segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Tempo, Tempo, Tempo, Tempo...

"Onde Foi Parar Nosso Tempo?" é o livro de Alberto Villas que questiona o que fizemos com o tempo que nos sobrou com tantas descobertas, progresso e economia de tempo.
Em tempos de controle remoto, elevador, metrô, cd e os chamados avanços tecnológicos, em que a cada minuto novas tecnologias surgem e o que parecia novo há uma semana atrás, já se torna obsoleto em pouco tempo, o que fazemos com o tempo que, supostamente nos sobraria?
Eu ainda não li o livro, mas fiquei curiosa e louca pra falar nesse assunto aqui no blog.
Lembram quando tínhamos que virar o disco para ouvir o outro lado?
E quando tínhamos que subir as escadas porque ainda não haviam escadas rolantes?
E nossos avós que nem imaginavam o metrô?
Ou os aviões supersônicos ou os trens de alta velocidade?
O que estamos fazendo com o tempo que nos resta?
E afinal, ele realmente resta?
O tempo que deveria sobrar para gastarmos com a família, com os amigos, fazendo coisas prazerosas, o que foi feito dele?
Pelo contrário, parece a cada dia passar mais rápido. As horas, os dias, as semanas, os meses, os anos.
Mal piscamos e mais um ano terminou.
É assustador, ver que de nada adiantou tanto progresso. Pois os avanços só nos fizeram andar mais para trás em determinados aspectos da vida.
Temos menos tempo para o amor, menos tempo para a vida, para os filhos, para os prazeres da vida.
Que mundo louco é esse?
Que humanidade louca é essa?
Já se perguntaram o que estamos fazendo ou o que fizemos com o tempo que teria que ter sobrado para vivermos melhor?
Aproveito para deixar como reflexão a letra da música de Caetano Veloso.
Ainda dá tempo de pararmos para pensar o que temos feito da nossa vida e do nosso tempo de ser feliz.


Oração Ao Tempo

Caetano Veloso

És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo...
Compositor de destinos
Tambor de todos os rítmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo...
Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo...
Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que te digo
Tempo tempo tempo tempo...
Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo...
De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo...
O que usaremos prá isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo...
E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo...
Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo...
Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo
Tempo tempo tempo tempo...

15 comentários:

claudete disse...

Sábia postagem Glorinha...Quando eu era menina ouvia sempre se dizer, que para os idosos o tempo passava lentamente, para os jóvens ... Célere pela sua ânsia de viver. Hoje percebo que tudo isto é bobagem ...O tempo é proporcional às atribuições e atividades que percorremos nele. Hoje, não sei se é utopia...Mas falam que o dia de 24 horas encurtou na prática...Então temos menos tempo e como é mais intensa a vida dos habitantes deste século, dividir o tempo fica cada vez mais diicil, mas com seletividade e estabelecendo prioridades que passem pela retomada do que nos faz feliz é possível driblar o tempo a nosso favor. beijos no coração.

Beth/Lilás disse...

Ahhh, aquele livro que você me falou!
Realmente, parece que nosso tempo encurtou, mas isso é balela, nós é que arranjamos mais e mais coisas para fazer e depois dizemos que a vida tá diferente, corrida e blá blá blá.
Adoro essa música do Caetano, agora vou ficar aqui cantarolando na noite.
beijinhosssssssss

Elisa no blog disse...

Glorinha,
Feliz Aniversário atrasado.
Naquela ocasião ainda não te conhecia. Via a homenagem no blog do Alexandre, vi seu comentário e resolvi vir aqui te visitar. Seu blog é lindo, suas palavras são cheias de amor e emoção. Gostei muito daqui. É muito aconchegante. Já estou te seguindo.
beijos,
Elisa

Nilce disse...

Oi, Glorinha

Perdemos muito tempo com as modernidades. Tempo no trânsito, tempo em frente à TV, tempo nos estressando, correndo do medo,ligando máquinas...
E o pior é que, não pense que no interior a coisa muda.
Se você tem emprego na cidade, só muda o tempo de voltar pra casa, vc sai mais tarde. Então fica tudo igual. A mesma correria.
É todo mundo sem tempo, reclamando que falta tempo.

Bjs no coração!

Nilce

Anne disse...

Vc tem razão Glorinha, todos os dias as coisas parecem mais corridas, o tempo parece mais apertado... Acho que é por conta de tantos afazeres, tantas responsabilidades...
E o tempo que nos sobra (na maioria das vezes parece que nem sobra) nem sempre aproveitamos como deveríamos...
Ótimo assunto pra gente pensar e analisar o que estamos fazendo com o nosso tempo...
Beijos!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Inventam tanta coisa... tanto gadget, tanta tecnologia e afazeres.
mas cadê o upgrade nas horas do dia? isso não se inventa né.
afff
e olha o ano já indo pro saco!
bjs

Françoise disse...

