sábado, 14 de agosto de 2010

Impressões Pessoais


Bom Dia!
Todo mundo de ressaca? Eu, duplamente, pois além da blogagem de ontem ter sido agitadíssima, ainda fui à noite, a uma paella de frutos do mar MARAVILHOSA ( morram de INVEJA!...hehe...) de uns amigos meus e tomei prossecco até ver os frutos do mar nadando na minha direção...
Bem, mas não é sobre isso que quero falar hoje e sim de minhas observações pessoais.
Sou virginiana, ( niver dia 18 de setembro, ein? ) como todo mundo já deve saber, com ascendente em leão ( como minha amiga Maria Izabel me disse ) e lua em câncer. O que isso significa? Absolutamente não sei. A única coisa que sei é que sou uma ingênua para umas coisas e para outras tenho olhos de águia.
Ou seja, consigo analisar as pessoas e suas reações e atitudes ( às vezes, mas muitas vezes ) como se eu estivesse num Panóptico. Lembram dele, que foi falado aqui na blogagem  sobre Medos? Pois é, essa é uma característica de Virgem por excelência: a análise e a crítica. Meus amigos astrólogos e os que entendem de signos podem comprovar isso.
Well, o que quero dizer é que no meio dessas frases, comentários, análises, respostas ou ausências notei o desejo de negação. E falo de ausências, porque alguns não tiveram sequer a delicadeza de vir aqui me fazer um comentário ou dizer: "Oi Glorinha, puxa, estou ficando lotada de seguidores graças à suas blogagens de que tenho participado, vim aqui comentar rapidinho, pois estou sem tempo...etc, etc..."mas, com licença da expressão, as pessoas "cagam" umas pras outras, então, deixemos isso pra lá, o ser humano é egoísta por excelência e como disse minha amiga Luma ontem lá no post que fez: "Não grite alto sua felicidade, pois a inveja tem sono leve". Alguns, me pediram pra participar e simplesmente, como talvez não tenham tido muitos comentários, resolveram sair e nem me avisaram...
Eu não posso desejar que todos tenham a minha delicadeza ou a minha deferência com quem participa da blogagem comigo. Cada um faz o que acha melhor. Ou o que sua educação lhes permite.
Bem, mas deixemos esses pormenores para lá. Quero falar do que tenho observado:

1*  É difícil demais para os seres humanos admitirem sentimentos considerados "ruins". As pessoas não admitem, não enxergam e não assumem, até porque não vêem, não por maldade, mas por não enxergarem mesmo. Eu não sou terapeuta, meus amigos analistas devem saber disso mais que eu. Mas isso é uma coisa que percebo há muito tempo e, inclusive já senti e sinto na pele a negação das pessoas em admitirem seus defeitos. Mas para apontar os dos outros, ah, isso fazem como ninguém!

2*  Tudo bem, não posso querer que seja todo mundo igual a mim (não estou dizendo que sou perfeita, por favor, não entendam assim!), escancarada e excessivamente crítica comigo mesma. Debocho das minhas faltas, me chamo de sincericida, rio das bobagens que falo, e falo muitas...não pensem que não sei quais são meus defeitos porque sei sim.
Mas enquanto tenho mil defeitos, sei de dois que absolutamente não possuo: Falsidade, e por analogia, Mentira e, Ingratidão.
Acho que ainda prefiro a inveja, porque ela não causa mal ao invejado e sim a quem sente, do que a falsidade, que muitas vezes está contida na inveja.
Se eu não gosto de alguém ou não quero me relacionar com alguém, ou se não tenho coisas em comum com a pessoa, eu simplesmente me afasto, ou, no máximo, por educação, respondo quando me dirigem a palavra. Em suma, sou seca e não efusiva como é minha maneira de ser com quem eu gosto.
Chamo todo mundo de querida porque sou carinhosa e nisso não vai nenhuma falsidade e sim, carinho com meus seguidores e amigos.
Já fui criticada por uma ex amiga e ex sócia porque abraçava efusivamente minhas alunas. Sou assim, tenho sangue italiano e português em minhas veias. Dois povos naturalmente efusivos. Gosto de abraçar, de beijar meus amigos. Gosto de tratá-los com carinho, chamando-os de queridos, amor, amore etc, etc...Sou assim e ponto. Quem não gostar, discordar ou achar demasiado ou falso, que se exploda!
Jamais me ouvirão dizer que concordo com o que não concordo ou puxando o saco de alguém visando tirar algum proveito disso. Jamais.

