quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Tempos sem Gentileza

Fico pensando no que estamos nos transformando.
Em monstros?
Em seres sem coração?
Sem entranhas?
Porque nem nos comparo aos animais, visto que eles têm muito mais ética, lealdade, gentileza e amor do que nós, os humanos.
Há dias atrás fui ao cinema com meu marido. O cinema fica num shopping no centro da cidade.
Pessoas dos mais variados níveis sociais. Educação: nenhuma!
O cinema era um tapete de pipocas espalhadas pelo chão logo que entramos. Vestígios da sessão anterior à nossa.
Um senhor, trazendo uma bandeja com refrigerantes e pipocas para a moça que estava com ele, ao passar, com o filme já começando, sem querer, derrubou um pouco de refrigerante na moça à sua frente. Pronto: Foi motivo e alvo de palavrões em alto e bom som. A moça que o acompanhava respondeu baixo e educadamente: Me desculpe, foi sem querer...
A outra, a do palavrão, continuou reclamando, e logo depois, ela e mais seus acompanhantes caíram na gargalhada, alta, de deboche... O menino que acompanhava a reclamona, passou atrás de nós, forçando todas as poltronas da nossa fileira, empurrando-as para a frente, quando entrou para sentar-se.
Depois, sentou-se atrás de meu marido e passou a sessão toda chutando-lhe as costas da cadeira. Meu marido ficou calado durante todo o filme. Fiquei abismada com a falta de educação e a sujeira da sala de exibição ao término do filme. Fiquei pensando: Está havendo alguma coisa muito errada com a humanidade ou estamos mesmo virando uns trogloditas?
Hoje à tarde fui ao cinema com minha filha. A sessão estava lotada. Conseguimos, com muito custo, dois lugares na última fileira, encostadas na parede, logo depois de um casal de jovens.
Lá pelo meio do filme, pasmem, percebi que a jovem estava fazendo felação no rapaz!
Ao meu lado! Ele, todo espalhado na cadeira, com um braço quase caindo em cima de mim!
Avisei à minha filha, pois meu medo maior era que ele chegasse "aos finalmentes" em meu lindo pezinho e na  sandália que ganhei de Natal. Ou que eu visse e ouvisse...ai que horror! Sabem lá o que é isso? Você se sentar às 4 horas da tarde para assistir a um filme daqueles românticos, água com açúcar e, ao seu lado, um casal atracado, fazendo sexo oral?
Levantei-me procurando um lugar mais na frente e também para que os dois vissem que eu vi e parassem com aquele absurdo.
Minha filha me mandou chamar a segurança. Mas ele ao me ver levantar, mandou que ela parasse. E ela, felizmente parou, mas continuou durante todo o filme deitada em seu colo. Mas, pelo menos, para meu alívio, pararam com aquilo.
Resultado: fiquei tão tensa que perdi uma boa parte do filme.
Saí do cinema pensando: O que está acontecendo? Cinema, na minha juventude era sim, um lugar para uns "amassos", uma mãozinha aqui, um beijo mais quente, mas fazer sexo, no cinema, com pessoas sentadas ao lado e na frente? Hoje em dia, com a liberdade sexual que nossos jovens têm, com tantas oportunidades de ir a um motel e fazer sexo na hora em que querem, precisava isso? Eu precisava passar por um constrangimento desses?
O que está havendo com as pessoas, sejam jovens, velhas, de alto ou baixo poder aquisitivo?
Será uma crise de valores?
Será a falta de educação que grassa em nosso país? Será a certeza da impunidade? Liberdade demais?
Educação de menos?
Falta de mãe e pai para educar?
Saí do cinema pensativa. A falta de gentileza com o outro: O jogar o saco de pipoca no lixo, pensando no próximo que virá assistir ao filme na próxima sessão...coisas mínimas como essas e máximas como deixar para fazer sexo oral com o namorado na intimidade, em casa ou num motel.
Onde andará nossa gentileza? Onde andará nossa humanidade?
Que futuro estamos preparando para as próximas gerações?
Confesso que saí chocada, logo eu, que me considero uma pessoa sem preconceitos, ou pelo menos, consciente e atenta aos meus, para que não passem do limite, tentando domá-los.
Saí estarrecida, confusa. Está tudo fora de ordem. O mundo está um caos. Gente que se diz espiritualizada joga pedras nos outros pelas costas. Falta de escrúpulos, de gentileza, de amor ao próximo.
Ando precisando de férias do planeta Terra.

39 comentários:

Beth/Lilás disse...

