domingo, 11 de julho de 2010

Falando De Tudo Como Os Loucos 2

Eu tenho pimenta na alma, por isso resolvi continuar com as polêmicas.
Pegando carona no comentário sensacional da Nilce do blog A Vida de Uma Guerreira , que disse sentir saudades, assim como eu também sinto, do tempo em que nossos pais trabalhavam, davam duro para nos manter e nos dar uma educação decente. Não havia bolsa isso, bolsa aquilo e, mesmo os mais pobres tinham uma vida digna, com arroz e feijão na mesa e todos, todos na escola pública, como já contei antes. Escola Pública  tinha ensino de qualidade e era um lugar democrático que unia pobres, classe média, ricos. Todo mundo era igual lá, não existia essa coisa de cidade partida.

Pois bem, vamos aos assuntos propriamente ditos:

@ O ex jogador, ex goleiro, ex herói do Flamengo, e atualmente assassino, Bruno, fotografado com uma bíblia no colo, dentro do carro da polícia.
Vamos analisar por partes, como ele mandou fazer com o corpo da vítima, sem trocadilho, por favor: Eu soube por fontes fidedignas, de gente "graúda" de dentro do clube onde o ex goleiro atuava, que os jogadores participavam de orgias, aliás, como ele mesmo admitiu na Veja da semana passada.
Essas orgias consistiam em: drogas, bebidas, marias-chuteiras ( pra quem não sabe, meninas que só namoram jogadores de futebol e tratam logo de arrumar um filho pra lhes garantir pensão vitalícia), prostitutas, anões, jegues. Sim, vocês não leram errado! Havia animais nas tais orgias, bizarrices  das mais esdrúxulas, que, gente de bem, como nós, nem conseguimos imaginar. Quem contou isso em "off", não tinha motivos para mentir, pois é uma figura conhecida no meio futebolístico.
Well, essa criatura que participava dessas orgias e mandou matar uma mulher que engravidou dele por exigir o reconhecimento de paternidade, foi fotografado com uma bíblia e se diz evangélico!
Pára o mundo que eu quero descer!
E ainda tem gente tão ignorante que acha que ateu é que é filho do demo!

@ Hoje, lendo o jornal de Niterói, vi um anúncio em 1/4 de página, falando de um show que irá acontecer aqui, não sei onde, de um tal "Bonde das Popozudas", um baile funk, creio eu, com mulheres seminuas, com uns micro shortinhos entrando nas "partes" como diria minha mãe, mostrando bundas e pepecas, em danças pra lá de eróticas, simulando o ato sexual. Peralá! É isso o que as crianças vêem, principalmente nas comunidades carentes, e agora, acha espaço na mídia, erotizando e estimulando sexualmente as crianças desde bebezinhas. Falo isso porque ouvia minha ex empregada contando que a netinha dela, de 2 anos, dançava um tal de um funk que abaixava e se remexia como se estivesse furunfando. Maigodi! É isso o que as crianças das classes mais pobres vêem todos os dias. Por isso, essa minha ex funcionária engravidou aos 15, foi avó aos 30, quando sua filha de 16 anos também engravidou. São os exemplos e modelos se repetindo ad eternum. O sexo está sendo esfregado na cara dessas crianças todos os dias diuturnamente! A outra filha dela, a caçula, aos 9 anos, já tinha peitos, pelinhos, já estava com corpo de moça, aos 9 anos!
A ciência explica que isso é um fenômeno que vem acontecendo no Brasil: As meninas estão tão erotizadas e expostas ao sexo que estão menstruando cada vez mais cedo. E engravidando cada vez mais cedo também.
Será esse o futuro da nossa Cultura? Além da erotização do Carnaval divulgando e difundindo mundo a fora que aqui "mulher é fácil", "sexo é livre". Que cultura é essa que vem se difundindo cada vez mais: o "favela movie", o "pobre cult"?
O que será da vida dessas crianças, sendo mães cada vez mais cedo, sem estudo, sem um mínimo de cultura, mesmo com tanta informação sendo jogada na mídia?
Já pensaram no Brasil do futuro? No Brasil daqui a 10, 15 anos?

