quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Pensando Bem...

Eu, na festa à fantasia de meus filhos, aqui em casa, depois de algumas caipivodkas, dançando sozinha...me diverti muito nessa festa!
Minhas asinhas já estavam até meio caídas...


Eu, de Fada Sininho ou Duende Verde, ou Esperança (fiquem à vontade para escolher o que mais se parece com minha fantasia) e minhas sobrinhas de Meninas Super Poderosas e o Burg, marido da morena, posando para a foto.
Adoro festas!


Hoje, lendo o blog da minha querida amiga Cris França, me inspirei a escrever sobre carnaval.
Eu já nasci festeira...adoro a casa cheia de gente, festas, receber amigos. Quando pequena e até casar, adorava carnaval.
Não perdia nenhum baile infantil no Clube do Fluminense e, depois, já na adolescência, ia com a minha turma aos bailes do Clube Militar, acompanhava o Bloco Cardosão, de Laranjeiras (acho que naquela época, só tinha esse), e mesmo sozinha, saía sambando, me esbaldando atrás do bloco...sandálias nas mãos, descalça, cantando e dançando...
Quando ouvia a bateria do bloco, dando as primeiras bumbadas, ninguém me segurava...saía feito louca, ladeira abaixo (minha rua ficava numa ladeira), e acompanhava o bloco Laranjeiras a fora...onde fossem, eu ia junto...
Escolas de Samba, eu adorava...cheguei a ver os desfiles na arquibancada, uma vez, quando ainda eram na Avenida Rio Branco.
E eu tinha um tio que trabalhava num escritório na Rio Branco e todo ano, no carnaval, fazíamos um pequenique no escritório dele, e lá na janela, disputávamos lugar para ver de cima o carnaval passando...nem víamos direito, mas só ouvir o som da bateria tão de perto, nos divertia a valer.
Íamos todos: meus pais, irmãos, tios, primos...era gente que não acabava mais se revezando na janela...coisa dos primórdios do verdadeiro show que são as escolas de samba hoje.
Depois que me casei, levava meus filhos aos bailes infantis, mas eles só queriam brincar no parquinho do clube, enquanto eu, queria sambar, pular, ao som dos samba-enredo.
Fiquei pensando...será que não gosto mesmo de Carnaval, ou será que é porque agora não posso mais me esbaldar como fazia antigamente?



Quando vejo pela TV os blocos de rua voltando com força total... as pessoas com crianças no colo, velhos, jovens, casais...pobres, ricos, negros, brancos, mulatos, índios...reis e rainhas, gays, palhaços...confesso, que lá no fundo, sinto uma invejinha...

O carnaval de rua voltou e está tomando conta das ruas com tamanha avidez, talvez porque o desfile das escolas de samba tenha se tornado mesmo um grande show para turistas, caiu na mesmice...mulheres saradas, siliconadas, bundas, peitos, barrigas-tanquinho, nudez...uma tal dose de erotismo e exibicionismo...que acho, que os blocos estão resgatando o que o carnaval de antigamente tinha de ingênuo, puro, transgressor na miscigenação, na mistura...mas não no apelo sexual exacerbado que há no Sambódromo.

O Carnaval tem isso...todo mundo fica igual, seja cultural ou socialmente...os preconceitos caem por terra...quem é careta aceita as diferenças, quem é enrustido, se assume, quem é triste fica feliz...e é nisso que reside a transgressão e a grande dicotomia do carnaval...tudo é aceito, todos são iguais, o morro se junta ao asfalto, o pobre se veste de nobre, o milionário se fantasia de mendigo. É uma verdadeira aula de sociologia, antropologia, psicologia o carnaval no Brasil.

Acho que se eu morasse num lugar onde os blocos passassem, e eu pudesse ouví-los, talvez fizesse como quando tinha 18 anos...tirasse minhas sandálias, corresse pra rua e fosse atrás...deixando em casa a mulher madura e me tornando de novo, a Glorinha alegre, feliz e despreocupada de tantos anos atrás...
Festeira do jeito que sou, não se espantem se, dia desses, me virem na TV no meio da multidão, suada e feliz, com minhas asinhas verdes...