MInha amiga, vou te contar, que absurdo!
Sei lá o que está havendo, mas a verdade é que a juventude atual saiu dos limites e não consegue entender certos parâmetros estabelecidos na sociedade e que são valores universais que teem e devem ser respeitados.
Faço idéia o constrangimento por que passou e, afinal, qual foi mesmo o filme heim? hehe
bjs cariocas

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

muita gente fala que a educação japonesa é muito formal, rígida. Mas eu nunca presenciei nada parecido com o que vc falou por aqui. Ao contrário, muitas vezes os maus educados somos nós, estrangeiros.
Acredito eu, que se vc tivesse ido à um cinema na Itália tb não veria tamanha falta de respeito. Não sei porque as coisas se avacalharam tanto no Brasil, parece que tdo o que é "feio, errado ou desrespeitoso" virou norma.
Me lembro de passar sempre mto nervoso em cinema no Brasil: gente que se acha comentarista de filme, gente que faz refeição no cinema, gente que vai fazer de um tudo.

afff. é pra dar desgosto, melhor coisa a fazer é ter uma tv enorme e um bom blu ray.
q horror

Yasmine Lemos disse...

Bom dia Glorinha,
as pessoas estão esquecendo a gentileza, jogando fora a delicadeza.Mas não percamos as esperanças,resta nós que acreditamos no amor .
beijo

Cucchiaio pieno disse...

Amiga querida
No Brasil também passei por situações semelhantes no cinema (no primeiro caso, pois no segundo caso meu colesterol nao iria resistir - hehehe)! Aqui na Itália, as salas de cinemas sao impecáveis quando entramos e quando a sessão acaba todos jogam seus próprios lixos no lixo! E nunca vi nenhum amasso.
Realmente é impossível nao ficar chocada.
Bjo grande
Léia

Lu Souza Brito disse...

Oi Glorinha,

Para mim a resposta está aqui:

"A certeza da impunidade;
Liberdade demais.
Educação de menos.

Imagino que deve ter sido uma cena bastante constrangedora. Não que ninguém seja puritano, não é a questão. É questão de respeito, a si e ao próximo, do lugar onde se está e o que está fazendo. Eu hein!
Fantasias sexuais das mais descabidas todo mundo tem (imagino), mas isso aí pra mim já é um pouco demais!

Manuela Freitas disse...

OLá querida Glorinha,
Gostei muito do teu poema anterior, tu és o máximo em expressividade e fluidez de ideias e palavras.
Sobre ir ao cinema,a crítica está contundente, mas muito realista. Agora de facto estamos numa era que me parece a «Idade da Estupidez» em que vale tudo!
Quando vou ao cinema, para fugir a essas coisas e para ver um filme em paz, vou logo à primeira sessão do dia, quando vai menos gente!
Beijinhos querida,
Manu

Ângela disse...

Glorinha, Infelizmente hoje não existe mais o respeito ao próximo, cada um quer apenas saber de sí, e o outro, ahhh!!! que se dane, mesmo que esse outro esteja colado a você em uma poltrona de cinema, pensa que o espaço público seja apenas dele e de mais ninguém.
Acredito que seja falta de pai e mãe, como você mesma disse, falta de raízes fortes e alicerces rígidos, falta de princípio moral e ética, e o pior de tudo falta de vergonha na cara.
Estamos vivendo a banalização dos princípios morais por toda parte, no horário nobre da TV, nos espaços públicos, onde quer que possamos estar. Também queria muito saber, onde vamos parar?
Me junto a você em sua indignação.
beijos com carinho

Lúcia Soares disse...

Glorinha, estou aqui indignada! Sei lá eu o que faria, vendo uma cena dessas, mas acho que me levantaria, falando o motivo, e iria diretamente procurar o responsável pela sala e ia querer meu dinheiro de volta, claro, pois a essa altura já teria perdido uns bons minutos do filme.
A liberdade virou libertinagem.
Sexo é uma das melhores coisas da vida, mas no lugar certo.
Por isso é o máximo da intimidade, é para ser feito a quatro paredes. (pode até ser "parede" de carro, rsrrs ou seja onde for, mas a sós! os dois)
Nossa! meu sangue está fervendo!
Quanto á limpeza dos cinemas, à falta de educação generlizada, por isso não vou mais a eles.
Espero calmamente um filme chegar à locadora para assistí-lo, confortavelmente, em casa.
Menina, "tô boba"!
Essa "zinha" e esse machinho atirados deveriam ser autuados em flagrante por atentando ao pudor!
Beijo!

Regina Rozenbaum disse...

Ahhh Glorinha, me conta onde vai tirar férias que vou tb... Ando tão demodê, tão antiga nesses quesitos...e isso me faz querer estar cada vez mais em casa (tô criando a maior teia rsrs)...tenho perdido muitos filmes por conta disso td que relatou... e em tempo de férias (piora) é uma falta de respeito TOTAL...pode tudo!!! E se reclamamos da conversa no celular, dos cutucões, do barulho, incessante, da comilança ainda temos que ouvir: tá incomodada tia? Vai embora! Afff....
Beijuuss n.c.

pensandoemfamilia disse...

