domingo, 8 de agosto de 2010

Meu Pai e Eu..


Eu não sou nada a favor dessas datas comerciais, como dia das mães, dia dos pais etc, mas, como estou num momento muito importante da minha vida, momento que pode ser um divisor de águas, embora tardio, na minha caminhada, resolvi falar de meu pai hoje. Lembrar dele, coisa que tenho feito muito ultimamente.
Já contei antes, aqui, que perdi meu pai quando eu tinha 15 anos.
Em plena adolescência, período conturbado e difícil, onde atravessamos uma espécie de limiar que divide a nossa vida entre a juventude e a maturidade.
Pois foi justamente aí, nessa fase, que meu pai me deixou. Ele já estava doente há cerca de três anos.
Já havia tido 2 infartos e quatro edemas pulmonares, causados pelo fumo. No terceiro ataque cardíaco e quinto edema, ele morreu e o mais traumático, em casa, pois a ambulância demorou a chegar e quando os médicos chegaram, nada mais puderam fazer.
As minhas últimas palavras para meu pai, e talvez, as últimas que ele ouviu, saíram da minha boca, que da inocência dos meus quinze anos, achava que assim, estaria distraindo-o e aliviando seu sofrimento. A lua estava cheia e linda lá fora e o céu, muito estrelado. Ele, sentado na cama, lutando para respirar.Entrei em seu quarto e, quando olhei pela janela e vi a lua, falei: Pai, olha que lua linda está lá fora...Não me recordo se cheguei a beijá-lo, mas logo saí do quarto e não tive mais coragem de voltar lá e vê-lo naquele sofrimento horrível.
Acho que meu pai morreu sozinho. Pois minha mãe e minha irmã aflitas, esperavam a ambulância que nunca chegava, na porta do prédio onde morávamos.
Eu tinha prometido a mim mesma que não iria chorar hoje, ao contar isso, mas é impossível não reviver a dor de uma quase criança que ficou sem pai quando mais precisava dele.
Meu pai havia me prometido publicar meus textos e poesias e fazer um livro com meus escritos.
Então, vejam só: meu sonho foi enterrado junto com ele. Pelo menos eu pensei que tivesse sido. Continuei escrevendo pela vida, mas abandonei o sonho, não me achava capaz de concretizá-lo sem meu pai.
O tempo passou, me casei aos 20 anos, terminei a faculdade, tive meus filhos, fui morar no interior e parei de escrever.
Não sentia mais vontade, parecia que a poeta dentro de mim havia sucumbido à rotina, ao vai e vem da vida, das mudanças.
Mas o que eu não enxergava era que o que meu pai havia plantado em mim, estava adormecido, mas continuava lá, em algum canto escondido de mim mesma.
Tudo o que meu pai me ensinou e me deixou foi cultura, conhecimento e, principalmente o amor pelos livros.
Ela era um homem de frases e nos dizia, a mim e a meus irmãos: "Conhecimento não ocupa espaço".
Ou " Leia tudo o que cair em suas mãos, desde o gibi até o melhor dos livros".
Era um homem elegante, de personalidade forte e voz de locutor de rádio, grave e bonita.
Eu herdei sua caneta tinteiro. Ele só escrevia com sua Parker dourada e tinta azul turquesa. Tinha uma letra de caligrafia impecável.
Será com essa caneta que autografarei meus livros. Será minha maneira de homenagear o homem que me fez amar os livros e inventou, de certa maneira, essa escritora que vos escreve.
Um Feliz Dia dos Pais a todos os pais que, como o meu, por amor a seus filhos, deixa dentro deles a semente que um dia, no futuro, irá brotar.
Ao meu Pai, Renato e à sua memória!

37 comentários:

Silenciosamente ouvindo... disse...

Nosso pai...(merecem tudo) e é
bonito as suas palavras.Eu já
não tenho pai, nem mãe, e sei
que foram as pessoas que mais
me amaram com todas as minhas qualidades
e defeitos.Os nossos pais são
insubstituíveis e vivem sempre
no nosso coração.
Já votei no seu livro.
Um abraço/Irene

Glorinha L de Lion disse...