3*  Não pensem que estou dando explicações porque recebi críticas não! Estou escrevendo isso, simplesmente porque me deu vontade.
Algumas pessoas acham que às vezes escrevo para dar satisfações à algumas pessoas, quando não é isso.
Às vezes peço desculpas sim, por educação, por não ter visitado meus amigos, me sinto meio culpada por não poder dar atenção a todos os que vem aqui me visitar. Mas eu não costumo ser obediente. Nem seguir regras. Aliás, nunca fui. Adoro contrariar, gosto de polêmicas, em alto nível, e quando rodo minha baiana, e vocês já viram isso: sai da frente que vem pimenta pra todo lado. Meu sangue calabrês quando ferve, sai de baixo!
Bem, mas estou me perdendo no assunto:
Como as pessoas se vêem, é sobre isso que quero falar. Mesmo admitindo que sentem inveja, a grande maioria disse o que?
Que sentimentos como querer ter o carro, ou a casa, ou qualquer outra coisa que um amigo tenha não é inveja, é desejo de ter aquilo também.
Para mim é inveja. O nome desse sentimento é I N V E J A. As pessoas tem vergonha de admitir e reconhecer que tem e que existem sentimentos considerados "impuros" dentro de si.
Ninguém é perfeito nesse mundo.
Nós somos seres ambíguos, cheios de sentimentos, ora bons, ora ruins.
Não adianta querer minimizar dando um nome ou mudando a palavra. O sentimento vai estar lá sim.
Ontem li mais de 60 depoimentos. Não cheguei a contar, mas creio que a grande maioria dizia não ter inveja, nem nunca ter sentido isso.Ou só ter sentido invejinha boba.
Eu, sinceramente, me divirto lendo essas coisas. Porque acho de um (me perdoem, mas vou ter que usar a palavra) ridículo atroz, que chega a beirar a loucura, alguém não saber que já sentiu inveja sim, que sente sim, que é humano e compreensível sentir.
E que se formos analisar e pescar lá no fundinho, já desejamos que aquele fulano ou fulana não se dê bem na vida sim, porque ele não merece, porque ele é incompetente ou imbecil ou somos melhores que ele, e no entanto não conseguimos o que ele conseguiu. Hellooouuuu!!!! Gente, todo mundo já sentiu isso. Quantas vezes nos perguntamos durante a vida: Meu Deus (para quem crê) como é que fulano, aquele filho da P, burro e imbecil consegue um cargo, ou dinheiro, ou um carro ou qualquer coisa que aos nossos olhos parece maravilhoso e eu não?
Não há justiça nesse mundo?
Quem diz que nunca sentiu isso, numa vida inteira está enganando a quem? A mim não, porque sei que todo mundo já sentiu isso, pelo menos uma vez na vida. Agora, podemos lutar contra isso, embarreirar esse sentimento? Claro que sim. Não só podemos, como devemos, porque isso não nos levará a lugar nenhum.
Agora, que acho graça quando vem um monte de gente dizer que não, que nunca teve esse tipo de sentimento com relação a ninguém, ah, por favor me poupe!
Parece até aquele trecho do Poema em Linha Reta do Fernando Pessoa, que já citei aqui outras vezes:  "Nunca conheci quem tenha levado porrada ...Todos são príncipes na vida".
Hum hum...só eu e mais alguns marcianos admitimos ter sentido ou sentir isso, somos os espúrios, os seres abjetos, capazes de sentimentos tão pouco nobres...afinal, os outros todos são príncipes na vida...

