quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

O Céu e Eu

Não, não há chuva
o calor
me consome
Olho o céu
pontilhado
de estrelas
perguntando
as respostas
Procurando
as perguntas
que valham
à pena
...................................
Cada carinho
uma lágrima
Cada palavra
escorre
pelos meus olhos
cansados
Pra onde?
Pra quando?
Pra que?
De que vale
ser assim
se amanhã
posso não estar
mais aqui?
De que valem
os livros
que li
os céus que vi
o sol que senti?
Qual o sentido
disto tudo?
Não há sentido
algum
só isso...
Só sei
que ver a vida
com olhos de poeta
dói demais
..................................................
Cansada
de sofrer
de mendigar
de esperar
Quero janelas abertas
Quero sentir
vento no rosto
Sorriso
Alegria
Não essa tristeza
contida
presa
me entupindo as veias
me arrolhando a garganta
amarga
na boca
nó de marinheiro
que não desata
nunca
...................................................................
O céu
me convida
a olhá-lo
pequenas luzinhas
cintilam
furando
o manto negro
Olho em volta
procuro
e nunca vejo
e nunca acho
será isso
esse sentimento
solidão?
desalento?

....................................................................................
Tudo isso
é preciso?
Chega!
Basta!
Quero
ser feliz
todos os dias
e não apenas
em alguns
Porque
fui nascer assim?
Com essa
faca
apontada no peito
essa urgência
esse tormento?
.................................................................................................................

Já não há mais
lágrimas
o calor as secou
mas o céu
ah o céu
continua

crivado
de estrelas
sempre estará
ainda que eu
não mais o veja
Eu
efêmera
Ele
eterno...............................................................................................................

21 comentários:

otilia cristina disse...

AS VEZES PENSO QUE EU,ASSIM COMO VOCE E MILHARES DE PESSOAS BUSCAM A TAL FELICIDADE PLENA..E ELA NÃO DEVE EXISTIR...TALVES MOMENTOS FELIZES MAS VIVER DE MOMENTOS ESPRANDO OS RESPINGOS DA TAL FELICIDADE É RUIM POR DEMAIS NÃO É?TAMBEM SOU ASSIM UMA TERNA UTOPIA TOMA CONTA DE MIM..SAUDADE DO QUE NUNC TIVE...SAUDADE DO QUE NUNCA TEREI..SAUDADE NEM SEI DE QUE...TRISTEZAS ME VEM SEM RAZÃO...SOU ASSIM TAMBEM...SEGUNDO AS PESSOAS TENHO N MOTIVOS PARA SER FELIZ E ME CULPO POR NÃO SER...TENHO TUDO QUE A MAIORIA DAS PESSOAS ALMEJAM E POR QUE NÃO SER FELIZ POR QUE?VIM AQUI PRA VIVER CONTRARIANDO A VIDA E SER INFELIZ MESMO TENDO TUDO A SER FELIZ..PROBLEMAS TODOS TEM MAS OS MEUS EU AINDA CONSIGO RESOLVER E POR QUE ESSA TAL FELICIDADE INSISTE EM SE ESCONDER...AI AMIGA..É UMA ETRNA PERGUNTA QUE VOLTAREI MAIS UMAS 5 VIDAS PARA SABER RESPONDER ...E VEJO QUE VOCE TAMBEM TEM AS MESMAS DUVIDAS ...
VAMOS ENTÃO VIVER ASSIM....
MOMENTOS FELIZES,...MESMO TENDO O TEMPO TODO E MOTIVOS PARA SERMOS FELIZES...

BEIJOS
OTILIA

Amica Philosophiae disse...

Oi Glorinha,
Só hoje tive tempo de parar para responder todos os recadinhos no meu blog!
Muito obrigado pelo carinho comigo e com meu pai. E muito obrigado pela força e pelo carinho! Seu blog continua cada dia mais lindo!!
Um bjo
Cynthia

Lívia Azzi disse...

Uhhhhhhhhhhhhh!!!

Glorinha?!!!!!!!!