É verdade Irene, não há quem nos ame mais no mundo. Obrigada por votar, abraço.

Meru Sâmi disse...

Oi, amiga
E u também estou neste mesmo ponto de reflexão e saudades, muitas, pois meus pai sempre foi a minha estrela- guia. Ningém me amou e respeitou mais que meu pai. me leveve até para o trabalho e entre tanto que me ensinou, está este profundo senso de Fé religiosa (ele era judeu).
Chorei contigo, ao ler sobre o seu pai por saber exatamente o que é.
Agora, quanto ao momento divisor de águas (tardio?!), não, não vejo assim.
Agora é a sua hora exata, momento de consciência do que quer realmente compartilhar com seu semelhante. Esse é o seu momento, e é o melhor para o que está fazendo!
Eu já disse que vejo flôres em você, e flôres são sempre exuberantes na medida exata!

E nosso pais, com certeza vivem, ainda que dentro de nós...

Beijos...

Marliborges disse...

Oi Glorinha,
Linda homenagem. Haja emoção. Os olhos embaçam, não tem jeito. Mas, taí, a sementinha brotou e logo, logo estárá dando lindos frutos literários. Bjss, tbm já votei.

Beth/Lilás disse...

Maninha,
Quem leu o post pra mim foi o maridex enquanto eu me recuperava do vinho italiano no sofá e depois do delicioso risoto de salmão. Começou do jeito dele, dizendo que teu blog era muito 'fresco' pra não dizer o outro nome que ele deu, mas ao chegar no meio do post, sua voz já estava embargada, ainda mais quando a lembrança que seu pai deixou pra você foi a mesma que o dele deixou pra ele, uma Parker 51 que está intacta, guardada com o maior carinho. Teve que tirar os óculos para enxugar a lágrima e por aí eu digo, você não só escreve, mas emociona, toca os corações.
Emocionante sua lembrança e se ele estiver em algum lugar que possa ver isto, com certeza, estará sorrindo de alegria pela homenagem.
um grande abraço da serra

Ana Maria Braga disse...

Oi, Glorinha, meu voto já dei, viu ? Gostei de saber a historia do seu pai. Tb não tenho mais pai, mas o meu não foi muito carinhoso. Era muito rígido com os filhos, mas sempre ficam alguns bons ensinamentos. Feliz dia dos pais para todas nós. Bjs

ELA disse...

Lindo!

Ai, ai, saudade do meu pai (vivo, aliás, mas longe)...

Bjs!

manuel marques disse...

Lindíssima homenagem.

Beijo.

Manuela Freitas disse...

Olá Glorinha,
É comovente essa lembrança forte do teu pai, eu já a tinha lido por aqui. De qualquer forma há um factor novo, teres desenterrado essa vontade de ser escritora, que o teu pai apoiava.
Por cá não é o dia do pai, foi em Março.
Já votei, tenho pena de não poder voltar «en» vezes, tb coloquei uma enquete lá no meu blogue.
Beijinhos «amore»,
Manú

Clau Finotti disse...

Oi Glorinha!
Impossível não ficar emocionada com seu texto! Você coloca tão bem, de forma tão profundamente simples as palavras que a gente se sente dentro da cena.

Hoje fui almoçar com meus pais e tento aproveitar isso ao máximo.

Você merece todo o reconhecimento do mundo na sua arte!

Grande beijo, já fui lá votar.

Bjos, bjos, bjos.

Clau.

Nilce disse...

Linda mesmo sua homenagem, Glorinha.
Estamos juntas nesse barco. Também perdi o meu muito cedo. Mas o que ele deixou de exemplo, nunca se apaga.
Que bom saber que a escrita é coisa de sangue mesmo. Ele deve ter sido muito feliz por ainda ter tido tempo de vê-la começando seus belos escritos.

Bjs no coração!

Nilce

Taia Assunção disse...

