sábado, 21 de maio de 2011

Chá, Livros & Divagações...


Adoro quando o tempo está assim, como o deste fim de semana: friozinho, sol fraco, que de vez em quando se esconde, tímido, atrás de nuvens escuras. Quando posso sentar com um livro, uma caneca de chá e ficar, por longas, longas, horas, absorta e enfronhada num mundo em que não vivo, num outro mundo, paralelo, feito de estórias de outros, contadas com maestria, prendendo minha atenção.
Quando o fim de semana se aproxima e a casa se torna um entra e sai de gente, minha paz fica um pouco abalada, pois ando precisando de silencio e calma. Prefiro a casa deserta, mas também gosto de ter a família por perto. Mas mesmo tendo mais coisas a fazer, me retiro para o meu canto preferido e, quando posso, retomo o meu mundo e deixo a minha imaginação voar.
Ando tão mergulhada em meus escritos, que de vez em quando, preciso sair para outras caminhadas, por outras paisagens, outras épocas, outros países.
Isso me alimenta, me oferece uma diversidade de olhares, dos quais necessito para escrever.
Tenho notado algo que veio muito forte, em mim, com a maturidade: Meu olhar se aguçou, meu entendimento das coisas e do mundo se ampliou, como se meus neurônios se multiplicassem e minha inteligência se refinasse.
O auto conhecimento faz isso conosco, nos fornece subsídios para que compreendamos melhor o mundo.
Minha capacidade criadora também tem crescido de maneira notável. E isto não é auto elogio. É constatação.
A cada dia, sinto que minha criatividade se amplia, cresce. Seria isso o que os antigos chamavam de "sabedoria"?
Estou com minha atenção, também, redobrada. Meu lado observador, aprimorado. Como se meu radar para as coisas e pessoas estivesse exacerbado. Noto o que outros não notam, percebo o que outros não perceberam.
Todos os meus sentidos estão voltados para a criação, para o entendimento, para o depreender.
Livros fazem isso com a gente. Abrem nossa cabeça, nos preenchem, ocupam os cantos escuros, os lugares, os vãos.
Mas para que isso ocorra é preciso ter sido preparado, através da vida, para esse preenchimento. E ele vai sendo feito, homeopaticamente, ao longo dos anos.
Afinal, literatura não é botox. Escritores, que possam ser chamados por esse nome, não se encontram em qualquer esquina.
Para que a leitura encontre eco dentro de nós, é preciso mais do juntar palavras ou concatenar ideias.
Para que um escritor faça jus ao nome de escriba é preciso ter lido mais do que livros de auto ajuda ou romances de bancas de jornais.
Escritores se fazem ao nascer e se aprimoram ao longo da vida. E isso, não é para qualquer um. Podem até achar-se  escritores. Podem até ser descritos como tais, mas não o são e jamais o serão.
Volto eu para o meu sofá, meu chá e meu livro...já divaguei demais pela arte da escrita. Porque a escrita é arte. Tolos são os que pensam que, porque escrevem razoavelmente, são artistas. Mais tolos ainda os que escrevem mal, muito mal e, ainda assim se auto denominam escribas.
Para bom entendedor, um pingo é letra. Os maus entendedores, os que não têm estofo, esses, continuarão sem noção de quem realmente são...



foto sidewalkstories

41 comentários:

JasonJr. disse...

... :D ...

Giovanna disse...

realmente, nada melhor do que um livro e um chá no frio
nossa, que texto mais bem feito
adorei seu blog, jah to seguindo
beijos
likehappydream.blogspot.com
Jo

Leila Brasil disse...

Eu me lembrei de uma frase do filme Homem Aranha: " Quanto maiores poderes, maiores responsabilidades"( mais ou menos isso)
O seu olhar mais aguçado, seu dom de escrever vai pescar muitas emoções profundas por aí...para ativar novos dons, reproduzir novas emoçoes numa corrente boa e produtiva.
Um cházinho cai muito bem no dia de hoje . Vou colocar uma água para ferver enquanto leio suas postagens
beijos ,amore, obrigada por estar sempre comigo.

manuel marques disse...

É apaixonante ver como o trabalho realizado em solidão se transforma numa experiência partilhada .

Beijo minha querida.

Taia Assunção disse...