Agora vou contar um caso curioso que aconteceu comigo há muitos anos atrás e que eu vi com meus próprios olhos:
Eu morava numa casa alugada, boa, espaçosa, mas alugada. E tinha muitas plantas, pois sempre adorei verde à minha volta. Sempre vivi feliz na tal casa alugada, tinha um bom carro, dois filhos lindos, mas nada de mais que pudesse ser invejado...Eu achava assim...
Eu tinha plantado um pé de xuxu, numa mini hortinha que fiz e tinha uns vasinhos na varanda com várias plantas, uma delas era uma hera variegata, daquela tipo inglesa, toda rajadinha de branco, plantada num vaso lindo, em formato de corujinha. A hera caía quase até o chão de tão linda que estava. Pois, a mãe de uma amiga que eu achava meio invejosa foi na minha casa. Elogiou meu pé de xuxu, disse que estava lindo e quando viu minha hera no vaso não parou de dizer como estava lindo, coisa e tal.
Resultado:
No dia seguinte meu pé de xuxu amanheceu seco, esturricado como se tivesse caído um raio em cima dele.
E minha corujinha com a hera, caiu no chão, espatifou-se toda e, mesmo replantando, as mudas nunca mais brotaram. Nem acho que a criatura tenha desejado isso, que minhas plantas morressem conscientemente, mas, no íntimo, sem saber, a inveja dela estava lá.
Conheci ao vivo e à cores o famoso olho de "seca pimenteira". E eu a cética, a atéia e descrente, entendi ali que somos feitos de energia. E que dentro de nós existe o bom e o mau. O feio e o belo.
Eles convivem numa boa, lado a lado.
Cabe a nós adubar e cuidar do bom, e sufocar o ruim, mas que ele está lá, está. E não há benzedura ou figa que acabe com ele. Só nos resta reconhecê-lo quando ele emergir e afundá-lo novamente, lá, no esgoto de nossas almas. Que todo mundo tem, gostem ou não.

27 comentários:

Tati Pastorello disse...

Oi Glorinha, sabe que senti vontade de falar sobre a mesma coisa. Por que também dei minha cara a tapa, aliás, sempre faço, mas desta vez assumi o sentimento ainda em tenra idade. E percebi que muita gente visitou, leu e... saiu. Acho que ficaram sem jeito de comentar. Ou então comentaram que gostavam da tal boneca... Achei engraçado. As pessoas não apenas não tem coragem de admitir suas falhas, ou mesmo não se auto-analisam para perceber que existem, como também não conseguem lidar com a mea culpa alheia.
Amei tudo o que escreveu.
Beijos.

Chica disse...

Glorinha,adorei os comentários e principalmente a histórinha dos olhos sobre teus xuxus e heras.

Isso acontece mesmo. Por isso fico p da cara com gente invejosa.

Jásofri muito dela, SEM MOTIVOS!

Me invejavam porque eu estava sempre grávida, pois tive 4 em 5 anso(será que não sabiam como se faz filhos,rsrs)

Depois,porque eu me dedicava bastante a eles e ainda ia pra universidade,à noite, sem ter empregada e ninguém pra ajudar.

Eram tantas bobices que invejavam, incrível.

Desde aquele tempo criei um "radar" e detecto muito bem invejosos e falsos perto de mim.

Isso me ajudou, mas fujo deles até a morte,srrs...

E no fundo,sinto pena deles, pois oque plntamos, colheremos, isso é a lei da vida...

A blogagem foi bem legal e vamos que vamos prada proxima semana!beijo,chica

Kelly disse...