@ Achei o comentário da Nilce extremamente pertinente pois toca em duas coisas fundamentais: Antigamente, mesmo sem muitos bens materiais, as pessoas não desejavam nem invejavam o alheio.
O pobre batalhava para dar instrução aos filhos com dignidade. Meu pai, me dava livros de presente de aniversário, todos os anos. Como disse a Nilce, o povo quer ter "gatonet" pra ver Sílvio Santos, programas de baixaria, futebol e não programas educativos ou algo que lhes ensine a pensar. Prefere ter 5 celulares do que comprar livros.
Antigamente, se falava com respeito com os mais velhos, havia educação, mesmo entre as camadas mais pobres. Não se ouvia palavrões a torto e à direito como hoje. Outro dia fui ao supermercado e os empregados que arrumavam as verduras, falavam de "caralho" pra baixo, ao meu lado e ao lado de todas as outras pessoas que compravam. E é assim nas ruas, quando passamos por obras e em todos os lugares. Não há mais respeito.
Eu não sou saudosista, daquelas que ficam suspirando e dizendo " no meu tempo isso, no meu tempo aquilo".
Mas que os valores no Brasil viraram de ponta cabeça, isso é incontestável.
Educação é a palavra mágica.
Mas nem tão cedo acontecerá esse milagre. Enquanto esses canalhas e essa podridão tomarem conta de nossa política. Enquanto um mínimo de vontade política não predominar e não jogarmos raticida sobre esses roedores de corpos e de almas.
O país está impregnado, como num câncer.
Cabe a nós, nas próximas eleições, extirpá-lo.

Um beijo pra Nilce, grande guerreira, que falou tudo!

34 comentários:

Daniela disse...

Gostei do post. De facto é tempo de repensar as prioridades. A competição e a ambição têm levado as pessoas a aderirem a políticas de marketing bastante agressivas, cujas consequências estão à vista de todos. Será que vale a pena?

Um abraço, Daniela

Vivi disse...

Oiiiiiiiiiiii
Puxaaa... estava lendo seus posts... e me deliciandoooooo... enqto vc me deixava um recadinho....rs...sintonia???!!! simmm !!! rsrs
Fiquei longe um bom tempo né... agora aos poucos visitarei todos meus queridos blogs.... aos poucos...pq férias vc sabe.... com dois pcs por aqui e um note..eu to sempre de fora rsrsrs... então tenho q aproveitar as "brechinhas" pra entrar...mas td bemmmm...rsrsr
Pois Maninha... que País é este hein??? com crimes pra lá de hediondos....com políticos pra lá de hipócritas... com tanta gente medíocre ( em ambos sentidos) ... e uma sexualidade aflorada ampla e irrestrita.... e o pior de tudo isso... é que brevemente virão eleiçoes a burrice ainda impera !!!!mas como vc falou temos q fazer nossa parte...com certeza!!!!
bjs

Lidia Ferreira disse...

Parabens pelo belo texto , concordo com vc em tudo , alem de tudo temos ainda essas mulheres frutas , olha que aconteceu com nosso carnaval , gracas e esse tipo de mulher não podemos mais brincar sem sermos confundidas com elas
bjs

Mari disse...

Glorinha, este caso deste goleiro me enjoa. O cara é certamente culpado.

Funk. Não gosto, nunca gostei. Mas sei que no início era uma forma de protesto.Foi só se popularizar...

As danças não me agradam. Acho triste crianças dançarem de maneira tão sensual. Eu lembro da dança da garrafa, a pior, a mais deplorável que conheço até hj. Na época eu era menina, e lembro que tocava nas festinhas de aniversário que eu ia, imagine. Eu sempre me recusei a participar daquilo.Isso pq eu tive uma mãe, uma base, uma educação, graças a Deus. Acho que essas pessoas são mais vítimas do que culpadas, no final das contas. Se não conhecem outros univeros,se não foram educadas, como fugir daquilo do meio em que vivem?

O Brasil é um país machista, que não respeita as suas mulheres, e acaba que o estrangeiro tb, e a nossa imagem fica muito feia tanto dentro, quanto fora. Até o brasileiro mesmo anda desiludido da vida...

Das favelas vem muita cultura, e das boas. É só a gente olhar para a tradição das escolas de samba, e os nomes que fizeram do samba mais bonito. Cartola terminou só seu ensino primário e escreveu uma das letras mais bonitas e românticas da música brasileira: "As rosas não falam".

Mas concordo que a questão violência nas favelas em filmes já foi demasiadamente explorada. Já chega!!!

