segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Algumas Observações...

Foto Nuno Lobito


Intolerância e Ignorância:

Ainda fico abismada com a ignorância, irracionalidade, desumanidade e intolerância que algumas ditas "religiões", alguns arremedos de "seres humanos", que, do alto de seus palanques, templos, altares e microfones, repetem aos berros suas inomináveis teorias:
O evangélico Pat Robertson, um dos líderes da direita religiosa americana, teve o descaramento de dizer que o aconteceu no Haiti foi apenas "um castigo, pelo pacto com o demo feito pelo povo haitiano, para com sua ajuda, expulsar os colonizadores franceses e tornar-se uma república"...
Já ouvi também, absurdos do tipo, "eles mereceram, pois fazem vodu e bruxarias"...
Que deus é esse, o dessa gente?
Se é esse o deus que ficam tentando me fazer acreditar, sinceramente, prefiro o demo, pois, pelo menos com o outro, você já sabe o que te espera, se não cumprir o trato...
Queria que essa gente, antes de falar tamanha ignorância, lesse um pouco mais, pesquisasse um pouco mais e entendesse a história, para, então, se pronunciar...
A ilha Hispaniola, onde fica o Haiti e a República Dominicana, está em cima de uma falha geológica, e, assim, como em Angra dos Reis, onde aconteceu a tragédia do Reveillon, a natureza, cobrou seu preço, ao não ser respeitada...O caso do Haiti, pelo número de vítimas, que já está em 200.000 mortos, não é só resultado de um fenômeno da natureza, mas também de miséria elevada à potência máxima, causada por sucessivos ditadores, colonizadores, usurpadores, cujo único objetivo sempre foi, tirar o máximo de dinheiro e riqueza em benefício próprio...
Mudando um pouco a frase de Robert de Niro:
Se Deus existisse mesmo, então, teria muitas explicações a dar...


D. Pedro II:

Algumas pessoas me escreveram falando de D. Pedro II e sobre o livro que citei.
Uma amiga também citou o livro 1808.
Eu o li, embora entre os historiadores, se fale que o autor de 1808 não é muito confiável quanto à veracidade de suas informações...
Sobre D. Pedro, gostaria de dizer que, por sua cultura e formação, durante seu reinado, nunca houve censura à imprensa...pelo contrário, a imprensa foi livre como nunca, fosse para fazer chacota da família imperial, charges políticas e críticas ao monarca, fosse para apoiar os republicanos...bem diferente de hoje, quando nosso presidente e seus amigos petistas, querem calar a voz da imprensa, colocá-la sob custódia, sob a desculpa de que a imprensa "é golpista".
Infelizmente, eles desconhecem que democracia é isso: aceitar as críticas e não só os paparicos, puxações de saco e elogios...Desde que o mundo é mundo, o papel da imprensa é esse: mostrar o que há de podre e o que cheira mal nos meandros do poder.
Quem não aceita isso, já tem meio caminho andado para aceitar uma ditadura.
Seja ela de esquerda, de direita ou de qualquer direção, ainda assim, ditadura.





Filme em DVD:

E, finalmente, deixo uma sugestão de filme: Tudo por Ela, com Diane Kruger e Vincent Lindon. Um triller de suspense francês, excelente, daqueles de tirar o folêgo!
Boa semana para todos!











10 comentários:

Cucchiaio pieno disse...

Oi amiga
Que foto belissima!
Essa do Pat Robertson eu nao sabia, com tanto sofrimento e este pobre povo ainda tem que escutar uma barbariade dessa?!
bjos
Léia

manuel marques disse...

Nada mais assustador que a ignorância em acção .

Beijo.

Gina disse...

Também ouvi algumas barbaridades dessas, quando o microfone já estava ligado e a autoridade desconhecia... Depois teve que se desculpar, mas já era tarde...
Bjs.

Gina disse...

Respondendo ao seu questionamento sobre a cestinha de parmesão, veja esse passo a passo que encontrei no blog da Eliana:
http://saboresdalica.blogspot.com/2007/05/risoto-de-pesto-de-abobrinha-na-cesta.html
Você me deu uma excelente ideia.
bjs.

welze disse...

oi lindona, que foto gostosa de ver vc e sua amiga . as duas com carinhas super felizes. qualquer dia a gente também se abraça ao vivo e em multicores. qto. ao cidadão de quem você postou comentários, pelamordedeus. e o pior de tudo é que o santo senhor é formador de opinão. e daqueles que neguinho segue até atras de morro desbancado. pode um negócio desses?.

Lucia Cintra disse...

O problema de um religioso fanatico eh esse mesmo: completa ignorancia e uma mente tao fechada que a pessoa acaba se depletando que qq inteligencia!

Eu nao acredito em Deus, sou ateu, e foram mts anos de caminhada e descobertas ate eu chegar ate essa conclusao. Acredito que somos os unicos responsaveis pelas nossas acoes e decisoes e que cada uma delas te leva por um certo caminho (bom ou ruim). Nao adianta culpar ninguem ou esperar que um ser maior faca as coisas cairem do ceu - somos responsaveis por nossa vida e o caminho que tomamos.

Mts desses religiosos fanaticos acabam sendo ate meio hipocritas e o que mais me incomoda eh a falta de respeito pelo outro ser humano e pela crenca de cada individuo. Mts deles ja vao ate condenando se essas outras pessoas pensam diferentes deles. Condenam mesmo sem conhecer a pessoa e isso eh triste demais.

Bjos

Beth/Lilás disse...