Eu acredito que a inveja seja mais forte que nós, pois é quase impossível controlar, quando vemos já estamos indignados porque alguém conseguiu algo que julgamos injusto.
Sendo assim é impossível dizer que nunca sentiu inveja. A diferença está em quando essa inveja passa a ser rotineira, a pessoa nem percebe o que faz, acha normal sentir que ninguém merece o que tem, ou se merece procura achar algo que esteja errado.
Desabafo é bom, valeu. bjs

manuel marques disse...

A inveja é tão vil e vergonhosa que ninguém se atreve a confessá-la .

Beijo.

Lúcia Soares disse...

Glorinha, da minha parte, vejo assim: para mim, inveja é perniciosa, a gente quer aquilo que a pessoa tem, ou quer ser igual a ela, e por isso lhe deseja mal, quer que ela perca aqueles objetos que admiramos, quer que ela se dê mal na vida,etc.
Isto, seguramente, nunca senti.
Sobre os exemplos que dei, de querer ter um cabelo bonito como o de outra pessoa, por ex., não acho que seja inveja. Queria um cabelo igual, não quero que ela perca o dela, que ele caia, nem nada.
Olhar uma foto, o corpo impecável (agora, com fotoshop, é fácil...) de uma mulher e desejar ser igual, não é inveja. Mas se começar a falar dela, denegrir a vida dela, dizer que ela é isso ou aquilo, claro que aí é inveja.
Temos pontos de vista diferentes, sobre o que é ou não invejar.
Quando digo: "Ele tem uma cultura invejável", estou invejando a pessoa? São maneiras de usar a palavra, muitas vezes erradamente.
Você tem todo o direito de continuar a afirmar que todos somos invejosos.
Eu tenho todo o direito de dizer que não sou.
Você é virginiana.
Eu sou touro. Mais teimosa, impossível! rsrsr
(Entenda: entendo seu ponto de vista, perfeitamente. Mas não concordo.)
Boa noite de sábado e bom domingo!

Glorinha L de Lion disse...

Tati, querida, sabe o que é isso? Gente que ao reflete, não se analisa. Eu, te digo com toda a franqueza: não me arrependi de ter dado minha cara a tapa, na maioria das vezes em que dei. Sabe porque? Porque me expondo, ajudo quem não consegue a se expor um pouquinho, a cada vez mais e, um dia, quem sabe, elas se soltam...Não, não sou a Madre Teresa de Calcutá, looooonge, muito longe disso, mas tenho prazer em ajudar as pessoas a se verem, se encontrarem. E, ao mesmo tempo, ao me expor, todo mundo já sabe quem eu sou, logo de cara. E quem não gosta do meu jeito, rapa fora....Ainda Bem!Eu admiro quem é assim como vc, como eu. Gosto de ser do meu jeito, não engano nem puxo o saco de ninguém. Acho que quem é verdadeiro, como nós, é muito mais fácil de se lidar, pois já se sabe o que esperar dele, não damos rasteira, por debaixo dos panos, nem facada pelas costas. Se eu tiver que dar, vai ser de frente e, logo num lugar mortal, pq aí, morre de vez. Beijos Tati.

Glorinha L de Lion disse...

Oi Chica. Gostei de saber mais de vc.Acho que todos nós já sentimos inveja e tb já fomos invejados. Faz parte. Mas claro, ninguém gosta nem sente prazer em ter inveja e muito menos ser alvo de inveja. O importante é entender que temos dentro de nós o lado luminoso e o sombrio. Não há como negar isso. Beijos.

Oi Kelly, foi desabafo mesmo, pois acho incrível como as pessoas fecham os olhos e negam, negam até à morte que não saõ capazes de sentir coisas ruins. Mas cada um escolhe como viver. Se é melhor tapar os olhos ou enfiar a cabeça na terra, igual a um avestruz, problema delas. bjs.

Isadora disse...