Oi Glorinha
Voltando dos passeios de viagem, um pouco prejudicada do braço por uma queda, volto aos poucos para compartilhar.
Vou constantemente ao cinema e estou sempre indignada e tendo algumas atitudes contrárias a alguns comportamentos, com chutes na cadeira, luz de celular. Não há educação e isto parte das família para à sociedade.
Já fiz posts referindo-me a alguns destes ítens no sentido de alertar
sobre estas questões da gentileza e respito ao próximo.
bjs

Marli Borges disse...

É Glorinha, gentileza zero, educação zero. Mas esse comportamento que você presenciou, realmente é caso de polícia.
Bjsssss

Glorinha L de Lion disse...

Oi Betita, o filme era O Turista com a Angelina Jolie e o Johnny Deep. Perdi um bocadão por causa daqueles maledetos sem vergonha! hehe Beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Pois é Alê, ando pensando em desistir de ir ao cinema mesmo...que coisa horrível isso, nem te conto! Acho que vai ter que haver um retrocesso na educação, senão daqui a um tempo vamos ver no meio das ruas as pessoas fazendo sexo animal...que horror! Beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Yasmine, acho que é a certeza da impunidade, mais uma vez, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Um absurdo né, Leinha? Por essas e por outras: quero morar na Itália! hehe beijos,

Glorinha L de Lion disse...

É isso Lu! Impunidade! É a culpada de tudo...beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Gostei da Idade da Estupidez...hehe. Acho que é isso mesmo! Estamos nos transformando em trogloditas da Idade da Estupidez! Que horror! beijos querida Manu!

Glorinha L de Lion disse...

Oi Angela querida. Essa é a pergunta que não quer calar: onde iremos parar? Na sarjeta, certamente, ou numa caverna, como os neanderthais, transando uns na frente dos outros sem a menor vergonha...falta pouco...beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Lúcia, imagine o meu! Fiquei até com taquicardia! Mas o cinema estava tão lotado e eu tão lá no fundo, que até chegar lá na frentre...sei lá, acho que tb fiquei envergonhada de fazer um escândalo...sabe o que é? acho que recebemos educação demais e isso atrapalha às vezes. Queria ser daquelas de rodar a baiana...mas não sou assim, obrigada pelo apoio, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Vamos Rê? Tô pensando em ir pra um planeta distante chamado Boa Educação...fica meio longe, mas vale a pena...hehe beijos querida,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Norma, espero que esteja melhor...pois é, sei que de vez em quando aborda esses assuntos, a falta de limites e que tais...precisamos mesmo falar disso...beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Realmente Marli, caso de polícia, atentado ao pudor...mas e o medo do garoto virar pra mim e dizer que eu estava inventando e era maluca? isso é o que se vê aos montes hj em dia, a vítima virar ré, não é mesmo? Beijos,

Macá disse...

Glorinha
Que situação heim?
Sabe que eu também ando tão indignada com tudo isso.
Fiz dois posts intitulados "Pra se pensar", você viu?
É falta de educação, de respeito, de pudor, de caráter, por todo lugar. Mas isso já está passando dos limites não?
Saudades
beijos

ManDrag disse...

Eu fui perdendo o gosto pelo cinema com o aumento de pipocas e outras porcarias disponibilizadas. Não entendo porque uma ida ao cinema terá de se assemelhar a uma sessão de televisão na sala de casa.
No meu tempo, ir ao cinema era uma ocasião especial e um exercício de civismo. Depois tudo descambou em bestialidade.

Lamentável!

Nilce disse...

Tive que rir Glorinha, sinto muito.
Mas quando cheguei na parte do casal ao teu lado não aguentei.

O que é isso minha gente? Onde vamos parar? Um abuso muito grande.Já estava achando um absurdo a sujeira e a falta de respeito com as pessoas na sala de cinema, ainda mais essa.

Pare o mundo que eu quero descer!

Bjs no coração!

Nilce

Vicentina disse...

Pois é amiga, fico pensando, como é que as pessoas podem sentir prazer numa situação destas? Estamos virando animais? Minha avó que já morreu há muitos anos já dizia "no futuro vamos ter vergonha de ter educação" acho até que animais são mais reservados que os humanos, sem mais comentários, credooooo.
Bjs

Drika disse...

Nossa, Glorinha... que absurdo mesmo! O ser humano está se perdendo de si mesmo, de tudo o que há de mais belo em si através do desrespeito que começa dentro dele próprio e parte para o externo... =/

abraços!

Bombom disse...