Parece que tivemos evoluções mas perdemos em muitas coisas. O mundo está realmente mudando. Há coisas grandiosas ainda por acontecer e a Terra já anuncia o caos. É triste mas é real, infelizmente.
Seu post me lembrou o texto de Luis Fernando Veríssimo: "E tudo mudou" ( Vou te enviar por e mail).
Fiquei curiosa com o conteúdo do livro que citou acima....
Beijos e
boa semana!!!

Misturação - Ana Karla disse...

Perfeito!
Quando eu era pequena achava que o tempo não passava,e sim se arrastava.
Hoje ele vôa!
Meu Deus , vejo as pessoas sempre apressadas, sem "tempo" para nada.
Apenas tempo para trabalhar em busca do "ter" mais e mais.

Evolução que não evolui.

Busco o tempo para os meus e as minhas. Essa é que é a minha verdade.

Bom dia Glorinha.

Xeros.

Deia disse...

Oi Glorinha! Pois é, o tempo continua o mesmo, 24 horas no dia, por que será que ao invés de aproveitá-lo sentimos como se o desperdiçássemos? Porque tudo se tornou urgente, para ontem, porque prioridades foram invertidas em nome da modernidade, e pequenos prazeres foram rebaixados à categoria dos supérfluos. O que importa é o aqui e o agora. Amanhã? Deixa para os fracos... Ai, ai... Como é bom vir aqui e nos blogs que gostamos e usarmos (diferente de gastarmos, percebe?) nosso tempo lendo ideias e pensamentos que geram a reflexão, o fascínio, o entusiasmo. Um beijo, Deia.

Denise Lopes disse...

Oi Glorinha é um prazer passar por aqui. Esse tempo é um mistério e muitas palavras podemos usar para defini-lo. Mas acredito, que nossa definição pessoal deve estar a frente dele, pois somos nós que o construímos e damos à ele dimensão curta ou longa...Gosto de refletir sobre este tema, e na minha época de adolescente,construidora insaciável de idéias, escrevia longas páginas, e era esse meu tema preferido. Não acredito que meu tempo tenha acabado para escrever mais e mais..Acho que priorizei outros hobbys...Beijos querida é um prazer conhecê-la.

pensandoemfamilia disse...

Tenho tentado andar contra a maré, ou seja, priorizar para fazer do meu tempo o que ele merece, é muito precioso.
Estar aqui por estes espaços é um exemplo disto. Dividir o dia entre trabalho, administração da casa, família, amigos reais e virtuais, lazer, cuuidados pessoais, ...Enfim viver a vida com menos ansiedade.
bjs

Isadora disse...

Minha amiga, eu, particularmente, acredito que todo o avanço teconológico serviu para uma coisa: termos menos tempo.
Há alguns muitos anos, a correspondência era através de carta. E tínhamos que esperar o recebimento, a resposta, para que possamos fazer algo. Hoje, encaminhamos um e-mail e 05 minutos depois já temos o retorno. Ou seja, ganhamos tempo, mas em compensação passamos a desenvolver mais atividades, já que ganhamos tempo. No final, é claro não poderia acontecer diferente: temos menos tempo!
Boa reflexão mesmo!
Um beijinho

LILIANE disse...

O tempo é um tesouro que muitas vezes escapa; com ele podemos tantas coisas.
Podemos aprender, perdoar, amar, abraçar.
Talvez por falta de priorizar o que é importante fiquemos perdidos e confusos.
Obrigada por esta postagem que me fez refletir sobre como eu aproveito o meu tempo.
Um beijinho.
Fiquei feliz de saber que seu irmão está mais recuperado.

Macá disse...

Glorinha
É verdade, sempre parece que temos menos tempo e que os dias e os anos voam.
Mas também, pense. Antes, eu sabia de cor as revistas que existiam; eram somente aquelas. Hoje, a cada dia surge uma diferente. Livros são lançados aos montes, a internet nos fornece o mundo inteiro de presente, e com isso vamos querendo usar tudo isso e nos falta tempo mesmo. Não tem jeito, a tecnologia avança e nós vamos juntos no embalo.
Um beijo

Bombom disse...

O Tempo... o que fazer dele, ou o que fazer com ele...Isto de "já termos muito tempo" (ser idoso) tem algumas vantagens. Temos mais tempo para fazer as coisas que não tivémos tempo de realizar quando éramos mais novos e estávamos cheios de tarefas a cumprir sem ter tempo para mais nada! Foi muito interessante esta tua mensagem por ter servido para muita gente repensar o que anda a fazer com o seu Tempo. Para não nos deixarmos ir na onda dos sem tempo, ainda estamos a tempo de organizar as nossas prioridades! Um abraço da Bombom