domingo, 5 de setembro de 2010

A Chave Enferrujada


Era uma chave antiga
Nem de ouro
Nem de prata
Mas metal azinhavrado
Por tanto tempo passado

Era uma chave simples
Jogada em cima da mesa
Nem parecia guardar
Os segredos
Que haveria
De me mostrar
Com clareza

Ao pegá-la
Em minhas mãos
Naquele exato
Momento
Eu soube
De onde ela vinha
E qual era
O sentimento
Que aquela chave
Continha

Aquela chave
Dizia
Trazia
Velhas memórias
Sussurrando-me
Estórias
Me contava
Ao tocar nela
Ao cheirar
O seu zinhavre
Coloquei-a
Junto ao peito
Bem perto do coração
E ela me disse assim:
"Guarda-me sempre contigo
Sempre que correr perigo
Segura-me em tuas mãos"

Olhei-a
Virei-a
Com calma
Devagarinho
Sabia
De onde ela tinha vindo
E qual portas abriria
Para mim
E meu destino

E não importa
Quantas portas
Se fechem
No meu caminho
Terei sempre
A chave mestra
Essa, que vive num ninho
Aqui, dentro do meu peito
E ainda
Que demore
Meses
Anos
Ou quem sabe
Um minutinho
A abrir-me
A verdadeira
Talvez
Minha vida inteira
Não me importo
Sei que a chave
Azinhavrada
Arranhada
Pelo tempo corroída
Estará iluminada
E lumiará
Onde eu for

E basta seguir
Seu brilho
Sua trilha
Tateando
Tropeçando
Caindo
E outra vez
Levantando
Ela sempre abrirá
O que realmente importar
E o que não for bom
Trancará
Não me deixará passar
Pois é a chave
Do meu destino
Cada um que ache
A sua
E não perca
Pois talvez
Nunca mais
A encontrará

Procure
Vasculhe bem
Ela é velha
Enferrujada
Não é de ouro
Nem prata
Mas nasce
Com cada um
E cada qual
Leva a sua
No dia
Em que for partir
Desse mundo
Para abrir
Aquela porta
Que existe
E estará à nossa espera
Do outro lado
O de lá.



28 comentários:

Beth/Lilás disse...

Maninha!
Que coisa linda este poema!
Essa tal chave tem que ser muito bem guardada, pois ela marcará a saída para a eternidade e por isso sua importância é tão grande e necessária.
um beijo grande e ótima semaninha.

Marliborges disse...

Oi Glorinha, que lindo!
A chave mestra é tão importante e tão útil na nossa vida... devemos sim, guardá-la conosco, no peito, para abrir portas... Adorei o poema. Bjssssssss

Cris França disse...

Glorinha

sua poesia está linda
envolve e emociona
Oxalá a gente vive
mais seguro e mais feliz
sabendo que nossa chave
está sempre dentro do peito.

bjs minha amada amiga de sentimentos belos

Cantinho da Cê disse...

Que linda poesia Glorinha!!!! Essa chave abre as portas do nosso destino e só ela conhece nossos segredos...

Beijos,

Chica disse...

Que espetacular poema e mensagem nele contida.

Grande verdade!Todos temos a chave... umalinda semana,beijos,chica

Eliane disse...

Uma chave!!! todos tem a sua e vc minha amiga que sabe escrever tão bem usa a sua pra entrar no coração da gente. Passei so pra dizer bom dia e já achei algo bonito, tenha um lindo feriado com muitos beijos no coração.

Mylla Galvão disse...

Para mim Glorinha,
do lado de lá não há portas...
Apenas um jeito diferente de amar...

boa semana!
bom feriado!

bjo

Amica Philosophiae disse...

Que lindo esse poema!
Fiquei sem palavras... Vc sempre me deixa sem palavras...
Lembrei do livro que a gente leu.
bjo
Cynthia

Suzanna disse...

MUITO LINDO O POEMA.
ALGUNS PASSAM UMA VIDA INTEIRA PROCURANDO E NÃO ACHAM.
OUTROS ACHAM CEDO DEMAIS E PERDEM.
QUE SEJA POSSIVEL ACHARMOS NA HORA CERTINHA.
BJUS
SU

AHHH GLORINHA SE PUDER E QUISER DÁ UMA OLHADA NESTE VIDEO, AFFF!
PRESIDENTE LULA, MOTIVO É DE PIADA NA TV DE ISRAEL .
http://www.youtube.com/watch?v=PafAYylPrho&feature=related

URBAN.GO disse...

Lindissimo Glórinha. Muito bonito mesmo, gostei muito.
Manda cá para fora esse talento, mima-nos com estas coisas, tá?
Beijinho, fica bem.