Gosto do silêncio, fico treze horas por dia só...de quando em quando uma ou outra amiga (somos em quatro agora), vem me visitar. Gosto de receber, mas quase nunca vou a casa de ninguém sem ser convidada. Não escrevo nem de longe com a mesma propriedade que você, mas gosto de exercitar a escrita. E como falei no meu último post, lido melhor com as palavras escritas do quê com as faladas. Lembrei-me de ti a pouco, perdi a compostura com uma 'leitora'...rsrsrs. Não, não estou dizendo que isso acontece com você...rsrsrs. Faça-me o favor, é cada figura que aparece. Beijocas lindona.

Glorinha L de Lion disse...

Jason, meu caro, me perdoe, mas, embora mais madura e talvez mais sábia, não sei o que :D significa...Demais? De menos? Detestável? Poderia, por gentileza me explicar? Nem sei como te responder...se te agradeço ou não falo nada...abraços,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Giovanna, obrigada pela vista, seja bem vinda ao meu Café, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Leila, frase sábia...é verdade. Então tá, vai lá ferver a água e volte pra colocarmos a conversa em dia...Gosto demais da forma como escreve e admiro-a, como verdadeira escritora que é. Beijos,

Taia Assunção disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkk...só tu mesmo Glorinha. Acho que :D é um sorrisão, põe reparo. Só que deitado. Tendeu??? ;-) Metida eu, pode não ser também, sei lá.

Glorinha L de Lion disse...

Manuel, meu sábio amigo. A solidão pode ser extremamente rica e criativa, para mim ela é um luxo. E tu, como escriba tb que és, sabe como eu, o quão importante ela é para quem escreve.Beijo enorme e um lindo domingo pra ti,

Glorinha L de Lion disse...

Shiii Taia, alguém "buliu" contigo é? Vou lá ver...hehe Quanto à solidão, eu tb fico praticamente 12/13 hs sozinha em casa, só com meus cães e micos...e adoro! Beijos,

Bombom disse...

Tens razão, não é Escritor ou Artista quem quer.A técnica pode adquirir-se, pode estudar-se; mas a Arte, essa nasce com cada um e são bem poucos. Adorei o teu chá e a dissertação! A idade traz isso tudo que dizes. A maturidade, a serenidade, a compreensão e tudo isso nos conduz à Sabedoria.Ainda estou Na Esquina Do Tempo N° 50! Estou a saborear cada conto como se fosse um chocolate que se come com pequenas dentadinhas para que não acabe tão depressa!!! Bjs. Bombom

Tati disse...

Oi Glorinha, talento não se vende em frascos na farmácia, isso é certo. Bom senso também não... Nem todos são capazes de perceber isso. Entendi sua divagação.
Fiquei com vontade do chazinho... Ontem eu tomei o capuccino que estava morta de vontade, da confeitaria que adoro. Fui com uma amiga querida. Mas também, como você, tenho necessidade de momentos de solidão. E essa necessidade é de longos espaços de tempo.
Vou lá ferver a água do meu chá, que será degustado em meio à confusão do meu apartamento, com criança-Taz pela ricocheteando pela sala.
Beijos.

R. R. Barcellos disse...

- Parabéns à sua linda princesa, Glorinha. A minha já chegou na casa dos 40 e somará mais um no dia 31 próximo - sei muito bem como você se sente.
- E imagino você, com micos e cachorros ao seu redor, lendo histórias para eles... e eles entendendo melhor que muitos que se acham "escribas".
- Abraços.

Glorinha L de Lion disse...

Ah então é isso Taia...que bonitinho...sorrisão! Então tá, agradeço ao Jason pelo sorrisão que me deu e à vc por traduzir pra mim! Beijão!

Glorinha L de Lion disse...

Bombom, minha querida! Andava a sentir saudades tuas! Estás degustando minha Esquina como um bom chocolate belga? Uhu! isto é muito bom de saber! Obrigada querida amiga, espero que ao terminar tenha sido de seu gosto, beijos, muitos,

Glorinha L de Lion disse...

Sabia que vc entenderia querida Tati. Que delícia! Capuccino com amiga, bate papo, tarde gostosa? Isso é tudo de bom...e quanto ao seu Taz aí, manda um beijão pra ele...imagino que vc não saiba mais o significado da palavrinha PAZ há muito tempo...rsrsrs beijão,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Rodolfo. kkkkk é verdade, meus cães são mais inteligentes que muitos humanos, os micos então, nem se fala! Obrigada em nome da minha filhota e parabéns antecipado para a sua! beijão,

Calu disse...