Hoje está difícil visitar os blogs dos amigos, em cada um é uma lágrima que cai em meu rosto. Hoje pela manhã liguei para o papai e ele não conseguiu falar. Ficou emocionado, do outro lado da linha eu ouvia sua respiração ofegante. Ao mesmo tempo, nenhum dos filhos ao meu lado...a vida é um ciclo que se repete, e novamente se repete...repete. Meu pai sofre de saudade de mim e eu sofro de saudade dele e também dos meus filhos. É a vida. Beijocas e feliz todos os dias dos pais para o seu maridão.

Astrid Annabelle disse...

Muito lindo...me emocionou!
Nada posso acrescentar...lindo demais.
Um beijo sentido
Astrid Annabelle

Glorinha L de Lion disse...

Tem razão Meru, meu momento é agora, pq tinha que ser. Obrigada por suas belas palavras. Que bom que os nossos nos deixaram belas lembranças! Bjs.

Marli, que assim seja querida! Torça por mim! Bjs

Beth, li seu coment e vc sabe o que aconteceu né? É isso mesmo, chorei de novo...me emocionei ao saber da emoção do teu marido...de termos a mesma recordação de nossos pais: uma Parker, a minha está bem velhinha... Bonito isso e emocionante. bjs.

Vicentina disse...

Glorinha querida amiga...
Você me fez chorar de ler esta postagem, e me fez lembrar de meu pai que tbm morreu nas mesmas condições do seu e eu só tinha 11anos, ah! como sofri não posso nem pensar foi muito doloroso, mas tenho certesa ele me acompanha sempre por onde vou, sinto sua mão me amparando, e ele me protegendo, nunca vou esquecê-lo.
Como tudo que vc escreve é lindo esta postagem tbm gostei e me emocionei.
Bjs e Parabéns a todos os pais, principalmente aos nossos que amamos tanto...

Glorinha L de Lion disse...

Oi Ana, o meu era rígido, mas carinhoso, sabia educar só olhando, nunca me deu uma palmada, aliás em nenhum de nós. Mas o respeitávamos demais. Meu pai era um sábio, que mesmo com pouco estudo, foi longe na vida, em todos os sentidos...bjs.

Michelle, é duro isso, imagino...feliz dia pro seu pai...bjs.

Obrigada Manuel, feliz dia pra ti! Bjs.

Manu minha querida, pois é, só pode votar uma vez e eu agora estou em 4o lugar, mas vamos ver, ainda tem tempo...obrigada bjs.

Clau, obrigada por suas belas palavras e por seu incentivo. Preciso que todos façam uma corrente, pedindo aos amigos que tb votem em mim, eu não tenho Twiter e isso dificulta arregimentar votos...mas o que tiver que ser, será! Bjs,

Glorinha L de Lion disse...

Nilce, então deve estar como eu, meio pra baixo hj...depois que escrevi me deu uma tristeza...mas amanhã estou pronta pra luta novamente! Ainda bem que temos boas lembranças deles, não é? bjs.

Taia, eu nem fui pra não chorar, pois hj estou igual manteiga, chorando à toa e pra vc aí, longe deve estar bem difícil tb...mas é só uma data ,mas como todo mundo fala acaba mexendo com a gente...bjs e obrigada por seu voto.

Obrigada querida Astrid, hj estou bem emocionada tb...mas amanhã estarei melhor. Obrigada por ter votado em mim! bjs.

Glorinha L de Lion disse...

Vice, meu docinho mineiro! Vc tb perdeu seu pai bem cedo...ai como é triste...na época a ficha não cai por sermos muito crianças, mas quando otempo passa, quanta falta nos faz nossos pais! Mas assim é a vida, pelo menos tivemos pais amorosos e que nos ensinaram a ser seres humanos da melhor qualidade, não é? Feliz dia pro seu maridão, Vice. bjs.

angela disse...

meu pai tambem deixou um parker 51, esta com meu irmão, que herdou a caligafria linda dele, mas quem curte escrever sou eu. linda postagem amiga,emocionante e verdadeira,como sempre.bjs

Luma Rosa disse...

