segunda-feira, 1 de março de 2010

O Guarda Livros Se Foi...

Ontem, se foi uma das figuras mais emblemáticas do século XX, talvez um dos últimos símbolos do amor aos livros neste país.
José Mindlin, paulistano de 95 anos, virginiano do mês de setembro, como eu, amante dos livros como eu, guardador, como ele gostava de dizer, de uma biblioteca de mais de 40 mil livros...
Quanta sabedoria e conhecimento esse homem carregou! Quanta aventura, romance, mistério seus olhos leram!
Livros raros, livros de todos os tipos faziam parte de seu acervo, que ele, com sua generosidade de grande amante das artes, legou para a USP.
Ele dizia que não os possuía, apenas os guardava enquanto estava vivo...
Morre um ícone, morre o homem-livro, o sábio acadêmico cuja existência deveria servir de exemplo a todos os brasileiros...
José Mindlin representa a grandeza do amor pela literatura, pelos livros e pela cultura, o que, convenhamos, é de uma importância extraordinária num país onde o presidente se orgulha de não gostar de ler e se vangloria ao dizer que a leitura de um simples jornal lhe dá sono.
Ainda bem que pude ser contemporânea de um homem dessa magnitude.
Que seus livros possam transformar a vida de, pelo menos, 40 mil pessoas.

11 comentários:

Renata disse...

Ele dizia que seu amor pela leitura era como um vírus, e ele queria que esse vírus se espalhasse pela população inteira...pobre sonhador!
Pelo menos conseguiu realizar o seu sonho de formar e deixar a quem for merecedor uma biblioteca fantástica!

Vivi disse...

Grande perda né Amiga??!!!
Que cultura!!!!
Ele leu todos!!!! magnífico!!!!e mais magnífico ainda sua maneira de pensar e agir...ele não os possuía..apenas os guardava!!!!
Grande perda!!!!!
bjs

Bordados e Retalhos disse...

Ah se as pessoas amassem os livros como esse homem! Já pensou o que seria da nossa gente, do nosso país, do nosso mundo? O que me anima é ouvir histórias de pessoas simples, povão mesmo, que também são guardiões de livros e vivem, de alguma forma disseminando a leitura. Aqui na Grande Vitória há pequenas bibliotecas públicas espalhadas pelos terminais de ônibus. Tenho vosto muita gente na fila, esperando o coletivo e devorando livros. Não é uma iniciativa bacana? Bjs amiga

Maria Lúcia disse...

Oi Glorinha! Ontem eu assisti uma reportagem sobre este homem tão especial.
Lá no meu blog tem uma homenagem aos cariocas. Lembra-se que eu falei pra vc aguardar, qdo fez aquele post sobre o estilo despojado dos cariocas, aproveitando o verão de 40 graus com banhos noturnos, de mar? Pois é, passa lá depois, tá?
Beijos.

Graça Pereira disse...

Porque será que os grandes Homens são sempre humildes?
Ele tinha razão ao afirmar ser apenas o guardador dos seus livros...Mas foi generoso deixando o seu avultado acervo à USP. Pode ser que este tesouro chegue ás mãos de quem o saiba estimar e entender que é pela cultura que um povo progride.
Gosto muito de te ler porque fazes postagens com muito interesse.
Beijocas
Graça

Luma Rosa disse...

Lembro quando ele doou os livros para a USP e Suza Machado fez uma grande reportagem sobre seu trabalho com os livros, que praticamente começou assim que sua consciência despertou aos 13 anos. Nesta entrevista, ele adiantou aos filhos que gostaria de descansar em paz num túmulo que tivesse o seguinte epitáfio: "José Mindlin - Fabricou pistões a maior parte da vida sem saber o que eram." (rs*) Beijus,

Glorinha L de Lion disse...

Vivi, Renata, Giovanna é uma pena realmente perdermos um homem desse calibre...demorará muito para que nasça outro assim...

Maria Lúcia, vou já já no seu blog ver o que há pra mim...bjs.

Graça, espero realmente que seus livros caiam em mãos que valham a pena...e que façam bom proveito de tão importante acervo. Tb adoro te ler!
Bjs.

Luma, os mais sábios são os que tem consciência de que nada sabem, não é?Bjinhos

Beth/Lilás disse...

Oi, web-mana!
Pois é, há bem pouco tempo eu soube da existência deste homem maravilhoso, através de uma postagem que uma amigona paulista fez sobre ele, ainda bem enquanto era vivo!
Fiquei sua fã desde então, agora ele se foi, mas seu legado ficou para nós e para muitos. Uma grande alma!
beijos cariocas

Beth/Lilás disse...

Agora me digam, porquê a nossa televisão não tira tempo para fazer programas, entrevistar pessoas como ele, principalmente enquanto estão vivos?!
Tanta gente boa nesse país e o povo consumindo trash! humpt

bjs

angela disse...

ainda bem que pudemos desfrutar deste icone, tenho um amigo que trabalhou pertinho dele, ele não tem palavras para descrever as qualidades deste grande homem, uma perda!! bjs

Manuela Freitas disse...

Não conhecia, mas é admirável conheçe-lo pelas tuas palavras...Ter assim um acerbo e guardá-lo como um tesouro...que muitos possam apreciar essas jóias!...
Bjs,
Manú