quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Tentando Escrever.

Desde sempre, trago dentro de mim a escrita. Talvez fosse o que meu pai, no íntimo, desejou fazer e não pode.
Nesses últimos tempos tenho pensado muito em meu pai. E acho que mais que tudo, é esse pensamento que tem me impulsionado a buscar e realizar o que sempre quis.
Só que ao sonhar em escrever livros, imaginava que poderia me dar ao prazer de sentar em frente ao computador e escrever durante horas, só me levantando da frente da tela, quando quisesse ou estivesse cansada. Imaginava, romanticamente, que eu ficaria sentada escrevendo e criando asas, enquanto o mundo lá fora pararia em respeito à minha inspiração.
Mas não, minha batalha tem sido dura e como diz uma amiga: é a luta do leão com o bode. Só, que nesse caso, não sou a "leoa", sou o bode...
Sento, escrevo 10 minutos, começa meu celular com a "tal tortura psicológica". São cinco, dez, vinte ligações seguidas. Recados, mensagens. Tenho vontade de jogar essa joça lá no meio da rua. Não atendo, não posso atender.
Aí, começa o telefone fixo: mil recados na secretária.Escuto, se for amigo atendo, se não, deixo tocar. Levanto, roupa para colocar na máquina, passadeira vem sexta feira.
Sento, mais dez minutos de alívio. Viajo, voo, entro em transe. E o telefone novamente. Maldito Grahan Bell!
Me lembro que tenho que tirar a roupa da máquina. Levanto, penduro tudo nos varais lá no deck, pois é o único lugar onde bate sol nessa época aqui dentro da Mata Atlântica. Subo as escadas, coloco mais roupas na máquina.
Sento novamente, mais trinta minutos, novas roupas para pendurar. Mensagem no celular.
Se ainda fosse notícia boa!
Mas não, só pauleira...e lá vou eu, fazer o jantar. Quase não almoço, agora que fico sozinha o dia todo. Assim me sobra mais tempo pra escrever. Olho meu blog, quando dá visito um ou outro, respondo.
Leio os e mails. Respondo. Às vezes não. Pesquiso. Mil livros em volta de mim, papéis, anotações. Cadê aquilo que anotei ontem? É importante colocar isso nesse capítulo...perdi! Cachorros precisam descer, fazer número um e número 2.
Voltei...ai, que cansada...
Abro o word, volto pro meu livro. Pego o trem para as estrelas, lá vou eu de novo...
Quando estou lá, chorando, em carne viva, telefone toca, às vezes os dois aos mesmo tempo.
Será possível? Quem foi que disse que escritor escreve doze horas por dia em paz e sossego? Alguém que não conhece o que é ser mulher, mãe, esposa, não tem empregada, nem faxineira, mora num casarão e tem três cachorros do tamanho de pôneis.
Ah! Que inveja eu tenho desses escritores que nas entrevistas dizem com a maior pompa: Tenho um ritual, escrevo de tanto a tantas horas religiosamente, todos os dias. Não gosto de ser interrompido. Dou ordens para não ser chamado. Ha! Dá vontade de gritar quando ouço isso: Também querooooo!!!!!!
Eu, se contar, escrevo duas horas por dia, no máximo. Como conciliar, uma viagem no tempo, lá onde se passa a minha estória, com esse tempo de agora, me jogando baldes de água fria o tempo inteiro, me jogando na parede, me confrontando com a vida dura e real que tenho vivido?
Cadê meu pai pra me proteger de tudo isso? Cadê minha mãe pra me dar um copo de leite, pra cuidar de mim.? Onde será que foi parar minha paz?

36 comentários:

Socorro Melo disse...

Glorinha!

É mesmo um tabalho árduo. E para escrever,a paz é fundamental.Mas, o sabor desse fruto vai ser incomparável, considerando todo esse processo que você está vivenciando.

Desejo-lhe muuuuuuuita calma!

Socorro Melo

Nika disse...

Oi Glorinha! Comecei ler seu blog hoje estou amando, aos poucos vou lendo tudo, amo livros, um dia quero poder escrever um também, muita calma, você pode ter certeza que todo este processo para escrever vai te deixar muito mais satisfeita no final, pelo pouco que li no seu blog com certeza esse livro vai ser muito bom, mais um que vou querer ler...
bjs e td de bom, tô seguindo.

Meru Sâmi disse...

Querida Glorinha,
Esse não é só um livro que você está escrevendo. Esse é O Livro que você está gerando e parindo ao mesmo tempo.
Lembra-se de que a primeira gestação e parto são mesmo mais difíceis. Mas depois, olhar para nosso filhote é tão bom, que vale o esforço!
Força moça, tem uma porção de tios e tias esperando a criança...!
Quando você estiver muito tensa vá até o quintal, tire o calçado e pise no chão para descarregar o essesso de elétrons acumulados. EXPERIMENTE E VEJA A DIFERÊNÇA.