É mania da globo com esses reality shows que não ensinam nada. Até novelas agora perderam aquele quê de fantasia. É tudo querendo imitar fatos, o quanto mais real, melhor. E por isso esses filmes fazem sucesso. Mas se é o que ta dando dinheiro no momento, pra que mudar?

Ai, muita coisa errada mesmo. E eu querendo votar pra presidente na embaixada daqui, e não posso pq tem uma regra de q o números de eleitores precisa ser x, e não é. Ninguém se move, saíram do país e se esqueceram da cidadania :(((

Chica disse...

É,Glorinha!

A coisa tá pra lá de Bagda e parece que tá tudo desenfreado...Uma pena!beijos,linda semana,chica

Mari disse...

Querida Glorinha, fiz um comentário enorme, e acho que pode ter sido "comido" pelo google. Qualquer coisa eu volto. Agora vou mimi :) Beijos

Regina Coeli disse...

Olá Glorinha,
Preocupa-me muito o que nossa crianças e adolescentes recebem de informação...
Como será nossso País daqui há 10 anos???
Tive a felicidade de encontrar a TATI na BLOGAGEM COLETIVA COLORINDO A VIDA que tão bem você conduziu e a amizade floreceu.
Isso é muito bom!!!
Vim agrdecer sua visita e trazer para você um abração bem gostoso.
Regina Coeli

Yoyo Pizy disse...

Glorinha,
Todos os dias vejo cada coisa inacreditável.Aqui onde moro, um condomínio de classe média, o síndico já fez várias reuinões para chamar atenção dos pais pela falta de respeito dos filhos para com as pessoas mais velhas, pelos palavrões cabeludos que eles soltam na frente de todo mundo.
Em meu trabalho, meninas de 12 anos falam abertamente que vão à baladas barra pesada e voltam para casa às duas, tres da madrugada,já vi mãe comprando espartilho e cinta liga para a filha de 15 anos usar no motel com um dos ficantes(namorados é coisa do passado). Cheguei a falar para essa mãe que sua atitude era um absurdo e ela respondeu-me da seguinte maneira: "cuide das suas filhas que da minha cuido eu".
Já vi e ouvi ainda mais e coisas bem piores.

Magia na Cozinha disse...

Eu estou fora do Brasil há mais de 13 anos, mas confesso que me apavoro com a falta de educação que tenho percebido entre as pessoas ai.
Comecei a assistir umas novelas no You Tube para me distrair, já que não tenho cable e os programas aqui são muito ruins, e me surpreendi com os atores falando palavrões.
Eu acho de muito mal gosto, um péssimo exemplo para todos.
É lamentável. O mundo parece que se deteriora cada dia um pouco mais.
Onde vamos parar?
Bjs :)

Nilce disse...

Obrigada pelo carinho!

Sabe Glorinha, adoro sua sinceridade e capacidade de "botar a boca no trombone". A ignorância é o mal do século no Brasil, infelizmente.
Tenho também o "defeito", segundo alguns, da sinceridade, o que anda me faltando é coragem mesmo.
Por isso adoro seu blog, seus assuntos, sua siceridade sem medo. É muito bom ter alguém que pensa abertamente e expõe suas opiniões.

Te convido para ler meu post

http://nilceguerreira.blogspot.com/2010/07/ter-filhos.html

Continua assim, menina, senta o "pau"! que a gente ajuda. rsrs
Ah, e a "cria"? Como está? Sai logo? Estou me coçando!

Bjs no coração!

Nilce

Olhar Simplesmente disse...

Oi Glorinha
Exatamente isso... seu post disse tudo!
Tudo que você escreveu é a pura realidade vamos acordar as eleições tá chegando é hora de mudar.
Bjos

Tati Pastorello disse...

