidariedade e o amor ao próximo não precisam de religião para serem exercidos...ética, respeito ao outro, amor, todas as coisas boas da vida podem ser dadas e doadas independentemente de seguir alguma religião ou professar alguma crença...isso é caráter, é índole, é passado pela família e é nosso também, não creio que para ser uma pessoa boa se precise acreditar em buda, jesus ou alá.
Bjs.

Nilce disse...

Glorinha

Este é realmente o texto que eu gostaria que muita gente que eu conheço lesse. Mas é muito difícil convencê-las, primeiro a ler e depois a não tentar enfiar em nossas mentes suas idéias.
Nasci e cresci dentro do catolicismo, e sou condenada por não frequentar uma igreja e crer no que acho certo. Vivo rodeada por católicos e evangélicos fanáticos que chegam a me dizer que meus problemas de saúde existem porque não sou desta ou daquela religião. Será que ninguém morre ou fica doente por lá? Tenho vontade de perguntar, mas a educação não tem deixado.
Desculpe o desabafo.

Sensacional o post. Um obrigada pela minha parte.

Bjs no coração!

Nilce

Glorinha L de Lion disse...

Ih Nilce, tb fui criada no catolicismo e hoje renego qq religião...qq dia conto minha estória...aliás já nadei contando algumas coisas por aqui, mas toda hora tenho que tornar a explicar...e vive aparecendo gente querendo me convencer e "salvar minha alma do fogo do inferno"...tem vezes que minha vontade é mandar pra tonga da mironga do cabuletê...aí vão dizer que eu estou "possuída"...hehe isso dá muito assunto amiga...como dá...qq dia eu falo mais sobre isso...beijos.

Maricota by Marianne disse...

Glorinha, concordo com vc a solidariedade, o amor não precisa de religião para ser exercida, vem de berço, caráter,de como o mundo nos é apresentado... mas como eu disse, já que eles precisam "disso" ou daquilo para seguir suas vidas, então eles deveriam ser os primeiros a sair do ônibus...!O pior de tudo é que eles colocam a culpa em Deus!

Mariana disse...

nossa quantos comentários sobre o post :) E que bom que vários concordam com o que estava escrito!

Beijinhos

Glorinha L de Lion disse...

Pois é Marianne...e eles não saíram...e ainda se dizem "crentes"...que horror! bjinho.

Mariana, minha linda, viu só? Nada como colocar um post polêmico...ouço tudo o que todos tem a dizer, embora nem sempre concorde...quanto a esses jogadores...ainda se dizem "abençoados"...hehe só se for pelo demo...beijos linda!