Te entendo bem, Glorinha.Dias assim convidam para esse passeio mágico por terras distantes, por casos interessantes, tramas rocambolescas que nos levam longe nas asas da imaginação. E, quando os sentidos aguçados pelo olhar literato se aliam à imaginação despertada, resultam em páginas arrebatadoras, como as que vc nos presenteia.
Boa viagem amiga, com sabor e aquecimento.
Mil bjinhos,
Calu

Hugo de Oliveira disse...

aqui na Bahia já começou também a fazer frioooo...nossa.

abraços

Beth/Lilás disse...

E aí Maninha, curtiu muito o teu cantinho neste dia bonito e meio friozinho?
Eu entendi o que queres dizer e o que sentes, muito se cresce no silêncio e na leitura. É um bom exercício para quem se propõe ser um bom escritor.
Falando em livros, comprei um que parece muito bom e vou ler nas férias.
Chama-se O Sonho do Celta de Mário Vargas Llosa que ainda não li nada dele. Pareceu-me muito interessante.
um beijinho carioca e ótimo domingo!

Glorinha L de Lion disse...

Puxa Hugo, tá frio aí? É de espantar, hein? Por aqui está uma delícia...friozinho bom demais, do jeito que eu gosto! Beijinhos,

Glorinha L de Lion disse...

Shi Betita, acho que o alemão te pegou de jeito. Esqueceu que é esse livro que ganhei do meu filho no dia das mães e que é ele que está na minha estante Skoob aí embaixo e que já te falei que estou lendo ele milhares de vezes? hehehe Tu tá doida muié...e ó, vc não vai gostar...não é seu estilo, beijocas,

Lívia Azzi disse...

Querida Glorinha,

Eu e você, nós já sabemos, temos afinidades e costumes em sintonia. É insuportável viver apenas da realidade que nos cerca. Temos consciência dos nossos atos e temos os desejos, muitos desejos... Mas, temos bom senso, direcionamo-los de um modo seguro, em um mundo onde nos libertamos dessa prisão que é viver.

Nas palavras de Pessoa: “Viver não é necessário; o que é necessário é criar”. E de seu amigo Ricardo Reis: “Porque só na ilusão da liberdade A liberdade existe”.

É assim que encontramos, junto à amizade, nossa matéria de salvação. Não deve ser por acaso que arte rime com amizade, e que ambas as palavras, rimem com liberdade...

Carinhos e beijos!

pensandoemfamilia disse...

Que delicia imagino. Realmente silêncio e criação combinam

Tenha um ótimo dia , e que dia lindo está o de hoje!
bjs

Silenciosamente ouvindo... disse...

Estou num sitio de muita tranquilidade e paz. Estou em
Tuam onde ha um Museu do Livro.
Estou pois na Irlanda,e eu que nao
tenho pretensao de escrever um
livro, estou reconstruindo a minha
historia de vida em palavras, aqui
nesta paz em que os corvos pratica-
mente vem comer a minha mao.
Boa sorte entao para o seu segundo
livro.
Um abraco
Irene
(e desculpe nao haver acentos)

Glorinha L de Lion disse...

Que lindo e sensível seu comentário Livinha! É verdade: arte rima com liberdade e tb com criatividade...Estamos sim em sintonia...nem sei se foi por acaso, mas o Paulo Ghiraldelli me chamou para ser sua amiga no FB, o que muito me honrou. Vi que vc está lá tb!
Não é à toa que temos aquela outra queridíssima amiga em comum...irmãs de alma, beijos querida,

Glorinha L de Lion disse...

É sim Norma, tudo isto contribui para a criação. Beijos e uma ótima semana pra vc,

Glorinha L de Lion disse...

Obrigada Irene, este lugar de que fala deve ser mesmo mágico, um museu do livro! Abraços,

Inaie disse...

adoro me embrenhar em mundos alheios, fazer parte de universos paralelos...

Livros me transportam para uma outra dimensao. AMO

Glorinha L de Lion disse...

Oi Inaie, somos duas...não passo um dia sem ler! Beijos,

Luma Rosa disse...