Ops, o negocío aqui tá bão, tá bão demais.
Glorinha, acho que também visitei quase todos os blogs que participaram da blogagem e acho que teve um ponto unânime: a inveja não é boa. Eu coloquei as claras, a minha inveja que até foi do pior tipo, pois para eu ter o que eu queria, alguém teria que deixar de ter. Confesso que não me senti nada bem e que travei grandes batalhas comigo mesma. Ninguém que sentir inveja, mas na verdade sentimos, em maior ou menor escala mas sentimos. Somos humanos. Agora, podem sim, identificar o sentimento e tentarmos trabalhá-lho.
Eu ainda que extremamente delicada e atenciosa com todos, se tiver que rodar baiana rodo sim, e como no ditado: não mando recado, eu o dou pessoalmente.
Eta blogagem boa essa hein!
Um beijinho

Glorinha L de Lion disse...

É isso Manuel, ninguém se atreve, mas será que no escuro, à noite, ao encostar a cabeça no travesseiro, elas se permitem admitir? O que vc acha? Bjs amigo.

Lúcia, querida.Que a inveja é perniciosa todo mundo sabe que é. Daí a não existir num ser humano, é outra coisa bem diferente. Mas nós duas não vamos mudar nossa forma de ver. Eu vejo e digo: Todo mundo tem inveja, inclusive você. Você me diz, não Glorinha eu nunca senti inveja de ninguém. Como vou contradizê-la se só te conheço virtualmente e não sei o que se passa na sua cabeça? Vamos continuar as duas afirmando, cada uma a sua verdade. Mas, como dizia meu pai: Teimoso é quem teima comigo! hehe bjs.

Crica Viegas disse...

Oi Glorinha
acredita que tô há mais de 2 horas tentando entrar aqui e o browser fecha tudo na minha cara??? deve ser inveja...rs
Mas falando do assunto que me trouxe aqui, fiz um post ácido sobre a inveja e percebi que não agradei muito tb...Muita gente entrou, saiu e ficou por isso mesmo. Porque não consigo ver a inveja como um sentimento cut cut que pode ser bom por um lado...a inveja é um sentimento dos mais malévolos dos seres humanos epor isso é um dos 7 pecados capitais, não pode ser à toa né?
E todos nõs sentimos sim, invejamos sim, mas precisamos reconhecer nossa humanidade e saber que estamos expostos à situações que nos leval muitas vezes por esses caminhos...cabe a nós a escolha né
O dsabafo foi bo, desabafar é um alívio pra alma, e quer gostem ou não, estamos aí.
Bjinhos

tania freitas disse...

Gostei muito deste post, minha estréia como leitora aqui. Não faz muito tempo falei de algo parecido lá no meu blog em um post de selo (sobre mundo melhor). Que as pessoas negam sua humanidade ao negar esse lado destrutivo, ambivalente, enfim, ao adotarem sempre esse tom açucarado cheio de idealizações a respeito de si mesmas e de tudo. Acaba ficando tudo muito repetitivo e clichê, até a suposta sinceridade.
Voltarei para ler mais com mais tempo. Abraço.

Nilce disse...

Oi, Glorinha

Ui, que inveja! Paella, prossecco, Socorrro!!!

Estou, morra de inveja, na casa da minha mãe. "Niver" do meu irmão, festa, reunião de família, gargalhadas e lembranças de infância. Muito bom, mesmo!
Mas, e eu??? deseperada para ler o teu "fechamento" sobre a blogagem.
Vc sabe o quanto me assustou também o fato da não admissão desse sentimento.
Meu Deus (eu creio, rsrs), como é que esse povo diz que está com o "caminho aberto" para o céu???
Que "céu" é este?
Sempre brinco aqui em casa (da minha mãe), que quero ir pro inferno, no céu vou ficar só. rsrs
Muito bem! Aplaudo teu post e muito.

Agora, peraí! "Niver" chegando...
Explica aí. E a festa???
Vamos agilizar!!!

Bjs no coração!

Nilce

HSLO disse...