BEIJOS

Bordados e Retalhos disse...

Glorinha esqueceram de avisar pra esses aí que estão te importunando: "há uma escritora criando portanto não interrompam". Ai amiga imagino seu sufoco. Só posso, daqui, mandar boas energias pra vc e dizer que não se preocupe com comentários em meu blog ou com as respostas aos meus e-mails. Bjs

Nilce disse...

Oi, Glorinha

Vida real e de mulher é dura, menina. Acaba com qualquer concentração.
Desliga tudo aí, manda Grahan Bell à m.
Te ofereço um cantinho com frio, mas com lareira enorme, vinho, muita calmaria, na minha casa que está vazia lá, e só visito de vez em quando. Tem ajudante e tudo. hehe
Não é na Mata Atlântica como aí, mas tem uma florestinha de fundo e muitos pássaros pra cantar prá vc. Um sossego e tanto. Sonho de todo escritor.
Só não vale ficar com saudades dos macacos. rsrs

Já viu se a roupa secou?
Não esqueça que precisa recolher. rsrs

Bjs no coração!

Nilce

Lucia Cintra disse...

Glorinha, se vc realmente quer algo, vc o faz. Tudo eh questao de prioridades. Pq vc acha q nao tenho escrito tanto no meu blog como antigamente ou entao visitado e comentado nos blogs dos amigos (so qdo da daqui da empresa)? O meu post de hoje foi escrito ha uma semana atras e foi postado automaticamente, so pra te dar uma ideia.

Minhas prioridades sao mts, principalmente comecar meu proprio negocio. Ao contrario de vc que tem praticamente o dia mais ou menos livre, eu so tenho duas ou tres horas por dia pra focar no que tenho que fazer.

Desligo os celulares, nao abro meus emails ou entao se ele esta aberto e recebo uma mensagem, eu nao olho ate o final dessas 2 ou 3 horas. Se me distraio com qq outra coisa, perco esse tempo precioso e nao posso. E apesar de nao poder me dedicar o dia todo a isso, pois tenho que trabalhar fora, me dedico 100% no tempo que tenho. E as coisas tem progredido bastante!

Como disse, eh questao de prioridade. Desliga ou silencia seus telefones. Estabeleca um horario e tempo fixo para as outras coisas - tipo das 11:30 ao 12:30 eu faco almoco, almoco e comeco a me arrumar pro trabalho... Simples assim qdo vc realmente quer!

Le isso: http://lucinhazi.blogspot.com/2010/03/ouse-sonhar-vol-4_5853.html

Esse texto me ajudou mt, talvez possa te ajudar tb. Bjos

Lu Souza Brito disse...

Calmaaaaaa Glorinha!

Ser mulher mil tarefas não é fácil. Pior são as idéias que deve se perder no meio destas interrupções ne?

Agora, fala sério, porque você não desliga estes telefones??? Ou ao menos o celular enquanto está criando????

Beijos e boa sorte! E respira, profundo e lentamente. O cérebro deve estar relaxado e bem oxigenado para ter boas idéias, ahahahaha.

Gina disse...

Glorinha,
Talvez por ser mais complicado, a satisfação seja dobrada no final.
Bjs.

manuel marques disse...

Escritora, mãe ,mulher ,sofre..

Beijo.

ELA disse...

Ai, quero minha mãe também! Ainda mais agora que me "meti" num projeto de trabalho que quase me fez desmarcar as "alternativas" anteriores da minha vida! Foi praticamente questão de vestibular! Kkkk! Também quero leite com achocolatado na mesa, suco de laranja no café da manhã, tempo e paz... mas, mesmo sem isso... Eu vou dar conta! E vc também, força!

Bjs,
Michelle

xunandinha disse...

É preciso calma, relaxa amiga,tudo se consegue com calma e descontração,beijos descanse a vida é bela

Mari disse...

É, Glorinha. Meu marido está na fase de escrever sua tese, e quando eu vejo a porta do nosso pequeno quarto que fizemos de escritório fechada, luz acesa e música clássica tocando (é o ritual dele) eu nem me atrevo a entrar...Talvez só pra oferecer um chá ou café. Tem horas que eu entro, deixo a caneca e ele nem percebe que eu entrei de tão concentrado. Mas claro que pra entrar nesse estágio de profunda reflexão ele teve seu tempo e condições prédisponíveis, sem nenhuma interrupção.

É difícil criar, refletir, pensar, escrever, com tanta coisa pra resolver.

De vez em quando deixa o balaio de roupa encher, desliga o telefone...Se puder, né :/

Não é mole!

Leci Irene disse...