15 comentários:

Silvana disse...

Olá Glorinha!

Vim aqui agradecer todo carinho pela passagem do meu aniversário. Fiquei muito feliz com tua lembrança.

E, não se preocupe, tudo já passou para mim.

Qto ao carnaval.... nossa, até que tentei gostar muito, mas não rola. Muita sujeira, suor, cerveja, prosmicuidade.

Minha mãe diz que nasci na época errada, que eu amaria o carnaval do tempo em que ela era solteira e curtia (década de 50). Muita fantasia, cavalheirismo, confete, serpentina. Havia alegria e não catarse.

Ela disse que passava uns 3 meses confeccionando suas fantasias, que aquilo era mais prazeroso que comprá-las na 25 de março a preço de banana. Juntavam-se as amigas no quintal e passavam finais de semana bordando as fantasias, fofocando, rindo muito.

Acho que todo esse processo colaborava para que a festa tivesse um gosto especial.

Sei lá, pra mim não tem carnaval que me agrade e o que mais me incomoda, de verdade, é a sujeira, a cachaça em excesso, a prosmicuidade. Mas como todo mundo gosta disso, o problema deve estar mesmo em mim...

Beijo

Cris França disse...

ai Glorinha que texto gostoso, como é bom relembrar né, o fato é que a gente se afasta do carnaval, porque a coisa andou vulgar demais, tomara , tomara mesmo que a juventude de hoje, possa perceber como a vida pode ser melhor, mais boa, mais pacífica principalmente, sem os exageros e os modismo, sou completamente a favor de um ambiente alegre onde com respeito todos podem se divertir aos som das velhas e boas marchinhas, lindas.
E como vc escreveu também acho sim que o carnaval é uma festa que iguala as pessoas como a dizer que tanto faz a cor ou a classe social a alegria é para todos.
E ja tive vontade de ver os blocos de carnaval, mas só se fosse de uma bela sacada com gente boa e divertida, porque lá com o povão levando cotolovelada e cheirando suor não ia não...rs coisas da envelhecência que incomodam, quando era mais nova acho que nem notaria...rs

beijos pro cê!

Gina disse...

Ai, Glorinha! Apesar de ser do Rio nunca fui de pular carnaval. Ninguém da família gosta. Mas quando era adolescente gostava de assistir pela TV e sabia os sambas-enredo, com letras que deixam os atuais no chinelo.
Tenho me surpreendido com a volta dos blocos e a participação maciça nas ruas. Acho superválido isso, principamente para você, que é carnavalesca assumida.
Bjs.

Vagamundos disse...

Há que apveitar ao maximo o Carnaval do Rio :) E a fantasia de fada fica-te muito bem. Este ano contamos ler uns bons relatos do Carnaval mais escaldante do mundo por aqui :)
Beijinhos

Vivi disse...

Oiiiiiiiiiiii
Adorei seu post!!!!!
Fui tão funnnndo em minhas lembranças!!!! ai q delícia!!!!!
era tão bom!!!!!! íamos em clube...fazíamos bloquinhos...delícia mesmo!!!!
sempre tive uma vontade enorme de sair no chão de alguma escola carioca...mas acho q esse sonho ficou um pouco de ladinho com a idade!!!! rsrsrs
mas o som de qualquer bateria mexe um bocado comigo...rsrs
a cidade onde estamos morando atualmente ( Artur Nogueira/SP) ainda têm os blocos de rua e de um dos quais meus meninos participam...é uma graça!!! e meu marido e eu vamos assistir...o gostoso é q praticamente a cidade toda vai pra "avenida" (tão grande rsrsrs) e vc encontra uns amigos aqui...outros ali...e ainda podemos ir e voltar caminhando...
muito gostoso mesmo!!!! e este ano prometi aos meus meninos e respectivos amigos que farei uma canjinha da madrugada...adoraram a idéia...assim não teremos sinal de ressaquinhas né !!!!rs
por enquanto...por aqui...ainda posso encontrar essa aula de sociologia, antropologia, psicologia que vc disse !!!! afinal somos realmente todos iguais, somos humanos não é verdade!!!!
e que é bom dar uma sambadinha isso é hein Amiga!!!!!!rsrsrs
ótimo carnaval pra vc e toda sua família viu!!!!
com carinho
bjs

Bordados e Retalhos disse...