Foi muito boa a ideia da blogagem coletiva sobre inveja, li texto ótimos...muito bons.


abraços

Hugo

disse...

Olá Glorinha!!! Me ausentei de férias algum tempinho e vejam só o quanto tenho que me atualizar. Já soube do seu livro e fui lá votar, fiquei triste por não participar da blogagem, mas acredito que muitas outras virão. Fico feliz de poder voltar e acompanhar o que escreves. Bjosss

Vicentina disse...

Glorinha querida, vc tem toda razão, quem é que nunca sentiu uma invejazinha de alguém ou de alguma coisa? que atire a primeira pedra, eu que o diga já senti sim.
Só que a inveja que, quando sinto, faço tudo pra não atrapalhar minha vida e nem a dos outros.
Sabe que tenho uma cunhada que matou uma samambaia minha? a planta tava linda, e ela todo dia que chegava aqui em casa ficava olhando, a admirando e falando que tava linda, se vc ver como esta agora vc até assusta ACABOU, acho que não recupera mais.
Mas a vida é assim mesmo, é pôr um galho de arruda atráz da orelha e ir em frente.
Bjs

Glorinha L de Lion disse...

Crica, que browser mais sem educação! Vou puxar a zoreia dele, coisa mais feia fazer isso com as visitas...Ainda bem que veio, se não ia puxar era as suas zoreia...hehe Eu não creio em pecados, nem capitais nem municipais, muito menos estaduais...inveja é ruim de sentir e ruim de saber que sentem da gente, mas faz parte da natureza humana. Que saibamos domá-la quando ela vier sorrateira...beijos.

Glorinha L de Lion disse...

Oi Tania,bem vinda! obrigada por seu comentário muito inteligente e reflexivo. Concordo com vc em gênero, número e grau. Bjs.

Nilce, amore mio, tb tenho inveja de fim de semana com mãe...tô com inveja sim...e quero bolo...quanto à paella divina, nem te conto menina...dos deuses! Shi, nem me fala, adoro fazer niver...sei que estou ficando mais velha e mais cheia de ites a cada ano, mas é tão bom festejar, sinal que estou viva e com a bebeça boa! Vamos comemorara sim! Yes, quero tomo mundo brindando comigo...beijão, bom findi!

Oi Hugo, foi mesmo né? Se quiser, pode participar, é só me avisar e depois que entrou, tem que ficar...tudo bem se num vc não puder pq aconteceu algo, mas fazer um e depois sumir como alguns...aí não dá...pensa aí se quer entrar, tá? bjs.

Oi Rê, senti tua falta, se quiser ainda dá pra entrar sim. beijos.

Vice, meu doce de côco,tua samambaia e meu pé de xuxu foram pro céuzinho das plantas torradas pelo olho de seca pimenteira..vixe...sai pra lá uruca! Coitadinhos...ainda bem que foi neles, já pensou nós duas torradas e de cabelo duro e em pé? hehe Vice, só rindo né? Concordo contigo, penso igual. Beijão meu docinho.

Açuti disse...

Oiii minha amiga,

puxa, esperava que as pessoas se abrissem mais nesse tema e dizer sim, sinto, senti e sentirei inveja...afinal, é normal!!!
Pelo menos para mim é!!
Eu tenho, eu a sinto...fazer o que?? E não tenho vergonha nenhuma em saber que a sinto...
Gosto de saber que tenho um ladinho negro dentro de mim...nossa nunca pensei em dizer isso...mas é a verdade, esse lado escuro que alimenta e mantém vivo o meu lado bom, positivo e que me move a crescer, como pessoa, como mãe, como mulher!!!

Também vejo o que vc disse, a grande maioria das pessoas não veem o seu lado escuro e preferem dizer que não o têm...umpf...é tão normal...

E como sempre digo aqui em casa: Graças a Deus somos imperfeitos, imagine como seria chato o mundo se todo mundo fosse perfeito e certinho??

bjksss e tenha um excelente domingo!!