Sei lá... deve ser uma chatice ser interrompida assim! Quem sabe desliga o celular e o telefone fixo durante uma determinada hora durante o dia? Sempre na mesma hora - assim as pessoas se acostumam a não ligar em determinado período. Depois, é como se estivesses gerando um filho - o sorriso virá qdo ele nascer..
Beijos

Kelly disse...

Sei bem o que é sentir falta de pai e mãe para proteger. Meu pai faleceu em fevereiro, mas o perdi há 15 anos atrás quando sofreu um AVC e tive que assumir o papel dele em casa com 17 anos apenas. Mãe, infelizmente nunca tive, está aqui, com saúde porém nunca soube o que é ser mãe. As vezes também sinto essa falta. beijos

pensandoemfamilia disse...

Pois é Glorinha, como o silêncio é precioso. Acabo de agendar meu pot da amanhã e coincidentemente é sobre o silêncio.
Vá em frente, estamos aguardando estes frutos.
bjs

Ana Maria Braga disse...

Glorinha já fiquei cansada depois de ler o seu dia a dia! Ufa, menina! Mas nós, mulheres, somos maravilhosas por isso mesmo. Conseguimos fazer mil e uma coisas ao mesmo tempo e ainda ficar bonitas.Beijos.

Manuela Freitas disse...

Olá querida Glorinha,
Mas que trabalhão, ena, é demais para uma pessoa só!
Tu estás a precisar de uma secretária e fachineira simultaneamente! Pronto eu candidato-me ao lugar, não precisas de pagar! É pegar ou largar! rsrsrsrs
Ainda bem que no meio dessa balbúrdia, ainda há bom humor!?...
Beijinhos,
Manú

Clau Finotti disse...

Menina, desliga o mundo! Tira os telefones da tomada!!! Arruma um celular novo e dÊ o número só para os mais importantes... affffff.... Num dá prá criar sendo incomodada 24 h por dia assim....

Bjos.

Clau

Yoyo disse...

Como entendo você, amiga! Sei bem o que é ter que acordar cedinho, trabalhar, cuidar da casa, marido, filhos(mesmo as minhas não morando mais comigo),amigos, cachorro, blog(tenho 3, embora eu tenha praticamente abandonado dois deles)...Quando sobra um tempinho estamos exaustas até pra falar.
Bjo no core

Isadora disse...

Glorinha, é uma luta né. Impossível conseguir,os horas e horas para nos dedicarmos a algo.
Temos inúmeras tarefas ao longo de um dia e é difícil darmos conta de tudo. Por isso, os sacrifícios que temos que fazer, mas tenho certeza de que entre uma ligação e uma roupa na máquina para lavar, seus escritos vão seguindo no ritmo e caminho certo.
Um beijo

Vicentina disse...

Glorinha, comecei a ler sua postagem não sabia se ria ou chorava, tadinha de vc menina, assim não dá, desliga estes telefones.
Vamos voltar no tempo e falar pro Grahan Bell não inventa que não vai dar certo (como aquele comediante da globo fala rsrs adoro ele)
Mas paz para vc querida e estamos esperando os frutos da sua imaginação e tenho certesa serão sensacionais.
Bjs

Amica Philosophiae disse...

Talvez o que a diferenci dos outros escritores é que eles tem $$$ e empregada para fazer tudo por eles. E é por isso que o seu livro vai ser nota 100000000000000000000000...pq tem o sabor do sacrifício e do esforço!
Grande bjo
Cynthia
PS: Terminei o livro....ehhhhhhh!!!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Olha essa promoção, será que não te interessa? Transformar o blog em livro
http://www.blogbooks.com.br/

Imagino o qto vc deve estar é estressada. Porque enche o saco.

Eu vejo qdo quero escrever no blog e aparece nego falando, telefone tocando, campainha peidando.
Dá vontade de gritar: pelamor,me deixem um poquito em paz.
Isso pq no blog é rápido, é curto. E não se tem o carinho e responsabilidade de um livro.

Dica: (não leve a sério pq é palpite). E sei que não é fácil... é só palpitaiada mesmo.

Venha pro Japão que eu te tranco em um templo zen lindo e só te liberto com o livro pronto rs. Longe de tudo, ninguém mais pode te encher o saco.

Mas como isso é complicado, tem como adiantar suas obrigações do dia? E tirar, por exemplo, das seis à meia noite em um tipo de reclusão? coisa mesmo de presidiária: não pode falar com ninguém, sem telefonema e deixem a comida na porta do cativeiro. Combine um código com sua família que serve como emergência. E fora isso, o mundo que se acabe.

Porque é complicado escrever de tiquinho em tiquinho né. A inspiração não vem em conta-gotas.

Te desejo boa sorte, de verdade.
bjs

Françoise disse...

Amiga Glorinha,
Entendo o que diz, deixe os telefones tocarem, vai passar. Continue focando no que agora vale a pena, desde que assim pensou já está partindo para o segundo não é? Quanto aos afazeres de casa, há dias em que eles precisam ficar de lado, pra amanhã. Quanto mais fazemos mais temos, um horror, uma vida de entrega, afe maria!!!!!