Votei ontem, pode votar todo dia?

Sobre o post, sem palavras! Nem consigo comentar, me desculpe!

Glorinha L de Lion disse...

Oi Angela querida, nem sei se a Parker do meu pai é 51, mas está bem velhinha, o dourado gasto, sinal de que foi bem usada...ainda tem resquícios da tinta que ele usava...peguei nela hoje e olhei e parecia que um pouco dele estava ali...pura emoção...beijos meu bem!

Luma, acho que só pode votar uma vez...e agora estou em 4o ou 5o lugar...esse pessoal mais jovem tem twiter e eu não tenho...se puder divulgar pra mim...é até 16 de setembro, 2 dias antes do meu aniversário. Já pensou? Seria um bom presente ganhar os 100 livros, né? Bjs e obrigada.

Kelly disse...

Lindas palavras, também sou contra as datas comerciais, mas é impossível não lembrar de um jeito mais especial dos pais no dia de hoje, beijos

Glorinha L de Lion disse...

Pois é Kelly, pra quem não ia escrever nada, como eu ,acabei me emocionando demais hj...deu uma saudade danada de meu pai...bjs.

Yoyo Pizy disse...

Glorinha,
Como sabe, eu também não curto essas datas comerciais, mas hoje resolvi postar uma carta que escrevi para meu pai e que ñunca foi enviada.
nQuanto ao seu texto, pura emocão.
No lançamento do seu livro vou prestar atenção em sua caneta e lembrar desse post.
Bjos

Macá disse...

Glorinha
Perdi meu pai não tão novinha como você, eu tinha dez anos a mais, mas assim mesmo foi muito cedo.
Ainda bem que você percebeu que o seu sonho (e o dele também) não foi enterrado junto com ele. Ele ficou aí, dentro de você, esperando a hora de se manifestar.
E parece que a hora, é agora, não é?
Seu pai, de onde estiver, tenha certeza que está abençoando esse seu momento.
um beijo

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Talvez por respeito e amor muito grandes por seu pai vc entregou a ele o seu maior sonho.
Na hora que ele entregou a vida, você o seu sonho. Um momento de adeus muito importante, vc, por amor a ele, não poderia deixá-lo ir embora sem oferecer também algo que pra vc era muito importante.

E enquanto a ferida esteve aberta, não deu pra realizar seu sonho.

No teu escrito, teu pai renasce. No seu livro, seu pai vive. Agora que a dor, melhor superada (as saudades eternas) a escritora pode surgir com força.

Escreva muito. Cada palavra sua representa o amor de seu pai.

E conte comigo para a divulgação da votação, hj vai ser no twitter.
bjs

Mariana disse...

Nossa, tia... Vc só não se emocionou demais, emocionou a todos que leram esse post! Tenho certeza que sei pai está muito orgulhoso de vc em algum lugar desse universo!

Beijinhos,
Mari

* Fada * disse...

*Glorinha, você me fez CHORAR.

Olha, meu pai e o teu pai poderiam

ser grandes amigos se se

conhecessem !!! Ele eram parecidos

no seu jeito de ser, seus valores

e ... sofriam do mesmo MAL :

doença causada pelo tabagismo !

Meu pai faleceu aos 63 anos de

idade por causa de um câncer

pulmonar ! (Ele fumava MUITO !!!).

*Olha, Glorinha, acredito

MESMO que tudo acontece NA HORA

CERTA !!! Digo isto porque você

afirmou que está realizando o seu

sonho - publicar um livro da sua

autoria ! - tardiamente ! Menina,

isso não existe !!! Era essa a

hora, o momento, para isso

acontecer, para isso se tornar uma

linda REALIDADE !!! (*Agradeça a

Deus por essa imensa ALEGRIA que

Ele está te possibilitando e

COMEMORE BASTANTE !!!).

*Glorinha, você já é uma pessoa

VITORIOSA !!! Você fez a sua

faculdade, casou, teve os seus

filhos ... quantas pessoas chegam

aos 40, 50 anos de idade e ...

olhando para trás, concluem que

viveram à toa, preocupando-se com

tolices, ilusões ?! Quantas ?!