Posso te perguntar?? Precisava escrever tão bonito assim e versar com tanta magnitude toda a minha angústia?!!!

Assim você judia dos seus leitores, não?!

"Eu
efêmera
Ele
eterno"

Marcante e singular, tua poesia inteira!

Lembrou-me de um dia que eu estava na Serra do Cipó, no alto das pedras da cachoeira, uns 100 m. Chama vale da lagoa dourada, dependendo da posição do sol, o reflexo na lagoa brilha como as estrelas no céu e as pedras ao redor ganham uma cor ferrugem e brilhante... E, ela estará sempre lá, brilhando como as estrelas, né?!!!

Beijinhos, linda!!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

respeito este momento que vc retratou aqui, nesta poesia tão bonita...
mas não gosto de te ver assim, não, viu.

dá uma olhada ai na sua filhona, nas suas artes, quanta coisa boa vc fez e faz...
sim, valeu e vale a pena, Glorinha.

desejo muito que os caminhos se abram pra vc, os caminhos que vc procura.

e deixo aqui um abraço bem apertado, de um amigo que te adora muito
bom dia

Beth/Lilás disse...

Bom dia, garotinha!
Já reparou uma coisa, tua alma, no entanto, é livre pra voar, pra sonhar e pra fazer um novo dia.
Abra os olhos devagarinho e desperta para um lindo dia.
Fiquei inspiradíssima depois que li e ouvi uma música linda que a Lucinha deixou em sua página.
beijinhos e vamos tomar café hoje, que tal, passa mais cedo?

Beatriz disse...

Glorinha,

O céu sempre convida a olhar as

coisas findas, e não somente

lindas... assim como o mar me

convida a seguir suas ondas, me

partir, e a voltar sempre

inteira...

Beijinhos,

Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Andréia souto disse...

Glorinha, tão lindo, tão cheio de esperança e ao mesmo tempo angústia...Estou como você, procurando respostas para os meus gritos, um coração pesado.Não sei nem explicar...
Fique com Deus.

Abraços

Glorinha L de Lion disse...

Oi Otília, não busco a felicidade plena, pois ela não existe, nãp é? Não há como ser feliz o tempo todo, mas essa dor, esse aperto no peito que ando sentindo, essa angústia pela falta de respostas, isso é que dói...Momentos...são momentos que vão passar. Obrigada por sua compreensão e carinho, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Cynthia, fico feliz que tudo esteja bem com seu pai. Que bom que está de volta, obrigada pelo seu afeto, beijinhos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Lívia, teu comentário até levantou o meu astral. Essa angústia é própria de quem carrega as suas dores e as dores do mundo...sou assim, desde criancinha, esse ser confuso, atormentado...só me resta te agradecer...saber que o que escrevo cala fundo em alguns, é o que tem me consolado ultimamente, beijos e obrigada querida,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Alê, questionamentos de poeta meu amigo...sou assim mesmo, vai se acostumando...um dia ruim, outro péssimo, outro, um pouco melhor...coisas de quem é atormentado pelos sentimentos mais complexos e caóticos, coisas de quem tem alma passarinha..Obrigada por seu carinho e preocupação comigo, grande beijo,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Betita, a alma é passarinha, mas a gaiola está justamente lá...coisas de quem vive entre a realidade e o sonho. Me lembrei do livro O Feijão e o Sonho...beijinhos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Bia, o céu, o mar, a vida, tudo é uma desculpa e um convite à poesia quando se tem tinta de caneta na alma...beijos

Glorinha L de Lion disse...

Oi Andréia, tb ando assim...é uma mistura de prazer e sofrimento...não dá pra explicar, mas mentiria se disesse que quando estou assim fico pior na escrita...pelo contrário, meu sofrimento, como aliás, o de qq artista nos faz criar muito mais, não acha?
A dor me faz querer colocar tudo pra fora...e eu, obediente, o faço.
Um brinde à nossa angústia produtiva! beijos,

Nilce disse...