É lindo vê-la contando sobre seus escritos, só fico imaginando o que estará por vir..... Continue nesta sua terapia de escritora que vale mais a pena. Não temas! Confie! Fique na companhia do seu pai e na paz,

Abraço bem apertado,
Com minha admiração ,
Fran

AC disse...

Gostei muito de descobrir o seu sítio, onde as palavras são bem tratadas.

Beijo :)

Taia Assunção disse...

Como é complicado conciliar as coisas não é mesmo. Mas você chegará lá. Força! Beijocas!

orvalho do ceu disse...

OI, GLORINHA
PARECE QUE HERDAMOS O DOM DA ESCRITA DO NOSSO PAI IGUALMENTE. LEGAL!
A VIDA PASSA E TEMOS QUE NOS LEVANTAR DO MICRO PRA ESQUENTAR NOSSO PRÓPRIO LEITE OU FAZER-NOS UM CAFÉ... OU CHÁ...
CORAGEM!
BJKS

Macá disse...

Glorinha
Fase difícil essa heim? Mas, pelo que li nos coments acima (é, tive um tempinho pra ler) as dicas que deram são ótimas.
É isso mesmo, reserve uma parte do dia pra você somente e que se dane o resto. Você merece esse respeito.
Ah! hoje de manhã lí uma frase e não porque, me lembrei de você:
"Todos precisam trabalhar. Nem o leão pode dormir, à espera de que um cervo entre em sua boca".
um beijo

Anne Lieri disse...

Glorinha,tb invejo esses escritores que podem escrever o tempo que quiserem sem interrupção!Nem os blogs tenho tido tempo de ler!Daqui a pouco mesmo já vou ter que sair de novo,buscar filha,levar pai.É a vida!Ainda bem que os tenho perto de mim!Vamos ter que formar um clube das escritoras donas de casa!...rsss...Boa sorte e desejo de coração que seu livro seja um sucesso!Tenho certeza que sim,pois escreve muito bem!Bjs,

Blog da Fatima disse...

Glorinha minha filha!!
Eu cansei só de ler esse post!!
Credo, qta coisa pra fazer guria!!
E como tu consegue voltar teu raciocinio e escrever na ordem...uiiiiiii, tu é uma super mulher guria!! hehehehe

Bjos no ♥

Cantinho She - Sheila Mendonça disse...

Querida passando rapidinho só pra te deixar beijo, beijo! ;)
Volto com mais calma depois para te ler...beijoooo!

URBAN.GO disse...

Minha querida e bela amiga, não tenhas dúvidas de que tens em ti uma escritora, se dúvidas existissem bastava ler este post. Acabas de relatar o dia a dia de um escritor, a inspiração só aparece quando a gente força a escrita, passado esse ténue arranque quem for escritor começa a escrever feito louco, mas é um pouco como uma montanha russa, tem muito sobe e desce e muita mudança de velocidade.
Escrever à noite ajuda a resolver muitos problemas, claro que o marido não pensará assim. Tenho a certeza de que encontrarás uma solução, enquanto isso vai escrevendo para a gente, lembra-te também de que nem todos nasceram para escrever "catrapassos" do tipo Tolstoi, no entanto como foi o caso de Hemingway (post do meu blog) com apenas 97 páginas (esticadas) ganhou um nobel na altura. Saramago (conheces?) dizia que um escritor faz-se não nasce, eu pessoalmente penso que ele "nasce" mas ... precisa de se "fazer"
Bjs.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Glorinha!!!

Nooossa!Como gostei do que li!!!Pensei que só eu sofresse assim para conseguir me dar ao prazer de ficar a escrever e a passear pelos blogs dos amigos!!!

Agradeço por "ouvir meus gritos"!

Estarei,sempre, por aqui!

Um beijo!

Sonia Regina.

Lidia Ferreira disse...

Minha querida toda pessoa que tem um Dom incomoda alguem invejoso
Não pare seu dom e lindo
bjs

orvalho do ceu disse...

Olá,Glorinha
Ótimo dia para a gente refletir sobre nossa conduta pessoal.
A INTEGRAÇÃO do nosso ser é processo que vale a pena!
Harmonia e abraços fraternais

Beth Blue disse...

Eu também adoro ler e escrever, tenho filho de 10 anos que quando não está na escola requer muita atenção, não tenho faxineira nem empregada...enfim, faço tudo sozinha!

Acho que a única solução neste caso é também a mais óbvia: separe algumas horas (nem que seja só 2 horas mesmo) pra escrever. Abaixe o som do telefone, coloque o celular em OFF-LINE e pronto!

Nossas vida hoje em dia é muita corrida...então cabe a nós definirmos nossas prioridades!

um abraço