sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Mia Couto e o Blog Action Day

Inspirada por um lindo conto do Mia Couto que li ontem e pela blogagem coletiva que está rolando na blogosfera sobre o respeito à natureza e os cuidados com o planeta, resolvi escrever, mais uma vez sobre o extraordinário escritor moçambicano, por quem me apaixonei loucamente.
Nesse conto chamado "O Peixe e o Homem", Mia nos leva a pensar sobre nossa relação com a natureza, através de um realismo fantástico e cheio de simbolismos.
Nesse conto, para mim um dos mais lindos do livro O Fio das Missangas, ele conta a estória de um homem que todas as tardes levava um peixe para passear. Colocava-lhe uma coleira e o levava a passear no lago, dando voltas e voltas com o peixe, que o esperava todas as tardes.
No final do conto, entendi, na minha interpretação, que quem levava o homem a passear era o peixe.
Deixo aqui a frase dita pelo personagem e que resume bem o pensamento do autor.
Minha homenagem à sensibilidade de Mia Couto e ao dia das águas no Blog Action Day-Water  e a esse maravilhoso Planeta Água em que vivemos.

"Não existe terra, existem mares que estão vazios".
     Mia Couto - O Fio das Missangas

39 comentários:

manuel marques disse...

Identidade

Preciso ser um outro
para ser eu mesmo

Sou grão de rocha
Sou o vento que a desgasta

Sou pólen sem insecto

Sou areia sustentando
o sexo das árvores

Existo onde me desconheço
aguardando pelo meu passado
ansiando a esperança do futuro

No mundo que combato morro
no mundo por que luto nasço

Mia Couto, in "Raiz de Orvalho e Outros Poemas"

Mia Couto


Beijo e bom fim de semana.

Glorinha L de Lion disse...

Estou aqui chorando Manuel, Mia sou eu...obrigada por esse lindo presente. beijos.

Zélia Guardiano disse...

Postagem maravilhosa, querida Glorinha!
Maravilhosa!
Também sou apaixonada por Mia Couto!
Nunca mais esquecerei que "não existe terra, existem mares que estão vazios"...
Grande abraço, minha linda!

Astrid Annabelle disse...

Glorinha que lindo!!!!
Nooosssaaa! Poderosa a frase com a qual termina o post:
"Não existe terra, existem mares que estão vazios".
Adorei.
Afinal quis participar da blogagem e ficou perfeito.
Parabéns...de coração.
Um beijo grande querida amiga!
Astrid Annabelle

Cantinho da Cê disse...

Glorinha, que frase linda...acho que me interessei por este autor...

Beijos,

xunandinha disse...

Glorinha que história linda e sensivel, adorei.
Quanto à história da minha vida talvez daqui dois a tres capitulos mate a tua curiosidade....mas isso terás que ler até ao fim mesmo, poque eu já tenho cinquenta anos.
Continua a escrever coisas tão maravilhosas, beijos

urban.go disse...

Muita sensibilidade e grande inteligência Glórinha.
O Mia passa muito cá em Portugal, a cada volta ele está por cá, daí que o "conheço".
Os seus livros são assim mesmo ... repletos de "segundos sentidos" (no bom sentido claro!).
Quem os desvendar (como tu!) tem uma visão das coisas, no minimo ... peculiar.
Bjs. :D

Glorinha L de Lion disse...

Oi Zélia, O Mia mexeu muito comigo sabe? E esse poema que meu amigo Manoel me mandou tem muito a ver com meu momento e o livro que estou terminando e que rogo aos deuses da escrita para que estejam em breve nas livrarias. Obrigada ,maravilhosa é vc! Beijos mil.

Glorinha L de Lion disse...

Oi Zélia, O Mia mexeu muito comigo sabe? E esse poema que meu amigo Manoel me mandou tem muito a ver com meu momento e o livro que estou terminando e que rogo aos deuses da escrita para que estejam em breve nas livrarias. Obrigada ,maravilhosa é vc! Beijos mil.

Glorinha L de Lion disse...

Não é mesmo, Astrid? Poderosa demais e poderoso tb é o escritor Mia Couto, meu novo ídolo, nas letras.
Obrigada amiga, um grande beijo.

Clau Finotti disse...

Oi Glorinha!

Acho que acabamos nos supervalorizando demais, não é? E se formos pensar bem somos tão pequenos e o mundo viveria tão igualmente o mesmo sem nós.

Mas ainda assim, creio que cada um pode fazer a diferença.

Às vezes "eu não sou eu, nem sou o outro, sou qualquer coisa de intermédio". Viajei com Fernando Pessoa...(se é que me lembro bem e não errei)

Bjos e um liiiiiiindo e feliz final de semana.

Clau

Glorinha L de Lion disse...

Oi Cê, acho que é quase impossível quem gosta de boa literatura não gostar do Mia.Eu estou de 4 por ele. Beijos.

Glorinha L de Lion disse...

Pois então Xunandinha, mate logo nossa curiosidade...já escrevestes os outros capítulos? Obrigada por gostar do que escrevo. beijos e bom final de semana.

Glorinha L de Lion disse...

Oi Urbano, obrigada pelo "inteligente"...rsrs Procuro ler nas entrelinhas e espero que façam o mesmo com meus escritos.O Mia é realmente um escritor fantástico e de uma sensibilidade ímpar. Grande beijo, bom fim de semana.

Glorinha L de Lion disse...

Oi Clau, com certeza, não somos nada, como sempre digo, meras formigas que "se acham"...rsrs beijos querida, bom findi!

Beth/Lilás disse...