Amiga,
Vou te dizer uma coisa sinceramente, eu também compactuo com este pensamento de que se existe um Deus ele não pode castigar, tem apenas que ser bondoso e todo amor, portanto é inexplicável tanta dor para aquele povo haitiano, assim como para alguns povos que desde o início das sociedades vêm sofrendo como os negros principalmente. É claro que a ignorância daquele povo em adorar e fazer vodus, espetar agulhas, sacrificar crianças ou seres ou sei lá o que mais, próprios de povos primitivos e sem luz, tudo isto é terrível, mas diante da fala deste homem que se diz tão sabedor das coisas, iguala-se na mesma ignorância.

Quanto a D.Pedro II concordo também de que foi um grande imperador, amado pelo povo em geral e num tempo em que fazer política não era isso que vemos hoje, ou seja, gente que se vende e muda de lado conforme seus interesses e ganhos.

beijos cariocas

Silvana disse...

Glorinha,

Esse político evangélico americano representa bem o ranço de pte daquele país. Já estive lá uma porção de vezes e me espantei nas pequenas cidades. Na metrópole vc não sente isso, mas qdo se distancia fica evidente que muita coisa por lá ainda é pré-histórica... Ain da mais em relação a negros. São de um racismo atroz...

Se fosse uma ilha cheia de lourinhos fofinhos o tal cara se apiedaria. Nos EUA o problema ainda é a cor da pele...

*******

Qto ao PIG, bom, discordaremos eternamente nesse ponto.

Primeiro que o que se faz no Brasil não é jornalismo, é golpe revestido. Tentam diariamente derrubar o presidente. Distorcem informações e acachapam o presidente por todos os lados. Tudo isso visando claramente o benefício do PSDB, em especial do José Serra e seus asseclas.

Isso é partidarização da imprensa e não jornalismo imparcial - o que é muito diferente.

O Lula deveria ter feito há muito tempo o que o Obama fez recentemente nos EUA: simplesemnte disse que Murdoch e e toda rede de tv Fox são um partido político e não fazem parte da imprensa.

Jornais como O Globo, Folha, Estadão e TVs como Globo, Band e SBT, revistas como Época e Veja fazem parte da escória fétida, o mais puro jornalismo de esgoto que esse país já presenciou em mais de 500 anos de história.

Nada conta tomarem partido do PSDB, mas que deixem isso claro aos leitores. Assim como ocorre nos EUA, em que o Washington Post, por ex, deixa clara sua postura partidária.

TODOS os jornais e revistas americanas deixam muito claro sua partidarização. Diferente daqui, onde se revestem de imparciais para levar a manada para onde desejarem.

Esteja certa de que daqui há alguns anos esses comentaristas de esgoto, como Neumane, Lucia Hipólito, Noblat, Reinaldo Azevedo, Mainardi, Boris Casoy, Lucio Jardim e outras tranqueiras entrarão para os anais das faculdades de jornalismo sobre COMO NÃO FAZER JORNALISMO.

****

Qto ao D. Pedro II eu discordo em alguns pontos. Obviamente era um cara culto (não fez mais que a obrigação tb).

A imprensa no tempo dele era comprada e isso fica evidente em diversos relatos literários da época. Inclusive o brilhante Machado de Assis era parte, como funcionário público que foi.

O difícil mesmo é aceitar isso. As mazelas que hoje enfrentamos vem de tempos em que o desmando era a ordem, e o jeitinho era a saída.

Uma colonização/espoliação com base nisso não poderia dar boa coisa. Diferentemente dos americanos que repudiavam esse jeitinho. Lá tb teve, mas em menor escala, não com o descaramento daqui.

O homem culto demorou décadas e não tomou a decisão acertada de abolir a escravatura para beneficiar os amigos, milionários cafeicultores. 100 anos antes os EUA era livre e aqui nada...

O culto D. Pedro, mesmo sabendo que essa abolição chegaria, afinal estava em todo mundo, não preparou o Brasil que ele tanto amava para isso. Simplesmente se escondeu debaixo de seus óculos e nas cobertas de sua amante viajando mundo afora enqto o pau comia por aqui, enqto negros eram açoitados e em senzalas imundas.

Pq a imprensa não relatou isso? pq era comprada, pq tirava vantagem disso.

Depois a tal princesa aboliu os coitados sob pressão atroz da Inglaterra e sem dar-lhes nenhuma ajuda: simplesmente jogou-os no meio da rua. Em países como o Canadá no momento da abolição era lei dar um terreno, um dinehiro e um cavalo a cada um dos escravos(tão valioso qto o carro nos dias de hj). E aqui? O que fizeram?

Ressaltar as qualidades de D. Pedro II é necessário, mas endeusá-lo turvando fatos é um gde equívoco, um erro estratégico que compremete toda a visão de crescimento às turras que teve esse país.

Beijoooo

Silvana disse...

Ah, me lembrei: politicamente vc se identificará MUITO com esse blog abaixo, escrito por uma catarinense que é professora.

Ela e o marido (Coturno Soturno) são bem famosos no mundo reacionário...

http://narizgelado.apostos.com/

Amara e Rozani Pereira disse...

Oi Glorinha!
Adorei a frase do De Niro.Vou falar de novo que concordo em nº, gênero e grau com tudo que vc falar sobre religião.Como vc disse uma vez:O mundo seria melhor se ñ existisse religião.Política eu nem quero falar.Eu acho que isso aqui nunca vai melhorar.
Bjs, Rozani