Amica Philosophiae disse...

Oi Glorinha, era exatamente isso que eu queria dizer sobre a energia que o sentimento exala....Vc não fica com raiva?? Eu fico!! pq não acho justo e pq eu tb sinto inveja volta e meia e tb não seria muito honesto.
um abraço
Cynthia

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Glorinha.
Pergunta pra fulana porque ela é gorda. Ela vai ter dizer que não sabe porque.
E ela emenda: como que nem um passarinho, tenho metabolismo lento e problema na tireóide. Ou seja... os dois big macs de ontem não entram no relato (claro que não é todo caso, mas a maioria não é assim?). Pergunta porque o "cicrano" não lê. Ele dirá qúe é ignorante porque trabalha muito e não tem tempo de ler. Mas sabe o que passou no Datena e no Ratinho de cor...

Que nem eu te falei, vixe, morro de inveja. Não conheço UM que não sente inveja. Se fala que não sente inveja, sentiu inveja de quem não sente inveja e desdenhou rs. (complicado explicar, mas acho q vc entende).

Pq muita gente faz muita coisa bonita, legal neste mundo. Eu queria fazer ou saber fazer também.

A diferença é trabalhar o sentimento. em vez do pobre de espírito desejar o fim daquilo que inveja (já que eu não tenho, ele também não terá)tem que ser esperto que nem eu (não vou usar modéstia não) já se ligam que, se esforçar, se batalhar, pode até conseguir algo parecido, porque não?

Eu adoro quando me pego com inveja. Porque eu me analiso e vejo o que estou invejando. Se é algo que quero por vaidade, capricho. Ou se é algo que me acrescenta por dentro, que tem valor, que me traz felicidade. A gente é criança, quer todos os doces da vitrine eternamente.

É que nem a pessoa que diz não ter mágoas de ninguém... que não tem raiva nunca... Quando ouço isso eu pergunto se é um espírito que está na minha frente, porque com certeza a pessoa está morta (ué, se não sente nada do que os mortais sentem...).

Excelente esse seu desabafo.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Falei demais e esqueci de contar.
Sim, o zoião gordo existe. Aqui em casa recentemente aconteceu.
Uma conhecida... que não sou muito fã (é das invejosas, mas das ruins) tascou o zóio nos meus peixinhos. E começou a falar que tinha aquário, mas que dava trabalho, que era isso e aquilo ...e não tirava os zóio dos peixes. No outro dia tive que fazer o arrastão em vários boiando na superfície d'água. é a energia ruim, ela canalizou em cima dos pobres peixes. Troquei a água toda. e a comadre da visão obesa não entra mais aqui não.

bjs e bom domingo minha linda

disse...

Ah!!! Então eu quero sim. Na próxima, eu participo. Que prazer! Obrigada! Bjos

Glorinha L de Lion disse...

Pois é Açuti querida, eu sabia que seria assim, até me espantei com a sinceridade de algumas pessoas que assumiram seu lado negro...é assim na vida e é assim aqui. Beijos e bom domingo amoreco!

Puxa Cynthia, e como sinto! E acho que é pra sentir mesmo, senão, como diz minha filha, "a gente embolota", que significa, fica com um bolo no peito, aquele que eu fiquei. Muitoo bom vc ter dito isso. beijos.

Glorinha L de Lion disse...