Glorinha, muito bom ler texto lúcidos, que dizem a verdade que pensamos, mas muitas vezes não verbalizamos.
Eu tento educar o Bê dentro de valores rígidos, mas sinto-me nadando contra a corrente muitas vezes. Não posso criá-lo numa bolha, e na vida ele encontra e se depara com coisas que acho impróprias para a idade, mas que (principalmente) outras mães não acham. Assim, ele chega em casa cantando Rebolation, falando de desenhos muito violentos, repetindo palavras que ouve... Em casa o ritmo é outro, mas me incomodo em não poder criá-lo em outra realidade. E não moramos na favela, ele estuda em um bom colégio particular... Concordo contigo quando diz que os valores estão invertidos.
O que podemos fazer para mudar? Vamos pensar bem, as eleições estão aí. É nesta hora que temos que vestir a camisa do Brasil, soprar vuvuzelas, acompanhar os placares, as escalações dos "times". O técnico pode não ser dos melhores, o time pode não ser uma seleção canarinho, mas temos que acreditar no país, alguma mudança deve ser possível. E não precisamos ir até a África do Sul para ver isso!
Beijos. (encerro o testamento)

Mônica - Sacerdotisa da Deusa disse...

Oi flor!

Falou tudo Glorinha!
Concordo total e absolutamente com vc! Como tá td diferente, como as crianças estão materialistas! Eu vejo as crianças conversando e fico passada, pouquíssimas são as que se parecem com a gente qdo pequenos, a maioria só fala de celular isso, internet daquilo, meu pai gasta 1 milhão comigo e etc etc etc, dá até um troço de ficar ouvindo! Qto as músicas e tal, td desandou naquela época do tchan, lembra! Menina eu ficava indignada vendo aquelas criancinhas dançando na boquinha da garrafa!!! Que coisa feia!!! Olha...com toda certeza sou de outro planeta sabe hahahahaha...pois fico muito assustada e chocada com o que vejo por aqui.
Parabéns pelo post, arrasou!
Beijinhos minha flor, e tenha uma linda semana.

Flores e Luz.

Beth/Lilás disse...

Maninha,
Nem me fale dessa falta de civilidade, educação e gentileza a que estamos expostos hoje em dia.
Não sei se isso é uma coisa pontual daqui do Rio de Janeiro, mas fala-se palavrões que nunca antes imaginávamos ouvir de rapazes, homens, gente no trabalho, falando como se estivessem no pior botequim de esquina.
Não ligo quando o palavrão é dito num contexto e momento adequados, mas hoje se você passa perto de um grupo de jovens ou homens, não têm a consideração de abaixarem a voz para que isto não nos choque.
Aquele "psiu, fala baixo, olha a moça aí, rapaz!", já era!
Sinto-me agredida com isso e com as barbáries que crescem a cada dia cometidas por pessoas que no final se escondem atrás de bíblias, religião, dizendo-se evangélicos.
Talvez usem este tipo de atitude porque terá gente a defendê-los ainda, afinal ele é um crente, matou, esquartejou, mas é um crente, um religioso que teme a Deus, tadinho! E, depois, você sabe né, Deus vê tudo e perdoa!
Fala sério! Este país tem muita hipocrisia aliada a desgoverno e corrupção encravadas.
Estamos num mato sem cachorro, isso sim!
beijos cariocas e sua geléia de pimenta tá aqui guardada.

ELA disse...

Oi, Glorinha!

Suspeito que nas próximas eleições AINDA não vai dar pra "extirpar" não... rs. É porque o problema tem raízes profundas, sabemos que não se resolve de uma hora pra outra. Mas a sua inciativa de convidar para a reflexão sim, é muito válida e conveniente!

Lembro de uma tal Solange, que participou do programa Big Brother Brasil há uns anos. Ela cantava músicas em inglês dum jeito estranho e em voz alta. Quando se desentendia com alguém do programa, usava palavras de baixo calão, grosseiras e rebolava muito para dizer tudo aquilo. Sempre me perguntava se ela era burra daquele jeito por opção ou por ignorância. Lembro de ter discussões imensas com meu pai sobre isso: ela ignorava o conhecimento e optou por ser burra ou simplesmente desconhecia o outro caminho?

Concordo com você sobre a educação ser a solução. Mas sobre a dúvida acima, se alguém dessa camada social "funkeira" pode "escolher" entre comprar um livrou ou mais um celular, já não sei responder... Não estou preparada.

Bjs! Adorei o texto! Você escolhe umas imagens boas, a do queijo esburacado tem tudo a ver! rs!

Michelle

Silenciosamente ouvindo... disse...