Bombom disse...

Que lindo poema! A chave que tantas vezes procuramos fora de nós, afinal está sempre bem cá dentro!
Gostei muito das fotos que escolheste. fez-me lembrar uma bela colecção que tenho lá na aldeia. E algumas são bem velhinhas, mesmo.
Uma boa semana. Bjs. Bombom

Denise Lopes disse...

Amei seu espaço...não sei nem como cheguei aqui...fui indo...indo...e cheguei...Suas palavras são deliciosas de serem lidas, repletas de emoção, de verdades..adorei, estou seguindo e voltarei sempre...Sobre sentir-se envergonhada pelo nosso país...eu também...beijos

Mari disse...

Que bela mensagem nos passa em forma de poema :)
Lindo!Beijos

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Poema especial, lindo.
Realmente, que não percamos a chave de nosso destino. De nossa vida. Para não desperdiçar uma vida.

As imagens tb são lindas.
Bom dia!

(e sobre a reflexão sugerida, eu vou tocar no assunto um dia. Ia falar hj, mas me apareceu uma maluca testemunha de jeová doida chupinhando meus textos e resolvi falar dela no blog rs)
bjs bom dia!

Luma Rosa disse...

Tudo muito haver com a frase no rodapé do seu blogue. As chaves são nossas escolhas e se assim, cuidaremos bem delas!! Feliz dia da Pátria!

Glorinha L de Lion disse...

Denise, bem vinda ao meu blog!

Aos meus amigos que comentaram aqui, muito obrigada pelo carinho. guardem bem as suas chaves, do lado do coração! Beijos a todos.

Mila Viegas disse...

Arrasou, Mãeguxa! Minha chave está aqui, guardadinha. Não é de ouro nem de prata, mas é bonitinha. Uma chave colorida, bem vintage, antiguinha... rsrsrs.

Adorei!!!

Meru Sâmi disse...

Oi, Glorinha!
Que delícia esta colher de chá que você nôs deu! Com esta chave você poderá abrir também a Porta Mestra, aquela que revela-nos e torna palpável o que é essencial. Realmnte a chave é a mais feia, assim como a porta a mais estreita, mas é só por fora. Dentro a chave é bela e a realidade ilimitada.
Nossa, dá um livro hem! Anote aí, idéia para livro: ( as chaves da vida).

Beijos, amiga, e fique Bem.

Beatriz disse...

Oi Glorinha,
Menina, que coisa linda!!!
Pode deixar que minha chave será bem guardada a "sete chaves", he, he, he...
Beijinhos,
Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

António Rosa disse...

Glorinha

Você está especialista em versos curtos e poemas incisivos, como se se tratasse de um registo de memórias.

Aproveito para confirmar que vou participar na blogagem coletiva.

Beijos.

Isadora disse...

Glorinha, lindíssimo! Todos nós temos nossa chave, não é? E que saibamos guardá-la bem e usá-la nos momentos certos e tenho certeza que o que não for bom, ela trancará e deixará no lugar que deve ficar.
Um beijinho

Ester disse...

Glorinha,
adorei sua visita, e saber que vc gosta tanto de Roma.
Adoro café com bolo e seu blog é delicioso como um bolo de chocolate 'bem feito'! É cheio de variedades interessantes.
Ah!! eu tenho algumas chaves que devem ser ainda giradas, espero que um dia eu consiga rsrsrs.
Muito lindo.
Beijinhos!

Yoyo disse...

Belíssima poesia, Glorinha! Todos temos a chave, mas nem todos sabem usá-la.
Bjos

Deia disse...

Oi Glorinha. Gostei muito da ideia de que a chave, justamente por ser mestra, pode vir a escolher não abrir determinadas portas. Ao longo do vida talvez consigamos entender porque determinadas portas não foram abertas. Talvez não... O importante é acreditarmos que ela terá a sabedoria de abrir o que nos for indispensável, o que nos fizer bem. Um beijo, Deia.

Socorro Melo disse...

Lindo poema, Glorinha. E emocionante. A chave individual que abre e fecha, portas e janelas, por onde transitamos, durante a nossa vida, e que abrirá, com certeza, as portas de um mundo melhor, superior. Essa chave, na minha visão, são as virtudes que carregamos no nosso coração, os nossos valores.

Bjos
Socorro Melo

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Adoro chaves antigas!

Vicentina disse...

Lindo Glorinha, fiquei aqui pensando acho mesmo que todos nós temos esta chave, que servirá pra abrir o lado de lá...
Bjs

Kilzer disse...

Arrebentou Sogrinha!! Adorei! Vou te dar um chaveiro lindo pra guardar essa chave!! Bjs.