Ontem não consegui deixar um comentário! Fiquei embatucada mesmo e tive de por as minhas ideias em ordem. As emoções foram tão contraditórias!... Senti-me "bota de elástico" e era normal, dada a minha provecta idade. Depois senti-me ofendida na minha dignidade pelas atitudes do casalinho dito moderno, mas que não passa de grande mal educado.
Tudo o que disseste é pouco para classificar essas atitudes públicas de falta de recato e de decência.
Isso só prova que estamos no fim de uma Civilização!
Quando o Homem põe de parte os Valores, a Educação e a Moral Natural, nada mais resta senão o seu lado animal! É a isso que estamos assistindo: uma corja de animais à solta, que se acham Racionais, e nem se enxergam!
E dessa raça recuso-me a fazer parte!
Bjs. Bombom

Glorinha L de Lion disse...

Oi Macáfui lá ler...muito bons! Pois é menina, cada coisa viu? Um horror! beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Verdade amigo Man Drag, hj a bestialidade impera! Em todas as esferas da vida, bjs,

Glorinha L de Lion disse...

E eu tb Nilcinha, quero descer e é já! Tá todo mundo louco! beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Vice, acho que sim, viu? Os animais somos nós e não os bichos...triste isso, beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Oi Drika, sinceramente por mais que eu analise não encontro explicação pra uma aberração dessas...já fui jovem, já namorei muuuuito, não sou puritana, pelo contrário, mas peraí, isso foi demais, né? beijos,

Glorinha L de Lion disse...

Ah Bombom, tu? Provecta? Que é isso? Uma lindona dessas, na flor da melhor idade...és tão linda e estás tão bem, nem pareces tão provecta assim, como dizes...hehe Mas foi. Foi assim mesmo, um verdadeiro acinte, um absurdo, como disse o Man Drag: uma bestialidade! Acho que estamos mesmo chegando ao fim da nossa civilização. Novos tempos estão por vir, pq esse nosso tempo está se auto destruindo, beijos querida "provecta" rsrs amiga, rsrs

Isadora disse...

Oi Glorinha, sem dúvida, o que temos visto é pouca educação, em todos os sentidos. Desnecessário e inoportuno, o casal jovem. Uma falta de respeito de ambos para com eles mesmos e com os outros.
Sem dúvida é chato ter refrigerante respingado, mas imagino que não seja motivo também para tanto auê. Afinal, ninguém derruba nada nos outros de propósito.
E o que você escreveu entre tantas coisas que infelizmente vimos no dia a dia.
Um beijinho

www.comtextosdavida.com disse...

Glorinha , minha mãe quando queria ironizar dizia: "Nossa é uma fartura,farta tudo" Dê uma analisada na frase e veja que realmente é uma fartura, mas de má educação e respeito.Também de falta,pois a chamada educação e respeito,valores etc.Que país é esse?
bjs Lais

Camille disse...

Oi Glorinha, estou aqui passando pelos teus posts para saber o que aconteceu para as pessoas te mandarem abraços. Seu aniversario sei que nao foii por que ja aprendi que voce é leonina. Mas enfim, bati nesse post aqui e te digo: nao me surpreende a cena. Faz um tempo li na Folha de SP que agora tem muitas boates de "baladas" que a moçada burguesa, "de familia", vai sabendo que vai rolar sexo grupal, casual, voyerirismo. Ou seja, como a liberdade é total, a neurose humana nao deixa por isso mesmo, começa a ficar banal e quer mais adrenalina. No minimo o casalzinho cretino estava fazendo sexo oral ali pela excitaçao de alguem estar assistindo. Mas é o caso de chamar a policia mesmo. Isso é atentado ao decoro e a liberdade de um vai ate onde começa a do outro. NUm caso desses,grite mesmo! Beijos!

Glorinha L de Lion disse...

Pois foi Camille! Uma cena grotesca! Acho que tem razão, a banalização do sexo gera essas barbaridades...Quanto ao meu signo, só o ascendente é que é leão, sou virginiana da gema! beijos,

Luciana disse...

Eu fiquei horrorizada só em ler. Realmente está complicado, e não sei qual a razão, mas comeca pela falta de educacão mesmo e logo cedo, como o chato do menino chutando a cadeira do seu marido durante o filme. Menor paciência com gente assim. Aqui na Noruega moro numa cidade pequena e as pessoas ainda se preservam de incomodarem os outros, tem até uma regrinha de um livro infantil que é bem a cara do norueguês que diz que devemos viver a nossa vida e não incomodar os outros, ainda bem que fazem uso disso, mas sei que vai mudar, já vejo isso, e são muitos imigrantes chegando e trazendo outros costumes.
Outro dia uma brasileira que mora aqui disse que gostava de curtir um som brasileiro nas alturas e ainda disse: 'coitado dos vizinhos'.
Eu respeito muito o espaco dos outros e gosto que respeitem o meu, seria bom que todos fossem assim.

Espero que você tenha uma melhor sessão de cinema da próxima vez.

Beijo