Este seu texto retrata situações
no Brasil.Mas se reflectir sobre
o meu país(Portugal)com uma dimensão bem menor, e com outro
tipo de problemas, a situação não
é positiva. Aqui também há muita
falta de educação.Há pais passando
fome, para darem aos filhos o que
eles querem, porque podem apanhar
tareia se não os satisfizerem.Há
idosos "despejados" nos lares...
porque "incomodam"...
E os jovens também utilizam uma
linguagem "muito rasca" até nos
transportes públicos...
E há uma coisa horrível(que parece
estar sempre a aumentar) - a pedofilia...e que incrivelmente
acontece mais no seio familiar.
Avós violando netas...pai fazendo
o mesmo,irmão, primo, até mãe...
é algo que traduz uma degradação
muito grande do ser humano.
Tudo mudou para pior, e cada um
de nós individualmente pode fazer
muito pouco, mas se conseguirmos
"que o alerta chegue a alguém" já
é um princípio.
Saudações/Irene

Lucia Cintra disse...

Isso tudo eh muito feio, mas parece ser "normal", ne? Eu acho absolutamente desnecessario as mulheres sairem desfilando nuas no carnaval, pra que? Esses bailes funk nao eram moda quando eu morava ai, mas ja me mandaram links pra cada coisa que fiquei abobada de ver como certas mulheres nao se dao respeito!

Mas o Brasil nunca teve censura na minha opiniao, desde quando eu era pequena e isso tudo sempre foi "normal". E vai continuar a ser, sabe pq? Pq a maioria das pessoas nao ligam, como essa mulher que voce mencionou dizendo que sua neta crianca dancava funk parecendo que estava fazendo outra coisa...

Triste e quando as piores coisas acontecem devido a esse tipo de comportamento, fica todo mundo chocado, chorando e nao entendendo o porque. Serio mesmo que nao entendem????

bjos

manuel marques disse...

Excelente texto,parabéns.

"A educação tem raízes amargas, mas os seus frutos são doces ."

Beijo.

Amica Philosophiae disse...

Oi Glorinha!!!
Desculpe a demora pra responder....só tive tempo de parar hoje!
Encontri o livro Minha temporada parisiense na Livraria da Travessa no RJ, mas vc pode comprar pelo site da Travessa tb.
Eu tb estou no volume 2 do Crime e Castigo e tem uma hora que ele parece que desacelera....mas no fim da parte 4 acho que dá uma melhorada...vou entrar na parte 5 hoje....
Um bjo!!
Cynthia

cantinho she disse...

Minha Querida esse seu post é perfeito do início ao fim. Além de juntar duas grandes mulheres que eu admiro demais e tenho guardadas aqui no lado esquerdo do peito, eu acho vc e a Nilce belas mulheres que nos dão orgulho.
Eu acho tudo isso tão triste Glorinha, ver o assassino com a bíblia na mão me deu enjoo e definitivamente a comprovação de que quem estraga a religião são os homens, afff!
Esse mundo tá perdido, virado de cabeça pra baixo, com uma inversão de valores apavorante.
O certo virou o errado e o errado está certo, às vezes eu tenho uma vontade louca de gritar:
- Chegaaaaaaaaaaaaaaaaa! Socooooooooooooooooooorro! Para tudo porque eu quero ser mãe, mas não gostaria de apresentar esse mundo doido, injusto e sem noção
para o meu pequeno não...
Precisávamos dar um grande basta pra tudo de ruim que cada vez mais cresce, dos mínimos atos até os grandes e a forma que poderíamos começar seria nas eleições, mas mais uma vez parece que vai dar tudo errado... é triste, muito triste!
Beijo, beijo!
She

Bombom disse...

Glorinha, andei um pouco longe por uns dias e ontem, ao visitar-te, vi que tinha perdido uma série de posts, qualquer deles visando assuntos de grande importância. Hoje voltei a relê-los e acho que já tudo foi dito, mas precisava de te dizer que te compreendo e estou do teu lado.Como estão do teu lado tantas pessoas bem educadas, sensíveis, com valores para a vida, exigentes...É isso que nos transforma de Animais que somos em Animais Racionais! É para isso que serve a Educação que o Homem tem vindo a implementar através dos séculos! Mas não é esse o rumo da Educação no tempo presente, por isso estamos a formar aberrações em todos os estratos sociais. E enquanto este sistema de regras e de valores não mudar na sociedade, continuaremos a caminhar para a degradação social....E o mais triste de tudo, é que não é só o Brasil que está sofrendo com isso. É o mundo todo a nível global. Os "ELES" sabem que só assim, nesta ignorância e ausência de valores é que se pode dominar e saquear a sociedade, com impunidade.
Um abraço. Bombom

welze disse...

oi minha linda. passei aqui para dar um oi, mas não tirei os olhos de tudo que vc escreveu. que delícia ler tudo isso.botei seu blog em dia. até qq hora e beijos beijos beijos,

James Pizarro disse...