Alê, lá vou eu dizer que te adoro...temos muito em comum! Vc é que nem eu: pão pão, queijo queijo...não usa de meias palavras ou de meias verdades, diz na lata o que pensa...nem sei mais se isso é defeito ou qualidade, mas só sei ser assim. Já tentei ser falsa e fingida e fingir o que não sinto, mas não dá. É só fazer isso que "emboloto" como diz a minha filha, vem aquele bolo no peito, na garganta e fica lá, obstruindo minha alma que quer sair e falar. Então, aos 52 quase 53 anos, parei de lutar contra isso e quer saber, quem não gostar F#@75$!!!!Como diz a Luma, a gente até dá uma peneirada...é muito melhor ter poucos e bons do que muitos falsos ou idiotas. Eu prefiro! E vc tb.
Quanto ao seu comentário, sempre rio muito com vc...todo gordinho fala isso mesmo, poucos assumem que comem pra valer...hehe e a zoiuda que matou seus peixes...ui vade retro! Expulsa esse demo mesmo da tua vida! heheh eu tb nunca mais vi a "matadora de xuxus" ainda bem, mas outras vieram pela vida a fora...sempre tem e sempre terá. Beijos amoro mio! Fim de semana de frio aqui, e um lindo de sol aí pra vc! Com muita luz pra todos nós!

Socorro Melo disse...

Olá, Glorinha!

Você está certa, ninguém é imune a esse sentimento vil que é a inveja. Todos sentimos. Como bem disse o Ramón Cajal, a inveja é tão vil e vergonhosa que ninguém se atreve a confessá-la, e foi o que ocorreu. Admirei as pessoas que foram sinceras.

Um grande abraço
Socorro Melo

ELA disse...

Oi, Glorinha!

Sobre o texto só não posso deixar de falar que acho muito bacana a gentileza que vc têm com as pessoas, quando as visita, comenta e cita muitos amigos no seu blogue. Acho natural que vc espere isso das pessoas, compreendo a sua decepção quando algumas são displicentes. Pode não ser por mal, mas não sei. Não vou defender quem não conheço.

Li a história dos peixinhos do Alexandre aí em cima e a sua do pé de chuchu... Eu ri. Desculpem, só achei graça porque parece ficção de tão forte que é! Mas eu acredito, claro. Acredito na energia negativa direcionada ao outro, acredito que a gente deva mesmo é buscar desejar o bem. E acho que vc dois, vc e o Alexandre, realmente se parecem, daí a amizade tão significativa. Legal.

Então, quer dizer que no seu balanço da blogagem muita gente disse que não sente nem sentiu inveja? Curioso... Eu também não acredito. No meu texto segurei o tópico de que o sentimento é INATO ao ser humano durante todos os parágrafos, essa foi a ideia do pontapé inicial pro texto (e nem poderia ser outra!). Mas relaxe, linda loura, muitos podem apenas não ter enumerado a inveja especificamente, mas isso não os coloca na posição de assumir uma "santidade".

Acho super interessante os balanços que vc faz das blogagens, é divertido e ficamos "por dentro" de tudo!

Ah, viu os frutos do mar nadando até vc, foi? Kkkkkk! Imagino as gargalhadas! Vc monta cada cena! Melhor descrição do efeito do álcool, impossível!

Gde bj!

Michelle

Mari disse...

Eu acredito na história das plantas secarem por causa do olho gordo. Eu acho que vibrações negativas acabam afetando a gente de alguma forma.Eu tb tenho uma história parecida: tinha acabado de comprar um bule de porcelana, nada mt caro, mas bem trabalhado e bonito, pra servir chá. Não é que o bule quebra em frente a uma pessoa que tava elogiando mt! Eu nem fiquei triste pelo bule, mas pela energia que senti vibrando naquele momento...Mt ruim sentir isso.

---x----

Adoro a blogagem coletiva. Acho um clima bacana de união e paira no ar da blogosfera mt criatividade. Pena que algumas pessoas não sabem entrar no clima. Esse é um mundo relativamente novo pra mim(a blogosfera), e cada dia leio coisas e opiniões diferentes sobre ele, cada um com idéias diferentes sobre as relações de bom convívio.
Ainda não sei muito bem como lidar com alguns problemas da blogosfera... mas só sei que acima de tudo, devemos ter respeito pelo blog visitado. É o mínimo.

Bem, vou comentando aos poucos nas outras postagens.

Beijos