"Só sei que nada sei" uma frase citada por Platão dando referência a Sócrates, vem à luz nos dizer que quando mais sabemos sobre algo, mais conscientes devemos estar da nossa ignorância. Quanto mais estudamos sobre algo do nosso interesse, percebemos que no mundo existem várias formas de ensinamentos/aprendizado sobre o mesmo assunto. Ser escritor é uma escola que vai além das leituras; a alma de um escritor possui luz que traz clarividência mostrando novos olhares ao mundo, tão cheios de clichês! Um escritor forma-se e o seu brilhantismo vem do dom lapidado.
Glorinha, bom saber que atingiu um estágio de segurança com visão mais ampla do mundo. Parodiando Caetano: Quero ver Glorinha dando sua risada!!
Boa semana! Beijus,

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

eu posso pegar gosto em pintar. e treinar mto. com treino pode até ficar bonitinho, mas é no máximo pra mostrar para minha avó e pra mim mesmo, não é meu talento natural.

não adianta, não tem como forçar algo que não temos a verdadeira vocação. e que, principalmente, não tem boa semente plantada. um escritor não se forma do dia pra noite, lendo um manual com 20 regrinhas. escritor precisa de muita cultura, de ler grandes nomes, ter uma mente muito aberta, receptiva e que realmente PENSE e não seja limitada.

acho que isso é reflexo da cultura atual que temos, que valoriza o sertanejo, a telenovela da tarde, os veelhos programas de auditório e o livro "conheci o homi,me foi mal, apaixonei,fiquei com ele no final". o que a gente precisa mudar é essa mentalidade rasteira, de achar que tudo é facinho, ao alcance da mão e que pode ser feito que nem macarrão instantâneo

bjs Glorinha, boa semana

Simples Assim disse...

Oi Glorinha,
Identifiquei-me demais com o que vc escreveu. Pareque que eu estava escrevendo,pois sinto as mesmas coisas. Gosto de estar só com meus livros, no mundo longe de tudo isso aqui.
Boa semana pra vc,
Lylia

Ricardo Calmon disse...

Minina escriba Glorinha:

Entre quentinho , aromático e dourado chá, percebo que mãoszinhas suas entre dedilhar em teclas, agora não paras, coisas do sucesso docê, nessa arte da vida discertar!

bzix

viva la vie

rick, el fofitu veio mininu

viva a vida

Lu Souza Brito disse...

Bom dia Glorinha,

Escapou-me um sorriso lendo suas divagações sobre os que se intitulam escritores sem ter a arte na alma, kkk. Entendi perfeitamente.
Eu nao nasci com este dom, mas gosto de apreciar. Mas sei que falta muito. O refinamento vem com o tempo não é?(para alguns, porque tem gente que morre lendo os romances eróticos de banca de jornal, kkkkk).

Falando em silencio, eu também aprecio. Passo 10 horas todos os dias praticamente sozinha durante a semana, então, tenho meus momentos de me recolher. Para ler, fazer algumas anotações, ouvir música, enfim.

Um beijo

Glorinha L de Lion disse...

Lumita, concordo e discordo. Acho que já se nasce escritor, pode-se lapidar, como vc diz, mas o dom, é nato.
Há uma grande diferença entre escrever bem e ser escritor...quem é escritor, além de ter que saber escrever bem, tem que escrever com alma e isso, só alguns possuem.
Concordo tb que a sabedoria nos faz querer saber sempre mais, pois a tampa da caixa, quando aberta, não se pode mais fechar...Às vezes é preciso descer do salto e cair na real, e, principalmente,parar de ditar regras que nós mesmos não cumprimos, não é mesmo, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Infelizmente Alê, querido, o mundo é fast food. O mundo é miojo. O mundo é livrinho de banca de jornal...é isso que a maioria quer e pode compreender.
Tem gente que acreditou quando a avó ou a mãe disse: vc é um artista filho! Pois é, os que acreditaram e não são, mesmo assim, às vezes se dão bem nesse país de medíocres...Onde os livros divulgados pelo MEC dizem que pode falar errado sim, pq isso é a língua falada pelo povo, é adequado, não o certo, mas adequado...Pode uma coisa dessas? Adorei seu comentário, beijão,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Lylia, isso é próprio de quem tem um universo à parte dentro de si, onde não cabe o mundo real...muitas e muitas vezes prefiro esse mundo irreal ao mundo em que sou obrigada a viver, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Rick véio minino amado, pois é, meus dedinhos andam com toda a corda! Faço do meu teclado um piano, onde toco concertos solitários para mim mesma! E como me faz bem ouví-los, Ricardito! Beijos do fundo d'alma,

Glorinha L de Lion disse...

KKKK É sim Luzinha, acho que compreendeu tudinho...acho que todo mundo tem o direito de escrever o que quiser, de tentar e de errar e de acertar. O difícil é distinguir o que somos capazes do que não somos...Acho que tem gente que não gosta de solidão, eu não me sinto solitária, nunca. Porque preencho meu tempo e meus vazios com tudo o que mais aprecio: ler, escrever e ouvir música...beijão querida,