Parabéns !
Concordo em gênero, número e grau !
Beijo

www.professorpizarro.blogspot.com

Florianópolis, SC
Praia de Canasvieiras

James Pizarro disse...

Parabéns !
Concordo em gênero, número e grau !
Beijo

www.professorpizarro.blogspot.com

Florianópolis, SC
Praia de Canasvieiras

Mila Viegas disse...

Eu estudei em escola pública a minha vida inteira... Nunca tive grana, nem minha família. Todos corríam atrás para educar bem os filhos e formar bons cidadãos.

Sinceramente? Hoje eu tenho que morrer numa grana fudida para pagar colégio do meu filho porque não tenho coragem de colocá-lo no público. Estou até pensando em fazer uma experiência no próximo ano para ver como vai ser. Mas, vira e mexe as crianças que estudam em colegio publico vivem sem aulas, etc. Péssimo!

Eu peguei essa época aí que você mencionou, onde não havia distinção... todo mundo era igual. Agora, parece que a coisa está próxima a um inferno.

beijos

Tuca Zamagna disse...

Parabéns pela postagem,Glorinha. Concordo com você em tudo. Mas tenho umas observações a fazer:

1 - Casos como o do Bruno acontecem toda hora neste país. Mas só vêm à tona, só ganham espaço na mídia quando atingem as classes média e alta (Bruno é uma celebridade e sua vítima era da classe média). Há menos de dois meses, Íris, uma moça pobre que eu conhecia de Ipanema, onde ela trabalhava numa loja da Toulon, foi barbaramente assassinada pelo ex-marido. Também tinha um bebê filho do assassino, além de outro filho, de seis anos, que vive com os pais dela, na Paraíba. O caso só chegou aos jornais porque o psicopata enfiou o corpinho dela (tinha cerca de 1,50 m) numa mala que jogou no Canal do Leblon. A notícia, pois, é esta: um cadáver no Canal do Leblon. O resto não tem maior importância: era só uma jovem favelada que não tinha onde cair morta e por isso se sujeitava a continuar na casa do ex-marido, mesmo sabendo que ele não se conformava com a separação e era muito violento.

2- Há uma grande conivência, por interesse ou por omissão, de diversos setores da sociedade com crimes de todos os tipos. O Flamengo, por exemplo, é reincidente. E já nem falo das orgias e da promiscuidade entre atletas e bandidos. Me satisfaria saber porque até hoje, passados cerca de seis meses, o clube ainda não informou à sociedade nem denunciou à Justiça o nome de seu dirigente que vinha abusando sexualmente de atletas adolescentes das divisões de base.

3 - Na política não é muito diferente. Milhões de cidadãos "decentes" fazem vista grossa para as evidências de corrupção de certos candidatos que lhes oferecem vantagens pessoais. E não preciso nem ir à rua para constatar isso. Aqui mesmo, no prédio em que moro, na "nobre e digna" Lagoa Rodrigo de Freitas, há muita gente que sentou a ripa no FHC, como hoje senta a ripa no Lula, mas que na hora de escolher pessoas para representá-la nas casas legislativas opta por quem lhe proporciona benesses pessoais. Isto vai dos porteiros e faxineiros a moradores dos apartamentos mais caros. Ou seja, acho que o princípio da mudança desse lamentável estado de coisas está em cada um de nós; está na disposição de cada cidadão rever os seus próprios conceitos e passar a agir em prol da coletividade. Em resumo: sou, é claro, bastante cético no que diz respeito a grandes avanços a curto prazo. Se não creio muito nos políticos, creio menos ainda nos cidadãos.

Um abraço

Beth/Lilás disse...