Fada Sininho eu sabia que você era uma grande foliona. rsrsrsrs

Bordados e Retalhos disse...

Fada Sininho eu sabia que você era uma grande foliona. rsrsrsrs

manuel marques disse...

Vou estar atento.Talvez a consiga descortinar ,no meio de toda essa multidão.

Beijos

Beth/Lilás disse...

Web-mana,
Adorei seu post, me vi nos velhos tempos em que nosso Rio era tudo de bom e a gente podia sair atrás do bloco que passava. Como era bom jogar serpentinas das janelas e confetes nas pessoas!
E o lança perfumes, que cheirinho delicioso e geladinho, não me lembro de ficar doidona com ela, eu nem sabia dessas coisas, meu negócio era mesmo curtir aquela festa toda.
Minha mãe sempre nos fantasiava e eu já fui índia apache, baiana e havaiana, pena não ter aqui as fotos para mostar!
Você é uma foliã nata e pra mim você parece mais uma Esperança, aquela que é irmã do Grilo Falante, afinal só eu sei como gosta de falar e conversar. heheh
(Qui nem eu!)

Proposta: vamos nos fantasiar e sair num bloco disfarçadas, nem nossos maridos descubririam, que tal!

beijinhos cariocas

Cucchiaio pieno disse...

Oi querida
E' tao bom ve-la assim feliz! Adorei tua fantasia (prefiro chama-la de Sininho).

Que legal, participavas até de carnaval de rua! Também amo festa e principalmente dançar.
Se sentia inveja de ver pela tv as pessoas no samba, imagino que este sentimento acabou, pois vendo tuas "asinhas" caidinhas, imagino que dançou até a ultima gota de suor, né?!
Mil bjos
Léia

Claudia Bins (Cacau) disse...

Glorinha, comprei uma fantasia igual pra minha pequena Manoela! Ela vai ficar a própria Sininho, já que é lourinha de olhos azuis também!

Quanto ao Filme que vc mencionou, Coração Satânico, é calro que vi! É com o Robert de Niro, fazendo papel de Demo... menina, amei esse filme, vi uma 50 vezes!

Adoro Nova Orleans, é um mundo à parte, completamente diferente de todas as outras cidades na América. Uma mistura e África, França e USA...uma delícia!

Beijo,

Cacau

Claudia Bins (Cacau) disse...

Oi Flor, eu de novo... esqueci de responder sua pergunta (que não tenho certeza de ter entendido...)
Mas enfim, vc quer saber como passei o selinho adiante? Caso seja isso, foi fácil: fiz um post com o selinho e ofereci à que quisesse levar. Além disso, visitei os blogs amigos e convidei à passarem lá e levarem o selinho consigo...

Se não foi isso que vc queria saber, me diz e eu respondo de novo, ok?

Beijoca

Cacau

Açuti disse...

Oiiii Glorinha

adooorei a dica...mudei tudo!!!

Estava mesmo precisando de coisas novas!!!

bjkss

Mila Viegas disse...

To rindo aqui com o comentário da Beth.. kkkkk... fantasiar e sair no bloco escondida... kkkkkkkk. Se eu não estivesse de mudança, toparia!!! rs
beijos

Lucia Cintra disse...

Eu tb adoro uma festinha, quando eu morava em Niteroi, minha casa era sempre a casa das baladas. Meus amigos e eu estavamos sempre dando festas la e ate minha mamae entrava na onda. Era muito gostoso e temos maravilhosas lembrancas daquela epoca. O legal eh que quando fui visitar o Brasil ha um ano atras, ate entao meus amigos falavam a respeito das festas dadas la.

Eu sinto mt falta disso. Temos alguns amigos aqui, mas seria uma farra so se pudesse reunir os amigos brasileiros, muito bom!

Agora, eu gosto de farra e festas com amigos, nao gosto de muvuca em bares ou clubes com gente que nao conheco. rsrs.

bjos