Glorinha querida

Estamos precisando de colo mesmo.
Quando comecei a ler, senti imediatamente que é bem isso.
Mas eu não sou poeta, não tenho o dom das palavras, apenas do desabafo, do pedido, do agradecimento que, muitos nem entendem o porquê.

Ando cansada até para olhar estrelas, e se pensar que elas são eternas, choro.
Preciso de férias de mim mesma, comemorar a vida, viajar nem que seja em sonho, agradecer e comer um bolo sem regras, um brigadeiro na panela e ainda com a colher de pau, quente, sem pensar que pode me fazer mal.
Correr, mas não mais da vida, e sim atrás de uma borboleta, como quando eu era criança.

Acreditemos juntas, que os sonhos só adormeceram um pouco e logo vão acordar direto para se cumprir em nós.

Bjs no coração!

Nilce

Glorinha L de Lion disse...

Nilcita minha querida amiga. Vê do que eu falei aí acima? Na tristeza somos mais inteiros...na tristeza, o que há de melhor em nós sai, como num expurgo...Notou como isso que me escreveu é pura poesia? Escreve minha amiga, põe pra fora o que te dói, escreve...dá um enorme alívio...beijos, meu colo, embora triste tb, está aqui, ao seu dispor,tá?

Malu Machado disse...

Minha querida poetisa. Conheço bem esses altos e baixos. Mas sim, vale a pena. São momentos tristes, mas há muitos, muitos momentos alegres. Acredito que mantendo a integridade da nossa alma, a nossa coerência com os nossos sentimentos tão aparentemente incoerentes, fazem a diferença para aqueles que nos cercam.

E no final, existimos para nós, mas também nos olhos de quem nos vê e de alguma forma admira.

E eu te admiro muito, viu Glorinha de Lion. Espero que essa informação faça diferença para você. :-)

Beijo grande de outra alma atormentada.

Glorinha L de Lion disse...

Malu! Claro que faz, e muito! Saber que sou admirada por quem escreve tão bem, me enche de alegria, de incentivo...nem imagina quanto. Tb te admiro muito...adoro o jeito que escreve. Obrigada pelo comentário tão delicado e gentil, beijos,

LILIANE disse...

Glorinha
desculpe pra se sincera não consegui ler o texto
vim aki pedir ajuda
me ajuda pro favor
minha cunhada morreu e eu to muito mal, crises direto, pensamentos horriveis, dor no corpo interio, nariz intupdio, alergia
to muito medo de faze besteira
me ajuda por favor, fala pro pessoal que eu to ruim de verdade
eu to com medo de acontecer alguma coisa comigo e eu nao aguentar
ta tudo confuso
nem consigo entender deus
o que eu faço, to sozinha aqui
os meninos precisam de mim
me ajuda por favor

Glorinha L de Lion disse...

Lili, Que isso menina! Levanta, se olha no espelho, pára de ter pena de vc! Vc tem filhos, gente que depende de vc...levanta agora!
Começa a cantar! Em voz bem alta, qq música, qq uma! Uma amiga muito querida me ensinou a fazer isso uma vez que eu estava desesperada e eu saí da crise. Canta, mesmo sem vontade, daqui a pouco cantará a plenos pulmões...Lili, a vida é isso, estamos aqui pra passar por alegria e dor...o desespero não nos leva a nada nem a lugar nenhum. Vou ver se tenho seu email. Vai, vai levantando daí enquanto isso! Bjs,

lolipop disse...

Porque um texto só é bom quando não acaba onde termina...
"O optimista e o pessimista, o homem que acredita que tudo se compõe e o homem que acredita que tudo acaba mal, passeiam, argumentando, no lugar de um antigo campo de batalha. Ambos peroram, enrouquecem, gesticulam. Ambos retiram da paisagem provas de apoio ás suas teses. E de facto, durante esse tempo, a erva continuava a crescer sobre as sepulturas e os mortos a podrecer sob a erva."
Marguerite Yourcenar
TERNURASSSSSSSSSSSSSSSSSSS