Maninha,
Voltei para acrescentar mais alguns detalhes sobre a vida deste infeliz goleiro do Flamengo e para que vejam também o quanto a falta de uma família, uma base sólida, influencia na vida adulta das pessoas:
(Revista Isto É desta semana)
"Outros familiares de Bruno também tiveram problemas com a polícia. O irmão foi preso por roubo no Piauí, a mãe foi investigada por tentar matar a tiros uma mulher em 1996 e o pai acusado de furto e teve prisão pedida sete vezes".
"A mãe de Eliza abandonou-a na infância e agora ganha a guarda do neto; o pai dela, acusado de absusos sexuais contra uma filha de 10 anos que teve com a irmã de uma ex-mulher..."

Famílias desestruturadas, mergulhadas no abandono social, deixando de aprender a questão do amor, do afeto e do altruísmo.

E tem sido assim a formação de novas famílias neste país, sem educação e sem controle.

beijuuuu

Dani dutch disse...

OI Glorinha, tudo bem?
Glorinha estou acompanhando o caso do goleiro Bruno, nossa... o que foi aquilo.
E falando sobre essa exposição que nós brasileiros temos pelo mundo, já senti aqui também, quando eu falo que sou do Brasil já vem umas perguntinhas indiscretas,... mas levo sempre a conversa por outro lado, da nossa alegria, do sol o ano todo, da produçao agricola, ai ficam todos quietinhos... bjuss

Meru Sâmi disse...

O que lamento profundamente é que aqueles que precisam ler e/ou ouvir essas palavras, jamais estarão dispostos a...( Como diriam meus ex-alunos, " lá vem a 'sora com a baboseira de valores humanos!").
Como diria um amigo meu: " Senhor, não os perdoai, eles sabem o que fazem!".

Cucchiaio pieno disse...

Querida Glorinha
Aqui na Itália, quem vai para escola particular são aqueles alunos repetentes ou que "não querem nada com nada"!
Na cidade, do interior, onde morava todos estudavam em escolas publicas, todos eram iguais, nao tinha rico nem pobre!

Fiquei chocada sobre as orgias que você revelou.
Nunca gostei de funk nem carnaval, essas coisas me chocam, pois ali é tudo permitido. Lembro-me a época do "E' o tcham", que as mães vestiam suas filhas (de 2-3 anos) de Carla Perez - como diz você amiga: "Maigodi!"

Na minha adolescência minha mãe sempre perguntava o que gostaria de ganhar de aniversário ou natal e eu dizia que gostaria do livro X ou que não queria nada. Hoje as crianças querem o mundo e ai se nao ganharem, até batem nos pais. E' por isso que mesmo sendo psicóloga, sempre falo que um "psico-tapa" não faz mal a ninguém
Bjim
Léia

Vicentina disse...

Glorinha, certíssima vc, sempre falo pro meu marido que inverteram-se os valores, não me esqueço o que minha vó dizia antigamente, "no futuro vamos ter vergonha de ser honestos" já chegou este futuro...
Bjs

Socorro Melo disse...

É uma situação caótica,de fato.Onde vamos parar? Fico indignada com tudo isso, e concordo plenamente com seus argumentos.Penso que muito disso é devido a falta de responsabilidade dos pais, pois, a educação começa em casa.A falta de respeito, a imoralidade,é consequencia do que as crianças e jovens recebem de suas famílias, infelizmente.

Françoise disse...

Não acho que vc tenha pimenta na alma, sabe enxergar além e imagino o quanto muitos absurdos a incomodam.
Infelizmente há muito o que mudar, trabalho em escolas publicas e sinceramente ? Me pego desacreditada, até me sinto mal pois minhas meninas estudavam na particular. É como se renegasse o meu próprio fazer. Mas infelizmente nao dá. Há muita inversão de valores,descaso, situações até culturais vivenciadas por diferentes grupos que nao dá pra engolir. As mudanças sao lentas, muito lentas. As familias só mandam os filhos pra escola pra que possam comer, receber bolsa familia e ganhar as coisas...... e quanto mais ganham, mais destroem...tá dificil.
Concordo e aplaudo o excelente texto!!
Bjos

Anônimo disse...

Antigamente, tenho PLENA CERTEZA de que nao tinha tana tragedia comop agora. LEMBRO BEM DE MEUS PAIS VIVENDO EM HARMONIA.
Uma harmonia que, sinceramente, nao vejo NOW!
Vivemos num mundo, Glorinha, em que até ter um blog diferente é motivo de inveja. Até sonhar sonhos diferentes gera inveja.Até abracar uma causa GERA INVEJA.
DIAS FELIZES
graceolsson.com/blog