*Glorinha, seja GRATA a Deus por

TU-DO e ... viva com ALEGRIA !!!

*Ótima semana para *Você e para

toda a sua família !!!

*Fiques com Deus.

*Um abraço.

P.S. - *Lá no meu blog, no lado

direito, tenho uma foto de papai

aos 63 anos de idade ! Ele se

chamava *ITAGYBA e era do signo de

LEÃO !!! (*Amo os leoninos !!! kkkk

kkkkkkkkkkkk).

Glorinha L de Lion disse...

Yoyo, eu tb tenho um cartão que fiz pro meu pai antes dele morrer e que nunca dei...coisas da vida, né? Temos que seguir na luta e na caminhada. Pode ver, que a caneta dele vai estar lá, dando autógrafos, e a mão dele, segurando a minha...bjs amiga.

Ai Mac´, desde ontem estou mexida, cada comentário dae vcs eu choro...acho que ele vai estar sim, dentro de mim...obrigada amiga, por tudo o que tem me demonstrado , beijos enormes.

Glorinha L de Lion disse...

Ai Ale, que lindo! Hoje estou muito mexida, sei lá, acho que foi por lembrar tanto do meu pai ontem e pegar a caneta dele, ver que ainda está com vestígios da tinta que usava...li esses comentários com lágrimas escorrendo, acho que fiquei tb muito empolgada com a votação, com tanta gente torcendo por mim, e acabei vendo que ainda tem muito tempo e tudo pode acntecer até lá...estou precisando muito da força dos amigos e de vários twiteiros, pois eu não tenho twiter...estou até pensando em ter...apesar de não gostar muito, mas nessas horas vale tudo, né? Obrigada pela força e por seu carinho enorme meu amigo! Beijos.

Mari, eu tb estou pura emoção desde ontem...acho que meu pai está em mim...e estará no dia do meu primeiro livro. Beijos linda, obrigada.

Fada, que belíssimas palavras, estava precisando muito ouvir isso hj...obrigada, do fundo do coração e, como eu disse: quem viver, verá. Sou Leão só no nome( do marido) e meu ascendente é leão, mas eu sou virginiana...Então, nos encontramos na minha noite de autógrafos, torça por mim! beijos.

Cantinho She - Sheila Mendonça disse...

Afff menina assim vc acaba comigo, né? Que post lindo e emocionante... rs
É isso aí e tenha certeza que vc irá conseguir e ele estará sempre orgulhoso de vc, de um jeito ou de outro, independente de crenças ou religiões... beijo, beijoooo Lindona!

Socorro Melo disse...

Bela e merecida homenagem, Glorinha.
Ele deixou-lhe o melhor legado.

Beijos
Socorro Melo

Andressa Bragança disse...

Olá querida, vim te desejar uma ótima semana, cheia de paz pra tua vida.
Beijjocas
Andressa
http://www.projetoame-se.blogspot.com/

Glorinha L de Lion disse...

She querida, pois menina...pai tem uma força no nosso inconsciente né? Que os deuses da escrita digam amém! bjs.

Oi Socorro, com certeza, não me deixou riqueza material, mas intelectual, a que nunca se perde, essa me deixou montanhas...bjs.

Obrigada Andressa pra vc tb! bj

Lu Souza Brito disse...

Que linda homenagem Glorinha. Para mim é uma data um pouco estranha, pois nunca tive a presença do meu pai (que faleceu quando eu era bebe). Mas tratei de ligar para mimnha mamis e dizer a ela de todo amor que sinto, porque ela foi também meu pai.
Beijos

Mari disse...

Oh, Glorinha.Que emocionante a sua história. Não contive minhas lágrimas tb.

A maior herança que um pai pode deixar, o seu deixou, o amor pelos livros e pelo conhecimento.

Beijos

www.comtextosdavida.com disse...

Que lindo texto!A caneta não chegou às suas mãos por acaso. Você a merece.
bjs Lais