Poxa, Glorinha, que visão fantástica este Mia Conto teve em seu conto, mas depois que vi as carpas no Blog do amigo Alexandre, posso até imaginar que algum dia algum japa faça isto com elas, afinal estão muito felizes em estarem nas águas claras daquele rio japonês e chegam tão perto dos humanos, sinal de que eles as respeitam, quem sabe qualquer dia alguém amarra uma cordinha e leva uma a passear ou vice versa. hahaha
adorei sua participação.
beijões cariocas

Glorinha L de Lion disse...

Oi Betita, essa interpretação que dei ao conto nem sei se é a mesma que o autor quis passar, mas assim enxerguei seu simbolismo, posso até estar enganada, mas que é bonito é, não é mesmo? As carpas do amigo Alê, me inspiraram...hehe beijos.

Daniela Scheifler disse...

Glorinha, que lindo! Adoro este escritor também. Dele li o 'Terra Sonâbula'! E agora fiquei louca pra ler 'O Fio das missangas'

beijos!

Glorinha L de Lion disse...

Oi Daniela, agora que conheci o Mia, quero todos os livros dele...rsrs vou devorá-los um a um...beijos, bom fim de semana.

Kelly disse...

O fio das miçangas eu conheço, é realmente lindo!!!!! Beijos

Tati Pastorello disse...

Quantas vezes eu posso escrever a palavra AMEI em um comentário? Eu ainda não li nada dele, só uma postagem da Manu que também me deixou apaixonada. E só pela sua "resenha" do conto eu fiquei ainda mais curiosa. Acho que vou procurá-lo na estante virtual. PRECISO ler Mia Couto, Ah, preciso!!! hehehe
Muito interessante a visão do outro lado (o lado do peixe). Beijos.

Glorinha L de Lion disse...

Oi Kelly, comecei meio que desgostando e acabei apaixonada...acho que o Mia é surpreendente não é?
Beijos.

Glorinha L de Lion disse...

Oi Tati, compra sim, vai amar. Eu tb quero todos os livros dele...vixe, haja dinheiro! hehe beijos.

Deia disse...

Oi Glorinha! Estava voltando de viagem na terça feira e ao passar de carro por entre montanhas, foi exatamente esse o pensamento que me impressionou: em algum momento da História esse mesmo lugar estava debaixo d'água... Beijocas, apareça quando puder!! Deia

Glorinha L de Lion disse...

Oi Deia querida, tb já pensei nisso...que o mundo um dia foi um grande mar...é linda essa imagem não é? Beijos, vou te visitar sim.

orvalho do ceu disse...

Olá, Glorinha querida
Participei neste ano da Teia Ambiental cujo Tema Água foi bem "explorado". Essa Blogagem só nos enriquece.
Passo também para agradecer a sua visita ao meu Blog, ofertar-lhe um selinho feito exclusivamente para meus seguidores pelas 30.000 visitas e dizer-lhe meu muito obrigada pelo carinho e amizade.
Nosso trabalho honesto como blogueiro(a) engrandece o nome do nosso Criador.
Tenha excelente fim de semana!!!
Bjs

Angélica Roz disse...

Oiii! Estou passando para retribuir a visita. :) Adorei o seu blog!!! Já estou seguindo! :) Obrigada por estar participando da promoção! Muito bom o post! Frase perfeita, que resume tudo! Bjooo

Macá disse...

Olá
Estava estranhando você não estar participando da blogagem sobre a "ÁGUA", mas você acabou fazendo e lindamente.
Parabéns.
Vou ser sincera! Não conhecia o Mia Couto. (é muita ignorância?)
Mas... fazer o quê não é?
Entretanto gostei demais.
beijos

Nilce disse...

Oi, Glorinha

Passei para ver como você está e vejo esta coisa linda, com poema do Manuel e tudo.
Esse passeio serve para todos nós.
"Não existe terra, existem mares que estão vazios."
Preciso conhecer melhor Mia Couto.

Fica bem querida e bom final de semana.

Bjs no coração!

Nilce

pensandoemfamilia disse...

Bomdia
A forma como trouxe o conto despertou-me o interesse peo este autor.
Como é interessante observar como os textos vão se entrelaçando e as blogagens transformam-se num hino a metaa que se pretende alcançar.
bjs
Obs. Passe no meu blog na segunda, teremos o relato do Caca na Série A criança que eu fui.
Bom final de semana

Lianara **Lia** disse...

Lindo! Lindo! Lindo!

Fiquei sem palavras, Glorinha!

Parabéns!

Beijo
Lia

Glorinha L de Lion disse...

Oi Rosélia, obrigada. realmente nosso papel é muito importante hj em dia. Parabéns pelos visitantes. bjs

Glorinha L de Lion disse...

Oi Angélica,obrigada pela visita. beijos.

Glorinha L de Lion disse...

Oi Macá querida, pois é, resolvi entrar de última hora. Que bom que gostou. bjs

Glorinha L de Lion disse...

Nilce, pois é menina, frases, poemas, contos tudo lindo! Eu recomendo! beijos e obrigada pelo carinho.

Glorinha L de Lion disse...

Oi Norma , legal, obrigada, vou tentar passar lá. bjs

Glorinha L de Lion disse...

Oi Lia, obrigada, bom fim de semana. Bjs

ManDrag disse...

Inspirado em Mia Couto e escrito por ti só poderia ser mesmo um lindo post.

Quando eu tratava da Leila (uma dálmata que viveu em minha casa durante 12 anos) eu também costumava dizer que era ela que me levava a passear.

Abraços

Glorinha L de Lion disse...

Eu tb tenho cães amigo Man Drag e entendo do que fala. Eles são mais inteligentes que muita gente por aí, alguns que até presidem países...hehe
Os meus falam comigo e entendem tudo o que digo. Amo meus cães. beijos.